Após líquido no pulmão e abdômen, Bruno Covas segue internado

Bruno Covas, prefeito de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Os exames realizados no prefeito de São Paulo, Bruno Covas, mostraram avanço do câncer, com acúmulo de líquido no abdômen e no pulmão. Ele está internado desde quinta-feira (15) no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, em tratamento contra a doença.

Segundo equipe médica que o acompanha, o prefeito está bem, já adaptado ao tratamento quimioterápico e imunoterápico. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (21), os médicos informaram ainda que o prefeito despacha normalmente de dentro do hospital.

Como Bruno Covas apresentou emagrecimento, os médicos optaram fazer complementação alimentar noturna através de um catéter por via venosa.

O prefeito trata, desde outubro de 2019, um adenocarcinoma, tipo de câncer maligno, situado na região do cardia, na transição do esôfago para o estômago. Por meio do exame pet scan, também foi descoberta uma metástase no fígado e uma lesão no linfonodo.

Por Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Funcionário de hospital é preso por furto de remédio contra o câncer

Um auxiliar de farmácia de um hospital no Centro de São Paulo foi preso, na noite de ontem (13), por suspeita de furtar medicamento usado no tratamento contra o câncer. Outros funcionários da unidade fizeram a denúncia à Polícia Militar.

Policiais abordaram o rapaz ainda nas imediações do hospital. Em revista, os Pms encontraram, na mochila do auxiliar, quatro caixas de Opdivo, medicamento de alto custo, usado no tratamento contra o câncer.

Segundo os PMs, confessou que estava desviando o remédio havia algum tempo e que pretendia vendê-lo por até R$ 7 mil a caixa. O auxiliar trabalhava no hospital desde 2018.

Ele foi encaminhado ao Distrito Policial dos Jardins, e autuado em flagrante por furto qualificado. A Polícia Civil, com o apoio da administração do hospital, irá tentar descobrir desde quando os medicamentos estavam sendo desviados e a possível participação de outras pessoas no crime.

*com informações de Paulo Édson Fiore, da Jovem Pan

Bruno Covas retoma quimioterapia após surgimento de nódulo no fígado

Bruno Covas, prefeito de São Paulo (Gov. do Estado de SP/Reprodução)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, foi diagnosticado com um novo nódulo cancerígeno no fígado, segundo boletim médico emitido pelo Hospital Sírio-Libanês.

O nódulo foi descoberto durante realização de exames de controle nesta quarta-feira (17). Segundo o hospital, o prefeito da capital paulista está “bem disposto, alimentando-se bem e recuperando peso”.

Covas volta a passar por sessões de quimioterapia para tratamento, iniciadas já nesta quarta. Ainda de acordo com o hospital, serão necessárias, inicialmente, quatro sessões de 48 horas, com intervalos de 14 dias entre cada uma. A imunoterapia pela qual passava para enfrentamento de tumor no trato digestivo será interrompida.

Confira a íntegra do boletim médico sobre o estado de saúde de Bruno Covas:

O Prefeito Bruno Covas foi internado na terça-feira, dia 16, dentro de sua rotina de tratamento para realização de exames de controle. Clinicamente o prefeito está bem disposto, alimentando-se bem e recuperando peso após período de radioterapia.

Os exames de imagem realizados nesta quarta-feira, dia 17, evidenciaram sucesso da radioterapia no controle dos linfonodos, próximos ao estômago. Foi detectado também o surgimento de um novo nódulo no fígado, cuja presença enseja ajuste no tratamento.

A imunoterapia será interrompida e um novo protocolo de quimioterapia convencional terá início. Inicialmente estão prescritas quatro sessões de 48 horas, com intervalos de 14 dias entre cada uma. Novos exames de imagem para controle serão realizados ao final deste ciclo.  

O prefeito iniciou a quimioterapia na tarde desta 4ª feira, 17, e deverá ficar internado até sábado. Ele está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Prof. Dr. João Luis Fernandes da Silva e pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho.

Por TV Cultura

Após quimioterapia, Bruno Covas inicia nova etapa do tratamento

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (Rovena Rosa/Agência Brasil)


O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, iniciou, nesta quarta-feira (26), um novo ciclo para o tratamento de um câncer diagnosticado na região do estômago em outubro do ano passado. Covas vai realizar a imunoterapia, que consiste em infusões com medicamentos para potencializar o sistema imunológico.

“Os medicamentos procuram romper essa espécie de transe que o sistema imune se coloca de maneira que a imunidade do paciente possa identificar e atacar as células tumorais”, explicou o diretor do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, Artur Katz.

O tratamento continua sendo feito no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. A imunoterapia será realizada a cada três semanas, e cada infusão dura aproximadamente 30 minutos, sem a necessidade de internação hospitalar. A estimativa é que este ciclo se encerre em seis meses.

Quimioterapia

Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (27), a equipe médica do hospital informou que as sessões de quimioterapia, realizadas desde novembro do ano passado, foram eficientes, mas insuficientes.

“A quimioterapia foi extremamente eficiente, mas não foi suficiente, por isso a equipe médica optou pela imunoterapia e o prefeito Bruno Covas aceitou bem a indicação”, disse o diretor do Centro de Infectologia do Hospital Sírio-Libanês, David Uip.

“O tratamento planejado foi concluído e cumpriu o que deveria. Vimos nos exames de petscan, ressonância e endoscopia uma resposta importante, mas víamos consistência de anormalidades nas imagens na região dos linfonodos. Em função dessa persistência e como já havia cumprido tudo o que se esperava da quimioterapia, a opção foi iniciar a imunoterapia”, completou Katz.

Segundo a equipe médica, o estado clínico de Covas é muito bom. “Ele está com o estado geral muito bom. Como a quimioterapia pode baixar a imunidade, recomendamos que ele evitasse eventos públicos, mas, agora, com a imunoterapia poderá voltar, paulatinamente, à vida pública”, explicou o oncologista Tulio Pfiffer.

O médico ainda explicou que a imunoterapia tem muito menos efeitos adversos. “É um tratamento mais tranquilo, com menos efeitos colaterais e vai permitir que aos poucos retorne às atividades normais”.

Diagnóstico

Covas foi internado no dia 23 de outubro no Hospital Sírio-Libanês para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer. O prefeito foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

O prefeito continuou no cargo durante o tratamento, despachando e fazendo reuniões de trabalho no próprio hospital, quando necessário.

Por Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil 

Bruno Covas faz hoje sexta sessão de quimioterapia

Por  Ludmilla Souza 

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, durante tratamento no hospital (Reprodução)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, iniciou na manhã desta quarta-feira (8), um novo ciclo de quimioterapia, no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. Covas faz tratamento contra um câncerdiagnosticado na região do estômago.

A equipe médica do hospital informou, em nota, que esse sexto ciclo também vai ter a duração de 30 horas, assim como os anteriores. A previsão de alta dependerá da avaliação da equipe médica após o tratamento. O prefeito está liberado para exercer suas funções durante a internação.

Tratamento

Bruno Covas foi internado no dia 23 de outubro no Hospital Sírio-Libanês para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer.

O prefeito foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

Covas deixa hospital após quinta sessão de quimioterapia

Por Bruno Bocchini



O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, recebeu alta hoje (27) do hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, onde estava internado desde ontem para fazer a quinta sessão de quimioterapia contra um câncer na região do estômago e esôfago. De acordo com boletim médico, Covas já está apto para voltar a exercer normalmente suas atividades na prefeitura. 

“O prefeito Bruno Covas, internado desde ontem, submeteu-se à quinta sessão de quimioterapia. Ele encontra-se em ótimo estado geral e, até o momento, não apresenta efeitos adversos. Ele já recebeu alta e está apto a exercer suas atividades”, diz o texto do boletim médico.

No dia 23 de outubro, Bruno Covas, de 39 anos, foi internado para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer.

Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

Sem sangramento, Bruno Covas segue internado

Por Camila Boehm



O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, continua internado para ajuste do medicamento anticoagulante. Segundo o boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, ele está em ótimo estado clínico, sem sinais de sangramento. Não há previsão de alta hospitalar.

Covas foi internado na última quarta-feira (11) na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) devido à ocorrência de um sangramento no fígado após procedimento para demarcação da lesão tumoral.

Na sexta-feira (13) o prefeito foi para a unidade semi-intensiva.

Tratamento

Bruno Covas foi internado no dia 23 de outubro no Sírio-Libanês para tratamento de uma erisipela.

Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer.

O prefeito foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

Robô é usado pela 1ª vez em cirurgia no interior de SP

Robô custou R$ 13 milhões. Paciente é um homem de 57 anos.

Paciente é um homem de 57 anos (Secretaria Estadual de Saúde/Reprodução)


Com câncer de próstata, um paciente de 57 anos foi o primeiro a ser operado nesta semana pelo robô Da Vinci Xi, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), vinculado à Universidade de São Paulo (USP). O equipamento foi adquirido recentemente pela instituição por cerca de R$ 13 milhões, com recursos da Secretaria Estadual da Saúde e da Fundação de Apoio à Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas (FAEPA).

O Da Vinci Xi é o modelo mais moderno que existe e o único no interior de São Paulo. Na cirurgia, ele foi controlado pelo professor da FMRP e cirurgião Rodolfo Borges dos Reis, que passou por treinamento nos Estados Unidos para comandar o robô – com quatro braços que realizam movimentos precisos e sensíveis. Em três deles, há pinças, tesouras e bisturis.

Esses braços mecânicos permitem movimentos difíceis de serem realizados por mãos e braços humanos. No outro, uma câmera potente entra no corpo e aumenta entre 10 e 15 vezes a visão do médico.

Manuseio

A movimentação dos instrumentos ocorre pelo manuseio de um comando muito parecido com joysticksde jogos no computador. À medida que move as mãos e os dedos, o robô reproduz os movimentos, mais finos e flexíveis, dentro do corpo e consegue acessar regiões mais difíceis para a mão humana. Detalhe: o corte é de oito milímetros.

“O Hospital das Clínicas prima pelo que tem de mais moderno em tecnologia. Sem dúvida, a aquisição do robô foi um grande passo. Com isso, poderemos oferecer essa inovação aos pacientes e promover o treinamento das equipes médicas, para que os profissionais saiam mais capacitados e com acesso às mais modernas tecnologias”, salienta o professor Rodolfo Borges dos Reis.

“As grandes vantagens da cirurgia robótica são menos sangramento e precisão maior das suturas intracorpóreas. Praticamente não tem hérnia e o é retorno mais rápido às suas atividades diárias, além de uma alta mais precoce”, completa o docente. Rodolfo Borges dos Reis estima uma cirurgia realizada por semana na unidade.

Áreas

Para o HC da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, a nova tecnologia colocada à disposição dos médicos representa um avanço para a capacitação dos profissionais e, especialmente, para o tratamento dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

“O robô terá atuação transversal. Várias áreas serão contempladas, entre elas, a urologia, que tem grande número de pacientes que podem se beneficiar, a ginecologia, cirurgia geral do sistema digestório, cirurgia de cabeça e pescoço e cirurgia torácica. Essas são as principais áreas”, completa o professor Rodolfo Borges dos Reis.

*Conteúdo do Governo do Estado de SP

Apesar da UTI, Covas tem ‘excelente estado clínico’

Por Elaine Patricia Cruz

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, durante tratamento no hospital (Reprodução)


Internado desde ontem (11) na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) , o prefeito de São Paulo Bruno Covas encontra-se hoje (12) em “excelente estado clínico”, disseram os médicos do Hospital Sírio-Libanês em boletim enviado à imprensa no meio desta tarde. O prefeito foi internado nessa quarta-feira por causa de um sangramento no fígado após procedimento para demarcação da lesão tumoral. 

Segundo os médicos, hoje Covas não apresenta sinais de sangramento, mas continuará internado na UTI para monitoramento contínuo. Além de procedimento para estancar o sangue, ele também se submeteu ontem à quarta sessão de quimioterapia para o tratamento que faz por causa de um câncer na região do estômago. 

Bruno Covas foi internado no dia 23 de outubro no Sírio-Libanês para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer. O prefeito foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

Segundo informações da prefeitura, apesar de estar na UTI, Bruno Covas manteve hoje a sua agenda de despachos no hospital. Duas das quatro agendas previstas para a tarde desta quinta-feira foram canceladas por ordem médica. As outras duas, disse a prefeitura, foram realizadas. 

Após sangramento no fígado, Bruno Covas está na UTI

Por Camila Boehm

(Arquivo/Eduardo Ogata/Fotos Públicas)


O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, foi internado nesta quarta-feira (11) na unidade de tratamento intensivo (UTI) do Hospital Sírio-Libanês devido à ocorrência de um sangramento no fígado após procedimento para demarcação da lesão tumoral. A internação tem como objetivo o monitoramento constante do paciente.

Bruno Covas faz tratamento contra um câncer diagnosticado na região do estômago.

De acordo com boletim médico, o sangramento foi controlado por arteriografia e embolização do foco de sangramento, procedimento considerado minimamente invasivo pelo hospital.

Tratamento

Bruno Covas foi internado no dia 23 de outubro no Sírio-Libanês para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer. O prefeito foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

Segundo o médico Roberto Kalil, integrante da equipe que acompanha Covas, a parte cardiológica está bem. “O estado geral do prefeito é ótimo, a parte cardíaca que tinha aqueles coágulos foi resolvida, o ecocardiograma está normal, e as notícias são extremamente otimistas”, afirmou.

O prefeito continuou no cargo durante o tratamento, despachando e fazendo reuniões de trabalho no próprio hospital. No dia 18 de novembro, ele voltou a despachar da sede da prefeitura.