CPTM anuncia leilão de trens antigos

(Reprodução)

A CPTM realiza o primeiro leilão de materiais inservíveis do ano dia 26 de fevereiro. Os leilões de materiais usados da CPTM, como trens antigos e fora de uso e sucata, já são bastante tradicionais no meio ferroviário – são cerca de quatro por ano, onde são negociados grandes lotes de dormentes, trilhos e outros materiais que em sua grande maioria são destinados à indústria de reciclagem. A previsão é que a CPTM arrecade nesse leilão cerca de R$ 10 milhões com a venda de todos os lotes.

Em 2020, a companhia inovou os leilões com lotes compostos de apenas um carro ferroviário, visando atrair colecionadores e empresas interessadas em espaços comerciais inspirados no tema ferroviário. Em 2021, a CPTM manterá a prática com 15 lotes com carros ferroviários unitários com lance mínimo de R$ 43.592,00 cada lote.

Serão sete lotes com composições do antigo modelo 1700, que prestou serviço na Linha 7-Rubi entre 1987 e 2019, era conhecido como um dos mais rápidos da época e tinha o espaço interno como um dos principais diferenciais.

Já o modelo 2100, da fabricante espanhola CAF e que foi adquirido pela CPTM em 1998, fará parte de oito lotes. O modelo atendeu a Linha 10-Turquesa até 2019, quando a CPTM modernizou a frota da linha para trens das séries 7000 e 7500, mas alguns trens do modelo 2100 ainda circulam pela linha, atendendo o Expresso 10.

Por Gov. do Estado de SP

Começa a operar 2º trem para Cumbica com bagageiro

O Governador João Doria entregou nesta quinta-feira (22) o segundo trem da CPTM com espaço para bagagens, da série 2500, que circulará na Linha 13-Jade, que liga a capital ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. A entrega ocorreu na estação Engenheiro Goulart e contou com a participação do Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e do Presidente da CPTM, Pedro Moro.

“Esse novo trem traz alguns benefícios adicionais, amplos bagageiros para colocação de malas pequenas e maiores, com conforto, para os passageiros. E sempre a acessibilidade facilitada, como já é norma e determinação à CPTM, em todas as suas linhas e em todos os seus trens”, disse Doria.

“O novo trem tem um design arrojado e um layout funcional. Todo o equipamento tem ar-condicionado, monitoramento por câmeras na parte externa e na parte interna, mapa digital das estações para atendimento aos passageiros e iluminação interna em LED”, completou o Governador.

O primeiro trem foi disponibilizado pela Companhia em 3 de fevereiro deste ano. Outras seis composições, que serão entregues até dezembro, estão em testes e começarão a circular após a realização de todos os protocolos de segurança e operação. O investimento nos oitos trens é de R$ 316,7 milhões e está sendo realizado com apoio do Banco Europeu de Investimento (BEI). Atualmente, circulam na Linha 13-Jade trens novos com o mesmo padrão das demais linhas da CPTM.

Fabricados pelo consórcio Temoinsa-Sifang, na China, os trens estão equipados com tecnologia de ponta e, a exemplo das frotas das outras seis linhas da CPTM, têm 170 metros de comprimento e salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros). Também dispõem de monitores digitais internos com informações sobre a prestação de serviços e reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria.

Serviços da Linha 13-Jade

A linha possui três serviços para atender a demanda de passageiros. No serviço regular, as viagens são realizadas entre as estações Engenheiro Goulart, na Linha 12-Safira, e Aeroporto-Guarulhos, com parada na Estação Guarulhos-Cecap, durante todo o horário comercial.

O intervalo entre os trens é de 20 minutos de segunda a sexta-feira e aos sábados (das 4h às 9h e das 17h às 20h). Nos demais horários de sábado e aos domingos e feriados é de 30 minutos.

Neste momento, devido à pandemia do coronavírus, os serviços Connect, que leva passageiros da Estação Brás à Estação Aeroporto-Guarulhos, com paradas nas estações intermediárias, e o Expresso Aeroporto, com viagens diretas entre Luz e Aeroporto, estão suspensos.

*Conteúdo do Gov. do Estado de SP

Trem é sequestrado no Rio durante operação da polícia

Um trem de manutenção da Supervia foi sequestrado por mais de dez homens armados na manhã de hoje (19), na zona norte do Rio de Janeiro, onde acontece uma operação da Polícia Militar (PM). O grupo acessou a linha férrea e rendeu dois maquinistas que faziam a manutenção da rede aérea da concessionária na estação do Jacarezinho.

Segundo informações da Supervia, depois do episódio, os funcionários seguiram para a Central do Brasil, onde receberam atendimento psicológico. O Grupamento de Policiamento Ferroviário foi acionado após receber a informação do sequestro .

Desde cedo, a Polícia Militar faz uma operação nas favelas do Jacarezinho, Mandela e Manguinhos, na Zona Norte. Pelas redes sociais, moradores relataram tiroteios na região. Por medida de segurança, os trens da Supervia interromperam a circulação no local.

A PM informou que participam da operação unidades do Comando de Operações Especiais. A corporação pede que informações sejam passadas para o Disque-Denúncia.

Por Lígia Souto – Repórter do Radiojornalismo 

Estações de trem viram pontos de vacinação hoje

Usuários de 11 estações de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que ainda não tiverem se vacinado contra sarampo, caxumba, rubéola, hepatite, difteria, tétano e coqueluche poderão receber, hoje (28), a imunização. Os atendimentos serão realizados em postos montados nas Linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 11-Coral e 12-Safira.

A estação Barra Funda, que atende às Linhas 7-Rubi e 8-Diamante, receberá a ação das 8h às 14h contra difteria, tétano e coqueluche (a vacina DTP), além de hepatite. Na Linha 11-Coral, a vacinação ocorre das 9h às 17h nas estações Corinthians-Itaquera, José Bonifácio, Dom Bosco e Guaianases contra sarampo caxumba e rubéola. As estações Comendador Ermelino, São Miguel Paulista, Jardim Helena-Vila Mara, Itaim Paulista e Jardim Romano, da Linha 12-Coral, recebem o mesmo tipo de atendimento e no mesmo horário.

Para receber a dose da vacina é obrigatório apresentar um documento oficial com foto e, caso possua, a carteira de vacinação.

 Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

TCU: Renovação de contrato da malha de SP será antecipada

Estação Ferroviária de Catanduva, interior de São Paulo (Arquivo/Reprodução)

A assinatura do contrato de renovação antecipada da Malha Paulista de ferrovias foi autorizada pelo ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), em despacho interno proferido na noite dessa quarta-feira (20). Com isso, a expectativa é de que o contrato seja assinado já na próxima semana.

A decisão libera a assinatura de acordo com a proposta apresentada pelo Ministério da Infraestrutura e pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que prevê a ampliação da malha.

De acordo com o ministério, a estimativa total de investimentos privados previstos na ampliação da Malha Paulista é de cerca de R$ 6 bilhões, sendo a maior parte deste montante investida já nos cinco primeiros anos do novo contrato.

 Com isso, será possível atender 40 municípios (com cerca de 5,3 milhões de pessoas) prioritários com obras para resolução de conflitos urbanos. Também garante o “aumento da capacidade de transporte da ferrovia com custos mais baixos e uma adequada prestação do serviço, resultando em um saldo remanescente do valor de outorga, cujos valores excedentes serão destinados aos cofres da União”.

“Será a primeira renovação assinada dentro da linha do ProBrasil, de recuperação econômica do país. Estamos prestes a iniciar mais um capítulo importante para a maior revolução sobre trilhos de nossa história recente,” disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

O parecer do ministro Nardes foi dado sobre o relatório da Secretaria de Fiscalização de Infraestrutura Portuária e Ferroviária (SeinfraPortoFerrovia), do TCU, que analisou os estudos técnicos encaminhados pela ANTT para o modelo de prorrogação antecipada da Malha Paulista, hoje administrada pela Rumo.

*Com informações do Ministério da Infraestrutura

Ferrovias terão R$ 30 bi de investimento em 5 anos

Obras da Ferrovia Norte-Sul entre Palmas, no Tocantins, e Anápolis, em Goiás (Arquivo/Governo Federal/via Fotos Públicas)

O Ministério de Infraestrutura prevê investimentos de R$ 30 bilhões para ampliar a malha ferroviária do país. Os recursos seriam obtidos por meio de concessões. Informações foram detalhadas pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas, que participou hoje do 1º Fórum de Desenvolvimento Sustentável da Costa Verde, realizado na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), na cidade de Seropédica (RJ).

“Vamos investir R$ 30 bilhões em ferrovias nos próximos 5 ou 6 anos”, disse. O primeiro contrato de concessão foi assinado no ano passado e envolve a Ferrovia Norte-Sul, no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D’Oeste (SP). Para este ano, são previsas as concessões da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que ligará Ilhéus (BA) a Figueirópolis (TO), e a Ferrogrão, projeto com origem em Cuiabá (MT) e término em Santarém (PA).

O governo planeja ainda trabalhar por uma mudança legislativa que permita o regime de autorização. Trata-se de um modelo em que o investidor tem mais liberdade do que no regime de concessão. “Hoje não é possível nós operarmos com autorização nas ferrovias. No setor portuário, nós já fazemos isso. As autorizações abrem uma nova porta. Vale para aquele investidor que quer tomar o risco de engenharia, para que possa empreender e ter a propriedade da ferrovia, ter o benefício da perpetuidade, a liberdade para definir sua tarifa. Isso é importante para quem assume risco de longo prazo e proporciona novos investimentos ferroviários no Brasil”, disse Tarcísio.

Segundo um estudo de 2018 da Fundação Dom Cabral, a malha rodoviária é utilizada para o escoamento de 75% da produção no país. As ferrovias respondem por 5,4%. Os impactos causados pela greve dos caminhoneiros de 2018 expôs a dependência do país do transporte rodoviário e gerou um debate público sobre a necessidade de se ampliar a malha ferroviária.

Obras da Ferrovia Norte-Sul entre Palmas, no Tocantins, e Anápolis, em Goiás (Arquivo/Governo Federal/via Fotos Públicas)

Tarcísio disse que o Ministério da Infraestrutura tem conversado com todos os setores em busca de melhorias coletivas. No caso dos caminhoneiros, ele destacou ter abarcado algumas demandas nos projetos de concessões de novas rodoviascomo a Rodovia Presidente Dutra, conhecida popularmente como Via Dutra, que liga o Rio de Janeiro à São Paulo.

“Eu tenho 70 grupos de Whatsapp de caminhoneiros para vocês terem uma ideia. E eu costumo responder todas as questões. Dá um trabalho danado, mas é importante porque isso muda um ponto de vista, às vezes segura uma greve”, disse.

Por Léo Rodrigues – Repórter da Agência Brasil

 

Expresso da CPTM terá o dobro de viagens ao ABC

(Edson Lopes Jr./Governo do Estado de SP)


A partir de hoje (27), o número de viagens do Expresso Linha 10 da CPTM vai passar de 17 para 33 percursos nos dias úteis. O serviço funciona entre as estações Tamanduateí e Prefeito Celso Daniel-Santo André, com parada em São Caetano, nos horários de pico, de segunda a sexta-feira.

Cerca de 20 mil passageiros utilizam o serviço diariamente. O trajeto é percorrido em cerca de dez minutos e os trens partem com intervalo de 30 minutos. Pela manhã, serão realizadas 15 viagens entre 6h e 9h30. No período da tarde, serão 18, das 16h às 20h15.

Com a ampliação do número de viagens, os trens passam a prestar serviço nos dois sentidos, entre Santo André e Tamanduateí, com uma parada na Estação São Caetano. Lembrando que em Tamanduateí há integração gratuita com a Linha 2-Verde do Metrô.

Até agosto eram realizadas 16 viagens diárias. Na época, a CPTM conseguiu inserir mais uma à grade, no final do dia, totalizando 17 percursos nos horários de pico. O Expresso Linha 10 circula em vias exclusivas, sem interferir no tráfego da Linha 10-Turquesa, que opera com intervalos regulares entre Brás e Rio Grande da Serra.

*com informações do Governo do Estado de SP

PM vai atuar dentro das estações da CPTM

Por Arthur Stabile

Segundo companhia, convênio com a Secretaria da Segurança Pública prevê atuação de 445 policiais por dia em casos de roubo, assédio sexual e venda de bilhete ilegal

Estações e trens passaram a contar com policiamento neste início de 2020 | Foto: Instagram/CPTM

Desde quinta-feira (2/1), policiais militares passam a fazer rondas nas estações e trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) com a corporação. A ação é reflexo de um convênio assinado com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), em dezembro de 2019.

Serão 445 policiais em trabalho feito de forma extra ao que prestam para a PM. De acordo com o termo assinado pelas partes (clique aqui para ter mais detalhes), publicado no Diário Oficial do Estado, eles receberão uma espécie de jornada extra, chamada Dejem (Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar). 

Além de receberem seus salários por parte da PM, os policiais que aceitarem esse “bico oficial”, como é chamado entre a tropa, ganharão o benefício que será custeado pela CPTM. O investimento é de R$ 68.429.592,00 por um período de dois anos, prorrogáveis por até cinco.

A explicação da SSP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo, comandada pelo general João Camilo Pires de Campos neste governo de João Doria (PSDB), é de que os policiais ajudarão em ocorrências como “furtos, roubos, assédio sexual e venda de bilhete ilegal”.

“A fiscalização do comércio irregular continua sendo tarefa da equipe de segurança da CPTM que, ao flagrar a prática, apreende a mercadoria e retira o ambulante do sistema. A Companhia poderá solicitar a presença da PM em caso de confronto para garantir a segurança dos envolvidos e dos passageiros”, sustenta a SSP.

O acordo é similar à Operação Delegada, um convênio da PM com a Prefeitura de São Paulo para que os policiais reforcem o policiamento em seus dias de folga, ganhando salário extra por conta disso. Esta atuação tem como foco combater o comércio de ambulantes ilegais na capital paulista.

Para o tenente-coronal da reserva da PM Adilson Paes de Souza, a ideia de colocar policiais nos trens e plataformas pode ser positivo. “Todo e qualquer aumento de efetivo que vise melhora segurança é bom. Quanto mais agentes estiverem presentes, mais se terá a capacidade de prevenir delitos, sim. Sobre esse aspecto, pode prevenir”, avalia. 

Ponte questionou a SSP como será feita a seleção dos policiais, sua carga horária de serviço, as ações específicas que exercerão, se atuarão sozinhos ou em dupla e se a atuação combaterá denúncias de violência contra ambulantes. No entanto, a assessoria de imprensa terceirizada da pasta, a InPress, se limitou a enviar um link (que pode ser acessado clicando aqui) como resposta.

*Esta reportagem foi publicada originalmente pela Ponte.

Definido novo valor da passagem de ônibus, metrô e trem

Por  Elaine Patricia Cruz

(Heloísa Ballarini/Prefeitura de SP/Reprodução)


 prefeitura e o governo de São Paulo anunciaram ontem (20) que os preços das passagens do transporte público na capital paulista vão subir a partir do dia 1º de janeiro. Com isso, a passagem unitária dos ônibus, do Metrô e dos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) vão passar de R$ 4,30 para R$ 4,40.

O reajuste, segundo a prefeitura, é de 2,33% e “está abaixo da inflação anual prevista pelo Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, que é de 3,86%”. Ainda segundo a prefeitura, se as tarifas seguissem a recomposição inflacionária, deveriam custar R$ 4,47.

As novas tarifas foram encaminhadas nesta sexta-feira para os presidentes da Câmara Municipal e da Assembleia Legislativa e mantêm as atuais gratuidades existentes, como para idosos acima de 60 anos e pessoas com deficiência.

Diariamente, 8,3 milhões de passageiros são transportados nas linhas disponíveis do Metrô e da CPTM. Já os ônibus transportam cerca de 8,8 milhões de pessoas todos os dias.

Metrô inicia operação em 3 novas estações na ZL



O Metrô de São Paulo iniciou nesta segunda-feira (16) a operação em três estações da Linha 15-Prata do Metrô: Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus. Com o novo trecho de mais 3,9 km, a rede de Metrô de São Paulo chega ao total de 101,1 km de extensão e 89 estações em seis diferentes linhas (1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha, 4-Amarela, 5-Lilás e 15-Prata).

A chegada da Linha 15-Prata até São Mateus vai reduzir o tempo de deslocamento para o centro em até 50%.

“Essas estações, quando no uso pleno, estarão atendendo 330 mil pessoas por dia. É uma parcela significativa da população que será atendida até março de 2020”, declarou o governador João Doria.

Inicialmente, as três estações estarão abertas de segunda à sexta das 10h às 15h, com cobrança de tarifa. A operação deve ser ampliada em janeiro.

Linha 15-Prata

A Linha 15-Prata é o primeiro monotrilho de alta capacidade do Brasil e vai conectar as regiões leste e sudeste a toda a rede de trilhos de São Paulo, reduzindo o tempo de deslocamento entre a região do Iguatemi (estação Jardim Colonial) ao centro. Os trens trafegam com pneus sobre vigas de concreto elevadas.

A linha tem custo de R$ 5,3 bilhões em investimentos exclusivos do Governo do Estado, compreendendo a construção de 15,3 km de vias e 11 estações entre Vila Prudente e Jardim Colonial, além do Pátio de Manutenção Oratório e compra de 27 trens, sistemas elétricos, de sinalização e controle. A demanda prevista no trecho é de 300 mil passageiros por dia.

A próxima etapa é concluir a estação Jardim Colonial, que deve ser entregue em 2021. Paralelamente, o Metrô trabalha para expandir a linha até o Hospital Cidade Tiradentes.

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo