Clínica terá que indenizar dono de gato que fugiu do estabelecimento

A 34ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo majorou o valor da indenização por danos morais devida por clínica veterinária aos donos de gato que fugiu das dependências do estabelecimento. O montante foi fixado em R$ 5 mil.

Segundo os autos, a gata de estimação dos autores fugiu da clínica ré, onde estava internada, e não foi mais encontrada. O relator do recurso, desembargador Tercio Pires, destacou que o dano extrapatrimonial é caracterizado pelas consequências da conduta omissa da clínica, responsável pela guarda e vigilância do animal “O que caracteriza dano extrapatrimonial, urge lembrar, é a consequência da ação – ou omissão – desencadeadora de aflição física ou espiritual, dor ou qualquer padecimento à vítima, em conjugação com o menoscabo a direito inerente à personalidade da pessoa, como a vida, integridade física, liberdade, honra, vida privada ou ainda a de relação.”

O magistrado afirmou, ainda, que o valor maior da indenização é “razoável, no contexto, à atenuação da lesão experimentada pelos autores” e repara melhor prejuízo suportado.

Participaram do julgamento, que teve votação unânime, a desembargadora Lígia Araújo Bisogni e o desembargador Soares Levada.

Por TJ-SP

Pesquisa mostra taxa maior de infecção de animais pela covid-19

(Arquivo/Ze Carlos Barretta/Agência Brasil)

Pesquisadores do Laboratório de Biologia Molecular do Instituto de Pesquisas Biomédicas do Hospital Naval Marcílio Dias, do Laboratório de Imunofarmacologia da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e médicos veterinários da Clínica Rio Vet avaliaram 311 animais domésticos para a covid-19.

O objetivo da pesquisa é verificar se animais domésticos, como cachorros e gatos, poderiam ser infectados pelo SARS-CoV-2. “E, sendo possível a infecção, identificar quais mutações foram necessárias para a passagem do vírus entre as espécies”, informou à Agência Brasil a veterinária Luciana Myashiro, da Rio Vet, responsável técnica pelo projeto.

Dos 311 animais, 251 eram cães e 60 eram gatos, todos da região de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Do total, 26 animais (19 cachorros e 6 gatos) estavam infectados pelo vírus da covid-19 e apresentavam sintomas gripais, mas a maioria estava assintomática.

Segundo  a bióloga virologista do hospital, primeiro-tenente Shana Barroso, a técnica usada na análise foi a RT-qPCR. Os resultados preliminares, que mostram uma taxa de infecção dos animais pelo SARS-CoV-2 maior do que as relatadas em trabalhos já publicados, podem contribuir de forma relevante para o entendimento da infecção de cães e gatos pelo vírus, afirmam os pesquisadores.

Investigação

O estudo completo prevê a investigação de cães e gatos domésticos infectados por SARS-CoV-2, verifica a presença de anticorpos contra o vírus e se estes são capazes de neutralizar o vírus. “Faremos também o sequenciamento do material genético viral encontrado nos animais para avaliar possíveis mutações ou a presença de variantes”. Por fim, será feita a detecção de anticorpos IgM e IgG, que são reagentes positivo e negativo, respectivamente. Os tutores serão indagados sobre histórico de covid-19 em pessoas que tenham contato próximo aos animais.

Luciana Miashiro explicou que São João de Meriti foi escolhido para dar partida à pesquisa por ser a terceira cidade com maior densidade populacional do Brasil. “Estima-se que [o município] tenha 85 mil animais. Além disso, estávamos em busca de uma clínica [em] que os profissionais abraçassem a pesquisa e acreditassem na sua importância e que tivesse credibilidade no mercado”. Segundo Luciana, avaliações positivas em sites especializados levaram à Clínica Rio Vet, que aceitou entusiasmada colaborar com o projeto.

O teste molecular para detecção do novo vírus é oferecido aos tutores que levam os cães e gatos para consulta ou atualização do calendário de vacinação. Após a assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido de que a pesquisa foi previamente aprovada pela Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) do Hospital Naval Marcílio Dias, o material é coletado para análise, majoritariamente via swab retal.

Transmissão

Luciana disse que o número de casos positivos encontrados pela pesquisa é alto, quando comparado ao de estudos similares já publicados em revistas internacionais. A veterinária destacou, entretanto, que todas as pesquisas publicadas até hoje mostram chances praticamente nulas de transmissão do vírus de animais domésticos para humanos. “Até agora, não temos conhecimento de evidências científicas de que os animais domésticos poderiam se tornar reservatórios do SARS-Cov-2.” de ainda não há comprovação de que a doença possa causar morte nos animais.

A pesquisa foi uma das selecionadas pela chamada emergencial da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro e recebeu aporte financeiro de R$ 250 mil. O estudo será ampliado para mais quatro regiões do Rio de Janeiro que ainda não foram definidas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), animais domésticos não transmitem a covid-19 para seus donos, mas estes são capazes de transmiti-la aos animais que, de uma forma geral, têm um bom desfecho. Estudos da literatura já identificaram o SARS-CoV-2 em tigres e leões de zoológicos, informaram os pesquisadores.

Por Alana Gandra – Repórter da Agência Brasil 

Lei sobre fogos com barulho volta a valer após revogação de liminar

Alexandre de Moraes, ministro do STF (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), revogou a liminar por meio da qual havia suspendido os efeitos da Lei 16.897/2018 do Município de São Paulo, que proíbe o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de estampidos e de artifícios e de quaisquer artefatos pirotécnicos de efeito sonoro ruidoso. O ministro restaurou a eficácia da lei após receber informações do prefeito da capital paulista e da Câmara Municipal a respeito da norma. A lei local é questionada no STF por meio da Arguição de Descumprimento de Fundamental (ADPF) 567, ajuizada pela Associação Brasileira de Pirotecnia (Assobrapi).

De acordo com o relator, a preocupação do legislador paulistano não foi interferir em matérias de competência legislativa da União, mas implementar medida de proteção à saúde e ao meio ambiente no âmbito municipal. Prova disso é que na audiência pública que precedeu à edição da lei foram abordados os impactos negativos que fogos com efeito sonoro ruidoso causam à população de pessoas autistas e também os prejuízos acarretados à vida animal. Documentos apresentados ao ministro demonstram a hipersensibilidade auditiva no transtorno do espectro autístico, tendo em vista que 63% dos autistas não suportam estímulos acima de 80 decibéis. A poluição sonora decorrente da explosão de fogos de artifício pode alcançar de 150 a 175 decibéis.

“A lei paulistana, assim, tem por objetivo a tutela do bem-estar e da saúde da população de autistas residente no município”, disse o ministro em sua reconsideração, acrescentando que a estimativa é que o Brasil tenha cerca de 2 milhões de autistas, sendo 300 mil ocorrências no Estado de São Paulo, sendo cerca de 110 mil na capital. Quanto à proteção ao meio ambiente, o ministro observou que diversos estudos científicos demonstram os danos decorrentes do efeito ruidoso dos fogos de artifício em animais, como cavalos,  pássaros, aves e animais de estimação. “Essas parecem ter sido as diretrizes que nortearam o legislador paulistano na edição da norma impugnada”, assinalou.

O relator salientou que o objetivo do legislador paulistano não foi a de proibir o manuseio, utilização, queima e soltura de quaisquer artefatos pirotécnicos, mas apenas daqueles que tenham efeito sonoro ruidoso. A norma explicitamente excetuou da proibição os chamados fogos de vista, aqueles que produzem efeitos visuais sem estampido, assim como os similares que acarretam barulho de baixa intensidade.

“Constato, desta forma, haver sólida base científica para a restrição ao uso desses produtos como medida protetiva da saúde e do meio ambiente. O fato de o legislador ter restringido apenas a utilização dos fogos de artifício de efeito sonoro ruidoso, preservando a possibilidade de uso de produtos sem estampido ou que acarretam barulho de baixa intensidade, parece, em juízo preliminar, conciliar razoavelmente os interesses em conflito”, afirmou o ministro Alexandre.

Competência municipal 

O ministro lembrou ainda que a proteção do meio ambiente e da saúde integram a competência material comum dos entes federativos e, segunda a jurisprudência do STF, admite-se que estados e municípios editem normas mais protetivas, com fundamento em suas peculiaridades regionais e na preponderância de seu interesse, conforme o caso. Por esse motivo, segundo o relator, a lei paulistana, ao proibir o uso de fogos de artifício de efeito sonoro ruidoso na cidade, parece ter pretendido promover padrão mais elevado de proteção à saúde e ao meio ambiente.

Em análise preliminar do caso, o ministro Alexandre de Moraes concluiu que a lei foi editada dentro de limites razoáveis do regular exercício de competência legislativa pelo Município de São Paulo, devendo ser prestigiada, portanto, a presunção de constitucionalidade das leis.

*Conteúdo da Agência STF

Condomínio não pode proibir animais domésticos, diz STJ

Por  André Richter

(Ze Carlos Barretta/Agência Brasil)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu hoje (14) que condomínios não podem restringir, de forma genérica, que moradores tenham animais domésticos de estimação, como cães e gatos, em apartamentos. Pelo entendimento da Terceira Turma do tribunal, que julgou um caso sobre o tema, as convenções só podem fazer restrição quando os bichos apresentarem risco à segurança, higiene ou à saúde dos demais moradores.



A Corte julgou um recurso de uma moradora do Distrito Federal contra as regras de seu condomínio, que a impediu de criar um gato no imóvel. Na primeira instância, apesar de alegar que o animal não trazia transtornos aos vizinhos e nas áreas comuns do edifício, o Tribunal de Justiça entendeu que as regras previstas na convenção devem prevalecer.

Ao julgar o caso, o colegiado, por unanimidade, entendeu que as regras internas de condomínios não podem vedar a permanência de animais de qualquer espécie sem avaliar cada caso específico.

Baixe o aplicativo do SP AGORA

Com produtos para pets, UPVET lança novo modelo de negócio

Lisandro é sócio fundador da marca (Divulgação)

A UPVET, farmácia especializada em manipulação de medicamentos para animais, lança um novo modelo de negócio. A UPVET Store vai atuar em shoppings e terá a primeira unidade própria no Maringá Park, em Maringá, no Paraná, cidade que a rede nasceu.

Um dos grandes diferenciais da marca são os biscoitos veganos, que servem de base para as medicações e substituem as cápsulas.

“Enquanto a manipulação trabalha para tratar o animal doente, com os biscoitos medicamentosos e xaropes, a UPVET Store vai trabalhar apenas com cosméticos, como aromatizantes de ambientes, shampoos e perfumes”, comenta o fundador da franquia, Lisandro Corazza.

O empresário destaca ainda que o novo modelo de negócio levou a uma parceria com a FreeFaro, marca referência em itens para pet shop, que vai permitir ampliar o portfólio de produtos disponíveis na rede.

“Vamos trabalhar com guias, coleiras de grife, braçadeiras. São produtos diferenciados que poderemos oferecer também aos animais sadios”.

A UPVET tem hoje 20 unidades espalhadas por oito estados. Duas delas foram inauguradas em fevereiro, em Primavera do Leste, no Mato Grosso, e em Rio Verde, localizada em Goiás.

“A meta deste ano é abrir cinco novas unidades de farmácias no modelo UPVET Manipulação Veterinária e ampliar o faturamento anual em 50%”, finaliza Lisandro.

Serviço UPVet

  • UPVet Store – Maringá Park

Avenida São Paulo, 1099

  • UPVet Primavera do Leste

Avenida Campo Grande, 635 – Sala B

  • UPVet Rio Verde

Rua Honorina Campos de Leão, 3

Após segurança matar cão, Carrefour deposita R$ 1 mi em fundo

Por Camila Boehm

Animal foi espancado por segurança. Caso teve repercussão e comoveu as redes sociais (Facebook/Reprodução)

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) firmou um termo de compromisso com o Carrefour e o município de Osasco em função dos maus-tratos cometidos por um segurança contra um cachorro dentro de um supermercado da rede. As agressões causaram a morte do animal.

Pelo acordo, o Carrefour assume a obrigação de depositar a quantia de R$ 1 milhão em um fundo a ser criado pelo município. Desse montante, R$ 500 mil serão destinados à esterilização de cães e gatos e R$ 350 mil, à compra de medicamentos para animais do Hospital Municipal Veterinário ou que estejam no canil municipal. Os R$ 150 mil restantes serão destinados à aquisição e entrega de rações para associações, organizações não governamentais e demais entidades destinadas ao cuidado de animais na cidade de Osasco.

Caso o Carrefour descumpra o estabelecido, deverá pagar multa de R$ 1 mil por dia de atraso no cumprimento dos termos do acordo. O município, se não atender ao determinado, será alvo de investigação por ato de improbidade administrativa.

A Promotoria de Justiça é responsável pela fiscalização do acordo quanto à utilização e destinação do dinheiro por parte do Carrefour.

Definidas regras para entrar com animais no Metrô e no Ônibus

(Governo do Estado de São Paulo/Reprodução)

O Governo do Estado de São Paulo sancionou o Projeto de Lei, aprovado na Assembleia Legislativa, que regulamenta o transporte de animais domésticos de pequeno porte nos trens do Metrô, da CPTM e em ônibus intermunicipais da EMTU.

A terapeuta holística, Cecília Reis, comemorou a liberação de pets no Metrô e na CPTM. Ela e a sua cachorrinha Persephone passearam pela primeira vez no transporte público de São Paulo. “Tenho moto. Ficava impossível levar ela passear. Podendo andar com ela no Metrô, vai facilitar muito nossas vidas. A Persephone não vai mais parar em casa”, brinca.

(Governo do Estado de São Paulo/Reprodução)

Pelas novas regras, os animais devem pesar no máximo 10 quilos e ser acomodados em container próprio para este tipo de transporte, sempre fora dos horários de pico, ou seja: das 4h40 até as 6h; das 10h às 16h e das 19h até meia-noite. O animal só poderá ser transportado em horários de pico, excepcionalmente, em caso de agendamento de ato cirúrgico, mediante apresentação de solicitação formal assinada pelo médico veterinário.



Esse traslado deverá ocorrer sem prejudicar a comodidade dos passageiros e terceiros, sempre observada a proibição do transporte do animal que, por sua ferocidade, peçonha ou saúde, provoque desconforto ou comprometa a segurança do veículo e das pessoas presentes. A Lei, sancionada pelo governador em exercício Rodrigo Garcia, começa a valer a partir da data da publicação no Diário Oficial do Estado.

Alunos de escola pública de SP são premiados por aplicativo inovador

Flávia Albuquerque/Agência Brasil

(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Um projeto desenvolvido por cinco alunos de escola pública de São Paulo venceu o primeiro programa educacional Startup Varejo, desenvolvido para bairros da zona norte, na área de tecnologia e empreendedorismo dedicados ao setor. O grupo criou o aplicativo Serv Pet e receberá como prêmio a mentoria de pré-aceleração profissional, prestada por consultoria de inovação social Ideias de Futuro.

O Serv Pet é um aplicativo que oferece entrega de refeições frescas e balanceadas para animais de estimação como alternativa ao consumo restrito de rações industrializadas. As refeições têm o aval de médicos veterinários e nutricionistas e a ideia é propor  praticidade ao dono e qualidade de vida aos animais. Com a premiação, os estudantes terão a chance de desenvolver ainda mais o projeto e até mesmo lançar a startup e o aplicativo

Durante três meses, 140 alunos de quatro escolas da rede pública da zona norte desenvolveram projetos de startups para apresentar soluções ao varejo. Sete projetos disputaram a final. Os projetos consistiram em soluções criativas para o setor nos segmentos de alimentação, serviços temporários, trocas de livros, e uma consultoria online para microempreendedores.



“O grande objetivo aqui é usar o programa para exercitar e desenvolver competências empreendedoras nos alunos, ao mesmo tempo em que eles possam ter uma experiência de criadores de tecnologia e não apenas de usuários. Isso tudo dentro da temática de  desafios e oportunidades que o comércio e o varejo oferecem hoje em dia. O setor é a principal porta de entrada dos jovens no mercado de trabalho. Então, aliar tudo isso é o grande diferencial desse projeto”, disse o diretor de operações da consultoria Ideias de Futuro, Oswaldo Cruz.

Segundo Cruz, os vencedores terão um dia inteiro de visitação a vários centros de tecnologia e inovação da capital paulista, para conhecer os locais e ter contato com as pessoas que trabalham nos ambientes. “O grupo também ganhará quatro meses de pré-aceleração profissional da Ideias de Futuro para ter a chance de desenvolver os projetos.”

De acordo com a responsável pelo Instituto Center Norte, um dos parceiros do projeto, Daniela Pavan,  a ideia é apoiar ações e iniciativas em sintonia com estratégias dos negócios e inovação social, voltadas para o empreendedorismo e a mobilidade. “Acreditamos no ambiente de aprendizagem que cria formas para pessoas e instituições conseguirem soluções capazes de melhorar a vida na região em que vivem.”

Este foi o primeiro ano em que o programa foi desenvolvido e já há planos de ampliá-lo para outras escolas públicas da região, no próximo ano. “Já estamos pensando em como dar sequência e ampliar esse projeto para trazer a cultura de sustentabilidade e inovação para a zona norte, como uma grande força de transformação social”, disse Pavan.

Participaram da final, no Expo Center Norte, as plataformas digitais Food Back, que registra as impressões dos clientes de restaurantes encaminhadas aos proprietários para a realização de melhorias; I Force, consultoria para pequenos negócios expandirem sua atuação; I need 2 eat, que estimula o hábito de valorizar as refeições fora de casa para encontrar amigos e familiares; Hungry moving, que reduz o tempo de espera, entre um pedido e a entrega, oferecendo ao consumidor a possibilidade de escolher e fazer seu pedido, antes de sair de casa); Bicos Parati, que conecta pessoas que oferecem e buscam serviços temporários; e Sebo Teen, de venda e troca de livros.

Mundo pet agita shoppings no fim de semana; veja mais agenda

Dois shoppings da grande São Paulo prepararam eventos dedicados ao mundo pet neste fim de semana e prometem atrair o público. Outras atrações serão dedicadas às crianças. Veja a programação abaixo.

Shopping D

(Divulgação)

Localizado na zona norte de São Paulo, o Shopping D promove no sábado, dia 15, a “Feira de Adoção de Animais”. 

Em parceria com a ONG 100% Proteção Animal, o evento acontece das 10 às 18 horas, no piso térreo, na área interna do shopping, próximo à Lojas Americanas. 

O objetivo é assegurar um futuro melhor a dezenas de cães e gatos, que, ao serem adotados, terão a possibilidade de ganhar um lar e carinho. 

Para realizar a adoção, o candidato deve ter mais de 18 anos de idade e apresentar RG, além de assinar termo de responsabilidade em que compromete zelar pela qualidade de vida do animal.

Shopping Granja Vianna

(Divulgação)

O shopping traz a Virada Aunimal pela primeira vez em uma parceria com a 4CÃO. A Virada Aunimal tem uma programação completa para o final de semana dos dias 15 e 16, com atrações gratuitas para que todos possam participar. Adestradores, celebridades caninas, adoção de pets, competição de estilo, brinquedos, lojas referências em cuidado animal e uma área gastronômica para os bichos e seus tutores dão vida ao evento que ganhou um espaço próprio para a festa.

A Virada Aunimal promove a interação social de uma forma descontraída tanto para os animais, quanto para seus tutores. O Cãocurso traz mais glamour para o final de semana com um desfile de moda animal, em que os juízes escolhem os melhores looks e fantasias, além de definir a miss e o mister simpatia oficiais do evento. São disponibilizadas 15 vagas por dia e a inscrição é realizada pelo Facebook. No Parcão, as mascotes ficam mais livres para se divertirem nas rampas, gangorras, passarelas e uma party pool, piscina de bolinhas exclusiva para o uso dos pets. As atividades são monitoradas por profissionais e os tutores precisam acompanhar tudo de perto para garantir o bem-estar de cada bichinho.

Quem quiser tirar dúvidas sobre o cuidado com o companheiro de quatro patas ou aprender os principais truques de adestramento comportamental, pode participar de um bate-papo com Luís Zuccolo. O sargento Alexandre Filho e o Cabo Pitoco, um cachorrinho que ficou conhecido após ser adotado pela Polícia Militar, também participam da Virada Aunimal. Juntos, eles possuem um projeto chamado Eu sou o Bicho, que arrecada ração para abrigos e protetores independentes. Se a ideia é incluir um novo integrante à família, os participantes também podem adotar um bichinho.

Os interessados podem escolher entre cães e gatos. Todos são vacinados, castrados e vermifugados, mas, para adotar, é preciso ter mais de 21 anos de idade e apresentar RG, CPF e um comprovante de residência válido.

Para Crianças

No mesmo shopping, o Clubinho Granja Vianna terá uma programação especial para a família. Neste final de semana, as crianças podem soltar a imaginação no ambiente lúdico totalmente dedicado para a diversão com as oficinas de brinquedos recicláveis. O local tem também uma biblioteca para troca de livros e um mini playground, tudo gratuito.

As crianças aprendem a reciclar objetos que seriam descartados, como plásticos e papéis, para criar novos brinquedos. As oficinas acontecem nos dias 15 e 16 de setembro e são acompanhadas por profissionais de recreação que estimulam os participantes a trabalhar a coordenação motora e a criatividade. Além dos encontros especiais aos finais de semana, escorregador, balanço e uma biblioteca completa para quem deseja treinar a leitura ou encontrar um novo livro ficam à disposição no Clubinho Granja Vianna. O espaço é aberto todos os dias, com temas diferentes aos sábados e domingos, gratuitamente. 

Shopping Metrô Tucuruvi

Cinderela, domingo, às 16h, no Shopping Metrô Tucuruvi (Divulgação)

Cinderela é a atração no Shopping Metrô Tucuruvi, domingo. A peça conta a história de um dos principais contos infantis em formato interativo com cenário colorido e figurinos que dão mais emoção ao romance.

A apresentação de 40 minutos será realizada às 16h. A peça é gratuita e tem vagas limitadas por ordem de chegada.

Shopping Cidade São Paulo

O “Era Uma Vez no Cidade”, evento de contação de histórias do Shopping Cidade São Paulo continua neste final de semana, dias 15 e 16, com mais quatro apresentações.

No sábado (15), a partir das 11 horas, tem “Os Três Porquinhos”. Às 15 horas, o palco recebe “João e o Pé de Feijão”. 

Já no domingo (16), a diversão fica por conta do show “Gigi e Vavá”, em que será apresentado um teatro cantado. Serão duas sessões: às 11 e 15 horas.

Todas as apresentações do evento infantil “Era Uma Vez no Cidade” têm classificação livre e são abertas gratuitamente ao público. As exibições acontecem dentro da “Arena da Diversão e Descompressão”, no 4º piso.

SuperShopping Osasco

O SuperShopping Osasco sedia entre os dias 14 e 23 o primeiro evento da Escola de Magia e Bruxaria do Brasil (EMB), em Osasco. A maior escola de magos do país traz os mistérios de grandes castelos para o shopping center com ambientação especial em um espaço de 200m² durante 10 dias.

Jogos de tabuleiro, workshops, argobol e concursos são as atrações, além da presença dos youtubers Caco Cardassi, do canal Caldeirão Furado, e Leonardo Santi, do Patrono Net, que também participam da festa. Os bruxos que quiserem manter a identidade secreta podem vestir suas fantasias e capas para entrar no universo encantado e o melhor de tudo é que as atividades são gratuitas para ninguém ficar de fora. (sujeito a lotação)

Vacinação contra a raiva animal termina neste domingo

(Divulgação)

Donos de cães e gatos devem ficar atentos e aproveitar este fim de semana para proteger seus animais de estimação contra a raiva. A vacina estará disponível, ao todo, em 215 pontos da cidade durante este fim de semana. A campanha de vacinação em São Paulo teve início em 20 de agosto e termina neste domingo (2/9). A ação contou com a atuação de 1.900 postos espalhados pela cidade.

Até quinta-feira (30/8), foram aplicadas 662.181 doses, sendo 466.045 em cães e 196.136 em gatos. A meta é imunizar 977.095 animais. No ano de 2017, a campanha vacinou 930.564 animais, sendo 666.693 cães e 263.871 gatos.

Animais com idade superior a três meses devem ser imunizados, com exceção dos doentes – diarreia, secreção ocular ou nasal, falta de apetite, convalescentes de cirurgias ou outras enfermidades. Em relação a cadelas e gatas prenhes, apesar de não haver contraindicação, a orientação é de que o responsável procure pela vacina fora da campanha, devido ao risco com o transporte e manejo. Fêmeas no cio também podem causar transtornos nos postos volantes – é indicado que se procure por um dos postos fixos de vacinação.

A vacinação por parte da Divisão de Vigilância de Zoonoses (DVZ), da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), órgão da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, é gratuita e obrigatória para cães e gatos, conforme a lei municipal nº13.131/01. O proprietário do animal deve ter atenção quanto ao transporte correto: no caso, cães na coleira e guia, e gatos em caixas de transporte apropriadas (ou similar), para evitar fugas e/ou acidentes.

A relação completa dos postos, com local e data da vacinação, pode ser obtida no site ou pelo telefone 156.

Sobre a doença
A raiva é transmissível e caracterizada pelo contágio direto: mordida, arranhões ou lambedura de cães, gatos ou outros mamíferos, como, por exemplo, morcegos infectados.

O proprietário deverá identificar, no comprovante de vacinação, os dados do animal como o nome e nº do Registro Geral Animal (RGA). É importante destacar que somente adultos com condições de conter os animais devem conduzi-los ao local de vacinação, para evitar possíveis transtornos.

*com informações da Prefeitura de São Paulo