Desabamento mata duas pessoas na zona sul

O desabamento de um imóvel na Rua Luís de Góis, na Vila Saúde, Zona Sul de São Paulo, resultou na morte de duas pessoas na manhã desta quinta-feira (10).

Segundo informações da assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu em um canteiro de obras: um trator executava o serviço de demolição da estrutura de um estacionamento, quando colidiu com a edificação, que desabou sobre os trabalhadores.

Um homem, de aproximadamente 30 anos, foi retirado com ferimentos nas mãos. Outros dois homens que trabalhavam na obra foram retirados dos escombros sem vida.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros da capital, 15 viaturas atuaram no local.

Por Ludmilla Souza – Repórte da Agência Brasil

Prédio desaba e deixa pessoas soterradas

(Pref. do Rio de Janeiro/via Agência Brasil)

Um edifício desabou na madrugada de hoje (3) na comunidade de Rio das Pedras, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro, foram resgatadas três pessoas com vida. Elas foram encaminhadas ao Hospital Municipal Lourenço Jorge.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma mulher foi localizada sob os escombros, mas ainda não foi resgatada. Ela está viva e informou que há mais duas pessoas soterradas, entre elas uma criança.

O acidente ocorreu na Avenida da Areinha, próximo à Rua das Uvas, por volta das 3h20 de hoje. Ao chegarem ao local, os bombeiros também tiveram que combater chamas que atingiam os destroços.

Não há informações sobre o que causou o colapso da estrutura e nem se o prédio era regular. O desabamento atingiu três edificações que ficam em frente ao prédio e uma que fica ao lado dele.

Em abril de 2019, dois prédios irregulares desabaram na comunidade vizinha da Muzema, deixando 24 mortos.

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil 

Menino de 5 anos morre soterrado após chuvas em Minas

(Corpo de Bombeiros de MG/via Agência Brasil)

Bombeiros de Minas Gerais encontraram, na manhã de hoje (22), o corpo do menino de 5 anos que foi soterrado pelos escombros de sua casa, atingida por um deslizamento de terra causado pelas fortes chuvas que ocorreram em Santa Maria de Itabira, no último fim de semana.

O garoto estava em casa, com seus pais, quando o imóvel foi atingido por um barranco. Os pais conseguiram deixar o local, mas o menino, que estava em outro cômodo, não teve a mesma sorte.

Agora, chega a seis o número de pessoas que perderam as vidas devido às consequências das chuvas que ocorreram com mais intensidade entre sexta-feira (19) e ontem (21), na cidade. As identidades das vítimas não foram divulgadas por órgãos oficiais.

Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil de Minas Gerais, o estado contabiliza 20 mortes desde outubro de 2020, quando teve início o período chuvoso.

Por Alex Rodrigues, da Agência Brasil 

Bombeiros procuram vítimas após desabamento

(TV Globo/Reprodução)

O Corpo de Bombeiros procura por mais duas vítimas soterradas após um desabamento em Embu das Artes, na Grande São Paulo. Outras quatro pessoas morreram e os corpos já foram localizados pelos socorristas.

O acidente aconteceu durante a noite de ontem (29) após uma forte chuva que atingiu a região metropolitana. Entre as vítimas estão mãe e filhos, todos crianças. Quase 50 bombeiros foram mobilizados para atender a ocorrência, além de integrantes de outros órgãos estaduais e municipais.

Na Rua São Lucas, também em Embu, um homem, de 56 anos, foi arrastado pela enchente, socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

João Doria, governador de São Paulo, manifestou pesar pela morte das vítimas.

(Reprodução)

O temporal também provocou a queda de árvores na grande São Paulo. Em seis horas, entre 19h33 e 1h37, o 193 recebeu 14 chamados para queda de árvores. Não houve vítimas.

CGE

Com o temporal de ontem (29), de acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura de São Paulo, o acumulado médio da cidade superou a média histórica do mês, que é de 185,6mm. Até 7h da manhã de hoje (30), o total médio de precipitação na Capital era de 201,8mm, ou seja, 8,7% acima do esperado.

Previsão para o Réveillon

A quinta-feira (31), último dia de 2020, começa com sol, variação de nuvens e rápida elevação da temperatura. A combinação de calor e aproximação de uma frente fria gera áreas de instabilidade entre a tarde e a noite. Há previsão de chuva forte, rajadas de vento e descargas elétricas. As precipitações serão generalizadas, o que em conjunto com o solo encharcado, aumenta o potencial para formação de alagamentos, transbordamentos e deslizamentos. 

Na sexta-feira, primeiro de janeiro de 2021, a passagem do sistema frontal ao largo do litoral paulista mantém o tempo fechado e chuvoso. As chuvas serão intermitentes e haverá momentos de chuva moderada a forte, o que mantém o potencial elevado para formação de alagamentos, transbordamentos e deslizamentos nas áreas de encosta. Os ventos passam a sopram do quadrante sul e por conta disso, a temperatura varia pouco. Mínima de 20°C e máxima de 24°C.

Com 29 mortes, Baixada tem agora 41 desaparecidos

(Governo do Estado de SP/Reprodução)

Subiu para 29 o número de mortes provocadas por desmoronamentos na Baixada Santista por conta das fortes chuvas que atingiram a região na madrugada de terça-feira (3). As buscas em São Vicente, Santos e Guarujá, cidades onde as ocorrências foram mais graves, seguem.

Segundo a atualização feita pela Defesa Civil do Estado de São Paulo, ainda há 41 pessoas desaparecidas. A maior parte de buscas ocorre em Guarujá, município que também registra maior número de mortes.

O estado anunciou investimento de R$ 30 milhões em obras de infraestrutura no Litoral Sul. Segundo o governador João Doria, R$ 1 milhão também será destinado ao aluguel social.

O Guarujá tem 245 desabrigados, São Vicente três, Santos 150 e Peruíbe 102, totalizando 500 pessoas sem casa.



Confirmadas 27 mortes após deslizamentos no litoral

(Prefeitura de Guarujá)

O Corpo de Bombeiros confirmou há pouco mais duas mortes nos morros atingidos por deslizamentos de terra no litoral sul de São Paulo. A quantidade de vítimas passou de 25 para 27 durante a noite.

Segundo os bombeiros, a cidade com maior número de mortes é Guarujá com 22 óbitos (incluindo uma pessoa socorrida ao pronto-socorro), sendo quatro no Morro do Macaco Molhado, 16 no Morro Cantagalo e um na Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana.

Em Santos são três mortes: uma no Morro da Penha e duas no morro do Tetéu.

Já em São Vicente são duas mortes, sendo uma no Parque Prainha e uma na Vila Valença.


*Erramos no número de mortes no Guarujá. Informação corrigida e texto atualizado

Cresce número de mortos na Baixada Santista

Buscas seguiram durante a noite (Governo do Estado de SP/Reprodução)

Subiu para 25 o número de mortes na Baixada Santista em decorrência da forte chuva que atingiu a cidade na madrugada de terça-feira (3). A informação foi divulgada pela Defesa Civil do Estado de São Paulo. No fim da noite, a TV Globo informou que mais uma vítima foi retirada dos escombros, mas essa informação ainda não foi confirmada pelos Bombeiros e pela Defesa Civil.

Pelo menos 24 pessoas ainda estão oficialmente desaparecidas e as buscas para encontrar os moradores prosseguem na Baixada Santista. Segundo o Corpo de Bombeiros, 145 integrantes da corporação atuam nas regiões atingidas por deslizamentos.



Durante a noite, as buscas continuaram na Baixada com ajuda de iluminação artificial.

Desabrigados

O número atual de desabrigados é de 151 no Guarujá, 3 em São Vicente, 150 em Santos e 102 em Peruíbe. Foram oferecidas à Baixada, pelo Estado, 19,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária aos municípios afetados, sendo 15,6 toneladas (colchões, cobertores, cestas básicas, roupas, água sanitária, kits de limpeza, kits de higiene e água potável) para o depósito do Fundo Social de Santos, de onde serão distribuídos, mediante solicitação, às defesas civis municipais, 1 tonelada (colchões) ao Guarujá, e 2,9 toneladas (colchões, cestas básicas, kits de higiene, limpeza e vestuário) a Peruíbe.

*Com informações da Defesa Civil do Estado de São Paulo

Mortes no litoral sobem para 19 e há 29 desaparecidos

Local onde Bombeiros foram soterrados no Morro do Macaco Molhado, no Guarujá
(Governo do Estado de SP/Reprodução)

A Defesa Civil do Estado de São Paulo atualizou na manhã de hoje (4) o número de vítimas e desaparecidos no litoral sul de São Paulo. Até agora 19 pessoas tiveram a morte confirmada e outras 29 ainda estão desaparecidas.

Segundo o boletim da Defesa Civil, as mortes aconteceram em três cidades: Guarujá (15 óbitos e 22 desaparecidos), Santos (3 óbitos e 5 desaparecidos) e São Vicente (1 óbito e 2 desaparecidos).

O número atual de desabrigados é de 155 no Guarujá, 6 em São Vicente e 37 em Santos.

Ajuda



O Governo do Estado de São Paulo iniciou o envio de ajuda humanitária para apoio e atendimento a centenas de desabrigados e desalojados devido a chuvas intensas na Baixada Santista. A Defesa Civil do Estado e o Fundo Social de São Paulo coordenam a remessa de 4,6 toneladas de materiais para vítimas nas cidades de Guarujá, Santos e São Vicente.

O trabalho de atendimento é feito com apoio das prefeituras e entidades assistenciais do litoral. Colchões, cobertores, cestas básicas, água sanitária e água potável também serão enviados aos municípios afetados.

Ontem (3), o governador João Doria estimulou a comunidade a fazer doações para ajudar as vítimas das chuvas no litoral.

“Quero fazer um apelo para aqueles que puderem e quiserem se solidarizar, podem fazer doação de água mineral, colchões novos e itens de higiene pessoal. Podem entregar por meio do Fundo Social ou da Defesa Civil de Santos, do Guarujá e São Vicente. Toda ajuda é bem-vinda”, disse Doria.

O Fundo Social de São Paulo informou que os municípios da Baixada Santista estão sendo atendidos com produtos e mantimentos. Já foram entregues 200 galões de água mineral, 190 garrafas de suco, 700 mantas e cobertores e 55 caixas de roupas.

Na capital, as doações podem ser entregues no depósito do Fundo Social de São Paulo, na avenida Marechal Mário Guedes, 301, no bairro do Jaguaré, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Já nos municípios afetados, os pontos de arrecadação são definidos e informados pelas prefeituras.

*Com informações do Governo do Estado de SP

Mortes no litoral chegam a 18 e há 30 desaparecidos

(Prefeitura de Santos/Reprodução)

A Defesa Civil do Estado de São Paulo informou, em nota, na noite dessa terça-feira (3), que o número de mortes causadas pelas fortes chuvas na Baixada Santista na última madrugada subiu para 18. Também há 30 desaparecidos. No último boletim constavam 16 mortes. 

Destas 18 mortes e 30 desaparecidos, a maioria está na cidade do Guarujá (15 mortos e 22 desaparecidos). Também há casos registrados em Santos (2 mortos e 6 desaparecidos) e São Vicente (1 morte e 2 desaparecidos).

O número atual de desabrigados é de 156 no Guarujá e 7 em São Vicente. São Vicente também tem 11 desalojados. Desabrigados são aqueles que estão acomodados provisoriamente em locais públicos improvisados; desalojadas são as pessoas que tiveram de deixar suas casas e se abrigar na casa de parentes e amigos ou buscar outras opções temporárias.



Segundo a Defesa Civil, foram disponibilizadas 12,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária, como colchões, cobertores, cestas básicas, água sanitária e água potável, aos municípios afetados. Esse material será distribuído quando for solicitado pelas defesas civis municipais.

https://twitter.com/BombeirosPMESP/status/1234992692796329984

Ao longo da quarta-feira (4), mesmo a frente fria estando bem afastada do estado de São Paulo, um sistema de baixa pressão no oceano lançará umidade em direção ao continente que, somada com a umidade da Amazônia, provocará chuva fraca a moderada em pontos isolados da Baixada Santista.

Segundo a Defesa Civil, pelo solo estar completamente encharcado, o risco de transtornos continua elevado.

Luto oficial 

Nesta terça-feira, o governador de São Paulo, João Doria, decretou luto oficial de três dias em todo o estado. “Lamentamos muito o efeito das fortes chuvas que se abateram sobre a Baixada Santista e oferecemos solidariedade às famílias que perderam entes queridos e estão em sofrimento nesse momento”, disse Doria em entrevista na prefeitura de Santos. 

O decreto será publicado na edição de quarta-feira (4) do Diário Oficial do estado.

Doria também determinou a formação de uma força-tarefa para apoio a desabrigados, desalojados e familiares de vítimas e desaparecidos.

*com informações da Agência Brasil

Bolsonaro envia Secretaria de Defesa Civil ao litoral de SP

(Prefeitura de Santos/Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro divulgou na noite desta terça-feira (3) no Twitter que o Ministério do Desenvolvimento Regional vai enviar para a Baixada Santista a Secretaria Nacional de Defesa Civil e que o ministério está “à disposição para as demandas que sejam necessárias”. O presidente também prestou solidariedade àos familiares das vítimas das chuvas de Santos, São Vicente e Guaruja.

A Defesa Civil do Estado de São Paulo informou, em nota na noite de hoje, que o número de mortes causadas pelas fortes na Baixada Santista nesta madrugada subiu para 18. Também há 30 desaparecidos. 



O número atual de desabrigados é de 156 no Guarujá e 7 em São Vicente. São Vicente também tem 11 desalojados. Desabrigados são aqueles que estão acomodados provisoriamente em locais públicos improvisados; desalojadas são as pessoas que tiveram de deixar suas casas e se abrigar na casa de parentes e amigos ou buscar outras opções temporárias.