Hoje: Terminal Jabaquara tem testes de HIV e Sífilis

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Quem passar hoje (29) pelo Terminal Metropolitano Jabaquara, na capital paulista, poderá realizar testes rápidos e gratuitos de HIV e Sífilis. A ação é resultado de uma parceria da EMTU/SP com o Centro de Referência e Treinamento (CRT) DST/Aids. O evento será realizado das 9h às 15h30, na plataforma A.

Serão oferecidos 600 testes, com resultados em 30 minutos. A avaliação do vírus HIV acontece por meio de fluido oral. Para a detecção de sífilis é necessária a coleta de uma pequena amostra de sangue. Em caso positivo, a pessoa é orientada e encaminhada para tratamento.

Além da realização de testes, profissionais da unidade Santa Cruz do CRT orientarão os passageiros sobre a importância do uso de preservativo na prevenção de infecções sexualmente transmissíveis (IST). Serão distribuídos 7.200 preservativos masculinos, 1.000 femininos e 4.000 sachês lubrificantes.

Haverá uma roda de conversa para orientar e aconselhar aqueles que têm dúvidas sobre práticas sexuais seguras. No “Conversarias sem tabu” os interessados poderão falar abertamente sobre o tema. A intenção é divulgar amplamente os métodos de prevenção disponíveis.

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em novembro de 2018, cerca de 37 milhões de pessoas vivem com HIV em todo o planeta. No mesmo período, a OMS anunciou que a sífilis atinge 12 milhões em todo o mundo. Para aqueles com vida sexual ativa, o Ministério da Saúde aconselha o teste regular para o HIV, sífilis e outras infecções sexualmente transmissíveis.

Serviço

Testes rápidos de HIV e sífilis 
Local: Terminal Metropolitano Jabaquara, plataforma A – Rua Nelson Fernandes, s/nº, Jabaquara, São Paulo-SP
Data: quinta-feira (29)
Horário: das 9h às 15h30

*Com informações do Governo do Estado de SP

SP incentiva hoje teste de HIV, sífilis e hepatites entre jovens

O resultado do teste sai em apenas 30 minutos (Arquivo/Agência Brasil)

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Instituto Cultural Barong e o Programa Municipal de DST/AIDS (PM DST/AIDS), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, lançam hoje (25) o Viva Melhor Sabendo Jovem.

A iniciativa tem como objetivo incentivar a testagem de HIV, sífilis e hepatites B e C em jovens da capital paulista, além de reforçar a adesão ao tratamento em caso de positividade do(s) exame(s). Para isso, leva uma van a locais que os jovens mais frequentam, e utiliza a metodologia de educação entre pares, isto é, jovens abordando e orientando jovens. O resultado dos testes é informado em cerca de 30 minutos.

“Sabemos que grande parte dos jovens não vai às unidades de saúde. Por isso, a prevenção precisa acontecer onde eles estão”, diz Cristina Abbate, coordenadora do Programa Municipal de DST/AIDS.

“Temos agentes que são jovens e que frequentam locais de convivência desse público, como bares e baladas, para fazer um trabalho entre pares; colocamos o preservativo gratuito em locais de mais fácil acesso, como os terminais de ônibus e em estações do metrô, além de rodar a cidade com a nossa unidade móvel para tornar os testes rápidos mais disponíveis. O Viva Melhor Sabendo Jovem vem para complementar esse trabalho”, completa.

O lançamento da iniciativa integra a agenda global do UNICEF em comemoração ao Dia Mundial da Criança (20) e contará com diversas atividades, além das testagens, como: dinâmicas sobre prevenção e diversidade, música, teatro, dança e distribuição de preservativos masculinos e femininos.



Jovens de diversas regiões da cidade foram capacitados por profissionais da ONG Barong para se tornar multiplicadores de informações de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) nos seus bairros e pontos de convivência, além de incentivar a testagem entre amigos, vizinhos e conhecidos. A iniciativa conta, ainda, com os vinculadores, que auxiliam os jovens no início do tratamento e os acompanham por um tempo, visando à adesão.

“Durante seis semanas jovens de diferentes regiões de São Paulo reuniram-se com diversos profissionais para ir a campo atuar como agentes multiplicadores. A vontade desses jovens de fazer a diferença possibilitará a ampliação das atividades do Barong, realizando intervenções que irão ao encontro da população jovem, utilizando estratégias com base nas diversas “juventudes” vivenciadas em uma grande metrópole”, diz Marta McBritton, presidente do Barong.

Os últimos dados epidemiológicos da cidade de São Paulo, referentes a 2016, revelam que o maior número de casos de HIV está entre jovens de 25 a 29 anos, de ambos os sexos. Entre 2006 e 2015, os casos de AIDS em todas as faixas etárias na capital paulista caíram, com exceção da população de 15 a 24 anos, em que houve crescimento.

“O Viva Melhor Sabendo Jovem vem apoiar o compromisso que governos de todo o mundo assumiram de, até 2030, ter 90% das pessoas vivendo com HIV sabendo que têm o vírus; 90% das que sabem que vivem com HIV recebendo tratamento antirretroviral e, destas, 90% com carga viral indetectável”, explica Adriana Alvarenga, chefe do escritório do UNICEF em São Paulo.

Programação do evento de lançamento do Viva Melhor Sabendo Jovem

Dia 25/11 (domingo) – Largo do Arouche, República
• 14h: Abertura do evento e boas-vindas
• 14h30: Apresentação de dança afrodescendente
• 15h: Apresentação de jovem rapper
• 15h30: Dinâmicas sobre prevenção combinada e diversidade
• 16h: Performance artística
• 16h30: Encerramento

Obs.: Em caso de chuva, o evento será adiado e informaremos nova data.

*Com informações da ONU Brasil