Com baixo custo, aplicativo de delivery é opção na Feira do Empreendedor

(Divulgação)


Com foco nas periferias e cidades do interior, o aplicativo de delivery gastronômico Ceofood realiza uma ação de desconto para atrair franqueados durante a Feira do Empreendedor 2019, que ocorre de 05 a 08 de outubro, no Parque Anhembi. A marca é associada da ABF – Associação Brasileira de Franchising, está presente em 21 Estados, 210 municípios e já tem 215 operações espalhadas pelo país, vai oferecer desconto de R$2.990 na taxa de franquia para 100 candidatos dispostos a se dedicar de forma exclusiva ao negócio.

“Esse subsídio é uma forma de incentivar o novo franqueado, já que o empenho dele lá na ponta, apresentando o aplicativo para os comerciantes do bairro, é o que vai garantir o sucesso da operação”, comenta Kawell Lotti, fundador da Ceofood.

Com o modelo ‘home based’, os franqueados Ceofood atuam na prospecção de novos estabelecimentos para o aplicativo e recebem um percentual em cima do valor pago pelos restaurantes. Diferentemente de outros aplicativos concorrentes, o Ceofood não cobra nenhuma taxa sobre compras realizadas por consumidores. O comerciante paga, apenas, uma mensalidade fixa que varia de R$99 a R$ 149.

“O aplicativo é muito democrático e se tornou acessível aos pequenos negócios, estimulando as vendas por meio da tecnologia”, diz.

A plataforma de gastronomia atua no franchising desde 2018 e está disponível gratuitamente para Android e iOS. O investimento inicial é de R$5.990, com prazo de retorno de até 12 meses e lucratividade de 50%.

5 franquias que custam menos que viajar para a Disney

Governador de São Paulo, João Doria, participou da abertura da ABF Franchising Expo 2019, em São Paulo (SP Agora)

Visitar a Disney é um sonho de muitos brasileiros. O ambiente mágico criado pelos filmes faz com que crianças e adultos alimentem esse desejo de conhecer os parques que ficam em Orlando, nos Estados Unidos.

Contudo, o preço pode fazer diferença na hora de decidir pela viagem ou por outros planos. Com esse valor é possível, inclusive, uma mudança de rumo na carreira ou na criação de uma nova fonte de renda.

Uma viagem para a Disney inclui, além das passagens aéreas e hospedagem, alimentação, compra de produtos, aluguel de carro e ingresso nas atrações. Um pacote de 10 dias para uma família com quatro pessoas, sendo dois adultos, um adolescente e uma criança, com ingresso em oito parques, sai, em média, R$ 50 mil*.

Com o mesmo valor, é possível ser um microfranqueado, sob a chancela de uma marca já estabelecida no mercado. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o Brasil tinha 589 empreendimentos classificados como microfranquias em 2018. Microfranquias são caracterizadas por modelos de negócio que tem investimento total inicial abaixo de R$ 96 mil. Esse valor é alterado todo ano, já que é vinculado ao Produto Interno Bruto (PIB).

*Cálculo realizado no site Decolar.com no dia 14/06/2019. Viagem projetada entre os dias 1 e 11 de julho, partindo do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Despesas Custo
Pacote incluindo passagens ida e volta + hospedagem R$ 26.472
Entrada para oito parques R$ 15.444
Carro alugado por 10 dias R$ 1.392
Alimentação para 10 dias (cálculo de US$ 25 por pessoa por dia): R$ 3.893,20
Compras, souvenires, gastos e taxas não inclusos entre R$ 6 mil e R$ 10 mil

Veja cinco marcas que participam da ABF Franchising Expo 2019, com investimento inicial de até R$ 50 mil reais ou menos:

Vazoli

(Passo Avanti/Divulgação)

Fundada em 2008 na cidade de Severínia, localizada no interior do estado de São Paulo, a Vazoli foi fundada pelo casal Sibele e Eric Vaz de Lima. Um dos principais diferenciais da empresa é prestar uma verdadeira consultoria financeira para cada cliente, apontando a melhor opção de crédito disponível para cada caso. A franquia, fundada por Sibele e Eric Vaz de Lima, movimentou, em 2018, um montante de R$ 400 milhões.

A Vazoli conta com 106 unidades no país distribuídas em 20 estados. O investimento indicado para abertura do negócio é de R$ 50 mil com previsão de retorno entre oito e quinze meses.

Ficha Técnica

  • Fundação (ano): 2008
  • Início da franquia (ano): 2011
  • Total de lojas: 106
  • Investimento inicial: de R$ 50 mil (incluindo taxa de franquia, capital para instalação e capital de giro)
  • Taxa de franquia: R$ 25.000,00 (Para cidades com até 50 mil habitantes)
  • Capital de giro: R$ 10.000,00
  • Royalties: 1 salário mínimo
  • Taxa de publicidade: 1/3 salário mínimo
  • Área mínima: 25 m²
  • Nº de funcionários: 2
  • Faturamento Bruto médio mensal: de R$ 150 mil a R$ 200 mil
  • Faturamento 2018: R$ 400 milhões
  • Lucro médio mensal: Média de 12%
  • Prazo de retorno: de 8 a 15 meses

Ceofood

(Divulgação)

Lançado em 2017, o Ceofood é um aplicativo de delivery focado em cidades pequenas e regiões de periferia que opera por meio de franquias. Na prática, o franqueado atua com a prospecção de restaurantes e outros estabelecimentos para o aplicativo. O lucro vem dos valores mensalmente pagos pelos comerciantes. Além disso, o aplicativo conta com funcionalidades voltadas para pequenos negócios e varejistas.

São 105 unidades em operação atualmente. O valor de investimento parte de R$7.990 com tempo de retorno previsto para dez meses.

Ficha Técnica

  • Investimento Inicial: R$7.990,00
  • Taxa de franquia: R$5.990,00 (R$ 2.000,00 capital de giro)
  • Adequação do espaço: home based
  • Área média para Instalação: home based
  • Tipo de negócio: Eletrônicos e Informática – Aplicativo Delivery Gastronômico
  • Ano de fundação: 2017
  • Ano de entrada no franchising: 2017
  • Número de unidades próprias: 4  (2 São José do Rio Preto e 2 em São Paulo)
  • Número de unidades franqueadas em operação: 25
  • Número de unidades totais (em operação + contratos fechados): 25
  • Número de funcionários: home based
  • Royalties: R$300,00 mínimo fixo ou 15% sobre o faturamento, prioridade maior valor.
  • Taxa de publicidade: não cobramos
  • Faturamento médio por unidade: R$ 4.500,00
  • Lucro médio da unidade em %: 50%
  • Prazo médio para retorno: 06 a 10 meses

Nutrimais

(Divulgação)

Nutrimais é a primeira e maior rede de franquias de agronegócios na área de saúde animal. Fundada em 2012, a empresa conta com 300 franqueados em diversas regiões do Brasil. A rede comercializa alimentos para diferentes tipos de animais rurais, como bovinos, equinos, ovinos, caprinos, suínos e aves. Enriquecidos com probióticos, prebióticos e com fontes de proteína e energia, esses produtos contribuem para o equilíbrio do metabolismo do rebanho, promovendo um melhor aproveitamento dos nutrientes.

As unidades possuem valor de investimento inicial, de R$ 35 mil, já inclui uma tonelada de produto para iniciar o negócio. O prazo médio de retorno é a partir de seis meses e cada unidade possui um faturamento médio de R$ 20 mil, com lucratividade de 20% para o franqueado.

Ficha Técnica:

  • Investimento inicial: R$ 35.000,00 (a partir)
  • Taxa de franquia: R$ 35.000,00
  • Capital de Giro: 30% do investimento
  • Número de unidades próprias: 1
  • Número de unidades franqueadas em operação: 300
  • Royalties: R$ 498,00 (Fixo)
  • Faturamento médio por unidade: R$ 20.000,00
  • Lucratividade: 25% média
  • Prazo médio para retorno: a partir de 6 meses
  • Ano de fundação: 2012
  • Ano de entrada no franchising: 2017

Ótris

(Divulgação)

Criada em 2010 pelo administrador Caio Katayama, a Ótris Soluções Financeiras é uma empresa que atua em recuperação de valores devidos por inadimplentes para pequenos e médios negócios. Desde a sua criação, a rede já recuperou mais de R$ 4 milhões. Como modelo de baixo investimento, a marca disponibiliza a nanofranquia, com valor de investimento inicial é de R$ 10 mil e a previsão média para o retorno é de quatro meses.

Ficha Técnica:

  • Valor total do investimento (médio): R$10 mil
  • Qual o faturamento mensal (médio): R$5 mil
  • Capital de giro médio: R$ 1 mil
  • Qual a lucratividade média do negócio?: R$ 81 mil ao ano. R$ 6.750,00 ao mês
  • Área média para instalação do negócio: Home Office
  • Prazo médio de retorno do investimento: 4 a 5 meses
  • Taxa de royalties: R$200,00
  • Número médio de funcionários(operadores): 1 (Franquia em Home Office)
  • Taxa de publicidade: Não há.

Consulting Now

Franquia foi criada por empresa que atua há mais de vinte anos no mercado (Divulgação)

A Consulting Now estabeleceu como foco de expansão as cidades com mais de 200 mil habitantes. A franquia de Consultoria e Gestão Empresarial foi criada pela InterMaster, marca que está no mercado há 25 anos e já colaborou para o desempenho positivo de mais de 200 empresas, dos segmentos de indústria, comércio e serviço.

A consultoria atua na implantação de procedimentos que levam a melhor lucratividade, aumento de vendas, redução de custos, dentre outras ações.

No mercado de franchising desde 2017, a rede tem 10 unidades em operação, nos estados de São Paulo e Rio Grande do Norte. Para ser um franqueado, o interessado deve desembolsar a partir de R$ 49 mil (investimento inicial). Com faturamento médio, mensal, de R$ 45 mil, o prazo de retorno é estimado em oito meses.

Ficha técnica

  • Ano de Fundação: 2017
  • Ano no Franchising: 2017
  • Formatos oferecidos: Formato único.
  • Unidades Próprias: 1
  • Unidades Franqueadas: 9
  • Investimento total: A partir de R$ 49 mil
  • Taxa de Franquia: R$ 44 mil
  • Capital de giro: R$ 5 a R$ 10 mil
  • Área média para instalação: A partir de 30m². Preferimos formato Coworking.
  • Quantidade de funcionários: Franqueado Consultor + 1
  • Royalties: 15% Faturamento Bruto
  • Taxa de Publicidade: Não há
  • Faturamento estimado (R$): R$ 45 mil
  • Lucratividade: 50%
  • Prazo de Retorno Médio (meses): 8 meses

Cinco aplicativos que conectam prestadores de serviços e clientes

A chegada dos smartphones, sem dúvida, revolucionou a forma como as pessoas tratam de diversos assuntos. Aplicativos de bate-papo, delivery e outros serviços caíram no gosto 

dos usuários e começaram a mudar, inclusive, a forma como as pessoas buscam e oferecem trabalho. 

Um dos exemplos é o Sem Patrão, uma plataforma que conecta prestadores de serviços a clientes. O aplicativo conta com mais de 400 categorias profissionais e não cobra taxas dos usuários e dos profissionais.  

Além do Sem Patrão, outras plataformas também foram criadas ao longo dos anos e se revelaram como alternativa para quem está desempregado ou quer obter uma renda extra. 

De acordo com dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mais de 13 milhões de brasileiros ainda estão sem emprego. Além disso, o nível de endividamento das famílias subiu para 25% em março, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).  

A partir disso, ferramentas que dão a opção para obter uma renda extra ou mesmo trabalhar como autônomo são uma alternativa viável para quem precisa de dinheiro. 

Abaixo, confira cinco opções de aplicativos que conectam prestadores de serviços e clientes:

Sem Patrão

O aplicativo permite que os usuários busquem os serviços que desejam de acordo com a localização. São mais de 400 categorias profissionais que vão de reforma e reparos até beleza e ginástica. Na ferramenta é possível cadastrar número de telefone, e-mail, forma de pagamento e locais nos quais atende.  Além disso, tanto o usuário quanto o prestador da mão de obra não pagam nenhuma taxa para utilizar o aplicativo. A gratuidade, porém, é temporária. 

Disponível para Android e iOS

Ceofood

Com sistema de geolocalização do celular, o Ceofood permite que donos de restaurantes e negócios de alimentação ofereçam seus produtos na região em que atuam. Na contramão de aplicativos que cobram um percentual sobre a venda, o Ceofood trabalha com mensalidades fixas que partem de R$49,99. Além disso, a empresa lançará em breve um serviço exclusivo para trabalhadores autônomos. 

Disponível para Android e iOS

EasyDeliver

A ferramenta funciona como uma intermediária para a contratação de motoboys. O processo de utilização é simples: o motoboy deve baixar o aplicativo e fazer um cadastro. A partir disso, passará a receber solicitações de entrega e pode decidir se aceita ou não a corrida. Caso aceite, deverá retirar a encomenda no ponto indicado pelo contratante. A entrega é registrada via aplicativo e o valor de frete é recebido no momento da retirada com o cliente.  Os profissionais também são avaliados dentro da plataforma. 

Disponível para Android

Trinks

O Trinks é uma plataforma que permite o agendamento online de serviços de estética variados. O aplicativo já foi baixado por mais de 100 mil pessoas e conta com mais de 16 mil estabelecimentos cadastrados. Para oferecer os serviços, basta que o profissional se cadastre no site. Os planos partem de R$40 mensais. 

Disponível para Android e iOS

99 – Carro Particular e Taxi

Plataforma de serviços de motoristas particulares, a 99 permite que pessoas habilitadas ofereçam este tipo de trabalho. Basta instalar o aplicativo no celular e fornecer os dados cadastrais, entre eles, as informações da CNH para poder dirigir.  

Disponível para Android e iOS

Dia do Amigo: veja sócios que fizeram da amizade sucesso nos negócios

O Brasil tem 25,4 milhões de pessoas que são donas de negócios, sendo que 4,8 milhões são empreendedores do estado de São Paulo, 19% do total, segundo o Panorama dos Pequenos Negócios do Sebrae. O levantamento não indica quantos desses empresários tocam seus negócios em sociedade, mas o Sebrae calcula que duas em cada dez empresas são administradas por mais de um familiar, sem considerar a quantidade de amigos que empreendem juntos.

Ter um amigo na administração de uma empresa pode ser positivo, mas também há riscos, como alerta o especialista em franquias e varejo, José Carlos Fugice, que enxerga “mais desvantagens do que vantagens em sociedades entre amigos”. Para ele, é preciso separar a amizade do negócio e isso nem sempre é fácil.

“Se você tem opiniões profissionais divergentes do seu amigo, pode ser que ele entenda isso como pessoal. No final do dia, todo profissional é uma pessoa, então é comum que as pessoas confundam isso”, explica.

Fugice destaca que antes de abrir a empresa é preciso definir qual vai ser o papel de cada um na sociedade e colocar tudo no papel. Assim, é possível evitar conflito na hora de tomar decisões e também cumprir com as responsabilidades dos sócios.

“É muito importante decidir o ‘border line’ para que essa relação consiga fluir de forma saudável e que, de fato, ambos consigam colher frutos bons desse empreendimento”.

O especialista também vê pontos positivos. Por ter intimidade com o sócio, o relacionamento pode ser mais flexível.

“Para ter um sócio, um valor essencial é ter confiança mútua entre eles, para que o negócio possa fluir e caminhar no sentido desejado”.

Abaixo, listamos alguns exemplos de negócios que prosperaram nas mãos de amigos.

Marcos e Pedro, da Franquia de Precatórios (Divulgação)

 

Franquia de Precatórios e Franquia Tributária

Pedro Corino é fundador da Sociedade São Paulo de Investimentos, uma das maiores empresas de compra, venda e investimentos em precatórios e direitos creditórios, mas a transformação do negócio em franquia só veio com a chegada de seu amigo e administrador, Marcos Rozzato.

Juntos, a dupla fundou a Franquia de Precatórios, rede que trabalha a compra de precatórios e já conta com mais de 130 unidades pelo país. Fato interessante nesta história é a chegada de um terceiro amigo e a criação de mais um negócio. Os dois sócios se juntaram ao advogado Cristiano Maciel Carneiro Leão e, desta união, surgiu a Franquia Tributária, que trabalha venda de precatórios e direitos creditórios a empresas.

“Trazer para dentro do ambiente corporativo a ideia que é própria da amizade é muito bom. O amigo está lá no tempo bom e no tempo ruim, que ótimo seria se toda sociedade fosse assim”, comenta Cristiano a respeito do lado bom de se trabalhar com amigos.

Corino ressalta um dos pontos de atenção no trabalho entre amigos. “Quando se trata de um assunto mais grave o lado pessoal acaba entrando. Trabalho com amigos e família, então separo bem. Após uma cobrança, um amigo pode ficar mais chateado que um funcionário, que não levaria para o lado pessoal”.

 GOU Odonto

Fundada em 2010, a GOU Odonto é uma rede de franquia odontológica que possui atualmente mais de 110 clínicas em funcionamento no país. Os serviços oferecidos vão desde tratamentos ortodônticos até estéticos, inclusive clareamentos com resultados em até três sessões, focados para as classes C e D.

Com um faturamento de R$ 50 milhões, a rede pretende abrir cerca de dez novas unidades, todas próprias, e mais 20 franquias em 2018. O negócio surgiu após Bruno Magalhães, formado em relações internacionais, notar que os consultórios de dois amigos dentistas, Paulo Sergio de Queiroz Gehrke e Celso Kasuo Minomi, tinham muitos clientes e pouca produtividade.

A união entre eles acabou com algumas premissas das clínicas tradicionais, que resultou em um novo modelo de negócio que permitiu atendimento mais rápido, sem perder a qualidade dos serviços.

Atualmente, são mais de 100 unidades da marca espalhadas pelo Brasil.

TFlow

A TFlow, rede de franquias de vestuário masculino, foi criada em 2012 por Luã Vignoli. Inicialmente, as peças eram vendidas em lojas multimarcas. Com o sucesso das vendas, Luã decidiu expandir. Sem conhecimento no mercado de franquias, procurou um grande amigo, Fernando Russo, e juntos franquiaram a marca.

Com o conhecimento comercial de Fernando e as criações de Luã, a rede fatura hoje mais de R$ 1 milhão e já vestiu celebridades como Fernando & Sorocaba; Jorge & Mateus e Matheus & Kauan.

“Trabalhar com aquilo que nos identificamos já é muito prazeroso, mas quando você chega à empresa e vê pessoas de confiança, amigos de tempos trabalhando com você, fazendo parte de todo processo, é fantástico”, conta Luã, sócio da TFlow.

SuperSeg Brasil

A SuperSeg Brasil é uma franquia especializada em segurança eletrônica que surgiu da amizade entre Heverton Guimarães e Evandro Machado. Heverton já trabalhava no ramo e Evandro tinha formação em marketing, sendo que a união dos dois permitiu a criação de uma empresa que faturou R$ 12 milhões em 2017.

“Ter um laço de amizade com o sócio lhe permite ter o dia a dia fluindo mais agradável e, de quebra, ainda ter com quem dividir as alegrias do resultado obtido”, desta Evandro.

Heverton, Evandro e Helton, sócios na SuperSeg Brasil (Léo Barrilari/Superseg)

Com a chegada de outro sócio, Helton Cézar, a rede entrou para o franchising em 2016 e já tem sete unidades em funcionamento, além de outras seis em negociação. A meta é atingir 30 lojas da SuperSeg até o final do ano, com foco nos estados do sudeste do Brasil.

“Acho que para a maior parte das sociedades as coisas acabam se confundindo, mas, se os amigos estiverem com os objetivos apontados para o mesmo alvo, só vejo vantagens”, finaliza.

Ceofood

Lançada em março de 2018, a Ceofood é uma franquia de aplicativo de delivery gastronômico focada em periferias e cidades do interior. A rede foi fundada por Kawel Lotti e Carlos Cipriano, amigos há mais de 15 anos.

Eles se conheceram ao trabalhar em outras empresas e decidiram empreender juntos.  “A amizade é tão forte que conseguimos repassar isso para o negócio e, em menos de seis meses, a Ceofood atingiu mais de 80 unidades franqueadas”, comemora Kawel.

Cada franqueado responde por uma região e tem como missão atrair restaurantes, que pagam mensalidade para estar no aplicativo. Com modelo exclusivamente home based, a franquia é ideal  para aqueles que buscam uma maior versatilidade de horários e qualidade de vida.

PremiaPão

Criada em 2015, por Raphael Mattos, Diego Castro e Pedro Machado, amigos de infância, a PremiaPão é uma rede de franquias que vende espaços publicitários em sacos de pão. “Como a gente se conhece há muito tempo, temos uma sinergia que impulsiona os negócios”.

Com mais de 250 unidades espalhadas por todo o país, a rede se destacou ao sortear prêmios por meio de aplicativos e redes sociais para quem compra pão nos estabelecimentos credenciados e leva para casa nos saquinhos da PremiaPão. Na prática, o franqueado deve buscar novas empresas para vender os espaços publicitários.