Bandidos fazem arrastão e são presos pela PM

equipes sobre motocicletas da polícia militar de São Paulo - Rocam

A Polícia Militar prendeu dois suspeitos de fazer um arrastão, na noite de ontem (5), na região do Grajaú, na Zona Sul de São Paulo. Dois bandidos e um comparsa, que conseguiu fugir, atacaram ao menos 17 pessoas, levando celulares e dinheiro. Ocupando duas motos, eles abordavam principalmente mulheres e levavam os pertences.

Uma das motocicletas era roubada, enquanto que a outra pertencia a um dos criminosos, que usou fita isolante para adulterar a placa. Após os ataque, uma das vítimas acionou a PM que, em patrulhamento, localizou os suspeitos.

Com a aproximação dos policiais com motocicletas, os assaltantes fugiram e passaram a ser perseguidos. Na Avenida Paulo Guilger Reimberg, os dois suspeitos foram presos.

Objetos recuperados

Com eles, foram encontrados 17 celulares e um simulacro de pistola. Um dos detidos era menor de idade. A dupla foi encaminhada à delegacia do Jardim das Imbuias, onde 14 vitimas compareceram e fizeram o reconhecimento.

O maior de idade foi autuado em flagrante por roubo e corrupção de menor, e o adolescente seguiu para uma unidade da Fundação CASA.

*Com Paulo Édson Fiore, da Jovem Pan

Suspeito é preso após assalto em hospital

PM diz que simulacro foi usado por suspeito (Polícia Militar de SP)

Um homem foi preso suspeito de praticar um assalto no Hospital Geral do Grajaú, na zona sul de São Paulo. Ele foi localizado logo após o crime, neste domingo (21) por uma equipe da Força Tática, destacada para atender a ocorrência.

Assim que os policiais chegaram ao local, as vítimas indicaram as características do assaltante. Os policiais passaram a patrulhar a região. A PM diz que, na Rua Mamoneira, o suspeito começou a correr ao perceber a aproximação dos policiais.

Na fuga, teria jogado um simulacro de arma de fogo usado no crime. O suspeito foi detido e, junto com as vítimas, foi levado para a delegacia da região. Ele foi reconhecido e autuado em flagrante. A nota da PM não informa se o material roubado foi recuperado.

Suspeito de matar mulher no Rio é preso em São Paulo

Claúdia Cristina dos Santos Sacramento foi morta no Rio de Janeiro (Redes Sociais)

Um homem suspeito de ter praticado um feminicídio no Rio de Janeiro foi preso na região do Grajaú, Zona Sul de São Paulo. Júlio César Vasconcellos, de 37 anos, foi detido no início da noite desta quarta-feira pela Polícia Militar após denúncia anônima. Ele é o principal suspeito do assassinato de Claúdia Cristina dos Santos Sacramento, de 47 anos, crime ocorrido no domingo (10), na Favela da Pechincha, em Jacarepaguá, Zona Oeste da Capital fluminense.

De acordo com a PM, os dois moravam na mesma rua e tinham se conhecido um dia antes em um bar. A vítima foi vista pela última vez no domingo, na residência de Júlio César. 

No dia seguinte, vizinhos sentiram um mau cheiro vindo da casa do suspeito e começaram a desconfiar. Os moradores só descobriram o que tinha acontecido na terça-feira (12), quando resolveram acionar a Polícia Militar para entrar no imóvel. 

No local,  os Pms encontraram o corpo de Cláudia dentro de uma cama box, enrolado em um lençol e amarrado com fios. Ainda segundo a PM, o suspeito já tem duas passagens pela Lei Maria da Penha e, de acordo com vizinhos, a ex-mulher se separou dele no mês passado, após episódios de violência.

Após o crime, familiares da ex-mulher e de Cláudia se mobilizaram nas redes sociais para tentar localizar o assassino. Júlio Cesar fugiu para São Paulo, mas acabou sendo encontrado e preso nesta quarta-feira (13). Ele foi encaminhado ao 101 Distrito Policial, do Jardim das Imbuias, onde o delegado plantonista registrou um boletim de ocorrência de “captura de procurado”. O suspeito pode ser transferido ainda nesta quinta-feira (14) para o Rio de Janeiro.

Por Paulo Édson Fiore, da Jovem Pan

Líder comunitária desaparece e carro é encontrado queimado

Vera Lúcia da Silva desapareceu no Grajaú, periferia da zona sul da cidade de SP; em seu carro havia um corpo, mas Polícia Civil ainda não confirmou identidade

A cozinheira Vera Lúcia foi vista a última vez na quinta-feira e seu carro foi encontrado carbonizado | Foto: reprodução

A cozinheira Vera Lúcia da Silva Santos, 64 anos, fundadora da Associação Comunitária Auri Verde, localizada no Grajaú, periferia da zona sul da cidade de São Paulo, desapareceu na manhã da última quinta-feira (16/7). Seu carro foi encontrado dois dias depois, no sábado (18/7), carbonizado e com um corpo no porta-malas.

Segundo consta no boletim de ocorrência, Vera saiu de carro da rua Camilo Cortellini, no Grajaú, por volta das 10h da quinta-feira e não foi mais vista. Seu filho tentou ligar, mas outra pessoa atendeu afirmando que era dona do aparelho. Depois disso, o celular da líder comunitária foi desligado.

No sábado (18/7), por volta das 12h49, o carro de Vera foi encontrado carbonizado com um corpo no porta-malas. A polícia passou a investigar o caso como homicídio qualificado e o caso foi encaminhado para o DHPP. 

O veículo foi encontrado na rua Doutor Pedro de Castro Valente, também no Grajaú, 5 km de distância do local em que Vera foi vista pela última vez. Segundo o delegado Fabio Akira Tokuda, do 101ºDP (Jardim das Imbuias), não é possível afirmar que o corpo encontrado é de Vera, já que a ossada estava carbonizada.

Vera Lúcia transformou a infância difícil em luta. Ela nasceu em Taperoá, no sul da Bahia, e aos 7 anos foi adotada e levada para São Paulo. Começou sua trajetória como doméstica e, em 1992, fundou a Associação Comunitária Auri Verde, que atua como trabalho comunitário para promover a garantira de direitos às pessoas sem acesso a princípios básicos, como saneamento básico, pavimentação e energia elétrica. A associação, inclusive, fez um documentário contando a história dela.

https://www.facebook.com/115044529183634/videos/334048561327642

A Auri Verde também atua em 6 CEIs (Centros de Educação Infantil) e um CCA (Centro para Crianças e Adolescentes), na região do Grajaú, que proporcionam, juntos, espaços culturais e de educação para crianças e adolescentes.

Por Caê Vasconcelos – Repórter da Ponte

Veículo com oito pessoas capota, mata um e fere sete



Uma picape que levava 8 pessoas capotou e deixou 7 feridos, sendo três graves e um morto na madrugada deste domingo (12) no bairro Grajaú, na Zona Sul da capita paulista. O acidente foi na Estrada Canal de Cocaia, por volta das 5h30 deste domingo (12). O Capotamento ocorreu em uma curva da estrada.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o veículo é uma picape Fiat Fiorino. Entre as vítimas, três foram socorridos pelos Bombeiros e outras quatro foram levadas por ambulâncias do Samu. A vítima fatal é um homem de 36 anos, segundo os bombeiros.

Por  Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil