Tráfico internacional usava funcionários de Cumbica

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (19), a Operação Bulk para combater organização criminosa que usava funcionários de aeroporto de São Paulo para tráfico internacional de drogas.

Policiais federais cumprem mandados expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal em Guarulhos (SP), sendo 23 são mandados de prisão preventiva e 24 de busca e apreensão.

As medidas acontecem, simultaneamente, nos municípios de São Paulo, Sorocaba, Guarulhos e Praia Grande. Também é cumprido um mandado em Portugal, determinado pelo Poder Judiciário, em virtude de difusão vermelha transmitida pela Interpol, após representação da Polícia Federal.

Foram determinados, ainda, o sequestro de todos os bens imóveis e de veículos, bem como de todos os valores depositados em contas bancárias e aplicações financeiras em nome dos investigados. Esses recursos chegam a aproximadamente R$ 53 milhões.

A investigação teve início em 2021 e, durante o período, foram apreendidos 887,5 kg de cocaína em nove eventos: três em Guarulhos, dois em Lisboa, um em Frankfurt e três em Amsterdã.

A organização criminosa atuava cooptando funcionários e prestadores de serviços de aeródromo para que introduzissem carregamentos de cocaína no interior de aeronaves comerciais que realizavam voos regulares.

Os investigados serão indiciados pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, cujas penas variam de 10 a 25 anos de reclusão.

Tribunal de Contas suspende obra do aerotrem de Cumbica

Aerotrem ligará terminais à estação da CPTM (Gov. do Estado/Reprodução)

O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu o termo aditivo do contrato de concessão entre a GRU Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos, e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), assinado no último dia 6, para a construção do Automated People Mover (APM). 

O APM é um tipo de trem elevado que faria o transporte de passageiros entre os três terminais do aeroporto e a linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Atualmente, essa baldeação precisa ser feita de ônibus.

De acordo com o ministro Vital do Rêgo, relator do processo, o TCU foi informado da assinatura do aditivo no último dia 3, e a assinatura ocorreu apenas três dias depois, no dia 6. “Assinalo que enviar comunicação informando que irá assinar aditivo em três dias, cuja formalização depende de avaliação deste TCU acerca de documentação que comprove a viabilidade do empreendimento, sem aguardar a manifestação deste Plenário, soa, no mínimo, imprudente”, disse o relator na decisão de suspensão.

“Entendo que esse projeto pode apresentar relevância e prioridade, mas nada justifica esse atropelo e a total ausência de transparência por parte dos envolvidos”, disse no despacho assinado ontem (15). 

Na decisão, o TCU deu 15 dias para que o Ministério da Infraestrutura e a Anac manifestem-se sobre a ausência de estudos comparativos com outros sistemas de transporte que poderiam ser implementados no local. Também pediu a demonstração da etapa de pré-viabilidade e o alcance do interesse público para balizar a escolha do sistema APM. 

O ministro relator solicitou ainda que sejam apresentados os resultados das análises das novas propostas de preços das empresas selecionadas para a implantação do projeto, eventuais alterações da matriz de riscos, bem como os impactos no reequilíbrio econômico-financeiro no contrato de concessão firmado com a GRU Airport.

Em nota, a Anac disse que sempre atua em colaboração com os órgãos de controle externo e prestará todas as informações e esclarecimentos necessários ao TCU. “Cabe ressaltar que a ANAC, prezando pela transparência, vem informado ao Tribunal de cada etapa do processo, desde o início das tratativas do Governo Federal com o Estado de São Paulo, em 2019, até o termo aditivo aprovado no último dia 06/09.”

Por Agência Brasil

Visão panorâmica do aeroporto de cumbica, em guarulhos, mostra aviões estacionados

Cumbica terá transporte interligando terminais ao trem

(Arquivo/Gru Airport/Reprodução)

Um termo aditivo na concessão do Aeroporto Internacional de Guarulhos foi assinado nesta terça-feira (8) para implantação de um sistema do tipo automated people mover (APM). O veículo automatizado e movido por ar comprimido vai conectar os três terminais de passageiros do aeroporto à estação da Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Atualmente, a ligação entre o sistema de trens e o aeroporto, que localizado na Grande São Paulo, é feita por ônibus fornecidos pela concessionária GRU Airport. O novo modelo é baseado nas soluções usadas em aeroportos como os de Atlanta, Chicago, Nova Iorque e São Francisco, nos Estados Unidos, e deve economizar tempo dos passageiros, além de ser menos poluente.

Estão previstos investimentos de R$ 271,1 milhões, que seriam pagos pela concessionária à União, como parte do devido por outorga. Esse dinheiro deverá, agora, ser usado na construção do sistema de transporte. “Esse é o primeiro investimento obrigatório previsto em contrato de concessão no setor aeroportuário por meio de aditivo contratual”, ressaltou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

A previsão é que as obras comecem em janeiro de 2022 e durem 24 meses.

A linha do APM terá 2,7 mil metros de extensão. Serão três veículos, cada um com capacidade para 200 passageiros, com ar-condicionado, wi-fi e espaço para bagagem.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

Antonov 124 sai da pista ao pousar em Cumbica

Um avião cargueiro saiu da pista durante o pouso na manhã de hoje (11) no Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Segundo a GRU Airport, concessionária que administra o terminal, o cargueiro do modelo Antonov 124 saiu dos limites da pista e parou na área de segurança. Não houve feridos e a aeronave já foi removida do local sem danos aparentes.

O acidente está sendo investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

(Reprodução)

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

Quase dez quilos de metanfetamina são apreendidos em Cumbica

(Receita Federal)

A Receita Federal apreendeu quase dez quilos de metanfetamina, um tipo de droga sintética, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. A droga, segundo nota divulgada pela Receita, estava escondida na bagagem de um passageiro.

Segundo os agentes que atuam em Cumbica, a droga foi descoberta quando a mochila foi submetida ao exame de raio-x. Ao todo, 9,7 quilos de metanfetamina foram apreendidos.

O passageiro, que vinha do México e chegou ontem (20) ao Brasil, foi preso e levado para a Polícia Federal.

Homem é preso após fazer funcionária da Gol refém

Um homem foi preso no final da noite de ontem (11) após manter uma mulher refém no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. O agressor, que disse ser integrante da Polícia Militar de Foz do Iguaçu, no Paraná, usou um lápis para render e ameaçar uma comissária de bordo da companhia aérea Gol.

A situação tensa ocorreu em um dos portões de embarque no Terminal 2 do aeroporto de Cumbica. Dizendo frases desconexas, o suspeito orientava pessoas a se posicionarem no local e pedia que os passageiros presentes filmassem e divulgassem o ato nas redes sociais.

A princípio, acreditava-se que ele portasse uma faca, mas, de acordo com a Polícia, usou um lápis para ameaçar a funcionária e dizia portar uma bomba. Policiais federais foram acionados e, após negociações, conseguiram convencer o homem a se render, liberando a refém sem ferimentos.

De acordo com a PF, o suspeito, encaminhado à delegacia do aeroporto, teria sofrido um surto. Ele pegou um voo em Foz do Iguaçu para o Espírito Santo, onde tem parentes, e fazia a conexão em São Paulo.

A GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, emitiu nota, confirmando os fatos e informando que não houve prejuízos às atividades e operações no terminal. A Gol também se manifestou em nota, esclarecendo que está dando todo o suporte necessário à colaboradora, que passa bem, e informou que o envolvido no caso não era passageiro da companhia em nenhum dos seus trechos de origem ou destino.

*Com informações de Paulo Édson Fiore, da Jovem Pan

Passageiros são presos em Cumbica tentando embarcar com cocaína

Cão de faro identifica bagagem com droga (Receita Federal)

Agentes da Receita Federal prenderam dois passageiros que tentaram embarcar com carregamento de cocaína no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos. Os flagrantes, totalizando sete quilos de entorpecentes, aconteceram na madrugada de hoje (18) e de ontem (17).

Segundo a Receita, uma das malas com a cocaína foi identificada durante inspeção com cães de faro, na área de bagagem despachada. O entorpecente, cerca de dois quilos, estava escondido em uma adega climatizadora de vinhos. 

A mala era de um passageiro que tinha como destino Addis Ababa, capital da Etiópia. Um vídeo (abaixo), divulgado pela Receita Federal, mostra o momento em que os agentes localizaram a droga dentro do eletrodoméstico e confirmaram se tratar de entorpecente.

(Receita Federal)

Outro caso envolveu um viajante com destino a Maputo, capital de Moçambique. Ele tentou embarcar com 5,124 kg de cocaína escondidos em fundos falsos de bolsas.

Os dois foram presos em flagrante por tráfico internacional de drogas. Eles foram apresentados à Polícia Federal e vão responder pelo crime na Justiça brasileira.

Cumbica: Passageiro estava com mais de 100 animais vivos na bagagem

Uma passageiro que embarcaria no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, foi flagrado com mais de 100 animais vivos na bagagem. A descoberta aconteceu durante uma operação da Receita Federal e do Ibama.

Segundo os agentes, foram apreendidos, como mostram os vídeos abaixo, 50 lagartos, além de aranhas, sapos e peixes. Os animais estavam enrolados em roupas e dentro de garrafas de água.

O destino do passageiro, segundo comunicado da Receita Federal, era a Rússia. Ele foi conduzido para a Polícia Federal do aeroporto e irá responder por crime ambiental. Os animais foram entregues ao Ibama. 

(Receita Federal/Reprodução)
(Receita Federal/Reprodução)

Voo do Reino Unido é fiscalizado em Cumbica

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizou, na madrugada de sexta-feira (25), ações de fiscalização e acompanhamento no último voo vindo do Reino Unido, antes do início da proibição de pouso em solo brasileiro, prevista na Portaria 648/2020. Segundo a agência reguladora, nenhum passageiro ou tripulante declarou ter sintomas de covid-19 durante o voo.

A aeronave chegou ao Aeroporto Internacional de São Paulo, localizado em Guarulhos, e os procedimentos de desembarque foram acompanhados por fiscais da Anvisa,  delegados da Receita Federal e da Polícia Federal.

Conforme a Anvisa, os cuidados na operação incluíram proibição de acesso ao Duty Free, no desembarque dos passageiros pelo Terminal 3, feito em horário reservado. A operação durou aproximadamente 45 minutos, sem registro de intercorrência.

Portaria

A portaria proibiu, em caráter temporário, a entrada no país de voos com origem ou passagem pelo Reino Unido e Irlanda do Norte. A medida foi adotada após ter sido identificada nesses países uma variante do novo coronavírus (covid-19) que, segundo especialistas, teria uma capacidade de transmissão superior à das versões até então conhecidas.

Os passageiros receberam mensagem sonora dentro da aeronave, em solo brasileiro, informando que ao ingressar no país, deveriam permanecer em quarentena por 14 dias, que haveria fiscalização no interior da aeronave, antes do desembarque. Os passageiros e tripulantes foram orientados sobre o monitoramento dos viajantes por autoridades brasileiras de saúde.

Foi feita também a solicitação de informações sobre os passageiros e tripulantes à empresa aérea e as informações foram enviadas para autoridades competentes. Após o desembarque foram cumpridos os procedimentos de limpeza e desinfecção da aeronave e acompanhamento dos passageiros até a área de imigração, tendo sido orientados para o distanciamento social e evitando a aglomeração.

Por Camila Boehm, da Agência Brasil