Brasileiro e família são resgatados do Afeganistão

Itamaraty tenta retirar outro brasileiro que ainda está no Afeganistão
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Um cidadão brasileiro e seus parentes foram resgatados do Afeganistão na sexta-feira (27/08), segundo o Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

De acordo com o Itamaraty, o brasileiro e cinco familiares, que não foram identificados, foram levados para Madri num voo organizado pelos governos da Alemanha e da Espanha, que também retirou diplomatas e militares do país. Não há previsão de quando eles devem chegar ao Brasil.

“Como resultado dos esforços diplomáticos realizados, foi possível resgatar um brasileiro, que chegou hoje a Madri acompanhado de seus familiares”, disse o Itamaraty, em nota.

Ainda segundo o ministério, dos cinco brasileiros registrados em território afegão, apenas dois solicitaram ajuda do governo federal brasileiro para deixar o país, após a tomada de Cabul pelos radicais islâmicos do Talibã. O Itamaraty afirma que ainda está realizando esforços para retirar esse segundo cidadão.

“O Itamaraty tem dedicado atenção prioritária à situação dos brasileiros no Afeganistão”, disse a pasta, destacando que continua “em intensa articulação com países atuantes na região para viabilizar a pronta retirada do cidadão ainda localizado em território afegão, bem como de seus familiares”.

A retirada ocorre em meio ao caos que se instalou no Afeganistão após a tomada do poder pelo talibã e um atentado no aeroporto de Cabul, que deixou mais de uma centena de mortos, incluindo soldados americanos. O ataque foi reinvidicado pelo Estado Islâmico Khorasan, organização afiliada ao EI e que é rival do talibã.

Em nota divulgada na quinta-feira, o governo brasileiro condenou o ataque. “O governo brasileiro condena, nos mais fortes termos, os atentados registrados nas imediações do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, em 26 agosto, que resultaram em feridos e mortos e põem em risco as operações de evacuação e de ajuda humanitária em curso”, disse o Itamaraty, em nota.

Por Deutsche Welle
jps (ots)

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas