Terremoto atinge a Guiana e é sentido no Brasil

Um terremoto com epicentro Guiana foi sentido, neste domingo (31), por moradores da região norte do Brasil, especialmente Manaus (AM) e Boa Vista (RR), que faz fronteira com o país atingido pelo fenômeno natural. Os tremores também foram sentidos na Venezuela.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), órgão responsável pelo monitoramento de atividades sísmicas ao redor do mundo, o terremoto teve magnitude 5,7 da Escala Richter. 

O epicentro, por sua vez, foi registrado a cerca de 40 quilômetros da fronteira de Guiana com Roraima, mas a relativamente rasa profundidade de 9,7 km, fez com que os tremores chegassem ao Brasil, por volta das 16h.

O Corpo de Bombeiros de Roraima afirmou que continuará em alerta nas próximas 24 horas. Até o momento, porém, não há qualquer registro de destruição ou pessoas feridas. Nas redes sociais, porém, não faltaram testemunhas para registrar o terremoto.

Por TV Cultura

Brasil fecha fronteira para mais 8 territórios da América Latina

Ponte da amizade com veículos parados em cima da estrutura. No canto esquerdo é possível ver a água do rio. Ao fundo, grama e parte da cidade no Paraguai.
Ponte da Amizade, na fronteira entre Brasil e Paraguai (Arquivo/Agência Brasil)

O governo federal publicou portaria hoje (19) restringindo a entrada de estrangeiros pelas fronteiras com países sul-americanos em razão da pandemia do novo coronavírus. 

Fica restrita a entrada por via terrestre de pessoas dos seguintes países: Suriname, Guiana Francesa, Guiana, Colômbia, Bolívia, Peru, Paraguai e Argentina. A limitação para a Venezuela já havia sido divulgada ontem (18). A fronteira com o Uruguai será objeto de uma portaria específica, uma vez que os dois governos ainda analisam a melhor solução.

A medida foi recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em nota técnica elaborada pela equipe do órgão. A justificativa é o risco de contaminação e disseminação do novo coronavírus.



Brasileiros continuam podendo entrar no Brasil vindo dos países mencionados. Imigrantes com autorização de residência definitiva no Brasil e profissionais em missão de organismo internacional ou autorizados pelo governo brasileiro também poderão entrar no país.

Ficam permitidos também o tráfego de caminhões de carga, ações humanitárias que demandem o cruzamento das fronteiras e a circulação de cidades “gêmeas com linha de fronteira exclusivamente terrestre”.

Quem desobedecer às determinações poderá ser processado penal, civil e administrativamente, além de ser deportado e impedido de solicitação de refúgio.

Por Jonas Valente – Repórter da Agência Brasil