Super-rodízio é cancelado, mas volta restrição em dias úteis

Trânsito na Avenida Dr. Abrahão Ribeiro, acesso para a Avenida Pacaembú

A prefeitura de São Paulo decidiu suspender as restrições mais amplas de circulação de veículos a partir de amanhã (18). A medida deve ser publicada em edição extra do Diário Oficial, informou o prefeito Bruno Covas na manhã de hoje (17).

Com a mudança, o rodízio volta a ser como era antes da pandemia. A restrição é definida de acordo com o número final da placa do veículo e o dia da semana.

Em vigor desde o último dia 11, o sistema de rodízio mais rigoroso passou a ser aplicado em toda a cidade e pelo período de 24 horas.  

O prefeito Bruno Covas disse que a retomada do rodízio tradicional não deve servir de pretexto para que a população se sinta livre para transitar pela cidade, como se não estivesse no contexto da pandemia, que exige cuidados preventivos. Mais uma vez, Covas manifestou preocupação com o índice de isolamento social na capital, que nesta sexta-feira (15) foi de 48%.

As regras do rodízio não incidem sobre os profissionais que prestam serviços considerados essenciais, como os funerário, de segurança, imprensa e de saúde. Para que possam circular pela cidade os trabalhadores devem preencher um cadastro no portal de atendimento da prefeitura.

Confira como funcionará o rodízio a partir desta segunda-feira (18):

Dia da semana – Final da placa
Segunda-feira – 1 e 2
Terça-feira – 3 e 4
Quarta-feira – 5 e 6
Quinta-feira – 7 e 8
Sexta-feira – 9 e 0

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil

SP amplia isenção de super-rodízio; Veja as categorias

Marginal Tietê durante a tarde de hoje (14), na Ponte da Casa Verde

A prefeitura de São Paulo ampliou a isenção do rodízio para gestantes, e pacientes em tratamento debilitante de doença grave. Também foram incluídos na lista dos isentos, veículos que realizam a coleta de lixo e resíduos sólidos, bem como demais serviços públicos de limpeza urbana e viaturas privadas de escolta armada devidamente autorizadas pela Polícia Federal, além de veículos utilizados para manutenção e assistência técnica de equipamentos de atividades consideradas essenciais.

“A inclusão desses veículos na lista dos que têm direito à isenção do rodízio fez-se necessária para garantir o pleno funcionamento dos serviços essenciais na cidade de São Paulo. A isenção para essas categorias se refere apenas aos veículos utilizados para a realização dessas atividades essenciais e não inclui os carros particulares dos trabalhadores dessas categorias”, diz a prefeitura em nota.

Para solicitar a isenção basta enviar  e-mail  acessando o Portal SP 156  ou o site especial da CET para o cadastro de isenção do rodízio.

Por Flávia Albuquerquer – Repórter da Agência Brasil 

Super-rodízio reduz congestionamentos na Capital

Trânsito no começo da tarde na Avenida Dr. Abrahão Ribeiro, acesso para a Avenida Pacaembú

Os congestionamentos diminuíram no primeiro dia do novo rodízio na cidade de São Paulo. Segundo a medição feita para Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a capital paulista teve o pico de 1 quilômetro de engarrafamento às 8h30 desta segunda-feira (11). Na segunda-feira (4) passada, foram 11 quilômetros de congestionamento na cidade entre as 8h e as 9h.

A lentidão também caiu: foram 11 quilômetros entre as 8h e as 9h de hoje. Na última segunda-feira, a cidade registrou 21 quilômetros de lentidão no mesmo horário.

Porém, a prefeitura informou que teve que colocar em circulação 489 dos 600 ônibus extras distribuídos pela cidade para evitar aglomerações no transporte público como reflexo do novo rodízio.

O rodízio de veículos estava suspenso na capital paulista desde março, quando teve início a quarentena por causa da pandemia gerada pelo novo coronavírus. No entanto, na sexta-feira (7), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou a volta e ampliação da restrição de veículos circulando na cidade como ação para conter a disseminação do coronavírus na cidade.

Normalmente, a restrição valia para um dia da semana para cada veículo. No novo esquema, os veículos com placa com número final par só podem circular nos dias do mês pares. Os veículos com placa de final ímpar, nos dias ímpares.

Diferentemente do rodízio normal, a restrição vale também para os fins de semana e durante todo o dia, não apenas nos horários de pico, como no sistema que já existia. Assim, cada veículo pode circular dia sim, dia não. No dia 31 de maio, ambos finais de placa estarão liberados para rodar.

Os carros que descumprirem as novas regras serão autuados de acordo com o Código de Transito Brasileiro, com perda de quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e pagamento de multa no valor de R$ 130,16.

Serviços essenciais

Para os profissionais que prestam serviços considerados essenciais – como os serviços funerários, de segurança, o dos profissionais de imprensa e principalmente da área da saúde, a prefeitura criou um canal de comunicação, onde eles serão cadastrados para poder circular pela cidade, independentemente do número da placa do seu veículo. Conforme publicado na edição de sábado (9) do Diário Oficial, os profissionais isentos do rodízio, segundo o Decreto nº 59.283/20, devem fazer pedido por e-mail.

Os táxis e veículos de transporte coletivo podem circular normalmente, em quaisquer dias da semana. Os motoristas de aplicativos, no entanto, terão que respeitar o novo rodízio.

A restrição de circulação de veículos exclui os serviços de socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os carros de fiscalização e operação de trânsito, assim como as ambulâncias. Também estão isentos os serviços de guincho e motocicletas.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

Super-rodízio já está valendo e vai durar 24 horas por dia

(Prefeitura de SP/Reprodução)

Começou a valer às 0h de hoje (11) o super-rodízio de veículos da capital paulista, medida criada pela Prefeitura para reduzir a circulação de pessoas na cidade, por causa do Coronavírus. O novo formato de restrição vai valer durante 24 horas por dia, inclusive na madrugada, todos os dias da semana e em todas as regiões da cidade.

O super-rodízio determina que nos dias pares do mês somente poderão circular os veículos com placa final par. Já nos dias ímpares do mês circulam aqueles com final ímpar. A exceção é o dia 31/05, quando todos os veículos poderão circular.

Os motoristas que descumprirem as novas regras serão autuados de acordo com Código de Transito Brasileiro, com 4 pontos no prontuário CNH e multa de R$ 130,16. Será aplicada uma multa por dia para o mesmo veículo, independentemente da quantidade de vezes em que houver, no mesmo dia, desobediência à restrição.

Cadastro profissionais

Para garantir o livre deslocamento dos profissionais que prestam serviços considerados essenciais durante o super-rodízio, a Prefeitura criou um canal de comunicação para a realização de cadastro com informações pessoais e do veículo que terá o benefício. Conforme publicado na edição de sábado (9), do Diário Oficial, os profissionais isentos devem fazer pedido pelo e-mail [email protected]

A partir desta segunda-feira (11) também será possível fazer o cadastro pelo Portal 156, no site https://sp156.prefeitura.sp.gov.br. Para realizar o cadastro, é necessário clicar na área “Trânsito e Transporte” e, em seguida, na opção “Rodizio de Veiculos (coronavírus) – Cadastrar veículos para isenção durante a pandemia”.

A empresa ou instituição na qual o profissional presta serviço deve preencher a planilha em Excel seguindo o passo a passo descrito na portaria SMT.GAB nº93 de 8 de maio de 2020. Formulários em outros formatos ou fora do padrão descrito na portaria serão desconsiderados.

Dentre os profissionais que têm o direito à isenção e ficam livres do super-rodízio estão os que prestam serviço na área da saúde, servidores que exercem atividades de segurança e fiscalização administrativa, servidores e contratados do serviço funerário e da assistência social e profissionais de órgãos de imprensa. Em alguns casos, como o de jornalistas, o cadastro também pode ser feito por autônomos, mediante documento ou comprovação do exercício da atividade. A lista completa de excepcionalidades está disponível no decreto publicado no Diário Oficial.

O cadastro é autodeclaratório e as informações são de responsabilidade do interessado sob pena de crime por falsidade ideológica.

Como as novas regras passam a valer hoje (11), o requerimento enviado em até 10 (dez) dias corridos do início da restrição, terão seus efeitos retroagidos. O requerimento enviado após este período, ou seja, a partir do 11º dia corrente de vigência da restrição, terão sua validade a contar da data do recebimento do requerimento.

*Com informações da Prefeitura de SP

Capital terá super-rodízio todos os dias da semana

‘Essa é uma medida necessária para evitar o lockdown na cidade de São Paulo’, disse Bruno Covas (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Na tentativa de aumentar a taxa de isolamento social e restringir a circulação de pessoas em São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB), anunciou na manhã desta quinta-feira, 7, um novo esquema de rodízio de veículos na cidade. A medida começa a vigorar na segunda-feira, 11. Vai valer para toda a cidade e não mais no centro expandido e valerá o dia todo. Nos dias pares, circulam placas de final par (0,2,4,6 e 8). E nos dias ímpares, as placas de final ímpar (1,3,5,7 e 9). A medida valerá também no final de semana.

“Questões extremas exigem medidas extremas, com isso anuncio o retorno do rodízio de forma ainda mais restritiva. Não dá pra deixar de tomar medidas como essa, com taxas de ocupção de leitos de UTI com mais de 90% na rede municipal”, disse Covas. Com isso, a Prefeitura quer tirar 50% dos carros das ruas.

Com o rodízio mais amplo, haverá reforço na frota de ônibus na cidade, com mais mil veículos e outros 600 de reserva, caso sejam necessários. “Essa é uma medida necessária para evitar o lockdown na cidade de São Paulo”, disse o prefeito. “A liberação do rodízio estava servindo como estimulante para as pessoas saírem de casa. Há pessoas que ainda não entenderam a importância de ficar em casa e voltamos com o rodízio para tentar ter um isolamento de pelo menos 60% na cidade”, afirmou o prefeito. “Além de restringir a circulação, vamos ter um ganho ambiental e de saúde, com redução de poluição, o que impacta também doenças respiratórias.”

Permanecem excluídos do rodízio carros da polícia, do Exército, prestadores de serviço de rede elétrica e de gás, e também veículos da área da saúde. Os profissionais de saúde devem fazer um cadastro junto à prefeitura para ficarem fora da medida de restrição de circulação. O cadastro terá de ser feito em até 10 dias, por meio de envio de dados como CPF, nome, estabelecimento em que trabalha o profissional e a placa do veículo. As multas que forem aplicadas nos próximos 10 dias a esses profissionais serão descartadas posteriormente. Os profissionais devem enviar email para o endereço eletrônico: [email protected]

“A obrigatoriedade de cumprir com o rodízio continua para os demais que não essas categorias”, afirmou o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram.

O prefeito Bruno Covas também anunciou o retorno da restrição à circulação de caminhões em São Paulo, exceto os das áreas de abastecimento e saúde.

A Prefeitura chegou a implementar bloqueios restritivos na cidade nesta semana, mas o próprio Covas reconheceu que a medida, que provocou trânsito e foi questionada pelo Ministério Público, foi um erro e que não surtiu o efeito necessário. Com isso, os bloqueios voltaram a ser apenas educativos.

A taxa de isolamento social na capital paulista, que concentra o maior número de mortes e casos de coronavírus no Estado, vem preocupando as autoridades. A taxa se mantém abaixo dos 50% (com 48% tanto na segunda-feira quanto na terça-feira), ficando acima desse patamar somente em finais de semana. A meta é 60% e o ideal para evitar o colapso do sistema de saúde é 70%.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, a capital tem 93.312 casos supeitos e outros 23.807 casos confirmados da doença. Sobre os óbitos, são 4.300 entre suspeitos e confirmados (1.9218 confirmados + 2.372 suspeitos). “Estamos em um momento de ascendência da doença”, afirmou Aparecido.

*Com informações do portal Terra