Premiada, peça chilena será encenada na Capital

(Marcuse Xaverius)


Nos dias 7 e 8 de março, o Teatro Porto Seguro recebe o espetáculo internacional Tu Amarás, do grupo chileno Bonobo. A produção integra a programação da sétima edição da MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, que acontece de 5 a 15 de março, em diversos espaços da cidade de São Paulo e traz artistas de vários países como Alemanha, Chile, França, Portugal, Reino Unido, Suíça, entre outros.

Com o espetáculo Tu Amarás, o grupo chileno Bonobo dá continuidade a sua pesquisa sobre a violência cometida contra os “outros” em uma sociedade democrática – o título alude aos mandamentos cristãos. Nesta comédia irônica, um grupo de médicos chilenos se prepara para uma conferência internacional sobre o preconceito na medicina. O debate se torna mais complexo devido à recente chegada dos Amenitas, extraterrestres que se estabeleceram na Terra.

Incompreendidos, marginalizados e temidos, esses seres oferecem a oportunidade para que o grupo reflita sobre o amor, a violência e o ódio implícitos na relação com os “forasteiros”. A peça, que recebeu prêmios no Chile e no Japão, foi desenvolvida em residências no Espacio Checoeslovaquia, em Santiago, e no Baryshnikov Arts Center, em Nova York.

A sétima edição da MITsp tem apresentação do Ministério da Cidadania, Itaú, Secretaria Municipal de Cultura e Sesc São Paulo, realização da Olhares Instituto Cultural, ECUM Central de Produção, Itaú Cultural e correalização Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, British Council, Sesi-SP, Consulado Geral da França de São Paulo, Institut Français Paris, Pro Helvetia, Consulado Geral da República Federal da Alemanha em São Paulo, Goethe-Institut São Paulo, Cultura Inglesa, Istituto Italiano di Cultura di San Paolo; copatrocínio Porto Seguro e Veolia.

Sobre o Grupo Bonobo

Companhia de teatro fundada em 2012 pelos artistas Pablo Manzi e Andreina Olivari com o objetivo de levar ao palco novas obras que estimulem a reflexão crítica do espectador. Através de uma metodologia de criação coletiva com ênfase em pesquisa e improvisação, eles se tornaram um dos mais conceituados grupos jovens do teatro chileno. Integram seu repertório os espetáculos Amansadura (2012), Donde Viven los Bárbaros (2015) e Tu Amarás (2018), que participaram de festivais em países como Alemanha, Bélgica, Holanda, Espanha, Itália, Suécia, Japão, México, Brasil, Peru e Chile.

Serviço

TU AMARÁS (Chile)

  • Dias 7 e 8 de março – Sábado às 21h. Domingo às 20h.
  • Ingressos: Plateia: R$ 40,00 / Balcão e frisas: R$ 30,00.
  • Classificação: 16 anos.
  • Duração: 75 minutos.
  • Gênero: Drama.
  • TEATRO PORTO SEGURO
  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.

Irene Ravache comemora 56 anos de carreira com solo

Irene Ravache atua em Alma Despejada (Joao Caldas Fº)

A atriz Irene Ravache comemora seus 75 anos de idade e 56 anos de carreira com o solo Alma Despejada. Com texto de Andréa Bassitt e direção de Elias Andreato, a peça foi escrita especialmente para Irene Ravache.

“Conheço Irene já há algum tempo e sempre conversamos muito sobre a vida: o país, a política, a família e tantas outras coisas. Muitas vezes pensamos de um jeito parecido, e essa afinidade foi bastante inspiradora. A ideia era falar sobre isso tudo, sem medos nem críticas, mas com humor e delicadeza. Ao longo do processo, a história acabou tomando um rumo inesperado para mim, mas que não havia como evitar, uma vez que vivemos momentos de grande impacto na nossa história e o teatro sempre acaba refletindo essas situações”, conta Andréa Bassit.

Sobre a peça, Irene Ravache comenta: “Fiquei fascinada com esse texto e sua poesia. É muito delicado e fala da memória de uma mulher na minha faixa etária. Mesmo sabendo que a personagem está morta, não é uma peça triste, pesada ou rancorosa e fala muito mais de vida do que de morte. Eu adoro esse tipo de possibilidade que o teatro oferece. E não tenho medo de misturar essas coisas, porque isso faz parte da vida. Nossa vida não é linear. Ela tem essas nuances”.

Com muito bom-humor, a instigante montagem conta a história de Teresa, uma senhora com mais de 70 anos que, depois de morta, faz sua última visita à casa onde morava. O imóvel foi vendido e sua alma foi despejada.  

“Essa mulher é apresentada diante de sua própria vida, e, a partir dessa visualização, ela encontra o entendimento da sua existência. É como se precisássemos abandonar a matéria para sermos conscientes de nós mesmos. A psicanálise e o teatro estabelecem este mesmo jogo. Talvez, precisemos descobrir intensamente o nosso mundo, onde o sagrado possa nos confortar”, revela o diretor Elias Andreato.

Teresa era uma professora de classe média, apaixonada por palavras, que teve dois filhos com Roberto, seu marido, homem simples, trabalhador, que se tornou um empresário bem-sucedido e colocou sua a família no ranking de uma classe média emergente. 

(Joao Caldas Fº)

Em sua visita derradeira, Teresa lembra de histórias e pessoas importantes em sua vida como a funcionária Neide, que trabalhou em sua casa por 30 anos, e sua melhor amiga Dora. A personagem transita entre o passado e o presente, do outro lado da vida, sempre de maneira poética e bem-humorada.

A teatralidade do texto de Andrea Bassitt (que também escreveu as peças As Turca e Operilda na Orquestra Amazônica), instiga o espectador a seguir uma história aparentemente trivial, mas que tem uma trajetória surpreendente, em sintonia com a nossa sociedade e os fatos atuais.

“A memória é assustadora quando ela nos falta e encantadora quando ela nos ajuda a contar nossas histórias. Na peça, lidamos com a memória, como a personagem, sem medo de enfrentar nossos demônios e nossos momentos sonhados”, acrescenta Andreato.

Serviço

ALMA DESPEJADA, com Irene Ravache

  • De 18 de setembro a 28 de novembro – Quartas e quintas, às 21h.(Importante: Dias 9, 10, 30 e 31 de outubro não haverá sessão)
  • Classificação: 14 anos.
  • Duração: 80 minutos.
  • Gênero: comédia dramática.
  • Ingressos: R$ 70,00 plateia / 60,00 balcão e frisas.
  • Teatro Porto Seguro – Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.

via GIPHY

Carolina Dieckmann estreia ‘Karolkê’ em única apresentação

Carolina Dieckmann e o músico Feyjão (Elvis Moreira/Divulgação)

A paixão pela música e o flerte com os instrumentos estão prestes a sair da intimista rodinha de amigos de Carolina Dieckmann e ganhar novos cenários. Depois de 26 anos de carreira na TV, no cinema e no teatro, o universo particular da atriz sai da coxia e é traduzido para o público em uma apresentação despojada e em plena sintonia com o suave timbre e sua voz doce, no show Karolkê, dia 6 de agosto, terça-feira, às 21h, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo.

Ao lado do músico Feyjão, novos arranjos e releituras inéditas para sucessos como É Tão Lindo (Roberto Carlos), Vamos Fugir (Gilberto Gil/Liminha), É o Amor (Zezé di Camargo/Luciano) Fogo e Paixão (Rose Marie/Wando), Eu Amo Você (Cassiano/Silvio Rochael), em acordes redesenhados de forma criativa e divertida.

O espetáculo é produzido por Léo Fuchs e a direção musical assinada pelo instrumentista e arranjador Pretinho da Serrinha, ambos parceiros de Carolina em sua última peça teatral Tryo Elétryco, sucesso em 2017.

“É para ser um encontro feliz, onde vamos cantar músicas que fazem parte de nossas vidas. Tivemos a preocupação de montar um repertório com canções marcantes, que todos possam cantar. O show reflete um pouco sobre os últimos trinta anos da nossa cultura, com músicas que façam de nós e o público um coro só. Eu, ao lado de um músico experiente como o Feyjão, tocararemos juntos essas canções, utilizando novos instrumentos como: surdo, escaleta, guitarra e ukulelê. Cantar e tocar ao mesmo tempo é um grande desafio, mas estou feliz de mostrar minhas paixões, fazer coisas que tenho vontade e ter coragem de fazer e ser feliz”, diz Carolina.

Serviço

Carolina Dieckmann no show Karolkê.

  • Dia 6 de agosto – terça-feira, às 21h.
  • Ingressos: R$ 100,00 plateia / R$ 80,00 balcão e frisas.
  • Classificação: Livre.
  • Duração: 75 minutos.

Teatro Porto Seguro

  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.
  • Telefone (11) 3226.7300.
  • Bilheteria: De terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.
  • Capacidade: 496 lugares.
  • Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).
  • Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.
  • Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) – Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.
  • Serviço de Vans: TRANSPORTE GRATUITO ESTAÇÃO LUZ – TEATRO PORTO SEGURO – ESTAÇÃO LUZ. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro.
  • Bicicletário – grátis.
  • Gemma Restaurante: Terças a sextas-feiras das 11h às 17h; sábados das 11h às 18h e domingos das 11h às 16h. Happy hour quartas, quintas e sextas-feiras a partir das 18h.

Musical sobre Cazuza volta aos palcos da capital

(Claudia Ribeiro/Divulgação)

Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz, musical que já foi visto por mais 200 mil espectadores volta aos palcos de São Paulo em curta temporada, 19 de julho a 25 de agosto, de sexta a domingo, no Teatro Porto Seguro. Texto de Aloísio de Abreu com direção de João Fonseca.

“Não quero que me imitem. Não quero ninguém atrás de mim. Tenho muito medo de ser porta-voz de qualquer coisa”.  Nesta declaração de 1988, Cazuza já profetizava o inevitável. O talento instintivo e avassalador, o temperamento explosivo, a linguagem única e libertária, fizeram dele um ícone sem precedentes na cultura contemporânea produzida no Brasil. Muito mais do que isso: ainda que à revelia foi, mesmo sem pretender sê-lo, o grande cronista da juventude brasileira dos anos 80. Morto em 1990, aos 32 anos, no auge da carreira, foi alçado a precoce e definitivo mito no imaginário brasileiro.

O espetáculo reúne alguns dos maiores clássicos de Cazuza tanto em carreira solo quanto com a banda Barão Vermelho, como Pro Dia Nascer Feliz e Codinome Beija Flor. Também os hits Bete BalançoIdeologiaO Tempo Não ParaExageradoBrasilPreciso Dizer Que Te Amo e Faz Parte do Meu Show estão presentes no roteiro, que ainda reserva espaço para composições de Cazuza que ele nunca chegou a gravar, como MalandragemPoema e Mais Feliz.

(Claudia Ribeiro/Divulgação)

Para a construção do texto, Aloísio de Abreu partiu das conversas com pessoas próximas a Cazuza e fez uma ampla pesquisa para a criação da estrutura dramática do espetáculo. “Apesar de frequentar os mesmos lugares, eu não conhecia o Cazuza. Entretanto, sempre tive uma profunda identificação com a obra dele, que tem um quê de crônica da nossa época, revelando de forma rasgada comportamentos típicos dos jovens que todos éramos nos anos oitenta”, explica Aloísio.

Como a vida do personagem foi curta e ao mesmo tempo muito intensa, o autor procurou contar a história de forma ágil, avançando sempre a partir dos momentos de virada na carreira e na vida dele: a descoberta do teatro, o gosto pelo rock, o momento em que resolve cantar, montar uma banda, se profissionalizar, o estouro, as brigas, a mudança no estilo de sua obra, o estrelato solo, a descoberta da doença, a urgência poética no fim das forças. Enfim, momentos que levam a história adiante. “As músicas se inserem quase como parte do texto. Estrutura de musical mesmo. Claro que tem momento show, mas a trajetória do Cazuza é contada através das letras e da poesia dele. Tudo no texto ‘faz parte do show’“, complementa.

A montagem deu continuidade à pesquisa desenvolvida pelo diretor João Fonseca de uma cena musical brasileira mais despojada e teatral. “Este espetáculo é mais um passo do trabalho que comecei com ‘Gota d’água’ e que culminou no ‘Tim Maia’. É uma nova possibilidade de desenvolver e aperfeiçoar uma linguagem muito autoral de musical iniciada há alguns anos”. O diretor conta que os depoimentos de Lucinha Araújo foram fundamentais na estruturação cênica do espetáculo: “A partir das lembranças dela, vamos conhecendo a vida e a obra desse artista e, tal como sua obra, a peça alterna momentos exagerados e de puro rock’n’roll a momentos mais intimistas e delicados”, finaliza.

(Claudia Ribeiro/Divulgação)

Um amplo trabalho de pesquisa também foi essencial para a concepção musical do espetáculo. Os diretores musicais Daniel Rocha e Carlos Bauzys conceituaram a sonoridade em diferentes situações: Barão Vermelho não produzido; a gravação do primeiro disco; e depois do sucesso, já consolidados. A banda solo de Cazuza também é reproduzida com fidelidade. “Adaptar a obra dele tornando-a cênica e, ao mesmo tempo empolgante e reconhecível ao público, foi nosso maior desafio”, define Daniel.

Serviço

Cazuza – pro dia nascer feliz

  • De 19 de julho a 25 de agosto
  • Sextas, às 21h; sábados, às 17h e 21h.Domingos, às 19h.
  • Sessões duplas (17h e 21h) nos dias 27/07, 03 e 10/08. 
  • Nos demais sábados apenas a sessão das 21h.
  • Classificação: 14 anos.
  • Duração: 165 minutos (com 15 de intervalo).
  • Gênero: Musical.
  • Ingressos: R$ 150,00 plateia / R$ 90,00 frisas / 75,00 balcão.

Teatro Porto Seguro

  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo. 
  • Telefone (11) 3226.7300.
  • Bilheteria: De terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.
  • Capacidade: 496 lugares.
  • Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).
  • Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.
  • Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) – Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.
  • Serviço de Vans: TRANSPORTE GRATUITO ESTAÇÃO LUZ – TEATRO PORTO SEGURO – ESTAÇÃO LUZ. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro.
  • Bicicletário – grátis.
  • Gemma Restaurante: Terças a sextas-feiras das 11h às 17h; sábados das 11h às 18h e domingos das 11h às 16h. Happy hour quartas, quintas e sextas-feiras das 17h às 21h.

Férias: ‘O Show da Luna’ e ‘A Galinha Pintadinha atraem crianças

(Kiko Mistrorigo/Divulgação)

No mês das férias, duas opções de atividade cultural atraem as crianças.

A cientista mais querida da garotada está de volta com o musical infantil O Show da Luna – Ao Vivo, de 13 a 21 de julho. A famosa galinha azul dos vídeos de animação traz o show Galinha Pintadinha – A Fabulosa Trupe, de 17 a 25 de agosto. As sessões sempre ocorrem aos sábados e domingos, às 15h.

Além dos shows, o Gemma Restaurante oferece combos promocionais com desconto que inclui o ingresso para o show e um prato do menu Kids ou menu adulto. Basta apresentar no Gemma Restaurante o voucher impresso, no caso de compras efetuadas pelo site da Tudus, ou o ingresso, para compras realizadas na bilheteria do Teatro.

Criada por Célia Catunda, que também assina a direção ao lado de Jonatan Pikolé, dançarino especialista em danças urbanas, O Show da Luna é uma produção do núcleo teatral da TVPinGuim. As canções, de autoria de André Abujamra e Márcio Nigro, foram especialmente coreografadas para o show. O espetáculo foi criado a partir da série de TV O Show da Luna!, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo e conta com um grande elenco de bailarinos e atores que vão contracenar com a cientista preferida das crianças, a Luna.

A Fabulosa Trupe da Galinha Pintadinha conta a história de um grupo que viaja pelo Brasil com o seu Carrinho de Histórias. Através dele, os pequenos embarcam em uma jornada de música, luzes e cores pelo encantador universo da Galinha Pintadinha. A peça conta a aventura do Pintinho Amarelinho que, fugindo do Gavião, acaba se perdendo da Galinha Pintadinha e do Galo Carijó. Assim tem início a saga para encontrar seus pais, com a ajuda de seus amigos. Um espetáculo para curtir, cantar e dançar ao som dos sucessos do cancioneiro infantil.

Serviço

O show da Luna – Ao Vivo

  • De 13 a 21 de julho – Sábados e domingos, às 15h.
  • Ingressos: R$ 80,00 plateia / R$ 70,00 balcão e frisas.
  • Classificação: Livre.
  • Duração: 60 minutos.

Galinha Pintadinha – A Fabulosa Trupe

  • De 17 a 25 de agosto – Sábados e domingos, às 15h.
  • Ingressos: R$ 80,00 plateia / R$ 70,00 balcão e frisas.
  • Classificação: Livre.
  • Duração: 60 minutos.

Teatro Porto Seguro

  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo. 
  • Telefone (11) 3226.7300.
  • Capacidade: 496 lugares.
  • Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).
  • Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.
  • Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) – Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.

Marina Lima canta ‘Novas Famílias’ em São Paulo

Marina Lima se apresenta nesta terça-feira (2), em São Paulo
(Rogerio Cavalcanti/Divulgação)

Marina Lima apresenta o show do novo álbum Novas Famílias, no dia 2 de julho, terça-feira, às 21h, no Teatro Porto Seguro.

Composto por oito canções inéditas e uma regravação como faixa bônus, Novas Famílias é o 21º disco da compositora e cantora carioca. O álbum traça um retrato do momento atual da artista, fruto de seu interesse pelo agora e pelo Brasil. A produção do disco é assinada por Marina Lima e Dustan Gallas, integrante da banda Cidadão Instigado.



Em Novas Famílias, Marina retoma a parceria com seu irmão, o filósofo, poeta e agora imortal da Academia Brasileira de Letras Antonio Cícero (Juntas e Só os Coxinhas) e abre parceria com Leticia Novaes (Letrux) e Silva. 

O roteiro do show é assinado por Monique Gardenberg e Marina Lima. No palco, a cantora estará acompanhada por Dustan Gallas (baixo e teclado), Arthur Kunz (bateria e programações) e Leo Chermont (guitarra). O repertório, traz as canções do novo álbum como Mãe GentilÁrvores AlheiasNovas Famílias e alguns hits de sua trajetória como Pra ComeçarCharme do MundoÀ FrancesaFullgás Uma Noite e Meia.

(Rogerio Cavalcanti/Divulgação)

Serviço

Marina Lima – Novas Famílias

  • Dia 2 de julho – terça-feira, às 21h.
  • Ingressos: R$ 100,00 plateia / R$ 85,00 balcão e frisas.
  • Classificação: Livre.
  • Duração: 90 minutos.

Teatro Porto Seguro

  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.
  • Telefone (11) 3226.7300.
  • Bilheteria: De terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.
  • Capacidade: 496 lugares.
  • Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).
  • Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.
  • Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) – Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.
  • Serviço de Vans: TRANSPORTE GRATUITO ESTAÇÃO LUZ – TEATRO PORTO SEGURO – ESTAÇÃO LUZ. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro.
  • Bicicletário – grátis.
  • Gemma Restaurante: Terças a sextas-feiras das 11h às 17h; sábados das 11h às 18h e domingos das 11h às 16h. Happy hour quartas, quintas e sextas-feiras a partir das 18h.
  • Vendashttp://www.tudus.com.br

Maria Gadú canta em São Paulo na véspera do Dia dos Namorados

(Fernando Banzi/Divulgação)

Sozinha no palco rememora nos improvisos os tempos de barzinho, com repertório repleto de composições de sucesso como ShimbalaiêBela FlorDona Cila, e canções que fazem parte da sua vida como A História de Lilly Braun, de Chico Buarque.

“Depois de mais de uma década, faço essa deliciosa tour munida apenas de guitarra e violão. A solidão no palco, as canções em suas formas nuas e cruas, o improviso. Lembrando os meus tempos de barzinho, tocadora de rua, violeira da noite,” conta a cantora.

O show foi apresentado em novembro de 2017 em uma turnê de 12 shows pela Europa, em cidades como Roma, Milão, Florença, Cagliari e Paris.

MARIA GADÚ no show Pelle

  • Dia 11 de junho – terça-feira, às 21h.
  • Ingressos: R$ 160,00 plateia /R$120,00 frisas / R$ 100,00 balcão.
  • Classificação: 12 anos.
  • Duração: 80 minutos.
  • Gênero: MPB.
  • Teatro Porto Seguro
  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.
  • Telefone (11) 3226.7300.

Reta final de ‘O Mistério de Irma Vap’ em São Paulo

Mateus Solano e Luis Mirada, em ‘O mistério de Irmã Vap’, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo (Priscila Prade/Divulgação)

Público tem até o dia 16 de junho para conferir a comédia besteirol ‘O Mistério de Irma Vap’, com Luis Miranda e Mateus Solano, em nova leitura realizada pelo diretor e encenador Jorge Farjalla. A montagem, que já foi vista por 12 mil pessoas desde a sua estreia em abril, está em cartaz no Teatro Porto Seguro, com sessões sexta-feira às 21h, aos sábados às 18h e 21h, e aos domingos às 16h e 19h.

A trama original de Charles Ludlam se passa em um lugar remoto da Inglaterra e conta a história de Lady Enid, a nova esposa do excêntrico Lord Edgar. Ela tem que se adaptar a viver em uma mansão mal-assombrada pelo fantasma da primeira esposa de seu marido, Irma Vap – lugar onde o filho do casal foi morto por um lobisomem.

Trecho do espetáculo ‘O Mistério de Irma Vap’ (Priscila Prade/Divulgação)

Na casa, há uma governanta, que assume a posição de rival da recém-chegada. Para retomar o amor de seu marido, Lady Enid come o pão que o diabo amassou e pratica peripécias divertidas. Em cena, dois atores interpretam os vários personagens, entre humanos e assombrações.

O texto foi montado pela primeira vez em 1984 em um pequeno teatro em Greenwich Village, em Nova York, nos Estados Unidos, pela companhia Ridiculous Theatrical Company, do próprio Charles Ludlam. Ele fez uma paródia dos clássicos e inspirou-se em um gênero da Inglaterra Vitoriana chamado “penny dreadful” (que pode ser traduzido como terror a tostão) para criar um novo tipo de comédias, o melodrama vitoriano.

Diferente da história original, a nova versão será situada em um trem fantasma de um parque de diversões macabro. “Usamos como referência os filmes de terror, como Pague para Entrar, Reze para Sair, de Tobe Hooper; Rebecca, de Alfred  Hitchcock e a estética dos anos 80. Mergulhamos também no universo do videoclipe de Thriller, de Michael Jackson, que foi dirigido pelo cineasta John Landis, uma referência do que é um filme de horror. Além disso, a obra também tem várias citações de Shakespeare, principalmente de Hamlet. Estamos desfragmentando todas as camadas do texto para ver o que está por trás dele e ressignificar a obra”, revela o diretor e encenador Jorge Farjalla.

A primeira e icônica montagem brasileira do texto, com direção da saudosa atriz Marília Pêra e atuação de Ney Latorraca e Marco Nanini, estreou em 1986 e ficou em cartaz durante 11 anos consecutivos, o que garantiu ao texto o registro no livro Guiness World Records. A peça ficou marcada na história do teatro por uma espécie de gincana de troca de figurinos por Nanini e Latorraca.

Mateus Solano e Luis Miranda durante a peça (Priscila Prade/Divulgação)

O novo espetáculo, ainda segundo o diretor, tem a proposta de expor aos olhos do público essa troca de roupas e enfatizar ainda mais o texto e o trabalho do ator. “Vamos teatralizar a troca de roupas. Eu quero mostrar para o espectador o teatro como uma grande ilusão e o ator como um grande mago, que pode criar tudo na frente do público e fazê-lo acreditar naquela situação. Quero que a plateia sinta o trabalho do ator e como eles vão dividir esses personagens em um jogo de espelhos. O próprio texto de Ludlam sugere o jogo teatral e tentamos enfatizar ao máximo a questão dos atores como um duplo”, comenta.

Essa encenação ousada só é possível graças ao talento de Luis Miranda e Mateus Solano. “Os dois são de uma genialidade, uma elegância artística. Começamos o processo cedo e eles já estão com outro entendimento do texto. Eles têm juntos uma energia maravilhosa. Estou muito grato por tê-los comigo e por partilhar algo tão sagrado para mim, que é o fazer teatral”, acrescenta.

Serviço

O Mistério de Irma Vap, de Charles Ludlam

  • Até 16 de junho no Teatro Porto Seguro
  • Horários: Às sextas-feiras, às 21h, aos sábados, às 18h e 21h, e aos domingos, às 16h e 19h. 
  • Ingressos: Plateia: R$ 150 / Frisas: R$ 100 e / Balcão R$80.
  • Classificação:  12 anos.
  • Duração: 100 minutos.
  • Gênero: Comédia.
  • TEATRO PORTO SEGURO
    Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo. 
  • Telefone (11) 3226.7300.
  • Capacidade: 484 lugares.

Com show Girassol, Kell Smith se apresenta em São Paulo

(Gustavo Arrais/Divulgação)

Kell Smith apresenta o show do disco Girassol, dia 28 de maio, terça-feira, às 21h, no Teatro Porto Seguro. Lançado em abril de 2018, com produção e direção artística de Rick Bonadio, o trabalho mescla a sua fusão de hip hop com pop e MPB.

No repertório, cordas, violão, piano e MPB dão igualmente o tom em Meu Lugar. Elis Regina é uma influência perceptível em Viajar é Preciso. Além das já citadas, entre as inéditas, Kell canta Ai de MimNossa ConversaColoridos e, claro, o single que batiza o CD. E uma releitura de Por Onde Andei, Nando Reis, entre outras eventuais surpresas.

Kell iniciou sua trajetória na música gospel, sendo apresentada posteriormente aos LPs de música brasileira pelo seu pai. Dona do hit Era Uma Vez, que hoje já ultrapassa 230 milhões de visualizações no Youtube, a cantora de 26 anos quebra barreiras por onde passa. 

Foi assim também com a canção Respeita as Mina, uma mistura de hip hop com pop, com arranjos crescentes em camadas a partir de uma levada de violão, que foi lançado no Dia Internacional da Mulher e se tornou um dos maiores hits de 2017.

Kell Smith no show Girassol

Kell Smith apresenta show lançado em abril (Gustavo Arrais/Divulgação)
  • Dia 28 de maio – terça-feira, às 21h.
  • Ingressos: R$ 80,00 plateia / R$ 70,00 balcão e frisas.
  • Classificação: Livre.
  • Duração: 75 minutos.
  • Gênero: MPB.
  • TEATRO PORTO SEGURO
  • Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.

Dado Villa-Lobos traz novo álbum em show em São Paulo

O cantor Dado Villa-Lobos (Fernando Schlaepfer/Divulgação)

Dado Villa-Lobos apresenta show do álbum ‘Exit’, no dia 7 de maio, terça-feira, às 21h. Nome do quarto álbum solo de Dado, produzido por Estevão Casé com Lucas Vasconcellos, traz canções como ‘A Saudade dos Unicórnios’ (Dado Villa-Lobos, Nenung e Estevão Casé), ‘Integrado’ (Bruno Di Lullo e Domenico Lancellotti) e ‘Voltando Para a Escola’ (Dado Villa-Lobos, Nenung e Roberto Pollo).

O show, no Teatro Porto Seguro, também resgata outras músicas do seu repertório como ‘Lucidez’, ‘Overdose Coração’ e ‘Diamante’.



Músico, produtor, integrante do grupo Legião Urbana, Dado Villa-Lobos compôs em parceria com Renato Russo e Marcelo Bonfá algumas das canções mais representativas da recente história da música brasileira. À frente de sua produtora Rockit!, lançou e produziu uma série de artistas da geração 1990 e 2000 como Dinho Ouro Preto, Toni Platão, Moreno Veloso, Ultramen e Chelpa Ferro.

Premiado compositor de trilhas sonoras para o cinema – ‘Bufo & Spallanzani’ (prêmio de melhor trilha sonora no Festival do Cinema Brasileiro, em Miami), ‘O Homem do Ano’, ‘Pro Dia Nascer Feliz’ (vencedor do Kikito de Melhor Trilha Sonora no Festival de Gramado de 2006) entre outros, faz da criação musical seu ofício.

Show será no Teatro Porto Seguro, na região central de São Paulo (Paulo Ferreira/Divulgação)

Com o lançamento de sua carreira solo em 2005, voltou aos palcos com o projeto MTV apresenta: ‘Dado Villa-Lobos | Jardim de Cactus’. Lançou seu segundo CD ‘O Passo do Colapso’ no final de 2012 e, em maio de 2015, lançou o livro ‘Dado Villa-Lobos, Memórias de um Legionário’. Em 2018, volta com novo trabalho ‘Exit’, um êxito na busca do reencontro com o que se entende por música.

Serviço

DADO VILLA-LOBOS no show Exit

  • Dia 7 de maio – terça-feira, às 21h.
  • Ingressos: R$ 100,00 plateia / R$ 70,00 balcão e frisas.
  • Classificação: 10 anos.
  • Duração: 90 minutos.
  • Gênero: Rock.