Foto mostra parte de fora de uma casa em Canindé, ceará, com paredes sem reboco. É possível ver também uma árvore em frente a casa e uma cerca de madeira.

Moradores de três cidades relatam tremor de terra

Moradores de ao menos duas cidades nordestinas distantes quase 700 quilômetros foram surpreendidos por pequenos tremores de terra ao longo deste sábado (19).

Embora tenham sido captados pelo Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis-UFRN), os abalos sísmicos foram de pequena intensidade e não causaram estragos maiores.

Um primeiro sismo foi registrado na região de Curaçá, no norte da Bahia, por volta das 5h de ontem. A partir dos dados de suas estações sismográficas, o LabSis calcula que o tremor de terra atingiu uma magnitude preliminar de 2.1 na escala Richter (mR).

Foto mostra parte de fora de uma casa em Canindé, ceará, com paredes sem reboco. É possível ver também uma árvore em frente a casa e uma cerca de madeira.
Foto tirada em Canindé, no Ceará (Arquivo pessoal/via Diário de Pernambuco)

O segundo evento sísmico confirmado pelo LabSis-UFRN ao longo deste sábado ocorreu na região de Canindé, no norte cearense, a cerca de 100 quilômetros de Fortaleza. Por volta de 21h33, os moradores de Canindé sentiram o tremor de terra que o laboratório potiguar calcula ter atingido 2.4 mR.

Segundo os especialistas, tremores de baixa intensidade como os registrados, ontem, em Curaçá e Canindé, são frequentes, mesmo no Brasil, e, na maioria das vezes, a população sequer percebe os abalos causados pelo contínuo processo de acomodação das rochas que formam a crosta terrestre.

Em Canindé, por exemplo, um abalo sísmico de 1.8 mR já tinha ocorrido no último dia 10. Além disso, na madrugada de ontem, a Rede Sismográfica Brasileira, registrou dois eventos de magnitudes semelhantes em Divinópolis (MG) – cidade onde, desde o inicio deste ano, já foram registrados ao menos 36 eventos semelhantes.

“Tremores desta ordem de grandeza ocorrem com uma certa frequência no país, principalmente na região Nordeste, dada as características locais”, explicou à Agência Brasil o geofísico Eduardo Menezes, do LabSis-UFRN.

“Normalmente, estes eventos são causados pela existência de falhas geológicas. E seus efeitos, principalmente emocionais, são mais sentidos quando os abalos ocorrem próximos a áreas urbanas”, acrescentou o especialista, destacando que, eventualmente, os tremores de pequena intensidade podem causar algum dano estrutural às construções, principalmente caso se repitam em um curto espaço de tempo.

“O grande problema é a repetição em um curto período de tempo, a exemplo do que temos observado em Canindé, onde, só este mês, já registramos seis eventos semelhantes, percebidos pela população.”

MSF atende necessidades médicas urgentes após terremoto no Haiti

MSF atende necessidades médicas urgentes após terremoto no Haiti

Às 8h30 do dia 14 de agosto, um terremoto de magnitude 7,2 atingiu a região Sul do Haiti, especificamente as províncias de Grande Anse, Nippes e Sud. No dia 15 de agosto, o número de mortos subiu para mais de mil, com mais de 5.700 feridos, de acordo com o Escritório de Proteção Civil do Haiti. Espera-se que esses números mudem nas próximas horas e dias, visto que muitos municípios das áreas afetadas permanecem isolados do resto do país.

MSF atende necessidades médicas urgentes após terremoto no Haiti
Tremores secundários e deslizamentos de terra causaram danos adicionais(Nivaldo Lima/SP AGORA)

Casas e infraestrutura, incluindo instalações médicas, foram amplamente destruídas e danificadas na região afetada. Alguns hospitais tiveram que evacuar seus pacientes, e outros não têm equipamentos médicos e medicamentos. Tremores secundários e deslizamentos de terra causaram danos adicionais.

Uma depressão tropical, Grace, deve atingir as áreas afetadas pelo terremoto do Haiti com fortes chuvas em 16 de agosto, gerando preocupações adicionais.

Resposta de MSF nas províncias de Grand Anse, Nippes e Sud

Nas primeiras horas após o terremoto, a equipe de MSF baseada em Port-à-Piment e uma equipe médica de emergência de Porto Príncipe começaram a ajudar pacientes feridos na província de Sud. O hospital em Port-à-Piment, onde MSF oferece cuidados de saúde sexual e reprodutiva, foi danificado. As pacientes, a maioria recebendo cuidados de saúde materna, foram evacuadas para uma tenda onde a equipe de MSF continua prestando cuidados. Em Port-à-Piment, MSF também está estabilizando pacientes feridos pelo terremoto.

Em Port-Salut, uma equipe de MSF recebeu pelo menos 16 pacientes com ferimentos e fraturas, incluindo pacientes encaminhados de Port-à-Piment e Les Cayes. MSF e seus parceiros estão estabilizando os feridos e oferecendo cuidados cirúrgicos e de acompanhamento.

Em Les Cayes, uma equipe de MSF está fornecendo suprimentos médicos e equipes para atuar no hospital geral.

Uma equipe de MSF está avaliando as necessidades no local mais remoto de Les Anglais e transportando pacientes de Les Anglais para Port-a-Piment e outras áreas. Os veículos não podem viajar todo o caminho para Les Anglais no momento, então os pacientes precisam ser transportados entre dois veículos diferentes, tornando a viagem ainda mais difícil.

Uma equipe de MSF chegou em Nippes no dia 15 de agosto e visitou o hospital Sainte-Thérèse, em Miragane, que recebeu 59 feridos. MSF doou suprimentos para o hospital e enviou um cirurgião e uma enfermeira, que estão oferecendo suporte médico. Outra equipe está avaliando a situação em Baradères e Petit Trou em Nippes, que teriam sido gravemente afetados.

MSF também enviou suprimentos de emergência de Porto Príncipe para Sud (kits de primeiros socorros, barracas para clínicas de emergência, medicamentos e suprimentos para transfusões de sangue e moldes de gesso). Algumas vias de acesso, como a estrada entre Les Cayes e Jérémie, estão seriamente danificadas e complicam o fornecimento de assistência. No entanto, uma equipe de MSF, incluindo dois cirurgiões e uma enfermeira da sala de operações, levou suprimentos médicos para Jeremie, no dia 15 de agosto, e começou a atuar no hospital da cidade.

MSF planeja reforçar suas atividades nos próximos dias, enviando mais equipes médicas, incluindo cirurgiões. MSF está se preparando para enviar suprimentos médicos e de emergência do exterior, incluindo dois aviões de carga de Bruxelas.

Porto Príncipe

MSF está tratando feridos em seu hospital para traumas em Tabarre. No dia 14 de agosto, seis feridos do sul foram admitidos nesta instalação. Para lidar com a possível escassez de sangue, MSF lançou uma campanha de coleta de sangue no bairro de Turgeau, em Porto Príncipe, no dia 14 de agosto, em parceria com as autoridades locais. No dia seguinte, MSF inaugurou um centro de emergência no bairro de Turgeau e começou a fornecer cuidados de estabilização para pacientes feridos.

MSF está presente no Haiti há 30 anos. Nossas atividades regulares continuam, incluindo o hospital Tabarre em Porto Príncipe, onde MSF está tratando pacientes gravemente queimados e também pessoas com ferimentos fatais. MSF também oferece cuidados de saúde materna e sexual e reprodutiva em Port-a-Piment, na província de Sud, no Haiti, e oferece apoio a vítimas de violência sexual e de gênero em Porto Príncipe e Gonaïves. Depois de mais de 15 anos, MSF foi forçado a fechar seu centro de emergência em Martissant, Porto Príncipe, depois que um grupo armado disparou contra a instalação no dia 26 de junho, colocando a equipe médica e os pacientes em risco. No início do ano, MSF foi forçado a realocar seu hospital para queimaduras de Drouillard para Tabarre devido à insegurança.

*Com informações da MSF

Terremoto no Haiti registra pelo menos 29 mortes e dezenas de feridos

Terremoto no Haiti deixa 29 mortos e dezenas de feridos

Terremoto no Haiti registra pelo menos 29 mortes e dezenas de feridos
Muitos prédios desabaram ou sofreram grandes danos(Nivaldo Lima/SP AGORA)

O terremoto de magnitude 7,2 que atingiu o Haiti neste sábado (14) já matou pelo menos 29 pessoas e deixou dezenas de feridos, derrubou igrejas, hotéis e casas, na mais recente tragédia a atingir o país caribenho envolto em crises humanitária e política.

Seguido por uma série de choques posteriores, o tremor teve seu epicentro 8 quilômetros ao sul de Petit Trou de Nippes, cidade a cerca de 150 quilômetros a oeste da capital, Porto Príncipe, e teve uma profundidade de 10 quilômetros, afirmou a agência geológica norte-americana Geological Survey.

O tremor foi sentido até em Cuba e na Jamaica e é potencialmente maior do que o terremoto de magnitude 7 de 11 anos atrás, que matou dezenas de milhares de pessoas na nação mais pobre das Américas.

Este terremoto, que ocorreu por volta das 8h30, horário local – foi mais longe da capital. Foi sentido em Porto Príncipe, mas não parece ter causado grandes danos, segundo testemunhas da Reuters, o que significa que provavelmente haverá menos mortes do que no devastador desastre de 2010.

A maior cidade mais próxima foi Les Cayes, com população de aproximadamente 126 mil pessoas, onde muitos prédios desabaram ou sofreram grandes danos, de acordo com as autoridades, que disseram que estavam procurando sobreviventes nos destroços.

“Contamos um total de 29 mortes até agora e uma quantidade importante de feridos”, afirmou o diretor de Proteção Civil, Jerry Chandler, em entrevista coletiva.

O primeiro-ministro Ariel Henry declarou estado de emergência de um mês.

Em Lee Cayes, moradores disseram que houve breves enchentes na cidade costeira. Houve pânico por medo de um tsunami, mas a água teria recuado em seguida. Veículos de imprensa do Haiti relataram que algumas pessoas da região costeira já haviam fugido para áreas mais altas.

O presidente norte-americano Joe Biden autorizou uma resposta imediata dos Estados Unidos ao terremoto e nomeou Samantha Power, administradora da Agência para Desenvolvimento Internacional, para coordenar a operação.

*Com informações da Agência Brasil

Terremoto no Amazonas foi de 4.7 graus

A Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) registrou um tremor de terra na divisa entre o Amazonas e Roraima, no início da madrugada de hoje (28). Segundo o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), o evento de 4,7 graus de magnitude na escala Richter ocorreu à 0h26.

Em comunicado divulgado pelas redes sociais, a rede informou que o abalo sísmico foi sentido com mais intensidade na região da cidade de Barcelos (AM), no noroeste amazônico, e em Manaus, a cerca de 400 quilômetros de distância. Apesar do susto, até o momento não há registro de danos ou feridos.

Três tremores de terra intensos foram sentidos na Região Norte este ano. Em 31 de janeiro, reflexos de um abalo sísmico de magnitude 5,7 mR, cujo epicentro foi registrado a cerca de 460 quilômetros da capital da Guiana, Georgetown, foi percebido por moradores de Manaus e de Boa Vista (RR). Um segundo evento ocorreu em 10 de março, quando um tremor de magnitude 3,9 foi registrado na região de Presidente Figueiredo (AM).

De acordo com a rede sismográfica, ao menos 31 abalos sísmicos foram registrados na região ao longo dos últimos dez anos, sendo que os tremores de magnitude igual ou superior a 4 mR ocorrem com certa frequência.

Por Alex Rodrigues, da Agência Brasil

Terremoto atinge a Guiana e é sentido no Brasil

Um terremoto com epicentro Guiana foi sentido, neste domingo (31), por moradores da região norte do Brasil, especialmente Manaus (AM) e Boa Vista (RR), que faz fronteira com o país atingido pelo fenômeno natural. Os tremores também foram sentidos na Venezuela.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), órgão responsável pelo monitoramento de atividades sísmicas ao redor do mundo, o terremoto teve magnitude 5,7 da Escala Richter. 

O epicentro, por sua vez, foi registrado a cerca de 40 quilômetros da fronteira de Guiana com Roraima, mas a relativamente rasa profundidade de 9,7 km, fez com que os tremores chegassem ao Brasil, por volta das 16h.

O Corpo de Bombeiros de Roraima afirmou que continuará em alerta nas próximas 24 horas. Até o momento, porém, não há qualquer registro de destruição ou pessoas feridas. Nas redes sociais, porém, não faltaram testemunhas para registrar o terremoto.

Por TV Cultura

Terremoto durante a noite assusta Argentina

Um terremoto de magnitude 6.4 na escala Richter foi sentido (19) no noroeste da Argentina, perto da fronteira com o Chile. Algumas áreas ficaram sem eletricidade.

As autoridades não anunciaram, até o momento, se houve mortos e feridos. O tremor de terra foi no fim da noite (horário de Brasília).

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que mede a atividade sísmica em todo o mundo, o epicentro foi registrado 27,6 quilômetros (km) a sudoeste da cidade de Porcito, com profundidade de 14 km.

Pouco depois, foi registrado um segundo tremor de magnitude 5.

“Neste momento quero transmitir calma às famílias. Vamos por em prática todas as medidas que aprendemos para prevenir incidentes, enquanto trabalhamos no impacto do terremoto para colaborar em tudo o que for necessário”, disse o governador provincial, Sergio Unac, em mensagem no Twitter.

*Com informações da RTP

Tremor de terra é registrado em arquipélago na região do Nordeste

Arquipélago São Pedro e São Paulo, no litoral do Nordeste (Reprodução)

O Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) captou ontem (18), por volta das 21h43, um tremor de terra de magnitude 6.9 na escala Richter nas proximidades do arquipélago São Pedro e São Paulo. O evento foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR), operada pelo LabSis. A estação mais próxima do epicentro é a estação de Riachuelo. Um forte tremor, de magnitude 6.5, já havia ocorrido na região no dia 30 de agosto.

Segundo o LabSis, o epicentro do terremoto foi registrado a aproximadamente 282 quilômetros (km) a leste de São Pedro e São Paulo, a 816 km a nordeste de Fernando de Noronha, a 1.184 km a nordeste de São Miguel do Gostoso, a 1.193 km a nordeste de Natal, a 1.338 km a norte-nordeste de Recife e a 1.405 km a leste-nordeste de Fortaleza.

O LabSis informou ainda que, dada a magnitude do evento, é possível esperar novas réplicas nas próximas horas, ou mesmo dias. “Para eventos dessa magnitude uma questão que sempre se coloca é se o tremor não pode provocar um tsunami. Para que isso ocorra, de forma perceptível, teríamos de ter magnitude acima de 7.5 e o movimento na falha sísmica tem que ser do tipo reverso ou normal, o que causaria um levantamento ou afundamento brusco do soalho oceânico”.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

Terra treme na região de São Roque, no interior de SP

São Roque, interior de São Paulo (Reprodução)

Um tremor de magnitude 2 atingiu a cidade de São Roque, no interior de São Paulo, por volta das 23h55 de ontem (17). A confirmação foi feita hoje (18) pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) e também pelo Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB). Moradores da região relataram nas redes sociais terem sentido o tremor.

O epicentro, segundo o Centro de Sismologia, se localizou a 6 quilômetros (km) do centro de São Roque, a 9 km da cidade de Mairinque, a 10 km de Vargem Grande e a 12 km de Ibiúna. O Centro de Sismologia informou que tremores muito pequenos são relativamente comuns no Brasil e podem ocorrer em qualquer lugar. 

“Normalmente [esses tremores] não trazem nenhum perigo a não ser um pouco de susto à população”, informa o órgão. “Não é possível saber a natureza ou a causa destes pequenos abalos. Normalmente são causados por pressões geológicas naturais presentes na crosta terrestre”.

O último sismo registrado anteriormente na região ocorreu no dia 16 de março de 2016, na cidade de Mairinque, com magnitude de 2.2.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Terremoto atinge nordeste do Japão

Por RTP

(NHK/Reprodução)


Um tremor de magnitude 5,5 na escala Richter atingiu hoje (19) o nordeste do Japão, mas não há, até ao momento, registro de vítimas ou danos materiais significativos, segundo fontes oficiais.

De acordo com a Agência Meteorológica do Japão, o movimento sísmico foi observado às 15h21 (5h21 em Lisboa) na região de Aomori, no norte da principal ilha do arquipélago nipônico, Honshu.

O epicentro foi registrado a uma profundidade de 50 quilômetros.

A imprensa local informou sobre cortes de energia elétrica em algumas regiões.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Chega a 40 o total de mortos em terremoto na Albânia

Por RTP



As equipes de resgate que trabalham nos escombros após o terremoto de terça-feira (26) na Albânia encontraram os restos mortais de mais 10 pessoas, elevando para 40 o número de mortos, anunciou hoje (28) o Ministério da Defesa.

“Encontramos dez novas vítimas mortais à noite”, revelou o ministério, em comunicado.

“O número de mortos aumentou para 40”, adianta a nota, acrescentando que ainda há esperança de encontrar vivas algumas das vítimas presas nos escombros de prédios que desabaram.

O tremor de terra foi o mais poderoso das últimas décadas neste país dos Balcãs. A União Europeia (UE) já se ofereceu para ajudar a Albânia.