PMs prendem terceiro envolvido em tentativa de assalto a empresário

Policiais militares prenderam no início da madrugada desta terça-feira(6), em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, o terceiro envolvido na tentativa de assalto que quase terminou com morte de um empresário em abril de 2019.

Na ocasião, a vítima fazia o transporte de um malote contendo 10 mil reais quando passou a ser perseguida por dois ocupantes de uma moto, que chegaram a atirar, atingindo o rosto do empresário, mas sem conseguir roubar o dinheiro.

O crime ocorreu em Guarulhos e foi planejado pela neta da vítima, Raquel Cristina Oliveira da Silva, detida pelo crime por agentes do Deic no dia 30 de setembro juntamente com o autor dos disparos, Mateus Henrique Pereira de Oliveira, após investigações. As armas utilizadas no crime também foram apreendidas.

Uma mulher, que pilotava a moto usada na tentativa de assalto, já havia sido presa no início deste ano pelo envolvimento no latrocínio de um policial militar ocorrido em 2015. Ainda faltava prender Pedro Henrique Lopes, ex-namorado da jovem.

Ele foi surpreendido nesta madrugada por uma equipe da PM quando dirigia um veículo na região de São Mateus, na Zona Leste, acompanhado da atual mulher e de duas crianças. Ao avistar a viatura, o motorista fugiu, e os policiais, desconfiados, foram atrás.

A perseguição seguiu por várias ruas e avenidas e se estendeu por cerca de dez quilômetros no Rodoanel Mário Covas até a praça de pedágio de Itaquaquecetuba, na região metropolitana, onde ele acabou cercado.

Após constatar que se tratava de um procurado da Justiça, o motorista foi detido sem reação e encaminhado à sede do Deic, o Departamento de Investigações Criminais.

*Com informações do repórter Paulo Édson Fiore, da rádio Jovem Pan.
https://youtu.be/-Hk35miqVjI
Veja esta e outras notícias no canal do Youtube do repórter Paulo Édson Fiore, da rádio Jovem Pan.

Vídeo mostra empresário de Alphaville desacatando PMs

Polícia Militar foi acionada para atender ocorrência de violência contra mulher; ao chegar no local, empresário resistiu à prisão e humilhou policiais

Empresário humilhou PMs em Alphaville | Foto: Reprodução/Facebook/YouTube

O empresário Ivan Storel, 49 anos, foi detido na tarde desta sexta-feira (29/5), depois de a polícia ter sido acionada para atender um caso de violência contra mulher em Alphaville, bairro rico em Santana do Parnaíba, região metropolitana de São Paulo. Quando a Polícia Militar chegou no local, o homem resistiu à prisão e humilhou os policiais que foram atender a ocorrência.

“Você é um bosta. É um merda de um PM que ganha mil reais por mês, eu ganho 300 mil reais por mês. Quero que você se foda, seu lixo do caralho”, disse o empresário. Em seguida, após supostamente falar no telefone, ele continua: “Você não me conhece. Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano”. 

Entre insultos e xingamentos, Storel proíbe a aproximação do policial com ameaças. “Não pisa na minha calçada, não pisa na minha rua. Eu vou te chutar na cara, filho da puta”. No vídeo, os PMs não esboçam qualquer reação.

Vídeo mostra reação de empresário diante de PMS (Ponte Jornalismo/Reprodução)

De acordo com informações policiais, a esposa do empresário ligou para a Polícia Militar por causa de uma briga entre eles, com possível agressão ou ameaça. Um policial militar homem e uma mulher foram mandados para atender a ocorrência.

Chegando no local, o empresário teria se recusado a falar com os policiais e, então, começaram os xingamentos. O PM pediu para a companheira de viatura filmar as agressões verbais por parte de Storel e solicitou apoio do Comando de Grupo Patrulha. 

Quando os outros carros da Polícia Militar chegaram, prenderam o empresário a força e o conduziram para a Delegacia de Defesa da Mulher de Santana de Parnaíba, onde houve registro de dois boletins de ocorrência. Em um, os PMs apresentaram como resistência e desacato. No outro, a mulher não quis dar continuidade no registro de ameaça e injúria.

Na delegacia, a mulher confirmou ser casada com o empresário e ter dois filhos com ele. Para Polícia Civil, ela disse que o marido estava agressivo e chamando-a de “idiota, vagabundo, puta”, entre outras coisas, mas não quis dar continuidade à denúncia.

Já Storel disse aos policiais civis que teve um desentendimento com a mulher, mas negou ter ameaçado ou agredido. Com relação aos xingamentos contra os PMs, o empresário disse na delegacia que estava muito nervoso e não se lembra de nada.

Depois do registro do boletim de ocorrência, o empresário foi liberado para voltar para casa. A reportagem entrou em contato com Storel, que disse estar abalado psicologicamente e, por isso, não vai se manifestar.

Por Maria Teresa Cruz – Repórter da Ponte

Dia das mães: De cada 10 lojistas, 7 esperam queda em vendas

Comércio fechado na rua 25 de Março durante o isolamento social
(Rovena Rosa/Agência Brasil)

Sete em cada dez lojistas do estado de São Paulo preveem queda nas vendas para o Dia das Mães deste ano com relação a 2019, segundo pesquisa realizada pela Federação das Câmaras Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP). Para os comerciantes, a principal dificuldade está no fechamento das lojas por conta da quarentena adotada para evitar a disseminação do novo coronavírus. A pesquisa apontou ainda que as pequenas e médias empresas ainda estão no processo de transformação da loja física para a virtual.

Os dados mostram que somente 20% dos empresários consideram um aumento das vendas, devido a utilização das lojas virtuais, e que 10% têm expectativas de que o Dia das Mães seja estável, sem crescimento ou números negativos nas vendas, com relação ao ano passado.

“O Dia das Mães é considerado a segunda data mais importante para o varejo. As vendas nesse período têm um peso importante para os comerciantes, porém, devido a quarentena no varejo, isso afeta diretamente o faturamento dos empresários, principalmente os pequenos negócios. Lojas de vestuário e calçados podem ser as mais afetadas”, disse o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff.

O e-commerce é sugerido por especialistas como uma alternativa para dar continuidade às vendas, no entanto, a pesquisa mostrou que 60% dos lojistas estão em fase de adaptação para começar a trabalhar no formato, 30% já trabalhavam com vendas em lojas virtuais e 10% acreditam que o e-commerce não é uma solução ativa de venda.

Em relação ao adiamento do Dia das Mães, 75% dos lojistas acham que não é uma boa opção por conta da data estar próxima e porque o feriado pode coincidir com as vendas no mês do Dia dos Pais, gerando sobrecarga nos consumidores. Os outros 25% supõem que a transferência da data para o segundo semestre pode ser uma boa oportunidade para ajudar no aumento das vendas.

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

Escritório em Dubai quer viabilizar negócios para o Estado de SP

Cerimônia de inauguração do Escritório do Governo do Estado de São Paulo / InvestSP
João Doria, governador de São Paulo, durante inauguração, em Dubai
(Governo do Estado de SP)


O Governador João Doria inaugurou o escritório comercial de São Paulo em Dubai. O espaço será usado para estreitar relações comerciais e facilitar a exportação de produtos de São Paulo para o Oriente Médio e norte da África. O escritório também dará mais visibilidade às possibilidades de negócio em São Paulo, principalmente aos ligados ao plano de desestatização do Governo do Estado.

“Somos pioneiros nessa iniciativa. Certamente seremos seguidos por outros estados. A inauguração deste escritório foi uma decisão acertada que tomamos no intuito de promover e gerar negócios para São Paulo com países da região”, salientou Doria.

O escritório nos Emirados Árabes Unidos é o segundo a representar São Paulo no exterior – o primeiro fica em Xangai, na China.

Estrutura

Distribuído em uma área de 133 m2, o escritório possui recepção, duas salas e uma seção com estações de trabalho. Toda a infraestrutura e aluguel serão financiados pelo governo de Dubai. Apenas os funcionários serão remunerados pelo Governo de São Paulo.

Para a direção do escritório em Dubai, Doria escolheu Silvia Pierson, que já foi chefe de operações internacionais da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) em Miami.

Mais cedo, o Governador discursou na abertura do evento Dubai Sugar Conference, que chega à quinta edição como o evento mundial mais importante da indústria do açúcar e reúne especialistas para o intercâmbio de ideias, perspectivas, oportunidades e novas conexões.

“São Paulo responde por 60% da produção de açúcar do Brasil, com cerca de 18 milhões de toneladas. Na atual safra, deverá exportar quase 13 milhões de toneladas. Se fossemos um país, nosso Estado seria o terceiro maior produtor do mundo e o segundo maior exportador. Daí a importância de São Paulo para o setor”, declarou Doria.

Missão Emirados

A Missão Emirados é a nona e maior missão empresarial do Governo de São Paulo no mercado externo. Em busca de investimentos para São Paulo, de 8 a 12 de fevereiro, Doria cumpre agendas em Abu Dhabi e Dubai acompanhado dos Secretários Julio Serson (Relações Internacionais), Henrique Meirelles (Fazenda e Planejamento), Gustavo Junqueira (Agricultura e Abastecimento), Patricia Ellen (Desenvolvimento Econômico) e João Octaviano (Logística e Transportes), Wilson Mello (Presidente da InvestSP) e um grupo de 47 empresários.

*Conteúdo do Governo do Estado de SP

De cada 10 donos de indústria, 6 acham governo Bolsonaro ótimo ou bom

Por Andreia Verdélio

Bolsonaro recebe o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial da CNI (José Cruz/Agência Brasil)


Os industriais brasileiros têm uma avaliação positiva do governo Jair Bolsonaro. De acordo com pesquisa divulgada hoje (11) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 60% deles consideram o governo ótimo ou bom, e apenas 7% avaliam como ruim ou péssimo; 26% acham que o governo é regular.

Os dados da Sondagem Especial: Avaliação do Governo pelo Empresário Industrial foram apresentados durante cerimônia na sede da CNI, em Brasília, ocasião em que o presidente Bolsonaro recebeu o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial. Segundo a CNI, a condecoração é “um reconhecimento da indústria brasileira ao esforço do governo federal no avanço de pautas que tornam o Brasil mais moderno e competitivo”.

Ao agradecer a homenagem, Bolsonaro afirmou que é preciso “aproveitar essa oportunidade” em que o Brasil está mudando e recuperando a confiança dos empresários locais e dos investidores internacionais.

“O brasileiro tem capacidade enorme de criar, inovar e é um excelente empreendedor. Ele precisa ter liberdade, não ter o Estado atrapalhando seu trabalho”, disse o presidente sobre o interesse do governo em desburocratizar o ambiente de negócios no Brasil.

Para a CNI, entre as medidas importantes tomadas pelo governo este ano estão a reforma da Previdência, a assinatura do acordo de livro comércio entre o Mercosul e aUnião Europeia, o avanço na agenda de concessões na área de infraestrutura e de modernização das relações de trabalho e a contribuição com medidas que promovem o aumento da segurança jurídica e reduzem a intervenção do Estado.

Durante a evento, o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, apresentou os números do setor e os projetos e ações da entidade, do Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para o desenvolvimento da indústria brasileira. Para Andrade, as reformas estruturais, em especial a da Previdência e a tributária, favorecerão o retorno da estabilidade macroeconômica e o aumento dos investimentos e da produção.

“Aqui temos empresários industriais que tem dedicado um grande esforço ao desenvolvimento do Brasil e à geração de emprego e que vieram aqui, no final de ano, para cumprimentá-lo e para lhe mostrar que a indústria brasileira o tem apoiado e tem registrado os avanços que o Brasil tem tido nesses meses, neste ano. Estamos na fase de comemorar e certamente de trabalharmos juntos para 2020 ser um ano melhor ainda”, disse Andrade a Bolsonaro.

Na cerimônia, também foram assinados dois acordos de cooperação técnica entre a União e o Sesi e o Senai para oferta de matrículas em cursos de formação e acompanhamento pedagógico em cursos profissionalizantes para jovens inscritos no Cadastro Único.

A solenidade reuniu os presidentes das federações estaduais e cerca de 650 empresários. Também estavam presentes parlamentares e, acompanhando Bolsonaro, os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Cidadania, Osmar Terra, da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.

A Ordem do Mérito Industrial foi criada em 1958 para premiar personalidades e instituições reconhecidas pela indústria brasileira. O Grande Colar é destinado somente a presidentes da República.

Pesquisa

pesquisa da CNI sobre o governo Bolsonaro ouviu 1.914 empresários de todo país, entre os dias 2 e 10 deste mês. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e a confiança, de 95%.

O governo é mais bem avaliado pelos empresários do Sul. Naquela região, 71% dizem que o governo é ótimo ou bom. No Centro-Oeste, esse número é de 68%. No Norte, é de 62% e, no Sudeste, de 57%. De acordo com a CNI, a Região Nordeste é onde os empresários industriais aprovam menos o governo, ainda assim, 50% avaliam o avaliam como ótimo ou bom.

Além disso, 65% dos entrevistados confiam no presidente Bolsonaro e 64% aprovam sua maneira de governar.

A pesquisa mostra ainda que as ações do governo nas áreas de relações do trabalho e de juros são as mais bem avaliadas pelos industriais. Entre os entrevistados 64% consideram ótima ou boa a atuação do governo em relações de trabalho. Na área de taxa de juros, o percentual é de 63%. A terceira área com melhor avaliação é a redução da burocracia, considerada ótima ou boa por 47%.

Também foi apresentado, nesta quarta-feira, levantamento da CNI/Ibope com as perspectivas da população sobre a economia. Quase metade (49%) da população acredita que a situação econômica do país vai melhorar em 2020, 24% dizem que ficará igual e 24%, que vai piorar.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre os dias 5 e 8 deste mês. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

As publicações completas estão disponíveis na página da CNI.

Ex-combatente

Antes do evento na CNI, Bolsonaro fez uma visita de cortesia ao ex-combatente da Segunda Guerra Mundial Carlos Santiago de Amorim, de 96 anos.

“Estou muito feliz de conhecer um herói vivo do Brasil – este, sim, é um exemplo a ser seguido, arriscou a vida pela nossa liberdade”, disse o presidente da janela de um apartamento no quarto andar de um predio localizado no Sudoeste, bairro próximo ao centro da capital federal.

Ilusionista Issao Imamura faz palestra no MBI

Issao Imamura palestrou para empresários (Divulgação)


O aclamado ilusionista Issao Imamura participou na última sexta-feira do jantar empresarial do MBI (Mastery Business Intensive), no Expo Center Norte, em São Paulo. O jantar reuniu empresários e palestrantes que participaram do seminário de desenvolvimento empresarial.

“Foi uma palestra de 25 minutos, e ele falou muito sobre a aproximação do empreendedorismo com o ser humano. Contou um pouco de sua história de vida, sua carreira no ilusionismo, além de trabalhar a analogia da corda na mágica em relação às empresas”, comentou Dario Ferreira, representante da Haiflex.

O MBI foi idealizado pelos empresários Pedro Gadelha, André Menezes e Carol Linhares. O seminário, um dos maiores em desenvolvimento empresarial no Brasil, já está em sua quinta edição e, desta vez, aconteceu no Expo Center Norte, em São Paulo, doa dia 22 à 24 de novembro.

Confiança do empresário da indústria cresce em novembro

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) em novembro aumentou 3,2 pontos frente a outubro e alcançou 62,5 pontos, com o indicador 7,9 pontos acima da média histórica de 54,6 pontos, informa a pesquisa divulgada, hoje (20), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores do Icei variam de zero a 100 pontos. Quando estão acima de 50 pontos mostram que os empresários estão confiantes.

“O aumento da confiança estimula a recuperação da economia brasileira à medida que impulsiona o aumento da produção e a retomada do investimento”, avalia a CNI.

O estudo destaca que o Índice de Condições Atuais, um dos componentes do Icei, alcançou 56,3 pontos, o maior nível desde outubro de 2010. O índice está 3,6 pontos acima do registrado em novembro de 2018. O Índice de Expectativas, por sua vez, subiu para 65,6 pontos neste mês e está 2,9 pontos abaixo do verificado em novembro do ano passado.

“A elevada confiança está baseada tanto no sentimento de melhora da situação corrente como nas expectativas para os próximos seis meses. Em novembro de 2018, a percepção de melhora das condições correntes ainda era incipiente e a confiança se baseava nas expectativas positivas, impulsionadas pela eleição de um novo governo”, observa a CNI.

A confiança melhorou em todas as regiões do país e é maior no Centro-Oeste, onde alcançou 63,8 pontos. Em seguida, aparece o Sul, com 63,4 pontos; Norte com 63,2 pontos; Sudeste, 61,9 pontos e, no Nordeste, com 61,5 pontos.

De acordo com a pesquisa, a confiança é maior nas médias e grandes empresas; em ambos os segmentos o Icei alcançou 62,8 pontos neste mês. Nas pequenas o indicador ficou em 61,5 pontos.

A pesquisa foi realizada de 1º e 12 de novembro, com 2.445 empresas, sendo que dessas, 954 são pequenas, 898 médias e 593 de grande porte.

Empresário se mata em evento com ministro e governador

Sadi Gitz atirou contra a própria cabeça durante evento em Sergipe (Silvio Rocha/Prefeitura de Aracajú)

Um empresário de Sergipe cometeu suicídio na manhã desta quinta-feira (4), durante evento com a presença do ministro de minas e energia, Bento Albuquerque, e do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD). Segundo o jornal Gazeta do Povo, Sadi Gitz atirou contra a própria cabeça durante a fala do governador.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que a empresa de Gitz, a Cercesa/Escurial, passava por dificuldades financeiras provocadas pela alta no preço do gás, o que levou o empresário à falência. O evento foi suspenso após o ocorrido e o Governo publicou nota lamentando a morte do empresário, que era casado e deixa cinco filhos.

Evento era transmitido ao vivo. Imagens mostram a reação das pessoas após o disparo.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=29&v=ghnYNP61WD4

*Erramos: O nome do Governador de Sergipe é Belivaldo Chagas e não Benivaldo, como publicamos. O texto já foi atualizado.

Com dívida de R$ 1 Bi, cinco mil empresas caem na malha fina

Por Kelly Oliveira 

A Receita Federal identificou mais de R$ 1 bilhão em sonegação fiscal de empresas, entre março e maio deste ano. No período, foram autuadas 5.241 empresas em todo o país por irregularidades no Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e na Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) do ano-calendário 2014.

O crédito tributário lançado, que inclui juros moratórios e multa de ofício de 75%, totalizou R$ 1.002.536.449,16. As irregularidades foram apuradas na Malha Fiscal Pessoa Jurídica.

A Receita Federal orienta as empresas com irregularidades no IRPJ e na CSLL dos anos-calendário seguintes a se autorregularizarem. Em junho de 2019, serão iniciadas as ações referentes ao ano-calendário 2015, com envio de cartas para mais de 14 mil empresas que apresentam inconsistências nos recolhimentos e declarações de IRPJ e CSLL de aproximadamente R$ 1,5 bilhão.

De acordo com o Fisco, o demonstrativo das inconsistências e as orientações para a autorregularização constarão na carta a ser enviada ao endereço cadastral constante do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) e na caixa postal dos contribuintes. A caixa postal pode ser acessada no site da Receita, no portal e-CAC.

Essa é mais uma etapa da série de ações do Projeto Malha Fiscal da Pessoa Jurídica da Receita Federal, que tem como objetivo identificar “inconsistências” no recolhimento de tributos por meio do cruzamento de informações eletrônicas, explicou o órgão.

(**) Valor do tributo sem acréscimo de juros moratórios e de multa de ofício.
(**) Valor do tributo sem acréscimo de juros moratórios e de multa de ofício (Agência Brasil)

Confiança do empresário do comércio cresce 2,1%

Por Vitor Abdala

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) subiu 2,1% em março deste ano na comparação com o mês anterior e atingiu 127,1 pontos. Esse é o maior patamar do indicador desde novembro de 2018 e o mais alto para meses de março desde 2012, de acordo com dados divulgados hoje (27) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A avaliação sobre as condições atuais cresceu 6,4% de fevereiro para março, puxada pela melhora nas avaliações sobre a situação da economia (9,2%). Houve aumento também nas intenções de investimento (1,4%). As avaliações sobre o futuro, no entanto, mantiveram-se estáveis.

Na comparação com março do ano passado, a alta chegou a 10,9%, devido a melhora das avaliações sobre as condições atuais (16,7%), nas expectativas (8,1%) e nas intenções de investimento (10%).