Confiança da indústria tem pior nível desde outubro

Por Vinícius Lisboa 

A confiança da indústria brasileira caiu no mês de julho e chegou ao pior nível desde outubro de 2018, divulgou hoje (29) o Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Calculado a partir de informações de 1.142 empresas, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) teve retração de 0,9 ponto em julho, chegando a 94,8 pontos.

Segundo a pesquisa, a confiança recuou em 11 dos 19 segmentos industriais pesquisados, e as quedas foram concentradas na avaliação do cenário atual. O Índice de Situação Atual caiu 2,2 pontos e chegou a 94,4, enquanto o Índice de Expectativas, que mede as projeções do setor para o futuro, teve sua primeira alta em 2019. O indicador avançou 0,5 ponto, chegando a 95,3.

De acordo com o Ibre/FGV, caiu de 19,6% para 11,9% o percentual de empresas que avaliaram a situação atual como boa, e subiu de 21,1% para 22,7% o das que consideram que o cenário é ruim. Por outro lado, a parcela de empresas que preveem melhora aumentou de 34,9% para 38,4%, enquanto o grupo que acredita em piora diminuiu de 13,2% para 10,3%.

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria subiu de 75% para 75,5% em julho, segundo a sondagem. O indicador mede o quanto a indústria utilizou de seu potencial total de produção. Outros dados mostram que houve piora no nível de estoques e nas perspectivas de emprego e produção para os próximos três meses.

Franquia de Consultoria Empresarial abre 4 unidades

Franquia foi criada por empresa que atua há mais de vinte anos no mercado (Divulgação)

A Consulting Now, franquia especializada em Consultoria Empresarial, inicia quatro novas operações e chega a Belo Horizonte, em Minas Gerais, e a Campinas, Suzano e Santo André, em São Paulo. As unidades vão atuar no suporte a pequenas e médias empresas que passam por dificuldades causadas pela falta de processos e estratégias em áreas vitais, que vão da comercial à logística.

“Nosso plano de negócio prevê a participação da franqueadora toda vez que o franqueado for iniciar um atendimento. O primeiro diagnóstico e parte do primeiro projeto da consultoria são feitos pela franqueadora e caberá ao franqueado dar todo suporte ao longo do projeto”, explica Bruno Fioravante, gestor de expansão da franquia.  

Os projetos de consultoria são balizados a partir da experiência de mais de 25 anos da Grupo INTERMASTER, responsável pela reestruturação de mais de 170 empresas e indústrias, com melhoria nos objetivos econômicos, financeiros e organizacionais.

“Quando a gente diz econômico, há uma ênfase na lucratividade ou recuperação dela. Na área financeira muitas vezes são questões de engenharia de caixa, e organizacional entram os conceitos que nós criamos para fazer gestão de uma empresa, desde a definição de estratégia, passando pelos principais processos, gestão e equipe”, destaca o CEO do grupo, Vicente Gomes, que aponta a necessidade de um sistema de Enterprise Resource Planning (ERP) para que o cliente tenha os processos de trabalho definidos e forneça informação para a tomada de decisão.

No franchising desde 2017, a Consulting Now tem atualmente 13 unidades, sendo uma própria.

Belo Horizonte

A unidade de Belo Horizonte será comandada pelo administrador Rogério Cornélio, que atua nas áreas de gestão e financeira há mais de 20 anos e tem cinco anos de experiência em consultoria independente.

“Como autônomo, havia uma necessidade de buscar padronização e metodologia, o que encontrei na Consulting Now”, explica o franqueado, que aderiu à franquia após um ano de pesquisa.

Campinas 

Com 32 de anos de experiência em multinacional, Wagner Kern assume a operação da franquia em Campinas, a maior cidade do interior Paulista. Após se desligar da empresa no ano passado, o engenheiro mecânico, com especialização em Gestão Empresarial (MBA/FGV), decidiu empreender.

“Tudo o que aprendi ao longo da minha carreira, os cursos que fiz, não queria que se perdesse e, empreendendo pela Consulting Now, poderei repassar, principalmente, para o pequeno empresário, que acaba, por conta das demandas do dia a dia, não conseguindo ter uma visão estratégica do negócio”, explica.

Suzano

A unidade de Suzano, na grande São Paulo, será comandada por dois executivos: José Carlos Nunes Júnior, com experiência em administração e finanças, e Roberto Akira, empresário especializado na área comercial. Juntos, somam décadas de experiência empresarial.

“Além da experiência no setor privado, nós também já atuamos em auditoria e consultoria às empresas”, conta José Carlos. “Com os métodos da franquia, poderemos oferecer um trabalho mais abrangente, principalmente no diagnóstico de cada empresa, permitindo uma melhor atuação”.

Santo André

Economista e pós graduado em Gestão de Controladoria e Finanças, Odair Salgado assume a franquia em Santo André, na Grande São Paulo. Com 25 anos de experiência no setor privado, passando por grandes indústrias nacionais e multinacionais, em áreas que vão de Custos a Controladoria, Odair destaca a importância da metodologia criada pela Consulting Now para assessorar empresas no ABC paulista.

“Esse empoderamento que a marca Consulting Now traz para o meu trabalho influencia e abre portas para prospectar novos clientes”, diz o franqueado, que atuava como consultor independente havia cinco anos.

Ficha técnica

  • Ano de Fundação: 2017
  • Ano no Franchising: 2017
  • Formatos oferecidos: Formato único.
  • Unidades Próprias: 1
  • Unidades Franqueadas: 12
  • Investimento total: A partir de R$ 49 mil
  • Taxa de Franquia: R$ 44 mil
  • Capital de giro: R$ 5 a R$ 10 mil
  • Área média para instalação: A partir de 30m². Preferimos formato Coworking.
  • Quantidade de funcionários: Franqueado Consultor + 1
  • Royalties: 15% Faturamento Bruto
  • Taxa de Publicidade: Não há
  • Faturamento Estimado (R$): R$ 45 mil
  • Lucratividade: 50%
  • Prazo de Retorno Médio (meses): 8 meses

Com dívida de R$ 1 Bi, cinco mil empresas caem na malha fina

Por Kelly Oliveira 

A Receita Federal identificou mais de R$ 1 bilhão em sonegação fiscal de empresas, entre março e maio deste ano. No período, foram autuadas 5.241 empresas em todo o país por irregularidades no Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e na Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) do ano-calendário 2014.

O crédito tributário lançado, que inclui juros moratórios e multa de ofício de 75%, totalizou R$ 1.002.536.449,16. As irregularidades foram apuradas na Malha Fiscal Pessoa Jurídica.

A Receita Federal orienta as empresas com irregularidades no IRPJ e na CSLL dos anos-calendário seguintes a se autorregularizarem. Em junho de 2019, serão iniciadas as ações referentes ao ano-calendário 2015, com envio de cartas para mais de 14 mil empresas que apresentam inconsistências nos recolhimentos e declarações de IRPJ e CSLL de aproximadamente R$ 1,5 bilhão.

De acordo com o Fisco, o demonstrativo das inconsistências e as orientações para a autorregularização constarão na carta a ser enviada ao endereço cadastral constante do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) e na caixa postal dos contribuintes. A caixa postal pode ser acessada no site da Receita, no portal e-CAC.

Essa é mais uma etapa da série de ações do Projeto Malha Fiscal da Pessoa Jurídica da Receita Federal, que tem como objetivo identificar “inconsistências” no recolhimento de tributos por meio do cruzamento de informações eletrônicas, explicou o órgão.

(**) Valor do tributo sem acréscimo de juros moratórios e de multa de ofício.
(**) Valor do tributo sem acréscimo de juros moratórios e de multa de ofício (Agência Brasil)