Greve geral: Transporte público na volta pra casa

Avenida Paulista no fim desta sexta-feira (14), em São Paulo (Twitter/Reprodução)

A SPTrans divulgou no fim da tarde que, às 17 horas desta sexta-feira (14), o sistema municipal de transporte público coletivo operava com 100% da frota e linhas.

A partir das 16h, por causa da concentração de manifestantes na Av. Paulista, foi implementado desvio para 18 linhas que trafegam pela via.

São elas:
508L-10 Term. Princesa Isabel – Aclimação 
917H-10 Term. Pirituba – Vl. Mariana
874C-10 Pq. Continental – Metrô Trianon Masp
715M-10 Jd. Maria Luiza – Lgo. da Pólvora
775P-10 Jd. Guaraú – Metrô Ana Rosa 
957A-10  Vila Brasilândia – Metrô Ana Rosa
175P-10 Metrô Santana – Ana Rosa
875H-10 Term. Lapa – Metrô Vl. Mariana
875P-10 Metrô Barra Funda – Metrô Ana Rosa
917M-10 Morro Grande – Metrô Ana Rosa
877T-10 Vl. Anastácio – Metrô Paraíso
857R-10 Term. Campo Limpo – Aclimação
857P-10 Term. Campo Limpo – Paraíso
809V-10 Vl. Gomes – Metrô Trianon Masp
669A-10 Term. Santo Amaro – Princesa Isabel
874T-10 Ipiranga – Lapa
478P-10 Sacomã – Pompéia Até Vl. Romana
875A-10 Aeroporto –  Perdizes
Sentido Consolação/Paraíso:
Normal até a Av. Paulista, Al. Santos, Av. Brig. Luís Antônio, prosseguindo normal pela Av. Paulista.

Sentido Paraíso/Consolação:
Normal até a Pça. Oswaldo Cruz, R. Treze de Maio, R. Cincinato Braga, R. São Carlos do Pinhal, Viad. Prof. Bernardino Tranchesi, R. São Carlos do Pinhão, R. Antônio Carlos, prosseguindo normal pela R. da Consolação.

Os 29 terminais municipais estão com operação de ônibus. Nenhuma operadora tem interrupção na saída da frota.

Técnicos da SPTrans estão nas ruas desde a madrugada, monitorando a operação do transporte público e orientando passageiros nos terminais e pontos estratégicos da cidade.

A SPTrans está tomando medidas para melhor atender a população, como o prolongamento e criação de linhas e reforço da frota. 


Prolongamento de linha

Na Zona Norte, as linhas 1722/10 (Jardim Marina/Metrô Tucuruvi), 178Y/10 (Vila Amélia/Metrô Jardim São Paulo), 2023/10 (Metrô Tucuruvi/Cachoeira) e 1767/10 (Metrô Tucuruvi/Pq. Edu Chaves) estão prolongando o atendimento aos usuários até o Terminal Santana.


Criação de linhas

Foram criadas emergencialmente as linhas Tucuruvi/Correio, operando com 7 ônibus articulados, e Santana/Correio, com 7 ônibus articulados, ambas com cobrança de tarifa. Na Zona Sul, foi criada uma linha com 15 ônibus para fazer o trajeto entre o Metrô Jabaquara e o Metrô Paraíso. Também com cobrança de tarifa. Os itinerários seguem abaixo.


Tucuruvi – Correio

Rua Paulo de Faria, Av. Tucuruvi, Praça Flavio Imperio, Av. Luís Dumont Vilares, Praça Orlando Silva, Rua Dr. Olavo Egídio, Av. Cruzeiro do Sul, Marginal Tietê, Ponte das Bandeiras, Av. Santos Dumont, Av. Tiradentes, Rua Brigadeiro Tobias, Rua Riskallah Jorge, Av. Prestes Maia, Praça Pedro Lessa, contorno sobre Túnel Norte/Sul, Av. Prestes Maia, Av. Tiradentes, Rua Pedro Vicente, Av. Cruzeiro do Sul, Ponte Cruzeiro do Sul, Av. Cruzeiro do Sul, Rua Duarte de Azevedo, Rua Jovita, Av. Gal. Ataliba Leonel, Av. Luís Dumont Vilares, Av. Álvaro Machado Pedrosa, Rua Paulo de Faria.

 
Santana – Correio

Av. Cruzeiro do Sul (contorno), Av. Cruzeiro do Sul (acesso), Marginal Tietê, Ponte das Bandeiras, Av. Santos Dumont, Av. Tiradentes, Rua Brigadeiro Tobias, Rua Riskallah Jorge, Av. Prestes Maia, Praça Pedro Lessa, contorno sobre Túnel Norte/Sul, Av. Prestes Maia, Av. Tiradentes, Rua Pedro Vicente, Av. Cruzeiro do Sul, Ponte Cruzeiro do Sul, Av. Cruzeiro do Sul.

Metrô Jabaquara – Metrô Paraíso

Rua dos Comerciários, Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, Av. Dr. Hugo Beolchi, Viaduto Dante Delmanto, Av. Dr. Hugo Beolchi, Av. Jabaquara, Rua Domingos de Morais, Rua Vergueiro, Viaduto Paraíso, Rua Abílio Soares, Av. Bernardino de Campos, Rua Vergueiro, Av. Prof. Noé de Azevedo, Rua Domingos de Morais, Av. Jabaquara, Av. Dr. Hugo Beolchi, Viaduto Dante Delmanto, Av. Dr. Hugo Beolchi, Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, Rua Nélson Fernandes, Rua Anita Costa e Rua dos Comerciários.


Reforço na frota

Na Zona Leste, houve reforço de 20 veículos superarticulados na frota da linha 4310/10 (Metrô Itaquera/Term. Pq D. Pedro II), totalizando frota de 66 coletivos em operação. As linhas 407P/10 Term. Cidade Tiradentes/Metrô Tatuapé e 3539/10 Cidade Tiradentes – Metrô Bresser também foram reforçadas com três ônibus cada.

As informações estão sendo atualizadas nos canais da SPTrans na internet (www.sptrans.com.br) e redes sociais (https://twitter.com/sptrans e https://www.facebook.com/SPTransOficial/) e no 156. 
O munícipe também pode obter informações sobre os ônibus pelo site http://olhovivo.sptrans.com.br/.


Terminais que estão em operação:


Pq. D. Pedro II
Santo Amaro
Grajaú
Campo Limpo
Capelinha
Sacomã
Vila Nova Cachoeirinha
Jd. Britânia
Bandeira
João Dias
Varginha
Pirituba
Cidade Tiradentes
Jd. Ângela
Pinheiros
Lapa
Mercado
Guarapiranga
Carrão 
Parelheiros
Sapopemba
A.E. Carvalho
Princesa Isabel
Penha
São Miguel
Aricanduva
Amaral Gurgel
Casa Verde
Vila Prudente
Itaquera

*Com informações da Prefeitura de SP

Greve geral mobiliza manifestantes em 26 estados

Por Daniel Melo

(Daniel Arroyo/Ponte Jornalismo via Twitter)

Diversas cidades brasileiras registram hoje (14) manifestações por mais recursos para a educação e contra as mudanças nas regras de aposentadoria. Convocada por centrais sindicais e outras entidades representativas de trabalhadores, a paralisação afeta, principalmente, o sistema de transporte público das cidades. De acordo com as centrais sindicais, estão previstos atos em mais de 300 cidades do país de 26 estados.

São Paulo

O Metrô de São Paulo ficou parcialmente paralisado devido a adesão dos trabalhadores à greve contra a reforma da Previdência. A Linha 1 – Azul, funcionava na manhã de hoje (14) entre as estações Luz e Saúde, deixando a zona norte da cidade descoberta pelo serviço. A Linha 3 – Vermelha operava entre as estações Marechal Deodoro e Tatuapé, deixando sem o transporte parte da zona leste e impedindo a interligação dos ônibus e trens metropolitanos na Estação Barra Funda. A Linha 2 – Verde manteve a maior cobertura, circulando entre as Clínicas e o Alto do Ipiranga. O Monotrilho, Linha 15 Prata, foi completamente paralisado.

O Metrô afirmou, por nota, que caso o serviço não seja mantido com um mínimo de 80% de operação nos horários de pico, conforme estipulado em liminar judicial, os empregados poderão sofrer sanções. “Os trabalhadores serão penalizados caso a decisão não seja respeitada. O movimento político, contra a reforma da previdência, prejudica milhões de pessoas em São Paulo”, enfatizou o comunicado.

Parte do serviço de ônibus intermunicipais que atende a região metropolitana da capital também parou. De acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), a greve afetou as linhas que atendem os municípios de Guarulhos, Arujá e Itaquaquecetuba, com a interrupção das atividades em sete empresas da região.

Os ônibus e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) funcionaram normalmente. Na quarta-feira (12), a Prefeitura de São Paulo havia obtido uma liminar na Justiça para impedir a adesão dos cobradores e motoristas à greve. As linhas Lilás e Amarela do Metrô, que são operadas por empresas privadas, também funcionaram normalmente.

A cidade também enfrentou manifestações em diversos pontos. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os protestos interferiram na circulação das avenidas João Dias, na zona sul, na Francisco Matarazzo, na zona oeste, Dona Belmira Marin (zona sul), Santos Dummond (zona norte), Vinte e Três de Maio (centro) e no Elevado Costa e Silva, também no centro. Em alguns desses pontos foram feitas barricadas com pneus em chamas para impedir a passagem dos veículos.

Parte dos trabalhadores do sistema bancário também aderiu à paralisação. Com isso, agências em diversas partes da cidade amanheceram fechadas. O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, afirma que a greve também atingiu centros administrativos do Banco do Brasil, Santander, Bradesco, Caixa Econômica e Itau.

Paraná

Manifestantes contrários à reforma da Previdência bloquearam totalmente os dois sentidos do Contorno Sul de Curitiba, das 7h às 9h. Outro bloqueio ocorreu na BR-476, em Araucária, nas imediações da Petrobras. Os manifestantes interromperam o trânsito na rodovia por cerca de uma hora.

Policiais rodoviários federais estiveram no dois locais para garantir a segurança dos motoristas.

Bolsonaro comenta greve

Durante um café da manhã com jornalistas hoje, o presidente Jair Bolsonaro foi perguntado sobre a greve. O presidente disse ver o movimento como algo natural. “[Vejo] com muita naturalidade. Quando resolvi me candidatar, sabia que ia passar por isso”, disse. 

Sobre reforma da Previdência, alvo das paralisações de hoje, Bolsonaro voltou a defender a importância das mudanças nas regras da aposentadoria, sem as quais os empresários não terão “segurança para investir”.  

* Texto ampliado às 12h20

Greve geral: TRT proíbe parada total do serviço de transporte

A desembargadora Sônia Mascaro determinou manutenção de 100% do efetivo de trabalhadores da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM) e proibiu a liberação de catracas, sob pena de multa diária de R$ 1 milhão ao sindicato. Segundo a magistrada, há “evidente abusividade do movimento”, pois se trata de uma greve política, que não pode ser solucionada pela via negocial. A decisão foi concedida nessa terça-feira (11).

Na segunda (10), o juiz convocado Daniel Guimarães determinou que, no mínimo, 80% dos serviços da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) sejam mantidos em horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e 60% funcionem nos demais períodos, sob pena de multa diária de R$ 200 mil. Em sua decisão, o magistrado considera o direito constitucional de greve e o fato de a mobilização envolver atividade essencial. O juiz também marcou tentativa de conciliação entre a empresa e os trabalhadores para esta quarta-feira (12), a partir das 17h, na sede do TRT-2.

Ônibus

Nesta quarta (12), o TRT-2 concedeu mais duas liminares, respectivamente pelos desembargadores Ivani Contini Bramante e Davi Furtado Meirelles, uma sobre o funcionamento dos ônibus coletivos na capital e outra em relação à cidade de Osasco e região. O Tribunal determinou que as partes e seus representados atuem em harmonia para assegurar a manutenção do transporte público, devendo proceder no melhor empenho para garantir o atendimento da população, principalmente nos horários de pico (das 5h às 9h e das 17h às 20h), sob pena de multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento.

O pedido de tutela provisória de urgência foi ajuizado pela São Paulo Transportes (SPTrans) em face do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transportes Rodoviários Urbano de São Paulo (SindMotoristas); e também pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana (Setmetro) em oposição ao Sindicato dos Motoristas de Veículos Rodoviários e Trabalhadodres em Empresas de Transporte Rodoviários de Osasco e Região (Sincovero).

*Conteúdo do TRT-SP

Baixe o aplicativo do SP AGORA