Droga que seria entregue em Guarulhos é apreendida no interior

(Polícia Militar/Reprodução)

Um homem foi preso, em Santa Cruz do Rio Pardo, interior de São Paulo, com um carregamento de droga que seria entregue na cidade de Guarulhos, Grande São Paulo. A abordagem aconteceu durante a operação Paz e Proteção.

Policiais militares do Tático Ostensivo Rodoviários (TOR) abordaram o carro durante uma fiscalização de rotina. Dentro do veículo foram encontrados 277 tabletes de maconha.

Os PMs também localizaram duas placas do veículo. “O condutor confessou ter sido pago para buscar o veículo com as drogas no Paraná e levá-lo até a cidade de Guarulhos”, diz nota divulgada pela Polícia Militar.

O suspeito foi preso em flagrante e levado para a Delegacia de Ourinhos.

Traficante internacional é preso pela PF

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta segunda-feira (24) um dos narcotraficantes mais procurados do mundo. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o italiano Rocco Morabito foi localizado em um quarto de hotel, em João Pessoa. A prisão foi possível por meio de um trabalho conjunto da PF com a Interpol, a polícia internacional, e a partir de um mandado expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

Rocco Morabito era considerado o segundo criminoso mais procurado da Itália e acusado de envolvimento com a Ndrangheta, que é tida como uma das maiores e mais poderosas facções criminosas organizadas do mundo.

No momento da prisão, Morabito estava acompanhado de mais dois estrangeiros. Um deles, também italiano, é foragido da Justiça. Ele era investigado pela Polícia Federal desde 2019, quando fugiu de uma prisão no Uruguai e veio para o Brasil.

A prisão foi feita pela PF em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e a polícia italiana, cujas agências dos carabinieri, uma das forças armadas da Itália, e do Serviço de Cooperação Internacional de Polícia (Projeto I-Can) participaram da investigação em conjunto com o Escritório Central da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) no Brasil. 

TOR apreende pasta base de cocaína

(Polícia Militar/Reprodução)

O Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), da Polícia Militar de São Paulo, apreendeu pasta base de cocaína com um suspeito. O flagrante foi ontem (18), na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, na região de Dracena.

A droga foi descoberta durante uma abordagem de rotina. Ao fazer a revista no carro, os policiais do TOR localizaram o entorpecente.

Os tijolos com a cocaína estavam escondidos no assoalho do carro. A PM não informou a quantidade exata de droga localizada. O homem foi preso em flagrante.

Polícia Rodoviária apreende mais de 800 quilos de maconha

(Polícia Militar/Reprodução)

A Polícia Rodoviária de São Paulo, com o apoio do helicóptero Águia, apreendeu, ontem (18), 806 quilos de maconha. A droga foi descoberta após a PM ser informada de que um carro furtado circulava pela rodovia Dona Leonor Mendes de Barros.

Segundo a Polícia Rodoviária, houve perseguição e, após um cerco, os policiais conseguiram forçar a parada, na região do município de Guarantã, perto de Lins. O motorista do carro abandonou o veículo no meio de uma plantação de cana e fugiu.

Ao todo, 1.016 estavam sendo transportados no carro. Apesar das buscas feitas pela Polícia Rodoviária e o helicóptero, o suspeito não foi preso.

Polícia Rodoviária apreende uma tonelada de maconha

(Polícia Militar/via SSP)

Uma tonelada de maconha foi apreendida no fim de semana enquanto era transportada perto da Rodovia Raposo Tavares, na área rural de Araçoiaba da Serra. O entorpecente estava, segundo a Polícia Rodoviária, em dois veículos.

A apreensão ocorreu após a equipe suspeitar de três homens em um posto de combustível, onde estavam estacionados dois veículos de passeio e um caminhão. Ao perceber a chegada dos PMs, segundo a corporação, os suspeitos fugiram à pé, entrando em uma mata.

Parte da droga foi localizada no carro e o restante no caminhão. Ao todo, uma tonelada da maconha foi levada para a delegacia de Votorantim, na região de Sorocaba. Os três suspeitos não foram encontrados.

*Com SSP

Caminhoneiro é flagrado com duas toneladas de maconha

(Polícia Militar/Reprodução)

Um caminhoneiro, abordado durante fiscalização da Polícia Rodoviária Estadual, foi flagrado enquanto transportava duas toneladas de maconha. A droga estava escondida no meio de uma carga de terra vegetal, usada para adubação de jardins.

Segundo a PM, o caminhoneiro disse que levaria a carga de terra para Batatais, na região de Ribeirão Preto. Ele havia saído de Maringá, no Paraná.

Os PMs suspeitaram e, ao revistar a carga, localizaram os tijolos de maconha, totalizando 2,3 toneladas. O caminhoneiro foi preso em flagrante e a droga foi levada para a Polícia Civil de Lins.

Outros casos

Nas últimas semanas, uma operação tem reforçado a fiscalização nas rodovias do interior de São Paulo, conhecidas por integrar a chamada “Rota Caipira” do tráfico de drogas. A Polícia Rodoviária tem usado cães farejadores para localizar entorpecentes.

Em, pelo menos, outras duas ocorrências esta semana, os cães localizaram drogas escondidas em fundos falso. Cinco pessoas acabaram presas nas outras duas ações.

Após perseguição, carro cheio de maconha é abandonado em canavial

(Polícia Militar/Reprodução)

Um carro que transportava tijolos de maconha foi abandonado em um canavial após uma perseguição policial, em Piacatu, interior de São Paulo. O veículo seguia pela Rodovia Domingos Antunes Guimarães, nesta sexta-feira (7), quando desobedeceu a ordem de parada da Polícia Rodoviária e deu início a uma fuga.

Segundo a PM, depois um período de perseguição, o motorista abandonou o veículo no meio do canavial e fugiu a pé. Ao fazer a revista no carro, os policiais encontraram os tijolos de maconha escondidos no porta-malas e nos bancos.

Além da droga, o veículo estava com placas clonadas. Na consulta do chassi, os policiais descobriram que o carro também havia sido roubado na cidade de Londrina, no Paraná.

A polícia fez buscas na região para encontrar o suspeito, com apoio do helicóptero Águia, mas ele não foi encontrado. A quantidade de droga apreendida não foi divulgada.

Outro caso

(Polícia Militar/Reprodução)

Na quinta-feira (6), a Polícia Rodoviária apreendeu 541 quilos de maconha em um caminhão, em uma rodovia que passa por Matinópolis, interior do Estado. A droga estava distribuída em 439 tijolos, escondidos em um fundo falso na carroceria.  

O condutor alegou que foi contratado via telefone por um desconhecido para levar o veículo com a droga de Ponta Porã, Mato Grosso do Sul, até a cidade de São José do Rio Preto, interior paulista, e que receberia o veículo como forma de pagamento. 

Alemanha: Cresce uso de drogas ilícitas na pandemia

(Arquivo)

Autoridades da Alemanha apontam um aumento no consumo de drogas ilegais no país. As estatísticas indicam crescimento constante nos últimos nove anos, tendência que nem mesmo a pandemia de coronavírus conseguiu interromper.

De acordo com o Departamento Federal de Investigações (BKA, na sigla em alemão), a alta nos registros de delitos ligados a entorpecentes se deve menos a uma fiscalização bem-sucedida que ao efetivo aumento no consumo.

De acordo com o chefe do BKA, Holger Münch, o nível de fiscalização foi tão alto em 2019 quanto no ano anterior.


Leia também


De longe, o maior aumento verificado em 2019 foi o de delitos relacionados à cocaína, que apresentaram alta de 12,2%. “Percebemos que ela não é mais uma droga de elite”, afirmou Münch nesta terça-feira (08/09) em Berlim, durante a apresentação das últimas estatísticas sobre criminalidade relacionada a entorpecentes na Alemanha.

Embora a venda de drogas nas ruas tenham sido dificultadas neste ano devido às restrições impostas para conter a pandemia de covid-19, a polícia percebeu que “não houve falta no mercado”, de acordo com Münch. Ele afirmou que narcóticos ainda são fabricados e transportados, seja por ar ou por mar. O consumo também permaneceu constante.

Münch ressaltou que os traficantes se adaptaram rapidamente aos novos tempos. A distribuição de droga através de pedidos pela internet e pelo envio de quantidades menores pelo correio teria aumentado.

De acordo com o relatório da situação das drogas no país, em 2019 foram descobertos 31 laboratórios para fabricação de drogas sintéticas ilegais em todo o país, correspondendo a um aumento de cerca de 63%.

No geral, o número de delitos de drogas registrados em 2019 aumentou 2,6% em comparação com o ano anterior, para 359.747 casos. De longe, a maioria dos delitos esteve relacionado à cannabis (217.929).

De acordo com a lei alemã sobre narcóticos, quem cultiva substâncias intoxicantes como a cannabis sem permissão, fabrica, comercializa ou compra está sujeito a pena de prisão de até cinco anos ou multa. Formalmente, o consumo de entorpecentes não é criminalizado na Alemanha. Mas todas as ações que levam a ele são passíveis de punição.

Portar pequenas quantidades de cannabis para consumo pessoal não é considerado infração penal. Entretanto, a definição do que é considerado “pequena quantidade” difere conforme o estado alemão.

Em 2019, segundo o BKA, a maioria dos suspeitos traficantes de drogas sintéticas era de alemães (80%). Entre os supostos traficantes de heroína, um a cada dois tinham cidadania alemã. Entre os suspeitos de traficar cocaína, 57% eram estrangeiros.

A maior quantidade de cocaína apreendida na Alemanha até hoje foi em julho de 2019 durante uma inspeção de rotina no porto de Hamburgo. A polícia descobriu 4,5 toneladas de cocaína num contêiner com soja do Uruguai que deveria ir, via Hamburgo, para a Bélgica. O valor estimado do carregamento foi de quase um bilhão de euros.

MD/dpa/ots

Por Deutsche Welle 

Cocaína que seria levada para a Alemanha é apreendida no Porto de Santos

Droga estava escondida na parede do contêiner (Receita Federal/Reprodução)

Equipes da Alfândega da Receita Federal apreenderam 54 kg de cocaína escondidos em um contêiner no Porto de Santos. A droga estava escondida e uma carga de limão e que tinha como destino o porto de Hamburgo, na Alemanha.

A carga foi selecionada para conferência em um processo de rotina. O procedimento inclui o uso de imagens de escâner. Semelhante às últimas apreensões realizadas pela Alfândega da Receita Federal em Santos, a droga não estava na carga, mas sim escondida dentro da parede traseira do contêiner.



Durante a inspeção, o cão de faro da Receita Federal sinalizou positivamente para a presença de drogas. Aberta a parede do contêiner, foram localizados diversos tabletes de cocaína em seu interior, no lugar do isolamento térmico.

A droga interceptada pela Alfândega foi entregue à Polícia Federal, que prosseguirá com as investigações a partir das informações fornecidas pela Receita Federal.

*Com informações da Receita Federal

Decisão do STJ pode soltar mais de mil traficantes de SP

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu hoje (8) um habeas corpus coletivo para soltar todos os presos condenados por tráfico privilegiado e que cumprem pena de um ano e oito meses em regime fechado. De acordo com o tribunal, a medida deve atingir mais mil pessoas presas por determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). 

Na decisão, por unanimidade, os ministros do colegiado entenderam que o TJSP está descumprindo reiteradamente decisões de instâncias superiores que impedem a fixação do regime fechado nos casos em que ficou configurado o crime de tráfico privilegiado. Uma das decisões citadas foi proferida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que desconsiderou o caráter hediondo do tráfico privilegiado, autorizando punição mais branda. 

O caso chegou ao STJ a partir de um recurso protocolado pela Defensoria Pública. O processo envolve um homem acusado de guardar 23 pedras de crack e quatro trouxinhas de cocaína com peso de 2,7 gramas. Com a decisão, ele e os demais presos que estão na mesma situação processual vão cumprir pena em regime aberto. 

É chamado de tráfico privilegiado a diminuição de pena prevista no Parágrafo 4º do Artigo. 33 da Lei 11.343/06, que prevê a redução de um sexto a dois terços da pena desde que o réu seja primário, tenha bons antecedentes, não se dedique a atividades criminosas e nem integre organização criminosa.

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil