Pelé, senhor negro, faz gesto com o punho cerrado para a câmera.

Pelé é internado para tratar câncer

Edson Arantes do Nascimento, o rei Pelé, foi internado novamente para dar continuidade ao tratamento de tumor de cólon.

Aos 81 anos, ele está internado no Hospital Albert Einstein, e deu entrada no último domingo (13) para uma nova sessão de quimioterapia.

Em uma publicação nas redes sociais, o ex-jogador confirmou sua ida ao hospital e agradeceu pelas mensagens de carinho. Pelé afirmou também que iria acompanhar o Super Bowl.

“Amigos, como tenho feito mensalmente, eu estou indo para o hospital continuar meu tratamento. Tomara que tenha pipoca, para assistir ao Super Bowl logo mais”, afirmou o jogador.

Pelé deu entrada no Einstein no dia 19 de janeiro de 2022 para exames de rotina. De acordo com a assessoria do ex-jogador, ele saiu da unidade no dia 20 e estava bem.

Em dezembro de 2021, o Rei do Futebol ficou internado por 17 dias para tratamento do tumor e sessões de quimioterapia. Na época, o jogador apresentou dificuldade com alimentação. Pelé foi liberado para passar as festas de fim de ano com a família, no Guarujá.

Tiago Leifert e Daiana Garbin grávida posam para foto. Daiana está com a barriga exposta, com as duas mãos enconstadas na parte de baixo da barriga.Tiago apoia um dos braços no ombro da esposa e a outra mão mantem no bolso da calça.

Filha de Tiago Leifert e Daiana Garbin está com câncer

Tiago Leifert e Daiana Garbin anunciaram neste sábado (29) que a filha do casal, Lua, está com retinoblastoma, um tumor que ataca os olhos. O apresentador ainda revelou que o tratamento do câncer foi o motivo de sua saída do programa “The Voice Brasil“.

“É um câncer que acontece nas células da retina. Elas acabam tendo um crescimento desordenado e formando tumores. No caso da nossa filha, é bilateral. É muito difícil descobrir esse câncer e é por isso que estamos gravando esse vídeo”, explicou Daiana através de sua conta no Instagram.

O casal conta que a doença foi descoberta por “sorte”, após Tiago perceber um movimento “irregular” dos olhos da criança.

Tiago Leifert e Daiana Garbin grávida posam para foto. Daiana está com a barriga exposta, com as duas mãos enconstadas na parte de baixo da barriga.Tiago apoia um dos braços no ombro da esposa e a outra mão mantem no bolso da calça.
(Rede Social/via TV Cultura)

“A gente nunca imaginou que algo estivesse impedindo a visão dela”, disse a mãe. Segundo o pai, Lua está “ótima” e é “a melhor da família”.

Lua aparece alegre no vídeo feito pelos dois, e o jornalista aponta que ela não está sofrendo os efeitos graves da quimioterapia pois o tratamento para este caso específico é realizado através de um cateterismo, que consegue evitar que os remédios cheguem em grande quantidade na circulação sanguínea.

Apesar de, inicialmente, ambos concordarem em preservar o caso e a família, a opinião mudou, e agora eles tentam alertar as famílias para o problema e conscientizar os pais. “Depois da última químio, a gente começou a mudar de opinião. Queremos dividir tudo que a gente sabe hoje com você que está cuidando de um bebê”, concluiu Tiago.

Montagem com três fotos da cadela hope, de pelos amarelos claros. Recebendo carinho de uma paciente jovem sem cabelos, parada sobre a cama tendo ao fundo um homem de toca e máscara e parada no meio do corredor, de lenço no pescoço e com um balão de ar em formato de coração vermelho preso à coleira flutuando.

Cadela Hope volta a atuar no Instituto Nacional do Câncer

Pacientes e funcionários da Seção de Pediatria do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) comemoraram a volta ao trabalho de uma de suas terapeutas. Hope, a cadelinha que ajuda a promover a Terapia Assistida por Animais no instituto, retomou as atividades este mês, após quase dois anos afastada, devido aos cuidados com a segurança hospitalar durante a pandemia de covid-19. 

Hope fará atendimento semanal às crianças e adolescentes que estão em tratamento oncológico, depois da autorização da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Inca.

Joana Katelin Silva de Souza, mãe do pequeno Levi Emanuel, contou que ele conheceu a cadelinha em 2019, quando se internou no Inca pela primeira vez, com um ano e três meses de idade, para se tratar de uma má formação linfática.

Montagem com três fotos da cadela hope, de pelos amarelos claros. Recebendo carinho de uma paciente jovem sem cabelos, parada sobre a cama tendo ao fundo um homem de toca e máscara e parada no meio do corredor, de lenço no pescoço e com um balão de ar em formato de coração vermelho preso à coleira flutuando.
Animais ajudam na terapia de pacientes do INCA (INCA/via Agência Brasil)

“Ele ficou apaixonado pela Hope e eu acredito que seja assim com todas as crianças. Ela traz um benefício maravilhoso para as crianças em tratamento; eu acredito nisso. Traz alegria para o hospital. Ela é maravilhosa; é linda. Encanta todo mundo, não só os pacientes,como os pais também. A vinda dela, o retorno, vai ajudar as crianças que estão aqui, que permanecem e precisam de todo esse carinho, de todo esse suporte”, afirmou Joana.

A Terapia Assistida por Animais foi implementada na Seção de Pediatria do instituto em abril de 2019 e, desde então, vem sendo importante auxilio no desenvolvimento emocional dos pacientes e na promoção do bem-estar. Hope é da raça Golden Retrivier e tem três anos.

Ações essenciais

A médica oncopediatra Bianca Santana, tutora e responsável pelo trabalho do animal no Inca, informou que durante o período em que ficou longe das atividades, a cadela continuou cumprindo ações essenciais para manter a rotina saudável, entre as quais passeios e aulas de adestramento diários e sessões de fisioterapia na hidroesteira, uma vez por semana.

“Além de muito dócil, Hope recebe adestramento específico para o trabalho desde os primeiros meses de vida. Tanto empenho e cuidado na criação é recompensado quando observamos que a presença dela ajuda a aliviar o estresse e traz mais leveza para o ambiente do hospital”, disse Bianca.

As visitas de Hope seguem rigorosas normas de higiene, como vacinação e vermifugação em dia, consultas periódicas ao veterinário. Além disso, antes de ir ao hospital, a cadelinha toma banho, faz limpeza das patas e escova os dentes. O adestrador André Donza, que acompanha o animal, também cumpre regras sanitárias como apresentar comprovante da vacina contra a covid-19, usar máscara N95 e, o mais importante, evitar o contato físico com os pacientes e funcionários.

A chefe da Seção de Pediatria, Sima Ferman, afirmou que o projeto de pet terapia é um trabalho bem elaborado e com todos os cuidados necessários. “A visita da Hope é uma experiência enriquecedora e importante dentro da estratégia de atendimento integral aos pacientes”, afirmou.

Por Alana Gandra, da Agência Brasil

Rita Lee é diagnosticada com tumor primário no pulmão

Rita Lee é diagnosticada com tumor primário no pulmão

Rita Lee foi diagnosticada com tumor no pulmão esquerdo, após passar por exames de rotina. A informação foi divulgada pela equipe da cantora nesta quinta-feira (20).

Comunicado

“Nossa Rita submeteu-se a um check-up no Hospital Israelita Albert Einsten, em São Paulo. Os exames apontaram um tumor primário no pulmão esquerdo”, diz o comunicado publicado no Instagram.

“Bem assistida por uma junta médica, formada pelo Dr. Óren Smaletz, Prof. Dr. José Ribas M. de Campos, Dra. Carmem Silvia Valente Barbas e Dr. Ícaro Carvalho, já se encontra em casa, e dará sequência aos tratamentos de imuno e radioterapia. Agradecemos as orações e a Luz Divina”.

Confira íntegra da nota no perfil de Rita Lee:

Familiares, amigos e fãs comentaram a publicação mandando mensagens de apoio para a cantora de 73 anos.

Beto Lee, filho mais velho de Rita, comentou no post com: “We will survive” (nós vamos sobreviver). Já João, filho do meio, falou: “Juntos e fortes”.

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre de câncer aos 41 anos

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre de câncer aos 41 anos
Reeleito em 2020 para a prefeitura de São Paulo, Bruno Covas enfrentava câncer desde 2019; deixa um filho(Divulgação)

Morreu na manhã deste domingo (16), às 8h20, Bruno Covas, prefeito de São Paulo, aos 41 anos. Ele enfrentava um tumor no trato digestivo e teve novo nódulo diagnosticado no fígado neste ano, além de pontos de câncer nos ossos.

Covas pediu licença do cargo de prefeito no último dia 2 para prosseguir com tratamento do câncer. O comando da cidade foi assumido pelo vice, Ricardo Nunes (MDB). Já no dia 3, foi intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio-Libanês, onde realiza tratamento desde a descoberta da doença. Ele apresentou um sangramento no estômago, causado por uma úlcera em cima do tumor original na cárdia, passagem do esôfago para o estômago. Chegou a ser extubado no mesmo dia. Contudo, um novo sangramento também foi evidenciado no dia 6.

O prefeito teve uma piora considerável em seu quadro clínico nesta sexta-feira (14) e entrou em estado grave.

Histórico da doença

Em outubro de 2019, o prefeito Bruno Covas descobriu um tumor no trato digestivo. Com quimioterapia, ele conseguiu retirar a metástase do fígado, mas ainda tratava as células cancerígenas que apareceram na cárdia, que fica entre o esôfago e o estômago.

Com o tratamento, essa parte do tumor também foi eliminada. Entretanto, exames médicos realizados em fevereiro de 2021 indicaram que o fígado voltou a apresentar nódulos.

Em abril de 2021, novos pontos de câncer no fígado e nos ossos foram diagnosticados durante exames de controle. As lesões ocasionaram acúmulo de líquido nos pulmões e na região abdominal. Com a piora, o prefeito passou a receber suplementação alimentar por uma sonda.

Trajetória política

Neto do ex-governador de São Paulo Mário Covas, Bruno Covas se formou em Direito pela Universidade de São Paulo e em Economia pela Pontifícia Universidade Católica. Filiado ao PSDB desde 1998, foi Deputado Estadual, Secretário Estadual do Meio Ambiente e Deputado Federal até chegar à prefeitura da capital paulista como vice-prefeito de João Doria. Após Doria deixar a ocupação para concorrer ao governo do estado em 2018, Bruno Covas assumiu o cargo de prefeito de São Paulo e foi reeleito em 2020.

Mesmo passando pelo tratamento de quimioterapia, Bruno Covas continuou trabalhando na prefeitura da capital.

*Com informações da Tv Cultura

Com sangramento, Covas é transferido para UTI

Autoridades lamentam morte de Bruno Covas

De clubes de futebol a autoridades do poder Judiciário e celebridades. A morte do prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, comoveu o país. Bruno lutava contra o câncer e teve o quadro agravado na última semana, o que levou os médicos a declararem que não havia mais o que fazer.

A morte foi confirmada na manhã de hoje (16).

Veja abaixo como as personalidades reagiram a morte de Covas.

Presidente da República

Judiciário

Ex-Presidentes da República

https://twitter.com/FHC/status/1393966272912805898

Futebol

Senadores

Deputados

Governadores

Ministro de Estado

Políticos

Celebridades

*Atualizada às 16h55 para incluir novas manifestações

Eva Wilma morre aos 87 anos, em São Paulo

Eva Wilma morre de câncer aos 87 anos, em São Paulo

Morreu neste sábado (15) a atriz Eva Wilma, aos 87 anos. Ela enfrentava um câncer de ovário que motivou quadro de insuficiência respiratória.

Eva Wilma estava internada na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde 15 de abril para tratar problemas no coração e nos rins.

Bailarina desde criança, Eva Wilma entrou para o mundo da atuação aos 18 anos, quando recebeu proposta para fazer filmes e participar do Teatro de Arena. Estreou na televisão em 1953, no seriado ‘Alô, Doçura’. Em seguida, atuou em novelas como ‘Meu Pé de Laranja Lima’ e ‘Mulheres de Areia’. Seu último trabalho nas telinhas foi na novela ‘O Tempo Não Para’, de 2019.

*Com informações da Tv Cultura

Bruno Covas tem quadro irreversível, dizem médicos

Bruno Covas, prefeito licenciado de São Paulo (Divulgação)

Bruno Covas, prefeito licenciado de São Paulo, apresentou piora e o quadro já é considerado irreversível pela equipe médica que trata o político. A informação foi confirmada em boletim médico emitido às 19h30 de hoje (14).

Mais cedo, a Band havia noticiado que a situação de Covas era grave. Segundo o boletim, assinado pelos médicos Luiz Francisco Cardoso e Ângelo Fernandes, ele permanece em um quarto do hospital, acompanhado por familiares, sedado e recebendo medicamentos analgésicos.

Covas pediu licença do cargo de prefeito no último dia 2 para prosseguir com tratamento contra o câncer. No dia 3, o político foi intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio-Libanês, onde realiza tratamento desde a descoberta da doença.

Covas apresentou um sangramento no estômago, causado por uma úlcera em cima do tumor original na cárdia, passagem do esôfago para o estômago. Um novo sangramento também foi evidenciado no dia 6. 

A doença

Em outubro de 2019, o prefeito licenciado descobriu um tumor no trato digestivo. Com quimioterapia, ele conseguiu retirar a metástase do fígado, mas ainda tratava as células cancerígenas que apareceram na cárdia, que fica entre o esôfago e o estômago.

Com o tratamento, essa parte do tumor também foi eliminada. Em fevereiro deste ano, entretanto, os exames médicos do prefeito indicaram que o fígado voltou a apresentar nódulos.

*Com TV Cultura

Com sangramento, Covas é transferido para UTI

Com sangramento, Covas é transferido para UTI

Bruno Covas teve de ser transferido para a unidade de tratamento intensivo nesta segunda-feira.(Arquivo)

Em tratamento contra um câncer desde 2019, o prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, está internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, na capital paulista. De acordo com boletim médico enviado à imprensa no início da tarde de hoje (3), Bruno Covas foi submetido a uma intubação orotraqueal e está recebendo as medidas de suporte clínico.

O prefeito foi internado ontem (2) no hospital para fazer exames de rotina de sangue, de imagem e endoscópios. A endoscopia mostrou um sangramento no local do tumor inicial e os médicos decidiram interná-lo em uma UTI.

Ainda de acordo com o boletim, o sangramento está sendo controlado com medidas de hemostasia local.

Licença

Ontem (2), o prefeito decidiu solicitar um licenciamento da prefeitura pelo período de 30 dias para poder se dedicar exclusivamente ao tratamento médico contra o câncer. O pedido de licenciamento foi encaminhado hoje à Câmara Municipal. Nesse período, o cargo será exercido pelo vice-prefeito, Ricardo Nunes.

Em um comunicado assinado ontem pelo prefeito, também publicado em suas redes sociais, ele diz: “nesses últimos meses, a vida tem me apresentado enormes desafios”.

“Tenho procurado enfrentá-los com fé, de cabeça erguida e com muita determinação. Assumi um compromisso com a cidade e sua população e tenho sido o mais transparente possível com a situação da minha saúde e com as etapas do meu tratamento”, escreveu.

“Tenho seguido à risca as orientações da equipe médica e venho trabalhando em regime de teletrabalho, ao longo desses últimos dias, contando com a dedicação e empenho de nossa equipe. Mas agora, diante dos novos focos da doença, meu corpo está exigindo que eu dedique mais tempo ao tratamento, que entra em uma fase muito rigorosa”, escreveu o prefeito, ao justificar o seu pedido de licenciamento do cargo.

Histórico

Bruno Covas faz tratamento contra um câncer desde outubro de 2019, quando ele foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos. Após o diagnóstico, ele iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia.

Em fevereiro do ano passado, exames demonstraram regressão da lesão esôfago-gástrica e da lesão hepática, mas uma biópsia detectou que o câncer nos linfonodos ainda persistia e os médicos decidiram então iniciar uma nova fase de tratamento, baseado em imunoterapia, uma estratégia que permite ao próprio sistema imune do paciente combater a doença. Exames feitos pelo prefeito em abril de 2020 demonstraram controle da lesão em linfonodos.

Já neste ano, em fevereiro, Covas passou por um novo tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. E em meados de abril, exames de controle demonstraram novos pontos da doença no fígado e nos ossos. Com isso, os médicos decidiram dar continuidade ao tratamento com quimioterapia, além de imunoterapia. No dia 27 de abril, ele recebeu alta do hospital. Mas ontem ele voltou a ser internado.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Com sangramento, Covas é transferido para UTI

Bruno Covas recebe alta após 12 dias internado

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, recebeu alta hoje (27) após passar 12 dias internado fazendo tratamento contra o câncer no hospital Sírio Libanês, na capital paulista. A partir de agora, Covas passará a realizar aplicações de quimioterapia, com duração de 48 horas, a cada duas semanas. O tratamento do prefeito é complementado com imunoterapia.

“A internação acabou se prolongando devido ao acúmulo de líquido no espaço entre os pulmões e a pleura, dentro da caixa torácica. O prefeito foi submetido a drenagem pleural e seu quadro evoluiu com sucesso, com redução do líquido e melhora clínica”, diz o texto do boletim médico divulgado.

Segundo os médicos que cuidam do prefeito, Covas está apto a fazer atividades pessoais e profissionais, porém sem participar de agendas públicas.

O prefeito trata, desde outubro de 2019, um adenocarcinoma, tipo de câncer maligno, situado na região da cárdia – válvula que controla o acesso do esôfago e do estômago. Por meio de tomografia computadorizada, também foi descoberta uma metástase no fígado e uma lesão em um linfonodo. Exames recentes apontaram que a doença atingiu também os ossos do político.

Por Bruno Bocchini, da AgÊncia Brasil