Morre médico pioneiro no tratamento da Aids no Brasil

Carlos Alberto Morais de Sá (Arquivo/Marcelo Sayão/via O Globo)

O médico Carlos Alberto Morais de Sá, referência no tratamento da Aids no Brasil, morreu no último sábado (26), aos 76 anos, no Rio. A informação foi divulgada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio). A causa da morte não foi divulgada.

Sá foi um dos pioneiros no tratamento de pacientes com Aids e contribuiu para a construção do Centro de Referência Nacional em HIV/Aids, no Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, vinculado à UniRio.

Médico do hospital desde 1972, Sá tornou-se coordenador do centro em 1983. De 1987 a 1993, foi consultor do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação, como membro da Comissão Nacional em HIV/Aids.

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Vídeo: Drauzio pede desculpas e manda recado a políticos

O médico Drauzio Varella publicou um vídeo em que pede desculpas à família do menino assassinado por uma das entrevistadas em uma reportagem feita por ele e exibida pelo programa Fantástico, da TV Globo.

“Posso imaginar a dor, e peço desculpas pra família do menino que foi, involuntariamente, envolvida no caso”, disse.

Drauzio voltou a dizer que não é juiz e que o olhar de médico sempre prevalece quando ele visita presídios, ou quando escreve livros e aparece na TV.



“O foco da matéria em questão era mostras as condições em que vivem as transsexuais presas. As estatísticas oficiais indicam que a imensa maioria delas está presa por roubo e furto”, comentou. “A maneira pela qual a Suzy foi apresentada deu a entender que ela fazia parte desse grupo majoritário. Por isso, eu entendo a frustração de quem se decepcionou comigo”.

Drauzio ainda mandou um recado aos políticos.

Assista ao vídeo.

Exame indica tumor no trato digestivo de Bruno Covas

Bruno Covas, prefeito de São Paulo (Arquivo/Eduardo Ogata/Fotos Públicas)


O Hospital Sírio-Libanês informou que o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, será submetido na noite deste domingo (27) a uma laparoscopia diagnóstica. Na sexta-feira (25), Covas foi diagnosticado comtrombose venosa – formação de um coágulo sanguíneo em uma veia profunda – nas veias fibulares, localizadas na lateral da perna e no tornozelo.

“No sábado, dia 26, foi realizado um pet scan em continuidade à investigação diagnóstica. Este exame mostrou o surgimento de uma tumoração no trato digestivo”, informa o boletim médico.

Nesta segunda-feira (28), os médicos que acompanham Covas vão dar entrevista coletiva para falar sobre o estado de saúde do prefeito.

Bruno Covas deu entrada no Hospital Sírio-Libanês na quarta-feira (23) para o tratamento de uma erisipela, doença que causa um tipo de celulite (infecção da pele) provocada por bactérias que, quando encontram uma porta de entrada nas camadas mais superficiais da pele, espalham-se, formando uma mancha vermelha.

Revogada prisão domiciliar de Roger Abdelmassih

Roger Abdelmassih algemado sendo levado por policial

Por Elaine Patrícia Cruz

Ex-médico Roger Abdelmassih ao ser preso no Paraguai. Ele foi condenado por estuprar ao 56 pacientes (Arquivo/Senad)


A Justiça de São Paulo revogou hoje (17) o benefício de prisão domiciliar humanitária do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a mais de 181 anos de reclusão por estupro de pacientes em sua clínica de reprodução. A decisão é da juíza Andréa Barreira Brandão, da 3ª Vara de Execuções Criminais da Comarca de São Paulo.

Segundo a magistrada, o resultado de uma perícia médica concluiu que o réu está em condições de fazer seu tratamento de saúde na modalidade ambulatorial e, por isso, ele estaria em condições de cumprir a pena na prisão em regime fechado. 

A reportagem da Agência Brasil procurou a Secretaria de Administração Penitenciária, que não soube informar para qual unidade Abdelmassih será levado.

Durante o cumprimento de sua condenação, Abdelmassih foi beneficiado com a prisão domiciliar humanitária desde que fossem cumpridas algumas condições, como a de ser submetido a perícia médica trimestral, a fim de se constatar sua condição física, e a possibilidade de retomada do regular cumprimento do restante da pena na prisão.

A reportagem tentou contato com a defesa do ex-médico, mas não obteve sucesso.

Metrô terá exame de coração hoje e segunda-feira

Por Bruno Bocchini

(Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

No Dia Mundial do Coração, comemorado hoje (29), a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) promove exames gratuitos na estação do metrô República, na região central da capital paulista. A atividade, que se estenderá até amanhã (30), tem treinamento de massagem cardíaca, aferição de pressão e debate sobre estresse e tabagismo.

O treinamento em Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP), realizado com manequins recicláveis, é repetido a cada 20 minutos. Cada sessão tem capacidade para 50 pessoas treinarem simultaneamente.

O médico Agnaldo Píscopo, diretor do Centro de Treinamento em Emergências da Socesp, explica que o reconhecimento de que está ocorrendo, de fato, um infarto e o socorro de maneira correta aumentam as chances de sobrevida dos pacientes de quatro a cinco vezes. “A Organização Mundial da Saúde [OMS] indica que o tempo entre a ocorrência do quadro e a chegada de socorro médico pode ser preenchido por leigos”, diz.

No evento, também são ministradas aulas de exercícios de relaxamento para o cotidiano e de alimentação correta para reduzir o sobrepeso e a obesidade. De acordo com a entidade, a adoção de medidas simples no dia a dia, como deixar de fumar, reduzir o consumo de sal e de açúcar, praticar atividades físicas regulares e ingerir uma dieta equilibrada são as principais recomendações para um coração mais saudável. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC) tiram a vida de 18 milhões de pessoas por ano, o que representa 31% de todas as mortes. No Brasil, são 350 mil óbitos anuais, um a cada 40 segundos.

Um em cada quatro brasileiros sofre de hipertensão

(Governo do Estado do PR/Reprodução)

Oitenta e quatro mortes por hora, 829 por dia e mais de 302 mil em todo o ano de 2017. Esses são os números das doenças cardiovasculares como infarto e acidente vascular cerebral no Brasil e que têm como principal fator de risco a hipertensão arterial. De acordo com o Ministério da Saúde, a pressão alta afeta um em cada quatro brasileiros adultos. 

No Dia Nacional de Combate à Hipertensão, lembrado na última sexta-feira (26), o ministério alerta que o consumo excessivo de sódio, principal componente do sal, aumenta o risco de hipertensão e doenças do coração. Dois terços do consumo de sal pela população brasileira vêm do sal adicionado direto no prato.

Os números mostram que o brasileiro consome mais que o dobro – quase 12 gramas (g) – da quantidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Dados do ministério revelam ainda que, embora 90% dos homens e 70% das mulheres consumam mais sal do que o máximo recomendado, 85,1% dos brasileiros adultos consideram seu consumo de sal adequado.



Prevenção e diagnóstico

Para o combate à hipertensão, o ministério recomenda a adoção de um estilo de vida saudável desde a infância até a terceira idade e a realização dos exames de saúde rotineiros pelo menos uma vez no ano. A prática de exercícios físicos é outro hábito recomendado pela pasta.

Tratamento



Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece medicamentos para hipertensão em unidades básicas de saúde e em cerca de 31 mil unidades farmacêuticas credenciadas ao programa Farmácia Popular.

Para retirar os remédios, é preciso apresentar um documento de identidade com foto, CPF e receita médica dentro do prazo de validade (120 dias). A receita pode ser emitida por um profissional da rede pública ou de hospitais e clínicas privadas.

São Paulo

Na capital paulista, quem passou pela estação do metrô Corinthians/ Itaquera, pode participar do mutirão de aferição da pressão, com testes gratuitos. O exame é simples, rápido e indolor. Não é preciso estar em jejum para fazê-lo.

De acordo com o presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), José Francisco Kerr Saraiva, o diagnóstico é o primeiro passo para identificar se a pessoa é hipertensa.

“Por isso, é tão importante que cada um conheça a sua pressão arterial. E, caso seja constatado que o paciente possui alterações, o tratamento inclui um tripé de efeito duradouro: hábitos saudáveis de alimentação, atividades físicas regulares e medicação prescrita por médico sem interrupções têm brilhantes resultados”.

Os pacientes que forem identificados com pressão alterada no mutirão receberão orientação especial para procurarem a Unidade Básica de Saúde de referência para diagnóstico e devido tratamento, se necessário. Uma estação do Agenda Fácil será disponibilizada para facilitar o agendamento de consultas para essas pessoas na rede pública.

A escola de samba Leandro de Itaquera participa da estratégia de sensibilização sobre o tema. Parceira do projeto, a escola incluirá o samba vencedor do concurso “Leandro Cuidando do Seu Coração” (assista aqui), promovido pela iniciativa Cuidando do seu Coração em 2018. O concurso estimulou a criação de sambas sobre o tema da hipertensão, seus fatores de risco e a importância da prevenção, mobilizando a população de Itaquera e até equipes de Unidades Básicas de Saúde no desenvolvimento das letras e músicas.

*Colaborou Ludmilla Souza e Paula Laboissière, da Agência Brasil

Infarto: sintomas em mulher são diferentes e menos evidentes

(Arquivo/Agência Brasil)

Cansaço, dificuldade para respirar, náuseas, mal-estar gástrico, vômitos, dor nas costas e na região do queixo e da garganta. Quem diria que esses são sinais de um ataque do coração?

A maioria das pessoas não, e é aí que mora o perigo. Isso porque, se o paciente for uma mulher, eles podem, sim, indicar que ela está sofrendo com um problema cardíaco e, por essa razão, precisa procurar um médico o mais rápido possível. E o fato de muitas, eventualmente, serem mais tolerantes à dor, aumenta ainda mais as chances de demorar para procurar ajuda especializada, permitindo que o caso fique mais complicado.

O resultado disso não poderia ser outro: a taxa de mortalidade por infarto é maior entre elas – estimativas apontam que a probabilidade de uma mulher morrer em decorrência deles é 50% maior em comparação aos homens. E, para piorar esse quadro, a incidência desse tipo de problema entre a mulherada vem crescendo muito e não faltam dados para comprovar esse fato. 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças do coração são responsáveis por 1/3 de todas as mortes de mulheres no mundo. Isso seria equivalente a cerca de 8,5 milhões de óbitos por ano, mais de 23 mil por dia, um número oito vezes maior do que os falecimentos provocados por câncer de mama. Infelizmente essas informações não são bastante difundidas, o que faz com que poucas mulheres visitem o cardiologista regularmente.  

Segundo o cardiologista Marcelo Cantarelli “vários fatores, como o aumento da circunferência abdominal, mais estresse, alimentação inadequada, pressão arterial acima do recomendado e o envelhecimento da população, estão por trás dessas estatísticas. As pílulas anticoncepcionais também podem favorecer a formação de coágulos nos vasos, especialmente se estiverem associadas ao tabagismo, dobradinha que triplica o risco”, finaliza. 

Além disso, o cardiologista Hélio Castello afirma que “o coração delas é menor e as artérias coronárias são mais estreitas, o que faz com que a sua frequência cardíaca em repouso seja mais alta, ou seja, o coração delas é naturalmente mais acelerado, e o fato dos vasos serem mais apertados facilita o processo de entupimento”. 

As alterações hormonais também merecem destaque. Ciclos menstruais irregulares e a síndrome do ovário policístico podem se converter em ameaças para o peito se não forem devidamente tratados. Na menopausa, o estrógeno sofre uma queda progressiva, o que é um grande problema, já que essa substância tem ação protetora dos vasos. Sem falar que a pressão alta e os níveis do LDL, o mau colesterol, tendem a piorar conforme envelhecemos. 

Para finalizar o Marcelo Cantarelli afirma “já as recomendações de fazer exames com frequência (anualmente para quem é considerado saudável e de acordo com a recomendação do médico nos outros casos), conhecer seu histórico familiar relacionado a doenças do coração, tomar cuidado com o aumento de peso, praticar atividades físicas, se alimentar de maneira saudável, reduzir o estresse e apagar o cigarro são recomendações que continuam valendo para todo mundo”.

Angiocardio

Há duas décadas, a Angiocardio, dirigida pelos cardiologistas Hélio Castello e Marcelo Cantarelli, atua na área de Hemodinâmica e Intervenções Cardiovasculares. Sua equipe de alta performance é composta por médicos e profissionais da saúde especializados e treinados para oferecer qualidade e segurança aos pacientes. A Angiocardio realiza cerca de 100 mil procedimentos diagnósticos e terapêuticos por ano, em hospitais localizados na capital paulista, Resende (Rio de Janeiro) e Manaus (capital amazonense).

Infectologista alerta para doenças típicas do Outono

O Verão acabou, mas os cuidados com a saúde não devem ser esquecidos no Outono. O tempo mais frio, geralmente acompanhado de baixa umidade do ar, favorece o aumento de doenças, alergias respiratórias e de pele, principalmente em crianças, idosos e portadores de doenças crônicas.

De acordo com o infectologista Ralcyon Teixeira, é muito comum nessa época que as pessoas confundam gripes com resfriados. Apesar de ambas apresentarem sintomas semelhantes, são provocados por vírus distintos e devem receber o diagnóstico e tratamentos adequados.

“O resfriado tem sintomas mais leves, como coriza e leves dores no corpo. O vírus do resfriado permanece no organismo por no máximo três dias. Já a gripe exige mais atenção, pois ela aparece de maneira mais agressiva e prolongada, manifestando-se por febre, fortes dores no corpo, tosse seca e falta de ar. Neste caso, o ideal é procurar ajuda médica”, esclarece.

A prevenção contra as doenças respiratórias, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), asma e pneumonia é fundamental durante todo o ano e deve ser redobrada nesse período. A rinite alérgica, por exemplo, pode ser agravada em razão da falta de umidade no ar.

Em todos os casos, podem ser tomados cuidados simples, mas eficazes com a saúde, como aumentar a ingestão de líquido, fazer inalação e lavar o nariz com soro fisiológico.

“O tempo seco causa ressecamento das vias aéreas e viabiliza a proliferação de vírus e agravamento de doenças e alergias respiratórias, como asma, que pode ser tanto crônica como alérgica. A ingestão de água e permanência em locais ventilados são ótimas maneiras de prevenção”, explica o pneumologista Fábio Muchão.

Confira abaixo dicas para evitar agravamento de doenças respiratórias:

  • Evite locais totalmente fechados;
  • Cubra a boca com um lenço quando for espirrar;
  • Beba muita água, pelo menos 2 litros por dia;
  • Mantenha a carteira de vacinação em dia;
  • Lave o nariz e faça inalação com soro fisiológico.

Ministério pretende regularizar médicos cubanos no Brasil

Por Paula Laboissière

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse hoje (27) que a pasta pretende regularizar a situação de cerca de 2 mil médicos cubanos que permaneceram no Brasil após o rompimento do governo de Cuba com o Programa Mais Médicos. “Estão numa condição de exilados”, destacou.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Mandetta explicou que a ação integra uma proposta, ainda em elaboração, de reformulação do Mais Médicos. A previsão, segundo ele, é que o pacote seja enviado ao Congresso Nacional em abril.

“Devemos ter uma proposta de como essas pessoas podem se reencontrar com a sua profissão, legalizados, e poder exercer sua profissão, já que eles são muito mais vítimas dessa negociação que foi feita entre países do que propriamente atores de algum ato que os colocasse dentro do país em situação irregular.”

“Temos uma série desses profissionais hoje trabalhando em secretarias de saúde, trabalhando como balconistas de farmácia, agentes comunitários. Talvez eles possam, com certeza, legalizar a sua situação profissional e podem ser sim uma opção de trabalho num país livre e democrático”, concluiu.

Tuberculose mata 4,5 mil pessoas por dia no mundo

Por  Paula Laboissière 

(Arquivo/Carol Garcia/AGECOM Bahia)

No Dia Mundial de Combate à Tuberculose, lembrado ontem (24), a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a doença mata, diariamente, quase 4.500 pessoas em todo o planeta e permanece com o status de doença infecciosa mais mortal do mundo. Os números mostram ainda que 30 mil pessoas são acometidas pela tuberculose todos os dias.

De acordo com a OMS, esforços globais para combater a doença salvaram 54 milhões de vidas desde o ano 2000 e reduziram a mortalidade em 42%.

A campanha, este ano, reforça a urgência de colocar em práticas compromissos assumidos por líderes globais, como ampliar o acesso à prevenção e ao tratamento; garantir financiamento sustentável, inclusive para pesquisas; e promover o fim do estigma e da discriminação.

“Neste Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a OMS pede a governos, comunidades afetadas, organizações da sociedade civil, prestadores de serviços de saúde e parceiros nacionais e internacionais que unam forças”, informou a Organização Mundial da Saúde, destacando a importância de se garantir que “ninguém seja deixado para trás”.

Números da doença no Brasil

Em 2017, o Brasil registrou 34,8 casos de tuberculose por 100 mil habitantes. Foram anotados ainda 4.534 óbitos pela doença, resultando em um coeficiente de mortalidade de 2,2 mortes por 100 mil habitantes.

O país, de acordo com o Ministério da Saúde, atingiu os chamados Objetivos do Milênio de combate à tuberculose, que previam reduzir, até 2015, o coeficiente de incidência e de mortalidade da doença em 50% quando comparado aos resultados de 1990. Em 2018, entretanto, houve 72,8 mil casos novos no país.

“Apesar de ter avançado, o brasileiro deve ficar sempre alerta”, destacou o ministério, ao reforçar a importância de se começar o tratamento o quanto antes. A terapia de combate à tuberculose está disponível gratuitamente em unidades públicas de saúde e mantê-la até o final é essencial para atingir a cura da doença.

O que é a tuberculose

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer órgãos como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

Embora seja uma doença passível de ser prevenida, tratada e curada, ela ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas todos os anos no Brasil.

Os sinais e sintomas mais frequentes incluem tosse seca ou com secreção por mais de três semanas, podendo evoluir para tosse com pus ou sangue; cansaço excessivo e prostração; febre baixa geralmente no período da tarde; suor noturno; falta de apetite; emagrecimento acentuado; e rouquidão.