Após atropelamento e morte de motoboy, parentes protestam

(Reprodução)

Revoltados com o atropelamento e morte de Alan Souza, de 26 anos, familiares e amigos do motoboy realizaram uma manifestação nessa quarta-feira (23). Eles interditaram o cruzamento da Rua da Mooca com a Avenida Paes de Barros, no bairro da Mooca, zona leste da Capital, mesmo local onde o jovem foi atropelado por um ônibus na noite anterior.

Alan trabalhava para uma hamburgueria e estava pilotando uma moto, seguindo para fazer uma entrega, quando foi atingido por um coletivo da Viação Transunião.Segundo testemunhas, o motorista teria desrespeitado o sinal fechado.O motoboy ainda foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Municipal do Tatuapé, mas ele acabou morrendo.

Detido por policiais do Batalhão de Trânsito, o motorista do ônibus, que não teve a identidade divulgada, foi  autuado em flagrante no Distrito Policial da Vila Alpina por homicídio culposo – quando não há intenção de matar – na direção de veículo automotor. 

O corpo do motoboy Alan Souza está sendo velado no Cemitério da Quarta Parada, na Água Rasa.O enterro está previsto para as nove horas no mesmo local.

Com informações de Paulo Édson Fiore, da Jovem Pan

Mortes em rodovias federais aumentam no Carnaval

O número de mortes nas rodovias federais de todo país aumentou em 8% durante o período de carnaval. Segundo balanço preliminar da Operação Carnaval 2020, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), divulgado nesta quinta-feira (27), também foi registrado um crescimento de 6% no número de feridos em relação a 2019.

Os atropelamentos de pessoas, saídas de pista e colisões frontais foram responsáveis por 68% das mortes no período. Os estados de Santa Catarina, Bahia, Minas Gerais e Paraná concentraram 51% dos óbitos. Ao todo, a PRF registrou 1.213 acidentes, 1.574 feridos e 91 mortos.

A PRF registrou 10.899 ultrapassagens indevidas, correspondente a mais 24% em relação ao ano passado; e uso de celular, com 434 condutores autuados, significando mais 57% autuações.

Segundo a PRF, as ações da Operação Carnaval 2020 envolveram um efetivo com mais de 10 mil profissionais durante o período carnavalesco. Apesar do aumento de casos de mortes e feridos, a corporação registrou uma diminuição de 3% no número de acidentes.

De acordo com balanço, análise prévia da PRF sobre as causas aponta que 87% das mortes poderiam ter sido evitadas, pois tiveram a causa preliminar apontada relacionada a comportamento de risco por parte de condutores e pedestres.

Número de acidentes de trânsito:

 20192020variação
AC36100%
AL91233,3%
AM31-66,7%
AP3-100%
BA61621,6%
CE4230-28,6%
DF171911,8%
ES50548%
GO6962-10,1%
MA2116-23,8%
MG15317816,3%
MS3228-12,5%
MT3433-2,9%
PA171911,8%
PB213357,1%
PE40437,5%
PI3025-16,7%
PR152137-9,9%
RJ718215,5%
RN1030200%
RO192426,3%
RR76-14,3%
RS718418,3%
SC155133-14,2%
SE118-27,3%
SP7675-1,3%
TO510100%
Total Geral1.1821.2102.4%

Mortes no trânsito:

 20192020variação
AC00
AL220%
AM00
AP00
BA311266,7%
CE21-50%
DF00
ES53-40%
GO17600%
MA54-20%
MG91233,3%
MS32-33,3%
MT40-100%
PA24100%
PB20-100%
PE74-42,9%
PI31-66,7%
PR81137,5%
RJ72-71,4%
RN00
RO12100%
RR21-50%
RS6716,7%
SC413225%
SE10-100%
SP330%
TO41-75%
Total Geral84919,3%

Cai número de acidentes de trânsito com morte no Estado

Em todo o Estado de São Paulo, foram registradas 406 mortes no trânsito em janeiro de 2020, índice 5,6% menor na comparação com o mesmo período de 2019, quando foram registrados 430 mortes. Houve queda nas ocorrências fatais tanto em vias municipais (-8,2%) quanto em rodovias (-2,9%), segundo estatísticas do programa Respeito à Vida, divulgadas nessa quarta-feira (19).

As principais reduções ocorreram entre ocupantes de automóvel (-21,4%) e motociclistas (-5%). Pedestres tiveram índice praticamente estável e houve aumento entre ciclistas, passando de 24 ocorrências para 36 em janeiro deste ano (+24,1%).

Em 6 das 16 regiões administrativas foram registradas reduções nos índices em São José dos Campos (-64,9%), Araçatuba (-40%), Bauru (-35,3%), Marília (-25%), Metropolitana de São Paulo (-19,6%) e São José do Rio Preto (-4,3%).

As fatalidades aumentaram nas regiões de Registro (225%), Ribeirão Preto (114,3%), Barretos (83,3%), Itapeva (66,7%), Franca (42,9%), Sorocaba (34,4%), Central (33,3%), Presidente Prudente (16,7%), Baixada Santista (4,8%) e Campinas (1,4%).

A colisão entre veículos foi o principal tipo de acidente (36,5% dos casos). Em 55,7% das ocorrências, a vítima foi o próprio condutor. Homens correspondem a 79,1% das vítimas fatais, e houve concentração de acidentes no período noturno (49,5%) e nos finais de semana (38,9%).

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Vai até amanhã prazo para volta de radares a rodovias

Por André Richter

(Agência PRF/Reprodução)


A Justiça Federal em Brasília decidiu ontem (11) revogar a determinação de que a Polícia Rodoviária Federal (PRF)  suspenda a utilização de radares móveis nas rodovias do país. O uso de medidores de velocidade móveis e portáteis está suspenso desde agosto.

Na decisão, o juiz Marcelo Gentil Monteiro, da 1ª Vara Federal Cível, atendeu a um pedido liminar feito pelo Ministério Público Federal (MPF) e entendeu que a falta dos radares pode causar danos à sociedade.

“A urgência é patente, ante o risco de aumento do número de acidentes e mortes no trânsito em decorrência da deliberada não utilização de instrumentos escolhidos, pelos órgãos técnicos envolvidos e de acordo com as regras do Sistema Nacional de Trânsito, como necessários à fiscalização viária”, decidiu o juiz. 

Em agosto, a determinação foi cumprida pela PRF após a publicação de um despacho do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, foram revogados atos administrativos sobre a atividade de fiscalização eletrônica de velocidade em rodovias e estradas federais.   

Cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), sediado em Brasília.

Número de mortos em rodovias federais caiu no carnaval

Por Camila Boehm

Radares foram usados para fiscalizar motoristas e evitar excesso na velocidade (Agência PRF/Reprodução)

Balanço da Operação Carnaval deste ano nas estradas federais do país, divulgado hoje (7) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), mostra que houve redução no número de mortos, de acidentes, de feridos e ultrapassagens perigosas.

Houve queda de 19% nas mortes nas rodovias federais do país de 1ª a 6 de março, na comparação com o número registrado na Operação Carnaval do ano passado. Ao todo, 83 pessoas morreram. Em 2018, foram 103 mortes.

O número de acidentes diminuiu 24% em relação a 2018, passando de 1.518 no carnaval passado para 1.157 neste ano. Dados da PRF mostraram também que teve queda de 22% nas ultrapassagens irregulares.

Os acidentes deixaram 1.464 feridos, o que representa redução de 7% em relação ao total de 1.569 pessoas feridas no carnaval passado.

Os agentes da PRF fiscalizaram 185.741 veículos, resultando em 63.313 autos de infração. Foram registrados 8.542 flagrantes de ultrapassagens indevidas, que, segundo a polícia, estão entre as principais causas de colisões frontais.

Ainda em relação a flagrantes, houve 5.206 autuações por falta do uso de cinto de segurança, número 13% maior que no ano anterior. Ao todo, 68.153 motoristas foram submetidos aos testes de bafômetro que resultaram em 1.959 autuações por embriaguez ao volante neste ano. No ano anterior, foram feitos 52.585 testes que resultaram em 1.629 multas.

A PRF registrou 1.040 pessoas pilotando motocicletas sem o uso de capacete, além de 846 crianças transportadas sem os cuidados necessários, o que corresponde a um crescimento de 44% e 16%, respectivamente, em relação ao ano passado.

Sobre criminalidade, a polícia apreendeu 956 quilos (kg) de maconha e quase 152 kg de cocaína. Segundo os dados, 23 armas de fogo, 699 munições e 121.650 maços de cigarro foram apreendidos, 82 veículos foram recuperados e 673 pessoas foram presas por diversos crimes.

De acordo com a PRF, ações de conscientização e educação para o trânsito alcançaram 21.269 pessoas em todo país durante a Operação Carnaval 2019. “Com isso, a PRF segue rumo ao alcance da meta estabelecida para o período. Em 2010, foram registrados 183.456 acidentes e 8.623 óbitos nas rodovias federais. Em 2017, o número de acidentes foi de 89.318 e 6.244 óbitos, em 2018 já foram 69.114 acidentes e 5.259 óbitos”, destacou a polícia.

Segundo dados do órgão, entre 2014 e 2017, a frota de veículos no Brasil passou de 86.700.490 para 96.790.495, um aumento de 11,6%.