Inaugurado Centro de Inteligência das polícias do Sudeste

(Gov. do Estado de SP)

O Governador João Doria participou, nesta segunda-feira (27), da cerimônia de inauguração do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sudeste (CIISPR-SE), que terá sede na cidade de São Paulo.

A iniciativa, acolhida de imediato pelo Governo do Estado e sob coordenação do Ministério da Justiça de Segurança Pública (MJSP), vai reunir representantes das forças de segurança paulista e dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais para a realização de trabalho conjunto no combate a crimes violentos e organizado.

“O Centro Integrado de Segurança Pública da Região Sudeste nasceu de uma das nossas reuniões do Cosud. É uma ideia que nós, governadores, alimentamos já em 2019. Essa iniciativa aumenta a cooperação técnica e permite uma programação ainda mais eficiente da Segurança Pública no país. Isso fortalece as nossas relações, integra os programas de Segurança e aumenta a proteção aos cidadãos”, destacou Doria.

A cerimônia foi realizada no Palácio dos Bandeirantes e contou com as presenças dos governadores de Minas Gerais, Romeu Zema Neto, e do Rio de Janeiro, Claudio Bomfim de Castro e Silva; do Secretário da Justiça do Espírito Santo, Marcello Paiva, do Secretário de Operações Integradas do Ministro da Justiça, Alfredo de Souza Lima Coelho Carrijo, e do Secretário de Segurança Pública de SP, João Camilo Pires de Campos.

“O grande exemplo dessa agradável tarde aqui em SP é podermos ver essa integração. É podermos perceber o diálogo e que ninguém sozinho consegue resolver o problema. O problema da Segurança, não adianta um estado resolver; não adianta só o Governo Federal querer fazer algo individual. O que adianta sim, de verdade, e que dará resultado é a união de todos esses entes. Os verdadeiros resultados serão atingidos assim: em conjunto”, afirmou Claudio Castro.

O CIISPR-SE faz parte de uma estrutura criada pela Secretaria de Operações Integradas (SEOPI) do MJSP, por meio da sua Diretoria de Inteligência (DINT), e terá como atribuição reunir representantes de todas as Agências Inteligência de Segurança Pública (AISP) da Região Sudeste do país. Os quatro estados farão o compartilhamento de dados e informações a fim de que sejam planejadas e executadas medidas de prevenção e repressão à criminalidade.

“É uma satisfação enorme estarmos participando desse momento que representa um avanço na Segurança Pública de Minas, do Sudeste e de todo Brasil. Nós estamos aqui avançando, trocando informações. Esta integração é importantíssima, é um passo muito grande e fico muito satisfeito de nós podermos contribuir com os estados irmãos. Estamos juntos no mesmo barco e vamos transformar o Sudeste em uma referência de Segurança Pública”, disse Romeu Zema.

A decisão de instalar a unidade na capital paulista foi tomada pelo MJSP no final de 2020, após o Governo de São Paulo se prontificar a recebê-la. Com a inauguração, a previsão é que o centro seja composto por um coordenador nomeado pelo MJSP e representantes das polícias Civil e Militar de cada estado da Região Sudeste. Além disso, São Paulo irá conceder agentes da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e de Administração Penitenciária (SAP), bem como um coordenador-adjunto, que será o coordenador técnico do CIISP.

Estrutura

O CIISPR-SE conta com uma sala de reunião, uma de capacitação, uma de laboratório, uma de colaboradores, duas de analistas e uma de coordenação. Atualmente, além da Região Sudeste, já foram estabelecidos CIISPs nas Regiões Norte, Nordeste e Sul. As unidades são integradas ao CIISP Nacional, instalado em Brasília, formando a Rede CIISP.

Com a ativação do CIISPR-SE, a rede CIISP passará ter acesso a mais de 400 bases de dados das 27 unidades federativas do país.

Por Gov. do Estado de SP

Estado libera público em estádios

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou na noite desta quinta-feira (23) que os torcedores de futebol poderão voltar presencialmente aos estádios a partir do dia 4 de outubro. A decisão foi feita com o aval do Comitê Científico do estado.

O plano prevê 30% da capacidade máxima das arenas inicialmente. Do dia 15 de outubro até 1° de novembro, a capacidade máxima passará a ser de 50%. Depois dessa data os estádios poderão estar 100% ocupados.

Antes, o retorno das torcidas estava previsto para novembro, mas com a pressão dos clubes e a presença de público em outros estados, a medida foi antecipada.

Para comparecer aos jogos, os torcedores terão que apresentar o comprovante das duas doses da vacina ou do imunizante de dosagem única.

Quem ainda não completou o esquema vacinal, deverá mostrar um exame negativo, com validade de 48 horas para o tipo PCR ou de 24 horas para os de antígeno.

Além disso, o uso de máscara é obrigatório.

Por TV Cultura

Estado anuncia pacote de investimentos para gerar 200 mil empregos

João Doria, governador de São Paulo (Gov. do Estado/Reprodução)

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou, hoje (15), o programa Pró SP que pretende investir R$ 47,5 bilhões em mais de oito mil obras no estado. Segundo Doria, o governo estima que serão gerados 200 mil empregos.

Para 2022, o orçamento do estado prevê investimentos da ordem de R$ 25 bilhões, além de R$ 22,5 bilhões que estão sendo aplicados este ano.

De acordo com o governo, o investimento de maior impacto é a retomada da construção da Linha 6 – Laranja do Metrô, com previsão de investimentos de R$ 15 bilhões. Também estão no programa a construção da Linha 17 do monotrilho e as extensões da Linha 2 Verde do Metrô e da Linha 9, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Outra ação já em andamento é a despoluição do Rio Pinheiros.

Também fazem parte do programa os contornos da Rodovia dos Tamoios, o Hospital Pérola Byington e a concessão rodoviária Piracicaba-Pindorama, com 1.370 quilômetros (km) de extensão.

Hoje (15), a licitação de R$ 1 bilhão em obras do programa Novas Estradas Vicinais, que prevê a recuperação de 456 quilômetros em 54 vias, foi publicada no Diário Oficial do estado.

Por Agência Brasil

Toyota anuncia expansão de fábrica e geração de 850 empregos

(Divulgação)

O Governador João Doria anunciou nesta quinta-feira (2), ao lado do Presidente da Toyota do Brasil, Rafael Chang, que a planta industrial da concessionária em Sorocaba começará a produzir em três turnos a partir de janeiro de 2022. A operação 24 horas por dia vai gerar até 850 empregos diretos e indiretos.

“Estivemos juntos em 2019 em visita à sede da Toyota no Japão e agora, resultante disso, temos a expansão da fábrica da Toyota em Sorocaba, com geração de novos empregos e novos investimentos”, destacou Doria.

O processo de contratação para preencher a mão de obra referente ao 3º turno se dará ainda neste mês de setembro. Serão cerca de 450 vagas de emprego em Sorocaba, 50 vagas distribuídas nas demais plantas da Toyota e outras 350 na cadeia de fornecedores.

“Trabalhamos duro para criar esse momento importante da história da Toyota no Brasil. Ele está sendo possível graças à excelente integração que fizemos com todos os públicos envolvidos nessa iniciativa – colaboradores, sindicato, fornecedores, concessionários e governo. Além disso, tenho certeza de que esses 850 empregos diretos e indiretos que serão gerados impactarão positivamente a sociedade brasileira nesse período tão delicado que todos vivemos”, afirmou o Presidente da Toyota do Brasil.

O 3º turno na produção vai elevar em 25% o volume de produção anual da concessionária, de 122 mil para 152 mil unidades. A iniciativa tem como objetivo aumentar a produção dos modelos Yaris, Etios (para exportação) e Corolla Cross.

Depois de ter sido a primeira a oferecer um veículo híbrido no mercado brasileiro, o Prius, em 2013, e de ter lançado o primeiro híbrido flex do mundo em 2019, o Corolla sedã, produzido em Indaiatuba, a Toyota apresentou em março deste ano o Corolla Cross híbrido flex, modelo produzido em Sorocaba.

por Gov. do Estado de SP

Rodrigo Maia assumirá secretaria do Governo Doria

João Doria, governador de São Paulo, e Rodrigo Maia, deputado federal (Gov. do Estado de SP)

O Governador João Doria confirmou na manhã desta quinta-feira (19) que o deputado federal Rodrigo Maia será nomeado amanhã (20) Secretário de Projetos e Ações Estratégicas do Governo de São Paulo. O ex-Presidente da Câmara dos Deputados será responsável por agilizar os projetos de desestatização, acelerando as parcerias público-privadas e as concessões em andamento do Governo de São Paulo.

“A experiência do Rodrigo Maia à frente da Câmara fortaleceu nele a capacidade de dialogar com governos, sociedade civil e setor produtivo, com eficiência e credibilidade. Todas as reformas que passaram sob sua liderança só foram possíveis por causa do diálogo, do senso de urgência e do olhar estratégico de quem sabe o que é verdadeiramente importante para o país”, diz Doria.

O Governador de São Paulo lembra que Maia, durante o seu mandato como presidente da Câmara, foi essencial para manter o equilíbrio do Estado Democrático de Direito e evitar rupturas institucionais.

Doria observou também que, sob a coordenação de Rodrigo Maia, no Congresso, os brasileiros assistiram projetos vitais ao desenvolvimento do país serem aprovados, como o Teto de Gastos, a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista, o Marco do Saneamento, a Lei da Terceirização, o Novo Ensino Médio e o novo Fundeb.

Rodrigo Maia tem 51 anos e está em seu sexto mandato como deputado federal. E já foi Secretário de Governo da Prefeitura do Rio de Janeiro de 1997 a 1998.

Por Gov. do Estado de SP

Estado libera eventos sociais e feiras

Coletiva de imprensa com a Área do Governo e a Área da Saúde
João Doria, governador de São Paulo

A partir do dia 17 de agosto, o governo de São Paulo vai começar a permitir o funcionamento de eventos sociais, museus e feiras corporativas, que estavam proibidos desde o início da pandemia do novo coronavírus. No entanto, essa liberação estará condicionada ao controle de público e o uso de máscara será obrigatório. Esses eventos também não podem gerar aglomeração. O anúncio foi feito hoje (4) pelo governo de São Paulo.

Na semana passada, o governo paulista já havia anunciado que, a partir desta data, não haverá mais limitação de público ou de horário de funcionamento para os comércios e serviços. Atualmente, o estado se encontra em uma fase de transição. Nesta fase, que vai funcionar até o dia 16 de agosto, comércio e serviços podem funcionar das 6h à meia-noite, com capacidade de ocupação de 80%. Eventos que gerem aglomerações, como shows, casas noturnas e competições esportivas com público, por exemplo, continuam proibidas no estado.

“A partir de 17 agosto teremos toda a população [adulta do estado de São Paulo] com acesso à primeira dose [de vacina contra a covid-19]. Com isso, eventos sociais, corporativos, culturais e esportivos passam a ser permitidos em um modelo onde não há restrição de ocupação, mas permanece a restrição de distanciamento. Então, o cálculo de ocupação precisa ser realizado, porque não pode haver aglomeração, e as pessoas precisam estar distanciadas. O uso de máscaras permanece”, disse Patricia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico.

Esses anúncios de liberação de atividades começam em um momento em que o estado vem apresentando queda no número de óbitos e de internações por covid-19 por causa do avanço da vacinação. No entanto, isso não significa que a pandemia esteja controlada. Na semana passada, o estado voltou a apresentar um crescimento no número de casos. Além disso, o número de casos pela variante delta [que foi inicialmente identificada na Índia] já vem crescendo no estado e pode até se tornar prevalente. A variante Delta foi responsável pelo aumento do número de casos em diversos países do mundo, inclusive na Europa e nos Estados Unidos.

Segundo a secretária, os shows com público em pé, torcidas e pistas de dança vão continuar proibidos no estado até o dia 1º de novembro, quando o governo espera que pelo menos 90% dos adultos de São Paulo tenham concluído o seu esquema vacinal contra a covid-19. A partir daí, o governo espera liberar todos esses eventos, desde que continue havendo controle de público. “A partir de 1º de novembro será permitido eventos com controle de público, mas que possam ter pessoas em pé e pistas de dança. Lembrando que o distanciamento e o uso de máscara continuam obrigatórios”, disse ela.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Estado amplia Vale Gás e leva benefício a 426,9 mil famílias

O estado de São Paulo ampliou o programa Vale Gás, passando a beneficiar 426,9 mil famílias em todos os municípios paulistas, o que corresponde a mais de 2 milhões de pessoas, conforme anunciou o governo nesta terça-feira (3). O investimento total na ação de segurança alimentar é de R$ 128 milhões.

O benefício de R$ 300, pago em 3 parcelas bimestrais de R$ 100, é destinado à compra de botijões de gás de cozinha para as famílias em situação de extrema pobreza e pobreza – renda mensal per capita de até R$ 178 -, que estejam inscritas no CadÚnico e que não recebam o Bolsa Família.

Lançado em junho deste ano, o programa atendia 104 mil famílias em 82 municípios e o orçamento era de R$ 31 milhões. Antes, era destinado a famílias que residiam em comunidades e favelas, locais de pouca infraestrutura e de alto risco. Agora, com a ampliação, todas as famílias que atenderem aos critérios de elegibilidade terão acesso ao voucher para o saque direto nos caixas eletrônicos do Banco do Brasil ou 24 horas.

“Isso é um fato inédito no estado de São Paulo. O Vale Gás agora vai atender 2 milhões de pessoas que perderam o emprego, que não tem renda. É um programa social de grande importância na vida dessas famílias vulneráveis, que estão garantindo o alimento graças à solidariedade de muitas pessoas, mas que precisam do gás para cozinhar”, disse o governador João Doria.

Para saber se tem direito ao benefício, basta acessar o site do programa Bolsa do Povo e fazer a consulta utilizando o número NIS do responsável pela família.

Por Camila Boehm, da Agência Brasil

Lula venceria eleição em primeiro turno, mostra pesquisa

Luiz Inácio Lula da Silva, ex-Presidente da República (Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (25/06) aponta que o petista Luiz Inácio Lula da Silva tem chance de vencer a eleição presidencial de 2022 ainda no primeiro turno. Segundo levantamento do Ipec, divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o ex-presidente teria 49% dos votos totais caso a eleição fosse realizada hoje. O percentual equivale a 56% dos votos válidos, suficiente para que ele saia vencedor ainda na primeira rodada do pleito.

Já o atual presidente, Jair Bolsonaro (sem partido), aparece em segundo lugar, com 23% dos votos totais, ou 26% dos válidos.

Em seguida, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 7% dos votos totais, João Doria (PSDB), com 5% e Luiz Henrique Mandetta (DEM), que tem 3%.

Considerando todos os nomes que aparecem na pesquisa, o ex-presidente Lula tem 11 pontos percentuais a mais que a soma de seus possíveis adversários. Os votos brancos/nulos somam 10%. Já o percentual de eleitores que declaram não saber em que votar ou que não quiseram responder é de 3%.

Lula recuperou seus direitos políticos em março, após a anulação de todas condenações contra o petista no âmbito da Operação Lava Jato em Curitiba.

O levantamento do Ipec foi realizado entre 17 e 21 de junho e ouviu 2.002 pessoas, em 141 municípios. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.

O Ipec foi lançado em janeiro de 2021, por ex-executivos do Ibope, que encerrou suas atividades no início do ano após sete décadas de atuação.

Na quinta-feira, o Ipec já havia divulgado uma pesquisa sobre a avaliação do governo Bolsonaro, que apontou aumento da reprovação do presidente.

De acordo com o levantamento, 24% dos brasileiros consideram o governo ótimo ou bom, contra 28% em fevereiro. Já o percentual de brasileiros que avaliam o governo como ruim e péssimo subiu de 39% em fevereiro para 49% em junho.

Os percentuais são similares a uma pesquisa Datafolha divulgada em maio, que apontou a aprovação ao governo Bolsonaro atingiu o menor patamar registrado desde o início de seu mandato em 2019. Naquele mês, o levantamento indicou que apenas 24% dos brasileiros consideram a gestão de Bolsonaro ótima ou boa, uma queda de seis pontos percentuais em relação à sondagem anterior realizada em março. O levantamento mostrou ainda que 45% dos brasileiros avaliam o governo Bolsonaro ruim ou péssimo.

A aprovação ao governo está em queda desde o início de dezembro do ano passado, quando alcançou o maior patamar (37%). A satisfação com a gestão de Bolsonaro passou a cair com o agravamento da epidemia de covid-19 no país, o colapso do sistema hospitalar em diversos estados e a lentidão da campanha de vacinação.

A gestão de Bolsonaro na pandemia é atualmente alvo de uma CPI no Senado, que investiga as ações e omissões do governo federal no combate à covid-19. Desde o registro dos primeiros casos no país, o presidente vem negando a gravidade da doença, que já deixou mais de 500 mil mortos, e ignorando medidas sanitárias reconhecidas cientifica e internacionalmente como necessárias para conter a propagação do coronavírus.

Por Deutsche Welle

jps (ots)