Mortes em assaltos e estupros crescem em abril no Estado

Em abril, o estado de São Paulo registrou queda de 18,9% no número de homicídios dolosos [com intenção de matar], com 214 casos, 50 a menos que em abril do ano passado. Quanto ao número de vítimas desses homicídios, a queda foi de 16,9%, passando de 272 para 228.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, responsável pelos dados, ambos os números são os menores da série histórica, iniciada em 2001.

Por outro lado, dois outros indicadores criminais cresceram no mês de abril: latrocínios e estupros. No caso dos latrocínios, ou roubo seguido de morte, foram registradas 13 ocorrências em abril deste ano, uma a mais que em abril do ano passado. Já as ocorrências de estupro tiveram um grande crescimento: passaram de 661 registros em abril do ano passado para 915 este ano, aumento de cerca de 38,43%.

Outros indicadores

O estado de São Paulo também registrou aumento nos indicadores de furtos em geral, que passaram de 20.797 casos no ano passado para 32.479 neste ano, e no número de roubos em geral, que passou de 14.468 para 16.772 ocorrências.

Quanto ao número de roubos a banco, nenhuma ocorrência foi registrada em abril deste ano. Segundo a secretaria, foi a primeira vez, desde 2001, que nenhum boletim desse tipo foi registrado. Em abril do ano passado, uma ocorrência foi notificada. 

Técnico de enfermagem é morto por ladrões de moto

Um técnico em enfermagem foi baleado e morto ao tentar fugir de ladrões de moto no Jardim São Luís, Zona Sul de São Paulo. A vítima, de 36 anos, foi atacada na noite de ontem (8), na Avenida Guido Caloi, junto à Ponte Transamérica.

Segundo a PM, o técnico seguia para casa em uma motocicleta quando foi abordado por dois bandidos que ocupavam outra moto, de pequeno porte. Os desconhecidos anunciaram o assalto e exigiram que ele entregasse o veículo, mas o jovem tentou escapar, acelerando a moto, momento em que o suspeito que estava na garupa atirou, atingido a vítima nas costas.

A ação foi presenciada por um  agente da CET que passava pelo local. Após o disparo, a dupla fugiu em direção à Avenida Guarapiranga, sem levar nada. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas quando, a equipe chegou ao local, constatou que o técnico em enfermagem já estava morto. A vítima, de acordo com a Polícia Civil, havia comprado a motocicleta recentemente e, inclusive, trazia consigo, em uma pasta, um carnê com as prestações do financiamento.

O caso foi registrado no Distrito Policial do Capão Redondo e vai ser investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

*Com Paulo Édson Fiore, da Jovem Pan

Crimes de latrocínio aumentam no estado em outubro

O número de casos e de vítimas de latrocínio – roubo seguido de morte – aumentou em outubro no estado de São Paulo, na comparação com o mesmo mês do ano passado, passando de 18 para 21, em ambos os indicadores. Já os números de homicídio doloso – aquele com intenção de matar – e estupro tiveram queda. Os dados, divulgados hoje (25), são da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP).

Os crimes relacionados a homicídio doloso tiveram queda de 4,3% e 2,3% de vítimas. O primeiro passou de 253 para 242 na comparação dos meses de outubro de 2019 e 2020, e o segundo passou de 261 para 255. As taxas de homicídios dolosos dos últimos 12 meses (de novembro de 2019 a outubro de 2020) ficaram em 6,52 casos e 6,81 vítimas de homicídios a cada grupo de 100 mil habitantes.

Os casos de estupros caíram 23,9%, passando de 1.306 em outubro de 2019 para 994 no mês passado. Em números absolutos, foram 312 estupros a menos.

Furtos e roubos

As modalidades de furtos tiveram queda. Nos furtos em geral e de veículos, a redução foi de 24,2% e 32,7%, respectivamente. No primeiro indicador, passou de 43.140 para 32.704, na comparação com outubro do ano anterior. Na segunda, o número caiu de 8.083 para 5.442.

Os roubos em geral tiveram diminuição de 26,1%, passando de 16.250 registros para 22.003, na mesma base de comparação. Nos roubos de carga, a queda foi de 31,5%, passando de 677 para 464. Os roubos de veículos caíram 38,4%, o total passou de 3.821 para 2.354. Já os roubos a banco subiram de um para quatro.

A polícia do estado realizou 12.559 prisões em outubro deste ano; registrou a apreensão de 996 armas de fogo e de 3.401 flagrantes de tráfico de drogas.

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil 

Estado registra queda em índices que medem a violência

A Região Metropolitana de São Paulo encerrou o ano de 2019 com reduções nos indicadores de casos e vítimas de homicídios e latrocínios. Todas as modalidades de roubos e os índices de furtos de veículos e extorsões mediante sequestro também apresentaram redução. O balanço foi divulgado pela Secretaria da Segurança Pública na última sexta-feira (24).

Os casos homicídios dolosos recuaram 15,4% no ano, passando de 669 para 566. No indicador de vítimas a queda foi de 16,7%, 595 casos em 2019. São os menores totais das séries históricas, iniciadas em 2001. É a primeira vez que o indicador de vítimas de mortes intencionais fica abaixo de 700.

Com as variações, as taxas anuais reduziram para 6,16 casos e 6,48 vítimas de mortes intencionais para cada grupo de 100 mil habitantes. Os índices são os menores da série histórica.

As ocorrências de latrocínios recuaram 36,8%. Foram 43 ocorrências no ano passado, contra 68 em 2018. No indicador de vítimas de roubos seguidos de morte a queda foi de 34,8%, já que o total passou de 69 para 45. É o menor total já contabilizado pela análise histórica.

No mesmo período, a região metropolitana teve aumento de 0,8% nos casos de estupros, que tiveram 2.504 registros em 2019. Já as extorsões mediante sequestro caíram de sete para cinco – dois casos a menos.

Roubos e furtos

Também houve redução em todas as modalidades de roubos. Os roubos em geral recuaram 8,1%, com 5.174 casos a menos – passou de 64.233 para 59.059. Os roubos a banco caíram de cinco para três, apresentando a menor quantidade da série histórica.

Nos roubos de veículo a queda foi de 22,5% ou de 4.185 em números absolutos. Com 14.391 ocorrências no ano passado, ante 18.576 no ano de 2018. É o menor número da análise histórica e a primeira vez que são registrados menos de 15 mil boletins no período.

Nos últimos doze meses, os roubos de carga também diminuíram. Com recuo de 23,1%, o total passou de 2.399 no ano de 2018 para 1.844 em 2019. A tendência de queda se estendeu para furtos de veículos, que caíram 6,4%. Foram 23.179 casos em 2018 e 21.698 em 2019.

Outros indicadores

O trabalho realizado pelas três policiais resultou em 32.101 prisões e 6.489 flagrantes de tráfico de drogas, realizados em 2018. Ao longo do ano passado, os policiais da região metropolitana também apreenderam 1.853 armas de fogo.

*Com informações do Governo do Estado de SP

Suspeito de matar motorista de aplicativo é preso

Elvis era motorista de aplicativo (Reprodução)


Foi preso em Itaquaquecetuba, na grande São Paulo, um homem de 22 anos suspeito de participar da morte de um motorista de aplicativo durante um assalto, na semana passada. A vítima, Elvis Souza Leite, de 41 anos, foi atraída por três bandidos por meio de uma chamada no aplicativo e, no meio da corrida, os criminosos anunciaram o roubo.

Segundo a Polícia Civil, Elvis foi enforcado com o cinto de segurança por um dos bandidos e morreu na hora. Após o crime, os investigadores conseguiram identificar um adolescente que participou do Latrocínio, que ajudou na identificação do segundo suspeito.

A Justiça determinou a prisão dele, que não teve o nome divulgado, e a prisão aconteceu no bairro Cidade Kemel, também em Itaquaquecetuba. Agentes ainda tentam identificar o terceiro assaltante, que está foragido.

*Com informações da Polícia Civil

Corpo de médico assassinado será enterrado em São Paulo

Roberto Kunimassa Kikawa, assassinado durante assalto em São Paulo (Youtube/Reprodução)

Criador do programa Cies Global em 2008, para levar atendimento médico especializado a comunidades carentes, o médico Roberto Kunimassa Kikawa, 48 anos, foi assassinado com dois tiros durante uma tentativa de assalto na zona sul de São Paulo. Ele ficou conhecido ao construir unidades móveis de exames dentro de carretas.

O médico deixa a mulher e dois filhos. A partir do meio-dia, haverá um culto de despedida na Igreja Holiness do Bosque, em São Paulo. O enterro está marcado para as 16h no Cemitério da Consolação.



Imagens da câmera de segurança mostram o momento que o carro do médico foi cercado na noite de sábado (10) por dois homens. Um deles tenta retirar Kikawa de dentro do veículo, sem sucesso. O outro atira, mas de longe novamente tenta acertar o médico.

Em nota, o Cies Global comunicou a morte de Kikawa como mais uma “vítima da violência na cidade de São Paulo”.

O texto lembrou que o gastroenterologista fez uma promessa ao pai de que seria um médico humano e assim cumpriu seu ncompromisso. “O juramento consistia que ele fosse um médico mais humano, que olhasse nos olhos das pessoas e as atendesse com a atenção que mereciam”, diz a nota.

O comunicado acrescenta que “dez anos depois, Roberto deixa um legado de mais de 2 milhões de pacientes do SUS [Sistema Único de Saúde] acolhidos nas centenas de unidades móveis e modulares do Cies Global e cerca de 600 profissionais de saúde e administrativos engajados com o DNA do Amor”.

Nota de falecimento

O CIES Global comunica, com imenso pesar, o falecimento do nosso fundador e diretor executivo, Roberto Kunimassa Kikawa, vítima da violência na cidade de São Paulo, após o disparo de tiros em um assalto.

O médico gastroenterologista fundou o Projeto CIES em 2008 com uma Carreta da Saúde, em cumprimento a uma promessa que fez ao pai, vítima de um câncer. O juramento consistia que ele fosse um médico mais humano, que olhasse nos olhos das pessoas e as atendesse com a atenção que mereciam.

Dez anos depois, Roberto deixa um legado de mais de 2 milhões de pacientes do SUS acolhidos nas centenas de unidades móveis e modulares do CIES Global e cerca de 600 profissionais de Saúde e Administrativos engajados com o nosso DNA do Amor.

Culto de despedida

Data: 12/11/2018

Local: Igreja Holiness do Bosque (R. Guiratinga, 980 – Bosque da Saúde, São Paulo – SP, 04135-000)

Horário: 13 horas

Enterro

Data: 12/11/2018

Local: Cemitério da Consolação (R. da Consolação, 1660 – Consolação, São Paulo – SP, 01302-001)

Horário: 16 horas

Mais informações oficiais serão incluídas nesta página.

Equipe CIES Global