Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Bolsonaro conseguirá se manter na liderança, afirma Eduardo Negrão

A última sondagem realizada pelo instituto de pesquisas Ibope e a Band mostrou que os pré-candidatos Jair Messias Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB) estão tecnicamente empatados dentro do Estado de São Paulo. O resultado chama a atenção porque o ex-governador sempre dominou os números das pesquisas dentro de casa, mas agora se vê ameaçado por Bolsonaro.

Para o consultor de Marketing Político, Eduardo Negrão, o resultado apontado na pesquisa do Ibope tem explicação. “Em relação às eleições presidenciais dentro do cenário paulista, uma coisa é certa: quem não estará nas ‘cabeças’ será Geraldo Alckmin”, disse ele durante seus comentários no podcast “Hora da Notícia” da AM3 Conteúdo.

Eduardo Negrão explica que a forte rejeição, aliada aos problemas do PSDB nacional e a omissão em relação à situação do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) e ao papel ‘dúbio’ do partido durante o escândalo do mensalão e da Operação Lava Jato, contribuem para esse resultado. “Sempre em cima do muro”, disse o consultor de Marketing Político.

Além disso, Negrão chama a atenção para o fato do vice-governador de Alckmin, que agora está no comando do governo não poder apoiá-lo. “Ele deixou o Márcio França do PSB, que é um partido de esquerda, que apesar de ser uma sigla fraca, tem a máquina na mão e disputará a reeleição”, comenta.

Para Eduardo Negrão, a queda de João Doria nas pesquisas para o governo de São Paulo, também reflete na campanha de Geraldo Alckmin. “O Doria começou liderando, mas agora está caindo, porque o que se vê aqui em São Paulo é o crescimento de um pré-candidato do MDB, que apesar de estar desgastado a nível nacional, cresce no estado por causa da rejeição de Alckmin”, explica.

Empate representa vitória para Bolsonaro

De acordo com Eduardo Negrão, o empate com Geraldo Alckmin dentro do Estado de São Paulo para a Presidência da República, representa uma grande vitória para Bolsonaro. “Ele está em um estado onde Alckmin e seu partido governaram por 23 anos”, destaca o consultor, afirmando ainda que metade desse tempo em que o PSDB esteve no poder, Alckmin foi o governador.

Segundo ele, com todo esse histórico partidário, o ex-governador deveria ter saído com uma vantagem considerável sobre Bolsonaro, mas os números mostram o contrário. “O Alckmin registra o pior desempenho dentro do PSDB nas últimas quatro eleições”, conclui Eduardo Negrão.

Pesquisa Ibope/Band realizada somente com eleitores do Estado de São Paulo e divulgada no dia 24 de abril, mostrou que em uma eventual disputa do primeiro turno sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Bolsonaro e Alckmin aparecem com 16% e 15% respectivamente.

Deixe seu comentário

avatar
  Se inscrever  
Notificação de