Quatro em cada dez cidades não têm condições adequadas para armazenar vacinas

Dos 5.570 municípios brasileiros, 40% não têm condições adequadas para armazenar vacinas contra a Covid-19, segundo uma pesquisa feita pelo Movimento Unidos Pela Vacina e pelo Instituto Locomotiva. O levantamento quantitativo entrevistou os gestores de saúde de 99,99% dos municípios, com o objetivo de mapear os desafios que as cidades enfrentam para vacinar a população contra o vírus. 

De acordo com a pesquisa, “40% [dos municípios] não têm geladeira com medição de temperatura e alarme em boas condições, equipamento fundamental para armazenar o imunizante e mitigar o risco de perda de doses.”

O estudo ainda aponta que todas as cidades possuem sala de vacinação. Entretanto, em 35% os locais precisam de adequações. Em 19% dos postos não há internet para o registro de imunização e 12% deles não têm computador. Além disso, 15% apontam a necessidade de equipar as salas com itens como pia com água, sabonete, papel toalha e caixa coletora de perfurocortante.

Sistema de vacinação

Dos secretários municipais entrevistados, 47%apontam a falta de imunizantes como o principal desafio para acelerar o ritmo da vacinação. Segundo a pesquisa, 99% das cidades previram a vacinação em domicílio e 67% organizaram postos volantes ou sistema tipo drive-thru. 

Em relação à imunização aos fins de semana, menos da metade dos municípios (48%) contam com unidades de atendimento abertas aos sábados e domingos.

Campanhas de incentivo

O uso de máscara é obrigatório em 98% dos municípios; 97% realizam campanhas educativas sobre distanciamento e outras formas de prevenção contra o vírus e 86% adotam restrições para o horário de funcionamento de estabelecimentos e de serviços não essenciais.

O estudo ressalta que 54% dos municípios alerta sobre a necessidade de campanhas de incentivo para adesão às medidas de restrição, já que muitas pessoas não seguem as recomendações.

Por TV Cultura