São Paulo entra em estado de atenção para alagamentos

A chuva que atingiu São Paulo na noite desta sexta-feira (26) colocou a cidade em estado de atenção para alagamentos. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) emitiu os alertas para todas as regiões por volta das 23h.

O estado de atenção foi encerrado por volta 4h30 deste sábado (27). Segundo o CGE, as chuvas perderam força em toda a Grande São Paulo, ficando apenas chuviscos em alguns pontos e muita nebulosidade.

Temporal atingiu a capital paulista na noite de sexta-feira (26) e madrugada deste sábado (Nivaldo Lima/SP AGORA)

Estado de atenção para alagamentos

Zona Norte das 22h58 às 04h26
Zona Sul das 22h58 às 04h26
Zona Leste das 22h58 às 04h26
Zona Sudeste das 22h58 às 04h26
Zona Oeste das 22h58 às 04h26
Centro das 22h58 às 04h26
Marginal Pinheiros das 22h58 às 04h26
Marginal Tietê das 22h58 às 04h26

Apesar da chuva, o Corpo de Bombeiros informou que não foi chamado para atender nenhuma ocorrência na capital paulista ou Grande SP.

SP tem mais de 600 profissionais de saúde afastados por Coronavírus

Número deve aumentar nos próximos dias(Divulgação)

Os sistemas de saúde público e particular do estado de São Paulo tiveram de afastar, desde fevereiro, mais de 600 profissionais devido à suspeita ou a confirmação da infecção por coronavírus nos funcionários.

O número de trabalhadores da área da saúde que precisarão ser removidos deve aumentar nos próximos dias. A Justiça paulista autorizou que funcionários do setor, que se enquadrem no quadro de risco para coronavírus, fiquem afastados dos hospitais.

Segundo levantamento do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep), ao menos 190 funcionários do sistema público municipal de São Paulo foram afastados, desde o último dia 15, em razão da suspeita de coronavírus. O Hospital Municipal Doutor Carmino Caricchio, no Tatuapé, na zona Leste, é o destaque, com 45 afastamentos.

Na rede privada, dois dos mais importantes hospitais do estado removeram, desde fevereiro, mais de 450 profissionais diagnosticados com o coronavírus. O Hospital Sírio-Libanês afastou 104 funcionários. Já o Hospital Albert Einstein teve de remover 348 dos 15 mil colaboradores (2%), diagnosticados com a doença.

Sem estimativa

No sistema público estadual ainda não há informações sobre a quantidade de profissionais afastados do trabalho em razão da contaminação de coronavírus. No entanto, decisão liminar do juiz do Trabalho Moisés Bernardo da Silva, da 58ª Vara do Trabalho de São Paulo, determinou a liberação dos profissionais que se enquadrem no grupo de risco para o coronavírus.

A decisão beneficia os profissionais do Hospital das Clínicas de São Paulo (HC-SP), do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo (Iamspe) e os trabalhadores contratados via Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) que atuam na administração direta.

“Liberem imediatamente das atividades presenciais os empregados substituídos processualmente que estejam enquadrados no grupo de risco, assim compreendidos os idosos com 60 anos ou mais, as gestantes, os portadores de doenças respiratórias crônicas, cardiopatias, diabetes, hipertensão, doenças renais, ou de quaisquer outras afecções que deprimam o sistema imunológico, assegurando-lhes todos os direitos e benefícios do contrato de trabalho”, diz texto da decisão.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde-SP), que ingressou com a ação, já há falta de profissionais na saúde, além do envelhecimento dos que estão na ativa. De acordo com a entidade, quase 60% dos trabalhadores da saúde no estado estão acima de 50 anos; destes, mais de 15% tem mais de 60 anos.

“As trabalhadoras e os trabalhadores da saúde pública, que compõem o grupo de risco, não podem pagar com suas vidas pelos erros recorrentes do governo do estado que não realizou os concursos necessários e, agora, vive o reflexo da falta de pessoas”, destaca a presidente do SindSaúde-SP, Cleonice Ribeiro.

Governo de São Paulo

Em nota, o governo de São Paulo disse que prepara defesa e vai recorrer da decisão imediatamente, assim que seja notificado. O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo informou que o afastamento de todos os funcionários do grupo de risco poderá inviabilizar a operação para transformar o instituto central em uma ala exclusiva, com 900 leitos, dos quais 200 UTIs, para tratamento de pacientes com covid-19.

“É preocupante que a Justiça interfira no funcionamento dos hospitais públicos, especialmente em época de pandemia, uma vez que o afastamento de profissionais sem o devido critério preconizado pelas autoridades sanitárias pode comprometer a assistência prestada à população”, disse, em nota, a Secretaria de Estado da Saúde.

Segundo o órgão, todos os funcionários do grupo de risco já foram realocados para “locais de baixo risco, como setores administrativos”. A secretaria informou ainda que todos os trabalhadores estão recebendo atendimento e, aqueles que apresentam sintomas, estão sendo submetidos ao teste para coronavírus. “Aqueles que têm o exame positivo estão isolados e recebendo tratamento de acordo com protocolo”.

Cracolândia: Polícia prende 14 por suspeita de tráfico

(Arquivo/Nivaldo Lima/SP Agora)

Uma operação conjunta da Guarda Civil Metropolitana e de policiais do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) e da Polícia Militar, realizada nesta quinta-feira (5), prendeu 14 pessoas em flagrante e apreendeu dois menores por transporte e comércio de drogas na região da Cracolândia, em São Paulo. Uma mulher está foragida. Mais 35 pessoas suspeitas foram detidas e, segundo o delegado Adilson da Silva Aquino, a polícia trabalha na identificação desses suspeitos.

De acordo com os investigadores, traficantes que atuam na Cracolândia burlavam as revistas policiais que são feitas diariamente na região escondendo drogas em um buraco que eles abriram dentro de uma Unidade Emergencial de Atendimento, o Atende II, um espaço do serviço social da prefeitura de São Paulo, localizado na Rua Helvétia. O objetivo dos criminosos era entrar pela Alameda Dino Bueno [rua que cruza a Helvétia], evitando serem pegos na revista que é feita diariamente na Rua Helvétia. De lá eles conseguiam chegar ao fluxo, local onde a droga é comercializada e consumida.

“Conseguimos identificar que, enquanto eles estavam na Alameda Dino Bueno, eles começavam a fazer o tráfico de drogas por ali e, quando tinham que regressar para a Cracolândia, eles burlavam a revista que é feita diariamente pela Guarda Metropolitana na Rua Helvétia, ingressando nas instalações do serviço Atende. Lá eles faziam remessa de uma grande quantidade de drogas, de dinheiro e de utensílios, como pratos, que eles utilizavam no fluxo”, disse Aquino.



Drone e câmera

Segundo a prefeitura, a Guarda Civil Metropolitana identificou essa atividade ilegal dentro do Atende II por meio de um drone e de câmeras, apresentando o material para o Denarc. O buraco no muro da Unidade Emergencial de Atendimento, informou a prefeitura, foi descoberto por funcionários no final de janeiro.

“Essas pessoas [traficantes] burlavam a revista para ingressar no fluxo para comercializar a droga”, disse o delegado Carlos Battista. Segundo ele, a Guarda Civil Metropolitana faz, duas vezes ao dia, uma limpeza na região da Cracolândia, uma pela manhã e outra, à tarde. “No momento da limpeza, eles [usuários] são deslocados para a Alameda Dino Bueno. E, no retorno da limpeza, obrigatoriamente eles são obrigados a passar por uma revista realizada pela Guarda Civil Metropolitana justamente para que não ingressem com drogas ou apetrechos para comercialização da droga. Então, como meio de burlar a revista, eles [traficantes] fizeram um buraco, difícil de acessar, já que fica em um lugar alto”, explicou Batista.

Segundo o delegado, em meio à multidão, no momento de reingresso ao fluxo, os traficantes acessavam o buraco, na parte de trás do Atende II e retiravam a droga. “Quando eles ingressam no Atende, eles se misturam às pessoas que fazem tratamento por ali. E aí eles acessam o fluxo”, explicou Battista.

Sobre a possibilidade de participação de funcionários no esquema, Battista disse que ainda é prematuro afirmar que eles estariam colaborando com os traficantes, mas isso ainda será objeto de investigação.

Durante a operação, cerca de 8 kg de drogas foram apreendidas pelos policiais e guardas municipais.

Atendimentos

De 26 de maio de 2017, quando teve o início do Programa Redenção, até o dia 25 de fevereiro de 2020, a Unidade Redenção fez 20.685 atendimentos, entre eles, 12.909 internações voluntárias em leitos de desintoxicação em hospitais contratados, 383 encaminhamentos para leitos de prontos-socorros e hospitais municipais e gerais, 314 para Centros de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS-AD), 16 para o Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod) e 626 para a rede de atendimentos sociais.

Sobe para 182 os casos suspeitos de Covid-19 no Brasil

https://www.facebook.com/agenciabrasil.ebc/videos/487903815432231/?xts__[0]=68.ARBjjEB6Rf__DPScSbTgxCdBFl5WxXI7EierWM22rncLSKngbLAVivFCHrBXv0kVVkmnnt_4xcLQpW3EAFHLEcKPlha1ysJWEGjZH53pjKtPJaDLANUKWfk2Riipk_MZufRkQrVBI6Ebxtx-wtTYku7ubTJLQW4J_EAEacvwmGsQcF_TotKlJQvZwHfYn0zLOXlVWU7oloIbnF5NlkeIa7aREGAVMbRLIcKvEeqG-U-gPGOzH-mZkX8O5afwYnEFsSWFSLP37BB_Jpyxh98Qf_pU2QDeheIR6XxEEnNl0QjcKTLzjknDycMmbFOl6b-Xfr5fMtqCDLEJU2uuXnFAi2GwjLMlh6KMVuk&__tn=-R

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (28) que realizará uma campanha publicitária para reduzir o risco de transmissão do novo coronavírus. Segundo a pasta, o foco da ação será nos hábitos de higiene e nas precauções sobre contato físico entre as pessoas.

O custo previsto da ação é de R$ 10 milhões e será veiculado em Internet, rádio e televisão. A campanha já começa a ser veiculada nesta sexta-feira (29).

O ministério informou ainda que existem 182 casos considerados suspeitos de coronavírus no Brasil. Até agora, 71 casos já foram descartados e um caso confirmado em São Paulo.

Os registros de casos suspeitos estão concentrados nos estados de São Paulo (66), Rio Grande do Sul (27), Rio de Janeiro (19), Minas Gerais (17), Santa Catarina (9), Paraná (5), Distrito Federa (5), Goiás (5) e Espírito Santo (2).

O secretário de Vigilância da Saúde do ministério, Wanderson Kleber de Oliveira, disse que a partir da próxima semana a pasta também divulgará os “casos prováveis” para incluir as pessoas que têm contato com casos já confirmados. Segundo Oliveira, nestes casos não será necessária a realização de exames laboratoriais para confirmação da doença, que poderá ser confirmada apenas por critérios clínico-epidemiológico.

Oliveira ressaltou ainda que a melhor estratégia de combate à doença é lavar as mãos e evitar compartilhar objetos pessoais. O secretário destacou ainda que o uso de álcool em gel é uma “boa estratégia”, mas alertou que a população não deve entrar em desespero caso não encontre o produto. “Lavar bem as mãos, as unhas, é suficiente”, disse

OMS

Dados atualizados da Organização Mundial da Saúde apontam para 82.294 casos de coronavírus pelo mundo, deste total são 1.185 novos casos.

Desde o dia 24 deste mês, 16 países são considerados suspeitos: Austrália, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Cingapura, Tailândia, Itália, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes.

Por Heloisa Cristaldo – Repórter da Agência Brasil 

Baixada Santista tem primeiro caso suspeito de Covid-19

A Baixada Santista tem o primeiro caso suspeito de Covid-19, o novo Coronavírus. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo monitora uma criança que vive em Santos.
Segundo o Estado, a criança desembarcou no início do mês no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, vindo de Hong Kong.

Também nesta quinta-feira (20) foi descartado um caso suspeito da Capital. Agora, São Paulo registra 24 casos suspeitos descartados para COVID-19. No Brasil, já são 50 casos descartados.
O país tem hoje apenas o caso de Santos como suspeito. Todos os outros foram descartados. Não há caso confirmado de Covid-19 no Brasil.

*Com informações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde de SP

Novo complexo amplia coleta e tratamento de esgoto

Entrega do novo interceptor do Rio Tietê – ITI


O governador de São Paulo, João Doria, entregou hoje (4) as obras que ampliam a coleta e o tratamento de esgoto nas zonas central e do centro expandido da capital paulista. O complexo conta com o Interceptor Tietê 7 (ITi-7) – um túnel construído sob a pista da Marginal Tietê –, a Estação Elevatória de Esgoto Piqueri, o novo Coletor-Tronco Anhangabaú e o Interceptor Tamanduateí (ITa-1J).

Com um orçamento de R$ 390 milhões, o empreendimento deve beneficiar cerca de 2,2 milhões de pessoas, especialmente o grupo que trabalha ou reside na área abrangida, que totaliza mais de 350 mil. A estrutura construída engloba 16 bairros, cruzando o bairro de Vila Buarque até as proximidades do Parque Zoológico de São Paulo.

O Coletor-Tronco Anhangabaú e o Interceptor Tamanduateí recolhem o esgoto, transferindo o volume para o ITi-7, que tem 7,5 quilômetros de extensão. Na sequência, a substância é conduzida até a Estação Elevatória Piqueri, de onde é bombeada para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Barueri. O sistema tem capacidade para bombear até 4 mil litros de esgoto por segundo.

Despoluição

Ao lançar o complexo, Doria afirmou que ele vai contribuir para a despoluição do Rio Tietê, que corta o estado de leste a oeste. “Ou seja, mais coleta, menos dejeto, menos poluição no Rio Tietê”, disse.

O governador reiterou ainda uma promessa feita durante sua campanha: a de que promete concluir, até dezembro de 2022, o projeto de despoluição do Rio Pinheiros. Segundo ele, já foi preparado um cronograma para cumprimento da meta.

“Está mantido o cronograma para a entrega, até dezembro de 2022, fo Rio Pinheiros limpo, em condições adequadas e no padrão internacional de um rio considerado limpo. Evidentemente que o Rio Pinheiros não será um rio para nadar ou usufruir dentro do rio, mas, como o Sena [da França] ou o Tâmisa [da Inglaterra], será um rio inodor, sem nenhum cheiro, odor, e sem nenhum lixo de superfície e com vida dentro.”  Doria acrescentou que o prazo poderá ser estendido, caso haja alguma “intempérie do ponto de vista judicial” ou contestação do Ministério Público.

“Até 2028, é a nossa expectativa para despoluição do Rio Tietê, dentro do mesmo propósito e do mesmo pilar: se não tivermos nenhuma intercorrência de ordem judicial, principalmente, que sempre retarda o processo”, acrescentou o governador.

Por  Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil

Cursos culturais têm mais de 7 mil vagas gratuitas

Por Daniel Mello 

(Governo do Estado de SP/Reprodução)


As Fábricas de Cultura oferecem 4,8 mil vagas para formação em ateliês e 2 mil em cursos de curta duração na cidade de São Paulo e em Diadema, na região metropolitana. São cursos em diversas linguagens artísticas, como música, cenografia, dança e desenvolvimento de aplicativos para celular. As inscrições podem ser feitas presencialmente nas unidades a partir da próxima terça-feira (7).

As Fábricas de Cultura são um programa da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. Os espaços oferecem formação, estrutura de produção, biblioteca e programação cultural gratuitamente.

A Fábrica de Cultura do Jaçanã, zona norte paulistana, vai oferecer uma introdução às técnicas básicas para construção de brinquedos criativos em grande escala. As aulas acontecem entre 11 de fevereiro e 7 de abril, das 18h às 20h45. O processo vem desde a concepção, passando pelos testes em maquete e construção dos projetos.

No Jardim São Luís, zona sul paulistana, será oferecida formação em rádio digital e produção de podcast, com aulas a partir de 21 de abril até 23 de junho, das 19h às 21h. A turma vai aprender a construir narrativas e compartilhar o conteúdo em plataformas digitais e livres.

Todos os cursos disponíveis, assim como a programação cultural das unidades, pode ser acessadas no site da Fábrica de Cultura.

Estado pode manter Marcola e outros chefes do PCC fora de SP

Por Josmar Jozino

Marcola, apontado como líder da facção, e outros 14 membros estão no sistema federal desde fevereiro deste ano

Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná, primeiro estado a iniciar programa de remição através da leitura (Ministério da Justiça e Segurança Pública/Divulgação)


Começou nesta segunda-feira (09/12) o prazo para a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), do governo de São Paulo, pedir à Justiça a prorrogação por mais 360 dias do período de internação de 15 líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) no sistema penitenciário federal.

Os líderes do PCC, entre eles Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como o número 1 da maior facção criminosa do Brasil, foram transferidos para presídios federais em 13 de fevereiro deste ano.

O período de internação de 360 dias de Marcola e dos outros 14 líderes da organização criminosa  termina em 7 de fevereiro de 2020. Porém, dois meses antes do encerramento desse prazo, a SAP já pode pedir a renovação da permanência dos presos nas unidades federais.

Marcola (Arquivo/Reprodução)

Assim foi feito com outros chefes do PCC, como Paulo Cézar Souza Nascimento Júnior, o Paulinho Neblina, removido para presídio federal na segunda semana de setembro de 2018.

O prazo de internação dele na Penitenciária Federal de Porto Velho venceu em 13 de setembro deste ano. Em 31 de julho, o secretário executivo da SAP, Luiz Carlos Catirse, enviou à Justiça o ofício 150/2019 pedindo a renovação da permanência de Neblina no presídio federal.

No documento (leia na íntegra), Catirse menciona que o detento “ocupa cargo de alto escalão na estrutura hierárquica da facção criminosa e que é de alta periculosidade”. 

Pessoas ligadas ao Neblina disseram que ele emagreceu 22 kg no presídio federal por ser portador da Doença de Crohn, uma síndrome que afeta o intestino, provocando fortes dores abdominais.  Amigos dele afirmaram ainda que o quadro de saúde do preso se agravou nos últimos dias.

Além de Marcola, a SAP quer internado até fevereiro de 2021 em presídios federais o irmão dele, Alejandro Juvenal Herbas Camacho Júnior, e Júlio César Guedes de Moraes, o Julinho Carambola, número 2 do PCC.

A pasta defende ainda as internações por mais 360 dias em unidades federais, dos presos Márcio Luciano Neves Soares, o Pezão; Pedro Luiz da Silva Moraes, o Chacal; Reinaldo Teixeira dos Santos, o Funchal; e Alessandre Garcia de Jesus Rosa, o Sandrinho.

Completam o time dos 15 Alexandre Cardoso da Silva, o Bradock; Antonio José Muller Júnior, o Granada; Daniel Vinícius Canônico, o Cego; Fernando Gonçalves dos Santos, o Azul; Lourinaldo Gomes Flor, o Velho Lori; Lucival de Jesus Feitosa, o Val do Bristol; Luís Eduardo Marcondes de Barros, o Du da Bela Vista; e Patric Uelinton Salomão, o Forjado.

Todos esses pedidos formulados pela SAP são analisados – e geralmente acolhidos – pelo Ministério Público Estadual e pela Corregedoria dos Presídios do Estado de São Paulo.

Os 15 presos citados cumpriam pena na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no Interior de São Paulo, e  foram removidos para o sistema federal após a descoberta de um ousado plano para resgatá-los, em meados de 2018.

Segundo apurou o Serviço de Inteligência da SAP, o plano previa o uso de aeronaves, helicópteros, veículos blindados e até armamento de guerra, como metralhadora calibre 50, capaz de derrubar avião.

A SAP foi procurada pela reportagem e questionada se já havia feito à Justiça o pedido de renovação por mais um ano dos 15 presos no sistema penitenciário federal.

Em nota, a pasta respondeu que “por se tratar de informação de segurança, não fornece detalhes sobre movimentações, internações em RDD e/ou prorrogações de permanência de presos em unidade do sistema penitenciário federal”.

*Esta reportagem foi publicada originalmente neste link: https://ponte.org/sp-pode-renovar-permanencia-de-lideres-do-pcc-em-presidios-federais-ate-2021/

CPTM abre 132 vagas para aprendiz

(Portal do Governo de São Paulo/Reprodução)


A partir desta segunda-feira (9), a CPTM recebe inscrições para 132 vagas para as áreas de Assistente Administrativo (36 vagas), Eletricista de Manutenção Eletroeletrônica (32 vagas) e Técnico em Manutenção Metroferroviária (64 vagas). O processo de inscrição vai até sexta-feira (13).

Os candidatos devem ter idade 18 anos completos em 3 de fevereiro de 2020 e idade máxima de 24 anos na data de conclusão do curso, que tem duração de 2 anos. Outro requisito é ter concluído o Ensino Médio.

Os alunos aprendizes recebem no primeiro ano (12 meses) uma bolsa de estudos que corresponde a um salário mínimo e, no segundo, a bolsa de estudo passa para um salário mínimo e meio. Além disso, os aprendizes receberão como benefícios plano de saúde e odontológico, vale alimentação, vale transporte e vale refeição.

Os estudantes terão aulas teóricas e técnicas no Senai Mariano Ferraz e no Centro de Formação Profissional Engenheiro James C. Stewart, na Lapa, onde há um protótipo de estação ferroviária e da via permanente, um simulador de operação de trens e vários laboratórios técnicos. A escola é uma oportunidade de aprender tudo sobre o sistema metroferroviário. Os alunos também praticam o que aprenderam na operação da CPTM com a supervisão dos profissionais da empresa.

A Fase Escolar é ministrada na Escola Senai Mariano Ferraz, localizada na Vila Leopoldina, no horário das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. Já a Fase de Prática Profissional Supervisionada será realizada na CPTM, no período das 8h às 11h, nos dias úteis, com acompanhamento da operação ferroviária.]

*Informações do Governo do Estado de SP

Aniversário da Avenida Paulista tem programação especial

Por  Bruno Bocchini 

Atrações são gratuitas (Roberto Parizotti/Fotos Públicas)


A Avenida Paulista, a mais famosa da capital paulista, completa 128 anos neste domingo (8). Para comemorar a data, as instituições integrantes da Paulista Cultural vão oferecer uma programação especial para o público. Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Japan House São Paulo, Masp e Sesc Avenida Paulista terão atividades especiais comemorativas à data. 

Entre os destaques, está a visita guiada no Masp, criado em 1968. A atividade levará ao público temas como a história do edifício na Avenida Paulista, curiosidades sobre os diferentes espaços do prédio e os vários significados do projeto do museu, um ícone da cidade.

No Instituto Moreira Sales (IMS Paulista), ocorrerá a atividade Um Desenho para a Avenida Paulista, a realização de desenhos de observação desenvolvida pelo artista Paulo Von Poser, que terá a participação do público, adultos e crianças, a partir de 6 anos.

A Japan House São Paulo, em comemoração ao aniversário da avenida, e com base no trabalho da artista Chiharu Shiota, convida o público a compartilhar suas memórias do local em uma ação que resultará em um quadro de memórias conectadas por fios vermelhos que simbolizam os encontros e conexões entre as histórias e as pessoas. 

A programação completa pode ser encontrada em https://www.facebook.com/paulistaculturaloficial .