Creches poderão receber 100% das crianças a partir de setembro

(Pref. de São Paulo)

As creches da rede municipal de São Paulo vão poder voltar a atender 100% das crianças a partir de 8 de setembro. A mudança, anunciada hoje (29) pela prefeitura da cidade, vale para creches e unidades escolares que atendem bebês e crianças de até 3 anos. De acordo com a secretaria de Educação, essa faixa etária corresponde a 345 mil matrículas na rede municipal, abrangendo 2,8 mil unidades.

O governo municipal destacou ainda que a decisão por ampliar o atendimento tem como base orientações das autoridades de Saúde e de Vigilância Sanitária. Deverão ser seguidos protocolos sanitários como medidas de segurança contra covid-19. As escolas devem garantir uso de máscaras, álcool gel e higienização dos ambientes.

O limite de atendimento das Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis) e Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) havia sido ampliado em 2 de agosto, considerando a capacidade física de cada unidade. É preciso garantir um distanciamento mínimo de um metro entre os alunos. As creches ficaram de fora naquele momento, sendo autorizadas a funcionar com 60% da capacidade, sem esquema de revezamento.

A rede municipal possui 235 mil estudantes matriculados nas Emeis e 425,9 mil alunos no ensino fundamental e médio.

A prefeitura esclareceu que o retorno presencial é facultativo, ficando a critério dos pais ou responsáveis, mas eles devem se comprometer com o desenvolvimento das atividades remotas. O retorno é opcional enquanto durar o período de emergência pela pandemia do novo coronavírus, conforme a Lei 17.437, de 12 de agosto de 2020.

Por Camila Maciel, da Agência Brasil

Capital zera fila à espera de creche pela 1ª vez, diz prefeitura

(Arquivo/Fábio Arantes/Pref. de SP)

A prefeitura de São Paulo anunciou hoje (17) que, pela primeira vez, a cidade conseguiu zerar a fila pela espera de uma vaga em creche. Até dezembro de 2016, pelo menos 65 mil crianças aguardavam lugar nesses estabelecimentos. Segundo a prefeitura, foram criadas 91 mil vagas nos últimos quatro anos. Apenas os pais que optaram por uma unidade específica permanecem na fila.

“Pela primeira vez na história, zeramos a fila da creche na cidade de São Paulo, uma conquista não apenas desta administração, mas da cidade de São Paulo, que eu queria dividir com todos os ex-prefeitos e ex-prefeitas que me antecederam neste cargo, que também fizeram a sua parte para que hoje pudéssemos comemorar esse grande feito”, disse o prefeito Bruno Covas.

Em setembro de 2017, a administração municipal, ainda na gestão de João Doria, fechou acordo com o Tribunal de Justiça comprometendo-se a criar 85.500 vagas em creches até dezembro de 2020, conforme promessa do então prefeito no Plano de Metas. Segundo o acordo, as vagas criadas para crianças até 3 anos deveriam ter como prioridade as Diretorias Regionais de Ensino que registravam o maior número de crianças na fila no fim de 2016.

“Não temos hoje nenhuma criança aguardando por vaga em creche, com aproximadamente 5 mil vagas ociosas ainda na rede pública municipal e quase 4 mil vagas credenciadas junto ao programa Mais Creche. Existem ainda 540 crianças que aguardam na fila por uma creche específica, porque as famílias preferem determinada unidade, apesar de a prefeitura oferecer vagas em quatro ou cinco creches do entorno”, explicou o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano.

Segundo Caetano, a partir da próxima semana, a secretaria entrará em contato com os pais e responsáveis pelas crianças para oferecer vagas no entorno dos locais pelos quais eles optaram e esperam.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil