Após temporal, Pirassununga tem cancelamento de cirurgias e suspensão de vacinação

(Defesa Civil do Estado de SP)

A cidade de Pirassununga, no interior paulista, ainda sofre com as consequências do temporal que atingiu a cidade no sábado (9). Suspensão da vacinação da covid-19, destelhamento de casas e suspensão de cirurgias na Santa Casa são alguns dos impactos. O fenômeno meteorológico que atingiu a cidade é conhecido como microexplosão.

Em entrevista a uma rádio local, o prefeito Dimas Urban informou que irá decretar estado de emergência no município. Ele disse que irá se reunir com representantes do governo estadual nesta quarta-feira (13). O prefeito, que transmitiu a entrevista pela sua página no Facebook, disse que o município vai precisar de cerca de R$ 30 milhões para reparar danos.

A forte chuva danificou postos de vacinação, fazendo com que a campanha contra a covid-19 fosse suspensa no município. Algumas doses ficaram sem refrigeração por conta da queda de energia, o que ainda será avaliado pela prefeitura, e não há prazo para retomar a aplicação.

O Fundo de Solidariedade de Pirassununga está recebendo doações neste feriado. Entre os itens necessários, estão alimentos, roupas, cobertores, produtos de higiene pessoal e de limpeza.

Fenômeno

A microexplosão ocorre quando correntes de vento muito fortes saem de dentro de uma nuvem cumulusnimbus, as quais descem rapidamente para a superfície em linha reta e, quando tocam o solo, se espalham para todas as direções. 

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, o fenômeno não é tão raro, mas é menos provável que ocorra novamente na mesma região nesta semana. O alerta é para o próximo fim de semana, quando uma chuva volumosa deve voltar à região com rajadas de vento intensas.

Por Agência Brasil

Defesa Civil alerta para rajadas de vento e frio

Céu encoberto na região da zona norte de São Paulo (Nivaldo Lima/SP Agora)

A região metropolitana de São Paulo pode ter fortes rajadas de vento na tarde de hoje (21), segundo alerta a Defesa Civil do Estado de São Paulo. “Tenha cuidado. Evite permanecer embaixo de árvores, postes ou fios elétricos”, diz trecho do comunicado publicado em uma rede social.

Os ventos são resultado da aproximação de uma frente fria que deve mudar o clima na região metropolitana. O calor, com termômetros na casa dos 33°C na Capital, hoje, deve dar uma trégua nos próximos dias, e as temperaturas vão despencar. “A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de São Paulo decretou hoje às 09h35, estado de atenção para Baixa Temperatura em toda a Capital”, informa o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP).

Segundo os meteorologistas do órgão, há previsão de chuva isolada e a temperatura mínima deve ser de 13ºC amanhã (22) e 12°C na quinta-feira (23).

Chuva deixa morros de Santos em ‘Estado de Atenção’

(Arquivo/Leandro Frota/Pref. de Santos)

As chuvas dos últimos dias fizeram com que a Prefeitura de Santos colocasse os morros da cidade em ‘Estado de Atenção’ para escorregamento de encostas. Segundo o município, nas últimas 72 horas a chuva provocou um acumulado pluviométrico de 105,2 mm.

Em comunicado divulgado hoje (21) pela prefeitura, a Defesa Civil alerta que a “quantidade de água deixou o solo bastante encharcado, com risco de escorregamentos”.

Apesar do estado de atenção, até o momento não houve registro de ocorrência.

Só neste mês, Santos acumula 268,6mm em volume de chuvas, “quantidade maior que a média esperada para o mês, baseada nos 25 anos anteriores, que é de 218,4 mm”, explica o comunicado.

Um alerta da Defesa Civil Estadual, emitido ontem (20), aponta para a possibilidade de chuva forte no litoral paulista até sexta-feira (23).

Após chuva forte e estragos, Defesa Civil vistoria Peruíbe

Trecho de avenida engolido pela erosão (Defesa Civil do Estado de SP)

Atingida por uma forte chuva, que provocou estragos em várias partes da cidade, Peruíbe, no litoral de São Paulo, passou por uma vistoria da Defesa Civil Estadual. O temporal levou, em 24 horas, a acumulados de 255 mm.

Durante a vistoria, os técnicos identificaram 8 pontos de escorregamento pela Serra do Guaraú, sendo que um deles causou a interdição total da via. Não houve registro de vítimas. Também pela Avenida Mario Covas Junior (Beira Mar) houve 3 pontos de erosão, sendo que 2 pontos causaram interdição parcial e um deles interdição total da via.

Nos bairros de Caraguava e Ribamar, vários pontos de alagamento se formaram, afetando várias residências. Até o momento, 30 casas foram interditadas e 60 pessoas desalojadas. As vias permanecem interditadas, pois ainda há risco de novos deslizamentos.

Após solicitação de apoio da prefeitura, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec/SP) permanece com a equipe no município, juntamente com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), para realizar vistorias emergenciais, avaliar as áreas mais afetadas e dar suporte técnico nas ações de resposta.

“Neste momento, o município de Peruíbe se encontra em estado de alerta, com previsão de grandes acumulados para as próximas horas. A Defesa Civil Estadual permanece monitorando, 24 horas, esta região por meio do nosso Centro de Gerenciamento de Emergências, pois há risco de novos deslizamentos”, afirmou o Tenente-Coronel PM Rodrigo Quintino, Diretor do Departamento de Proteção e Defesa Civil.

*Com Gov do Estado de SP

Defesa Civil faz alerta para forte calor no Estado

Temperatura chega a 33ºC na Capital nesta sexta-feira (SP Agora)

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil fez hoje (11) um alerta para a “elevação significativa das temperaturas e a sensação de calor intenso em todo o estado de São Paulo” até o próximo domingo (13). Segundo o órgão do Governo do Estado, “esse calor é decorrente dos ventos que sopram do interior do continente, somados à presença do Sol e à ausência de nuvens”.

Segundo a Defesa Civil, o destaque fica para as regiões do interior, norte e oeste paulista, nas quais as temperaturas podem chegar até 38º C. A umidade relativa do ar também pode ficar abaixo de 15% no período vespertino em praticamente todas as regiões do estado.

Em razão desse cenário de calor, “recomenda-se que as pessoas evitem exercícios físicos ao ar livre nos períodos mais quentes, umidifiquem o ambiente constantemente, permaneçam em locais protegidos do sol e consumam bastante água”, informa.

Com a umidade relativa do ar muito baixa e o calor intenso, o tempo fica propenso para incêndios em cobertura vegetal. “A Defesa Civil, juntamente com o Corpo de Bombeiros, atua de forma constante para combater focos de queimadas, principalmente nesse período de seca”.

*com informações do Governo do Estado de SP

Tempo muda e Estado alerta sobre frio no fim de semana

A Defesa Civil de São Paulo emitiu ontem (21) um alerta para baixas temperaturas em algumas cidades do interior paulista durante o final de semana. A temperatura, segundo o órgão, vai ficar baixa entre sábado (25) e segunda (27).

Segundo a Defesa Civil, a sensação térmica da população que vive nas cidades de Sorocaba, Bauru, Araraquara, Presidente Prudente, Barretos, São José do Rio Preto, Itapeva, Campinas, Marília e mais os municípios que integram a Região Metropolitana de São Paulo e a Serra da Mantiqueira poderá ficar entre zero graus Celsius (ºC) e 7ºC.

Já nas cidades de Ribeirão Preto, São José dos Campos, Franca, Araçatuba, Santos e Registro, a sensação térmica será acima de 7ºC.

As dicas da Defesa Civil para este período é manter crianças e idosos bem agasalhados e evitar locais fechados e de grande circulação de pessoas, além de higienizar bem as mãos e frequentemente. A Defesa Civil também orienta as pessoas para manterem-se hidratadas, mesmo se sentir menos sede, para evitar ressecamento da pele e dos lábios por causa do ar frio; e manter ao menos uma fonte de ventilação em locais fechados para facilitar a circulação do ar.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Bombeiros procuram última vítima desaparecida no litoral

O Corpo de Bombeiros procura pela última vítima desaparecida no litoral sul de São Paulo, após a forte chuva que provocou deslizamentos de terra no dia 3 de março. Segundo a Defesa Civil do Estado de São Paulo, as buscas estão concentram na Barreira do João Guarda, onde, segundo a moradores, vivia o desaparecido.

O número de desaparecidos, que chegou a mais de 40 pessoas, caiu depois de o Estado fazer um cruzamento de dados com informações municipais e do SUS. Desta forma, as autoridades descobriram que as pessoas que eram consideradas desaparecidas não estavam no local das tragédias no dia da chuva, e estão vivas.

Mortes



O temporal que provocou deslizamentos no Litoral Sul matou 44 pessoas, incluindo dos bombeiros que faziam o resgate de vítimas quando foram soterrados. O Guarujá foi a cidade com maior número de mortos: 33 e 1 desaparecido até o momento.

Santos registrou 8 mortes e São Vicente 3.

Segundo a Defesa Civil Estadual, ainda há 121 desabrigados no Guarujá e 226 em Santos.

Decretado Estado de Calamidade Pública no Guarujá

A Defesa Civil Nacional determinou Estado de Calamidade Pública no Guarujá, na Baixada Santista, devido às fortes chuvas que causaram mortes e destruição em várias localidades do município paulista. A portaria, com a medida, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (5).

Hoje (5), a cidade do Guarujá já contabiliza 22 mortes. Segundo a prefeitura, ao todo, sete morros foram atingidos, sendo dois com maior gravidade: o da Barreira do João Guarda e o da Bela Vista (Macaco Molhado).

Mais de 100 desabrigados estão acolhidos na Escola Municipal Dirce Valério, na Avenida Dom Pedro I, 340, no Jardim Tejereba. No local, eles recebem atendimento médico e psicológico, além dos cuidados básicos de alimentação, higiene e acomodações para descanso.



De acordo com a prefeitura, as chuvas no Guarujá atingiram o acumulado de 405 milímetros (mm) nas últimas 72 horas, sendo 282 mm só nas primeiras 12 horas, número superior ao previsto para todo o mês de março. Para a Defesa Civil estadual, esse volume de chuva é extremamente alto, considerando-se as medidas históricas no estado.

A previsão meteorológica para esta quinta-feira é de céu nublado com possibilidade de chuva fraca e isolada ao longo do dia. O volume previsto não é significativo, no entanto, devido ao solo estar bastante encharcado, o alerta para risco de deslizamentos permanece vigente.

O órgão estaduall informou também que disponibilizou 19,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária aos municípios afetados, sendo 15,6 toneladas (colchões, cobertores, cestas básicas, roupas, água sanitária, kits de limpeza, kits de higiene e água potável) para o depósito do Fundo Social de Santos.

De Santos, os materiais serão distribuídos mediante solicitação das defesas civis municipais. Também foram disponibilizados 1 tonelada (colchões) para o Guarujá e 2,9 toneladas (colchões, cestas básicas, kits de higiene, limpeza e vestuário) a Peruíbe.

*Com informações da Agência Brasil