Toyota anuncia expansão de fábrica e geração de 850 empregos

(Divulgação)

O Governador João Doria anunciou nesta quinta-feira (2), ao lado do Presidente da Toyota do Brasil, Rafael Chang, que a planta industrial da concessionária em Sorocaba começará a produzir em três turnos a partir de janeiro de 2022. A operação 24 horas por dia vai gerar até 850 empregos diretos e indiretos.

“Estivemos juntos em 2019 em visita à sede da Toyota no Japão e agora, resultante disso, temos a expansão da fábrica da Toyota em Sorocaba, com geração de novos empregos e novos investimentos”, destacou Doria.

O processo de contratação para preencher a mão de obra referente ao 3º turno se dará ainda neste mês de setembro. Serão cerca de 450 vagas de emprego em Sorocaba, 50 vagas distribuídas nas demais plantas da Toyota e outras 350 na cadeia de fornecedores.

“Trabalhamos duro para criar esse momento importante da história da Toyota no Brasil. Ele está sendo possível graças à excelente integração que fizemos com todos os públicos envolvidos nessa iniciativa – colaboradores, sindicato, fornecedores, concessionários e governo. Além disso, tenho certeza de que esses 850 empregos diretos e indiretos que serão gerados impactarão positivamente a sociedade brasileira nesse período tão delicado que todos vivemos”, afirmou o Presidente da Toyota do Brasil.

O 3º turno na produção vai elevar em 25% o volume de produção anual da concessionária, de 122 mil para 152 mil unidades. A iniciativa tem como objetivo aumentar a produção dos modelos Yaris, Etios (para exportação) e Corolla Cross.

Depois de ter sido a primeira a oferecer um veículo híbrido no mercado brasileiro, o Prius, em 2013, e de ter lançado o primeiro híbrido flex do mundo em 2019, o Corolla sedã, produzido em Indaiatuba, a Toyota apresentou em março deste ano o Corolla Cross híbrido flex, modelo produzido em Sorocaba.

por Gov. do Estado de SP

Servidor federal é alvo de operação

A Polícia Federal ( PF) lançou hoje (11) uma operação para apurar denúncias de corrupção envolvendo um servido público federal. Foram emitidos 13 mandados de busca e apreensão em endereços do servidor aposentado e pessoas ligadas a ele.  As ações foram realizadas na capital paulista, em Sorocaba (SP),  Araçoiaba da Serra (SP), Ibiúna (SP) e no Guarujá (litoral paulista).

A Justiça determinou ainda o bloqueio de contas bancárias, veículos e 134 imóveis até o limite de R$ 421 milhões.

Segundo a PF, as investigações sobre o caso começaram em 2018, em Sorocaba, interior paulista. São apuradas as práticas dos crimes de corrupção, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

PMs usaram sistema de inteligência da polícia para extorquir traficantes

PMs usariam fardas e sistema da corporação para praticar crimes | Foto: Reprodução/Facebook

Policiais militares de Sorocaba encontraram uma forma de aumentar seus ganhos: extorquir suspeitos e traficantes. A tarefa se baseava em chegar em biqueiras, onde havia a venda de drogas, e ameaçar pessoas suspeitas ou condenados na Justiça com mandados de prisão em aberto. Como se não bastasse, a gangue ainda se apropriava de drogas “apreendidas”.

As ações aconteciam com base nos sistemas de inteligência da própria corporação. O grupo se dividia em PM de serviço pelo 7º Batalhão de PM do interior e outros de folga. Civis, sem ligação com a segurança pública paulista, também participavam.

Dois cidadãos comuns contribuíram para desvendar a atuação do grupo. Ambos foram pegos com armas, coletes balísticos e fardas similares aos usados pela PM, o que abriu uma investigação mais detalhada.

Mensagens no WhatsApp demonstraram ser um caso maior do que apenas civis se passando por policiais. Em seus celulares havia conversas, vídeos e fotos comprovando a ligação de PMs na extorsão.

Antes de abordarem as biqueiras, os policiais vigiavam e observavam as bocas de fumo. Utilizaram até rastreador em veículos de forma clandestina. Depois de identificarem seus alvos, acessavam os sistemas para terem informações criminais e ameaçá-los.

Todas as ações eram feitas de forma extraoficial, sem constar nenhum registro no sistema da corporação. Em alguns casos, aponta a investigação, os registros eram feitos parcialmente, com uma parcela dos objetos encontrados com as pessoas.

O grupo é composto por pelo menos dez PMs, que tiveram a prisão preventiva expedida pela Justiça. Eles estão presos no Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte da cidade de São Paulo. Todos são praças, policiais de baixa patente: seis cabos e quatro soldados.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, há “fortes indícios” de que os PMs cometeram os crimes de associação criminosa, concussão (quando um funcionário público exige vantagens pessoais por meio de sua profissão), prevaricação (deixar de denunciar um crime ao presenciá-lo) e violação de sigilo funcional.

Estão presos os policiais Daniel Pires Braatz, José Carlos Correa Filho, Ricardo Cordeiro da Silva, José Luiz Ribeiro Ismerim, Carlos Vaz Júnior, Peterson Rogério Fernandes, Ewerton Luiz Favoretto, Danilo Proença de Melo, Anderson Colonesi e Jonatas Tadeu Caricati.

“Os militares estaduais e civis utilizavam dos Sistemas Inteligentes da PMESP, viaturas de serviço para apoio em ações, abordagens e consultas de documentos, tudo para identificar infratores, localizá-los e exigir vantagem indevida ou subtrair objetos ilícitos de sua posse”, detalha o juiz militar Ronaldo Roth.

O magistrado determinou ainda a busca e apreensão na casa dos dez PMs. Também fez o mesmo pedido para outros dois PMs que não estão entre os presos: os cabos Márcio Matrigani e Sandro William Almeida. Há suspeita de que mais três cidadãos sem ligações com a PM participavam do grupo criminoso.

Base do 7 Batalhão do interior, onde os PMs trabalhavam | Foto: Reprodução/Google Street View

Segundo o juiz Roth, deixar os policiais em liberdade comprometeria as investigações “uma vez que eles poderão colocar obstáculos à instrução criminal”, sustenta ao determinar suas prisões.

“Nota-se que o envolvimento de policiais militares nos crimes gravíssimos apurados é incompatível para aqueles que têm o dever de proteger a sociedade, o que causa grave abalo aos princípios de hierarquia e disciplina militares”, defende Roth.

O tenente-coronel Adilson Paes de Souza explica nunca ter visto uma ação deste tipo em seus anos como policial. No entanto, afirma “não ser raro” a população denunciar situações similares.

“Algumas pessoas , que vivem nos bairros, nas periferias, relatam casos de PMs que vão nas bocas de fumo, descem e saem tranquilamente. Vai para buscar dinheiro, há relato de pessoas”, afirma.

Adilson considera extremamente grave a existência de crimes como os supostamente cometidos pelos policiais de Sorocaba. Para ele, é um caminho para a “falência do sistema”.

“Contribui para o descrédito na polícia, na sedimentação das organizações criminosas e para a falência do sistema de segurança pública e de Justiça”, resume, citando que, se por um lado há policiais que liberam suspeitos de crimes, por outro há PMs que forjam flagrantes “em outras pessoas para mostrar eficiência do sistema”.

A extorsão se baseava justamente em sistema da PM. “Precisa verificar quem são as pessoas que tiveram acesso, pesquisar os perfis e, nesse caso, punir exemplarmente e divulgar com transparência à sociedade”, diz o tenente-coronel.

Segundo o policial e pesquisador, há formas de aumentar a proteção para o InfroCrim e InfoSeg, nome dos sistemas aos quais os PMs em rua têm acesso.

“Talvez, desenvolver outra ferramenta no sistema que permita maior controle. De se saber como é o controle do acesso e desenvolver uma medida para tornar mais seletivo e mais controlado”, sugere.

A Ponte questionou a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, comandada pelo general João Camilo Pires de Campos neste governo João Doria (PSDB), sobre a prisão dos PMs.

Em nota, a secretaria confirmou que os dez policiais estão presos no Romão Gomes desde a quarta-feria (9/9) em ação da Corregedoria da PM.

“A operação faz parte de ações decorrentes de depuração interna realizada pelo comando dos batalhões, visando à manutenção da transparência, qualidade e legitimidade na prestação de serviços”, afirma a assessoria de imprensa terceirizada da pasta, a InPress.

Por Arthur Stabile, da Ponte

Piloto de helicóptero é preso após transportar cocaína

(Reprodução)

Um piloto de helicóptero foi preso logo após descarregar 255 quilos de pasta base de cocaína. O flagrante foi feito pela Polícia Militar.

Segundo a corporação, uma denúncia anônima indicou que a aeronave havia pousado em uma propriedade no município de Piedade, interior do Estado. Ao chegar ao local, o piloto decolou e conseguiu escapar da abordagem.

Pouco depois, segundo relato dos PMs, informações indicaram que o helicóptero havia pousado no Hospital de Campanha de Ibiúna, cidade na mesma região. O piloto foi abordado e preso em flagrante.

Ele foi levado para a delegacia da Polícia Federal de Sorocaba. Os policiais informaram à Polícia Civil que ao pousar na área rural, o piloto descarregou a droga, avaliada em mais de R$ 10 milhões.

https://twitter.com/PMESP/status/1303275929502912512/photo/1

*com informações do Blog da PM

Reabertura: Bares e restaurantes adotam novas medidas

Restaurante em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em março, seguia medidas para distanciamento entre clientes (Arquivo/Luciano Lanes/Pref. de Porto Alegre)

Comerciantes de cidades do interior de São Paulo começam a adotar medidas de segurança para a reabertura de serviços não essenciais nesta segunda-feira (1º). As medidas seguem o que foi estabelecido no Pacto Regional assinado pela prefeitura de Marília, Jundiaí, Bauru e Sorocaba e outras 35 cidades da região e são compatíveis com o Plano São Paulo, conjunto de orientações do governo do estado para a retomada das atividades.

De acordo com as orientações, bares, restaurantes, lanchonetes, sorveterias, docerias e similares estão autorizados a fazerem o atendimento ao público com até 40% da capacidade, somente mesas ao ar livre ou com plena capacidade de ventilação natural. O horário de atendimento ao público está reduzido a seis horas seguidas e salões internos devem permanecer fechados.

Para o presidente executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel Nacional), Paulo Solmucci, a retomada deve considerar a realidade do município. “Esse movimento de retomada que está acontecendo em algumas cidades e regiões é uma etapa natural no enfrentamento ao coronavírus, que leva em consideração a realidade da pandemia naquele local e as medidas adotadas pelo governo. Mas, para isso, é fundamental que haja transparência e diálogo nesse processo de planejamento da reabertura do comércio e que o poder público embase as decisões em informações técnicas e não em critérios políticos. Esperamos que esse movimento nas cidades do interior de São Paulo seja bem-sucedido e possa inspirar a capital [São Paulo] a planejar de forma mais clara os próximos passos”.

Retomada segura

A Abrasel criou um site com orientações para o planejamento da retomada segura das atividades de bares e restaurantes pós crise. As orientações podem ser acessadas no site da entidade.

Com uma série de ferramentas capazes de conectar pessoas, conhecimentos e oportunidades em torno de áreas de interesse comum, a ideia é que os usuários possam se apoiar de forma prática, expansiva e gratuita.

“Todo mundo que trabalha no setor seja empresário, garçom, contador, consultores e até mesmo advogados podem fazer parte da Rede Abrasel, mesmo sem ser nosso associado”, explica o presidente do Conselho de Administração da Abrasel, Paulo Nonaka. “Esse ambiente foi pensado justamente para aproximar as pessoas, enriquecendo os diálogos e troca de informações para construirmos juntos soluções para um setor mais produtivo, ajudando até quem está em áreas mais afastadas ou conta com menos recursos”, reforça.

Negociação de aluguéis

A Abrasel em São Paulo também disponibilizou, de forma online e gratuita, uma cartilha sobre negociações de aluguéis para ajudar a gestão de empresários de bares e restaurantes em todo o Brasil.

O documento aborda a busca do reequilíbrio contratual, ações judiciais e fundamentos jurídicos, rescisão sem pagamento de multa e disponibilidade de imóveis comerciais após a crise.

Para o presidente da Seccional Abrasel em São Paulo, Percival Maricato, o empresário do setor de alimentação fora do lar deve estar ciente de todos seus direitos e deveres em relação ao imóvel. Ele conta que o gasto com aluguéis dos imóveis comerciais utilizados pelas empresas costuma passar dos 4% do custo total dos negócios. “Enquanto durar a crise do Coronavírus é imperativo que as empresas, que reduziram ou até deixaram de faturar, tentem diminuir esse custo, tanto como os demais, em todas as áreas de atividade; é uma questão de sobrevivência, é justo buscar reequilíbrio dos contratos”, diz.

Por Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil 

Veja as cidades de SP com mortes por Coronavírus

(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

São Paulo registrou neste domingo (5) um total de 275 óbitos pelo novo coronavírus. Os números significam um aumento de 180% em comparação ao balanço do domingo passado (29), quando eram 98 vítimas fatais pela covid-19 Já o número de casos confirmados pela doença chegou a 4.620.

Os óbitos concentram-se em 33 cidades, com maior número na grande São Paulo, mas, crescem os números no interior do estado. Hoje,foi confirmada a primeira morte em Bauru. Também há pelo menos uma vítima em cada uma das regiões de Araçatuba, Ribeirão Preto, Campinas, Baixada Santista, Presidente Prudente e Sorocaba.



Os municípios e respectivos números de mortes são: São Paulo (220), Guarulhos (5), São Bernardo do Campo (5), Campinas (4), Santo André (3), Cotia (3), Osasco (3), Taboão das Serra (3).

Americana, Mairiporã, Santos e Sorocaba têm duas mortes cada cidade. Há ainda um óbito confirmado em cada uma das seguintes cidades: Arujá, Barueri, Bauru, Caieiras, Carapicuíba, Cravinhos, Diadema, Dracena, Embu das Artes, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapecerica da Serra, Itapevi, Jaboticabal, Mogi das Cruzes, Nova Odessa, Penápolis, Ribeirão Preto, São Caetano do Sul, São Sebastião e Vargem Grande Paulista.

Segundo o portal do governo do estado, as 275 vítimas somam 157 homens e 118 mulheres. Do total, 236 tinham idade igual ou superior 60 anos. As demais incluem pessoas com menos de 60 com comorbidades que, assim como os idosos, representam grupo mais vulnerável a complicações da covid-19.

Por Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil 

*Atualizado às 10h19

Riquezas do Estado de São Paulo cresceram 2,5% em 2019

O Produto Interno Bruto (PIB) do estado de São Paulo atingiu, em 2019, R$ 2,38 trilhões, resultado 2,5% superior ao registrado em 2018. O setor de serviços teve alta de 3,3% e a indústria, de 1%. Já a agropecuária teve queda de 1,3%. Os dados, divulgados hoje (26), são da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), vinculada à Secretaria de Governo do estado de São Paulo.

De acordo com o levantamento, a região metropolitana de São Paulo fechou o ano com PIB de R$ 1,28 trilhão, um crescimento de 3,5% em relação a 2018. A região registrou resultado positivo nos serviços (4,5%) e negativo nos setores da indústria (-0,2%) e agropecuária (-5,6%).

No interior paulista, os destaques na expansão do PIB foram as regiões de Campinas, com elevação de 2,5%, Sorocaba, com 3,5%, Franca, com alta de 3,3% e Itapeva, com 4%.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

Saúde investiga dois casos suspeitos de Febre Amarela

A Secretaria da Saúde de Sorocaba, no interior de São Paulo, investiga duas suspeitas de febre amarela. De acordo com a prefeitura, um homem de 52 anos e uma mulher de 45 anos estão internados com sintomas compatíveis com a doença, que abrangem febre súbita, calafrios, dores no corpo, fadiga e náuseas, entre outros. 

Em nota encaminhada à Agência Brasil, a pasta informou que a Vigilância Epidemiológica acompanha ambos os casos, a fim de descartar ou confirmar o diagnóstico apontado, por meio de exames.

A febre amarela tem dois ciclos epidemiológicos, o silvestre e o urbano. Nas duas circunstâncias, quem transmite o vírus ao ser humano são mosquitos. Na América Latina, as espécies presentes no primeiro ambiente são o Haemagogus e o Sabethes. Já na zona urbana, o vetor é o Aedes aegypti.

A prefeitura de Sorocaba comunicou ter destacado equipes da Divisão de Zoonoses para realizar vistorias residenciais, com o objetivo de refrear a proliferação de Aedes aegypti, por meio da eliminação de criadouros.

A prefeitura alerta que a imunização é a melhor forma de se prevenir contra a doença. A vacina está disponível nas 32 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que compõem a rede de atendimento.

Notificações

Há um mês, a Secretaria de Saúde de Sorocaba recebeu 15 notificações da doença no município, mas apenas um caso foi confirmado e classificado como importado. O paciente havia sido infectado no município paulista de Cajati, a cerca de 200 quilômetros de Sorocaba. Em informe, a pasta destacou que, na época, 12 casos foram descartados e outros dois estavam sendo averiguados.

Em boletim epidemiológico, que complementa as informações da prefeitura, a Secretaria de Saúde do estado de São Paulo informa que, de janeiro a novembro de 2019, confirmou 67 casos autóctones na região, dos quais 13 resultaram em óbito. No período, descartaram-se 644 suspeitas.

De 2010 a 2015, nenhum caso foi registrado no estado. Em 2016, a doença reapareceu, com três episódios, todos terminando em morte. No ano seguinte, contabilizaram-se 75 casos, número que subiu quase sete vezes em 2018, quando chegaram a 503.

“Desde 2016, a febre amarela reemergiu e avançou em sua área de ocorrência e detecção no Estado de São Paulo. Atualmente, todo o território paulista é considerado área de risco e, portanto, área com recomendação de vacina”, disse a secretaria estadual em boletim.

Por  Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil

Defesa Civil alerta para chuva forte e vento hoje e amanhã

(Arquivo/Marcos Ozanan/Fotos Públicas)


A Defesa Civil do Estado de São Paulo alertou hoje para o risco de ocorrer chuva intensa, com ventos fortes, hoje (27) e amanhã (28). A previsão, válida para regiões diversas do Estado, indica a passagem de uma frente fria que, somada ao calor, favorecerá a condição para precipitação de intensidade forte, acompanhada por raios e rajadas de ventos.

O risco é maior em 11 regiões, onde estão previstas chuvas de até 75 milímetros. Segundo o órgão do Governo do Estado, estão incluídas nesse alerta a Região Metropolitana de São Paulo, a Baixada Santista, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Araraquara, Franca e Itapeva. Já em Registro, São José dos Campos, Presidente Prudente e no Litoral Norte pode chover até 50 milímetros.

Em caso de chuva forte, evite áreas em que alagamentos são recorrentes
(Arquivo/Nivaldo Lima/SP AGORA)

Em casos de emergência, a recomendação é para que o morador chame os Bombeiros (193), a Polícia Militar (190) e a Defesa Civil (199). Se houver raios, o indicado é permanecer em locais fechados e evitar áreas abertas, como terrenos ou praias.

Se estiver dentro de casa, durante a tempestade procure ficar distante de aparelhos e objetos ligados à rede elétrica, como TVs, geladeiras e fogões. Fique distante também de janelas, tomadas, torneiras, canos elétricos e evite tomar banho.

Previsão do tempo e risco de queda de árvore

A quarta-feira (27) começa com sol e temperaturas em elevação, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). O termômetros oscilam durante o dia entre a mínima de 18°C e a máxima podendo superar 30ºC. Vai ser a partir da tarde e começo da noite que áreas de instabilidade, associadas com a aproximação de uma frente fria pelo oceano, provocam pancadas de chuva com intensidade variando de moderada a forte.

O CGE faz um alerta, em função da possibilidade de chuva e vento fortes, para o risco de queda de árvores. O órgão chama a atenção ainda para o solo encharcado e a continuidade das chuvas, principalmente na quinta-feira, elevam o potencial para formação de alagamentos e deslizamentos de terra na Grande São Paulo.

Para amanhã (28), a propagação do sistema frontal pelo oceano organiza as áreas de instabilidade sobre o Estado de São Paulo, o que deixa o tempo instável com chuvas que devem se alternar com períodos de melhoria ao longo do dia. Os termômetros variam entre mínimas de 17ºC e máximas que não devem superar os 23ºC.

Alertas no celular e na TV

A Defesa Civil do Estado envia alertas gratuitamente por SMS com informações em tempo real sobre chuvas fortes e alagamentos. Basta cadastrar o número enviando seu CEP para 40199. É possível acompanhar avisos de ocorrências também pelo perfil @defesacivilsp no Twitter.

Clientes de TV por assinatura recebem mensagens de alertas de desastres naturais, deslizamentos de terra, vendavais e chuvas de granizo. As mensagens aparecem em formato de um pop-up (imagem sobreposta à tela) com tempo de exposição de 10 segundos. Não é necessário se cadastrar para receber as notificações de emergência pela TV paga. Há opção de o assinante fechar o pop-up se desejar.

*Com informações do Governo do Estado de SP e do CGE