Brasil sub-21 de volei perde para a Polônia

(FIVB/via TV Cultura)

A seleção brasileira sub-21 masculina de vôlei foi superada pela Polônia na estreia da segunda fase do Mundial da categoria nesta segunda-feira (27). Pelo grupo F, a partida terminou com 3 sets a 1 para os poloneses (28/26, 25/23, 19/25 e 25/23), na Bulgária.

O Brasil enfrentará ainda Rússia e Bulgária nesta fase e os dois melhores do grupo passarão para às semifinais. A seleção voltará à quadra nesta terça-feira (28), às 7h da manhã no horário de Brasília, para o jogo contra os russos.

Apesar da derrota, o Brasil teve o maior pontuador do confronto, o oposto Darlan, com 30 pontos (26 de ataque, três de saque e um de bloqueio). “Foi uma partida muito boa. Infelizmente alguns pedaços do nosso jogo não funcionaram tão bem. Agora já temos que pensar na partida de amanhã contra a Rússia”, disse o oposto em nota da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei).

O Brasil participa do Mundial com os levantadores Gustavo Orlando e Rafael Forster; o líbero Pedro Tomasi; os opostos Darlan Souza e Guilherme Sabino; os ponteiros Adriano Xavier, Paulo Vinicios Ferreira, Felipe Varela e Arthur Bento; e os centrais Guilherme Rech, Kelvi Geovani e Leonardo Andrade. Nesta categoria o Brasil tem 14 medalhas em mundiais (quatro ouros, seis pratas e três bronzes).

Jornalista esportivo Paulo Stein morre vítima de covid-19

O jornalista esportivo Paulo Stein morreu hoje (27), aos 73 anos, no Rio de Janeiro, por complicações decorrentes da covid-19. A informação foi divulgada pela Associação dos Cronistas Esportivos do Rio (Acerj), em sua página na rede social Facebook.

Stein estava internado no Hospital Estadual Anchieta e deve ser cremado amanhã à tarde no cemitério do Caju, apenas na presença da família.

Paulo Stein era uma referência no jornalismo esportivo e foi narrador e comentarista de emissoras como a TV Manchete e o SporTV.

Por Victor Abdala, da Agência Brasil

Guto e Arthur Mariano vencem etapa do Brasileiro de volei de praia

(Wander Roberto/CBV/via Agência Brasil)

A dupla Guto (RJ) e Arthur Mariano (MS) venceu, neste domingo (28), Adrielson (PR) e Renato Andrew (PB) por 2 sets a 1 e conquistou a sétima etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia da temporada 2020/2021. A partida aconteceu na arena montada no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), na cidade de Saquarema, no estado do Rio de Janeiro. As parciais do confronto foram 21/15, 14/21 e 15/13. Foi a primeira vez que o os dois levaram uma etapa atuando juntos.

Esta vitória rendeu a Guto e Arthur Mariano o segundo lugar no ranking nacional de vôlei de praia, com os mesmos 2.160 pontos dos líderes André (ES) e George (PB), que levam vantagem por terem conquistado duas etapas anteriores.

Ao site da Confederação Brasileira de Vôlei, Guto ressaltou a importância do companheiro na vitória: “Mais uma vez o Arthur foi muito importante, me ajudando muito a todo o momento. Esse campeonato foi de superação, tentamos não passar para ninguém o que estávamos sentindo, e seguimos em frente. Já sabia que esse jogo seria disputadíssimo, com dois times que se conhecem muito. Agora queremos aproveitar, e curtir o ouro que demorou um pouco, mas veio”.

Já Arthur disse que foi preciso superação para subir no lugar mais alto do pódio: “Agradeço muito pela torcida da minha família e amigos. Esse torneio foi de muita superação. O Guto sentiu-se mal em um jogo, e ainda assim jogou demais. Nós já tínhamos chegado tão perto de um título outras vezes e deixamos escapar, agora ter essa sensação de conquista é muito boa”.

A medalha de bronze ficou com Maia (RJ) e Vinícius Cardozo (RJ), que derrotaram Vinícius Freitas (ES) e Vítor Felipe (PB) por 2 sets a 0 (21/18 e 21/13).

O torneio não contou com os três times considerados favoritos. Alison (ES) foi acompanhar o nascimento de sua filha Catarina, por isso não concorreu ao lado de Álvaro Filho (PB). Já Bruno Schmidt (DF) contraiu o novo coronavírus (covid-19) e não pôde dividir a quadra com o companheiro Evandro (RJ). O mesmo aconteceu com a dupla André e George, que testaram positivo para covid-19 na chegada à Saquarema.

Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional 

Área de skate é liberada no Vale do Anhangabaú

(Leon Rodrigues/Pref. de São Paulo)

A Prefeitura de São Paulo abre ao público, no Anhangabaú, um espaço dedicado exclusivamente à prática de skate. A liberação da pista de skate, que está em consonância com o Plano São Paulo, faz parte da abertura gradual das obras de requalificação do Vale do Anhangabaú.

A área reservada à prática do skate faz parte do projeto de requalificação da região e foi idealizada em conjunto por SPUrbanismo, SPObras e pelos próprios skatistas que já praticavam o esporte nos bancos antes da revitalização. Localizada perto do Viaduto Santa Ifigênia e do metrô São Bento (saída sentido Anhangabaú), a pista de concreto tem 981,3 m² de área em formato de arquibancada e foi recoberta com granito rosa, material que revestia os antigos bancos da região. Estes, aliás, também foram reproduzidos no traçado da pista, atendendo a uma reivindicação dos esportistas.

Ao lado da pista, também funcionará uma Central de Informação Turística (CIT) para atendimento ao público. O quiosque estará aberto todos os dias, das 9h às 18h, e sua operação será realizada pela SPTuris. Já a segurança será feita pela Guarda Civil Metropolitana (GCM), que manterá efetivo no local. 

Requalificação do Anhangabaú 

As obras de requalificação do Vale do Anhangabaú foram concluídas no dia 30 de outubro do ano passado, mas permanecem com operação assistida pelo consórcio responsável pelos serviços para certificar que todos os novos equipamentos funcionem perfeitamente. 

As intervenções tiveram início em maio de 2019 e, como previa o cronograma inicial, a primeira etapa foi concluída em maio de 2020. As obras receberam um investimento de R$ 105,6 milhões, com recursos do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FUNDURB).

Concessão e retorno econômico 

Em 23 de outubro de 2020, foi realizada a licitação para concessão da administração da área pelos próximos 10 anos, sendo vencedor o Consórcio Viaduto do Chá, que apresentou proposta no valor de R$ 6,5 milhões, significando um ágio de 6.751% do mínimo estabelecido.

Estima-se que a capital ganhará com a concessão cerca de R$ 46 milhões em benefícios econômicos diretos, além de aproximadamente R$ 250 milhões anuais em benefícios para os estabelecimentos do centro da cidade, com aumento em cerca de 10 mil pessoas por semana circulando na região. 

Requalificação urbana 

A requalificação do Vale visa ativar o espaço público a partir da revitalização e integração com o entorno. Para isso, a concessão trará a qualificação do espaço por meio da realização de atividades e eventos, oferta de serviços e locação de espaços para comércio e alimentação, a fim de transformar em destino uma área que hoje é de trânsito. 

Dessa forma, o projeto espera proporcionar à população um local de permanência com ambiência urbana, acessibilidade, lazer, zeladoria e segurança capaz de impactar positivamente o local e os munícipes, agregando desenvolvimento social e econômico a uma área que, atualmente, encontra-se subutilizada.

Resultado de vários debates e oficinas realizados desde 2007 com a sociedade civil e técnicos municipais, o projeto conta com diversas referências internacionais, como Parque Bryant (Nova Iorque), King’s Cross (Londres) e iniciativas em Medellín (Colômbia).

Serviço

Pista de skate do Vale do Anhangabaú
Horário de funcionamento: 24 h
Entrada livre

Por Pref. de São Paulo

Final da Libertadores faz CBF mudar jogos de Palmeiras e Santos

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) anunciou na noite desta quinta-feira (14) que a classificação de Palmeiras e Santos para a final da Copa Libertadores da América levou à alteração da 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Como a grande decisão está programada para acontecer no dia 30 de janeiro, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, a diretoria de competições da CBF decidiu mudar os jogos do Peixe e do Verdão pelo Brasileiro programados para o dia 31 de janeiro.

Agora, o Palmeiras mede forças com o Botafogo no dia 2 de fevereiro, às 16h (horário de Brasília), no Allianz Parque, em São Paulo. Já o Santos faz o clássico com o Corinthians em 17 de fevereiro, no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Por Agência Brasil

Com polêmica no final, Palmeiras bate o Sport

https://twitter.com/Palmeiras/status/1348073068992684032

Mesmo com uma equipe considerada mista, o Palmeiras foi até Recife e derrotou o Sport por 1 a 0, na abertura da 29ª rodada da Série A. A partida foi marcada por uma polêmica nos instantes finais, quando, após consultar o árbitro de vídeo (VAR), o árbitro Dyorgines José Padavani de Andrade voltou atrás da marcação de uma penalidade para os donos da casa já nos acréscimos. O gol marcado por Willian no primeiro tempo acabou sendo suficiente para a vitória, que deixa o Verdão firme no G-6, com 47 pontos, em sexto.

Envolvido na disputa da final da Copa do Brasil e na semifinal da Libertadores, o Palmeiras enviou a campo uma escalação com algumas modificações do técnico português Abel Ferreira, principalmente a improvisação do zagueiro Emerson Santos na lateral direita e a presença do pouco utilizado zagueiro chileno Benjamín Kuscevic. Na terça-feira, o time paulista pode confirmar a vaga em uma final da Libertadores depois de quase 21 anos. A equipe derrotou o River Plate no jogo de ida, em Buenos Aires, por 3 a 0.

Em Recife, o Sport tomou mais a iniciativa, mas o Palmeiras não deixou de levar perigo ao gol de Luan Polli. Patric, com algumas investidas no começo do jogo, deixou o Verdão alerta, mas não demorou para que a equipe paulista abrisse o placar. 

Aos 26 minutos, Gabriel Veron recebeu longo lançamento pela direita e cruzou rasteiro. Willian dominou já dentro da área e chutou quase sem ângulo. Com os desvio por entre as pernas do goleiro Polli, a bola acabou entrando. Foi o 18º gol do atacante na temporada. Ele é o artilheiro do time, junto com Luiz Adriano. 

A partir daí, o Palmeiras assumiu mais o controle do jogo, tanto em posse de bola quanto em número de oportunidades de gol. 

No segundo tempo, o time de Abel Ferreira esteve perto do segundo gol aos 15 minutos, quando o atacante Breno Lopes acertou a trave em uma jogada pela direita. 

O técnico Jair Ventura queimou as cinco substituições a que tinha direito, mas o Sport ainda parecia mais distante de empatar do que o Palmeiras de ampliar. A chance de ouro pareceu vir aos 49 do segundo tempo. Rony tentou o domínio com o peito dentro da área, mas a bola acabou tocando em seu braço. Depois de apitar pênalti no campo, o árbitro recorreu ao VAR e acabou voltando atrás, sob muitas reclamações dos jogadores do Sport. Ele considerou o toque de Rony involuntário.

O Palmeiras confirmou o triunfo por 1 a 0, que mantém a equipe com três vias possíveis para uma vaga na próxima edição da Libertadores: o G-6 do próprio Campeonato Brasileiro, o título da Copa do Brasil e o da Libertadores. Já o Sport segue na briga contra o rebaixamento, com 32 pontos, quatJogo terminou com pênalti anulado após consulta ao árbitro de vídeo. Verdão se mantem na briga pelo título enquanto Sport se aproxima da zona de rebaixamento. ro a mais que o primeiro integrante da zona do rebaixamento, o Bahia.

Por Igor Santos – Repórter da TV Brasil

Palmeiras enfrenta o River em jogo da Libertadores

Enfrentar o River Plate em uma semifinal de Libertadores traz boas lembranças ao torcedor do Palmeiras. Em 1999, o Verdão passou pelo time argentino antes de superar o Deportivo Cali, da Colômbia, na decisão que levou o clube paulista a um inédito título sul-americano. Nesta terça-feira (5), às 21h30 (horário de Brasília), o Alviverde reencontra os Millionarios no estádio Libertadores da América, em Avellaneda, região metropolitana de Buenos Aires, no primeiro jogo do confronto que vale vaga na final. 

O atual roteiro também se assemelha ao de 21 anos atrás, com a partida de ida na Argentina e a de volta em São Paulo, na próxima terça (12), no mesmo horário. A diferença está nos palcos. Como o Monumental de Nuñez está em reforma, o River tem mandado os jogos no estádio do Independiente desde parte da fase de grupos. Já o Palmeiras sediará o segundo duelo no Allianz Parque, erguido no lugar do antigo estádio Palestra Itália, onde o Verdão recebeu e atropelou os argentinos por 3 a 0 em 1999.

Na ocasião, os paulistas foram a campo precisando vencer por dois ou mais gols de diferença, pois foram derrotados no Monumental por 1 a 0. Para o segundo jogo, Luiz Felipe Scolari, técnico do Palmeiras na época, mandou a campo: Marcos; Chiqui Arce, Roque Junior, Agnaldo e Rubens Junior; César Sampaio, Rogério, Zinho e Alex; Paulo Nunes e Oséas. Alex (duas vezes) e Roque Júnior foram os heróis da classificação contra o River, que tinha Marcelo Gallardo (atual treinador) como camisa 10.

Assim como em 1999, o Palmeiras chega para o confronto tendo campanha melhor que o rival. O Verdão, aliás, é quem possui o melhor desempenho na Libertadores entre os quatro times que seguem na disputa. São oito vitórias e dois empates, com 29 gols marcados e quatro sofridos. Já o River alcançou a semifinal após sete vitórias, dois empates e uma derrota por 3 a 0 para a LDU de Quito (Equador), na primeira rodada da fase de grupos. Os argentinos anotaram 31 gols e foram vazados nove vezes.

O elenco palmeirense viajou para Buenos Aires no último domingo (3). O técnico português Abel Ferreira – que busca repetir o feito do compatriota Jorge Jesus, campeão em 2019 pelo Flamengo – ainda não definiu a equipe. Recuperado de uma lesão na coxa direita, o atacante Gabriel Veron treinou normalmente antes do embarque e pode formar o trio ofensivo com Rony e Luiz Adriano. Outro que tem chances de retornar é o meia Zé Rafael, que perdeu os últimos dois jogos por uma infecção no pé esquerdo.

O provável Verdão terá: Weverton, Marcos Rocha (Zé Rafael), Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Danilo, Gabriel Menino e Raphael Veiga; Gabriel Veron (William), Rony e Luiz Adriano. Caso se confirme a escalação, será praticamente o mesmo time que bateu o América-MG por 2 a 0 na última quarta-feira (30), no Independência, em Belo Horizonte, e se garantiu na final da Copa do Brasil.

Ao contrário do Palmeiras, o River já estreou em 2021. No último sábado (2), a equipe empatou por 2 a 2 com o rival Boca Juniors pela Copa da Liga Argentina – que passou a se chamar Copa Diego Maradona após o falecimento do ídolo em novembro. Os atacantes Federico Girotti e Rafael Borré marcaram para os Millionarios, que podem ter três mudanças para o duelo de terça, em relação ao time que foi a campo diante do Boca.

No ataque, a expectativa é que Matías Suárez retome o posto no lugar de Lucas Beltrán. No meio, Ignacio Fernández, recuperado de uma lombalgia, está novamente à disposição e briga por um lugar com Bruno Zuculini e Nacho Fernandez. Já na defesa, Milton Casco pode reassumir a lateral esquerda na vaga de Javier Pinola, titular contra o Boca por Casco ainda não estar 100% após tratar uma contusão no posterior da coxa.

Confira a tabela completa da Libertadores.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Circuito mundial de surf é suspenso após casos de covid

A WSL (Liga Mundial de Surfe) anunciou no final da noite da última sexta-feira (11) que decidiu suspender a primeira etapa do Circuito Mundial de Surfe, o Billabong Pipe Masters, realizado na ilha de Oahu (Havaí). A decisão foi tomada após membros da equipe da entidade, entre elas o seu diretor-executivo, Erik Logan, testarem positivo para o novo coronavírus (covid-19).

“A WSL está comprometida em priorizar a segurança de atletas, funcionários e comunidade, acima de tudo, e está trabalhando de forma próxima e transparente com o Departamento de Saúde do Estado do Havaí para determinar o caminho a seguir”, diz a nota da Liga Mundial de Surfe.

Além disso, a entidade afirmou que “acredita que nenhum atleta tenha sido exposto” ao novo coronavírus.

Brasileiros

O Billabong Pipe Masters começou na última quarta-feira (9), com 11 brasileiros caindo na água. Deles, oito se garantiram na terceira fase: Filipe Toledo, Yaho Dora, Miguel Pupo, Caio Ibelli, Jadson André, Deivid Silva e os campeões mundiais Gabriel Medina (2014 e 2018) e Ítalo Ferreira (2019).

Por Agência Brasil

Seleção de judô disputa Pan-Americano neste fim de semana

Ketleyn Quadros, do judô (Rafael Burza)

Começa nesta sexta-feira (20), o Pan-Americano Sênior de Judô, em Guadalajara, no México. A competição distribui até 700 pontos no ranking mundial classificatório para Tóquio aos vencedores das diversas categorias que estarão em disputa. O campeonato encerrará o calendário de competições internacionais do judô em 2020.

Após a paralisação dos eventos pela pandemia do novo coronavírus, os brasileiros estiveram em dois torneios. Em setembro, teve a Taça Kobayashi, em Coimbra, Portugal. E, em outubro, o Grand Slam da Hungria, que valeu pontos no ranking. Nesse evento foram conquistadas três medalhas de bronze: na categoria acima de 78kg, Beatriz Souza e Maria Suelen e, na categoria até 66kg, William Lima.

A equipe participou também de um período de treinamento de campo em Coimbra, Portugal, dentro da Missão Europa do Comitê Olímpico do Brasil, e de dois treinamentos promovidos pela Confederação Brasileira, em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo.

“A preparação foi muito boa, estudei bastante as minhas adversárias e me sinto pronta para esse Pan-Americano, que é uma competição que soma muitos pontos no ranking”, avaliou a peso leve Jéssica Pereira, que é bicampeã pan-americana (2017 e 2018), mas em outra categoria, até 52kg. “Pude competir em Portugal e foi uma experiência incrível, porque não conheço muitas atletas nessa nova categoria. Lá, fiz uma luta com a Telma Monteiro (11ª no ranking mundial) e foi muito importante para mim essa evolução desde Portugal até aqui. Me sinto mais preparada para lutar o Pan”, concluiu a carioca, que está participando na categoria até 57kg.

Dona da primeira medalha olímpica de uma mulher brasileira em competições individuais, ao faturar o bronze em Pequim/2008, Ketleyn Quadros (na categoria até 63kg) volta ao Pan depois de cinco anos. “O desafio é gigante. Quero aproveitar bem a chance de pegar no quimono dessas atletas. Tem uma venezuelana muito forte, que acabou passando por mim agora na Hungria. Uma atleta de Cuba é super competitiva. A canadense que está logo acima de mim no ranking. Enfim, a briga vai ser muito boa. Toda mundo quer ficar entre as oito melhores no ranking mundial para ser cabeça de chave em Tóquio”, disse a atleta, que atualmente é a décima no ranking mundial.

Além da dupla, fazem parte da equipe feminina nacional Larissa Pimenta (52kg), Eleudis Valentim (52kg), Maria Portela (70kg), Beatriz Souza (+78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg). Apenas Ketelyn Nascimento (57kg) apresentou resultado positivo para Covid-19 no teste pré-viagem e não disputará esse Pan. A atleta está assintomática, em isolamento, e recebendo os cuidados necessários.

No naipe masculino, a seleção brasileira viajou com a força máxima. O time conta com Eric Takabatake (60kg), Daniel Cargnin (66kg), Eduardo Katsuhiro (73kg), Eduardo Yudy Santos (81kg), Rafael Macedo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg), Leonardo Gonçalves (100kg), Rafael Silva Baby (+100kg) e David Moura (+100kg).

Programação do Pan-Americano:

Sexta-feira, 20

13h00 (horário de Brasília) – Preliminares
18h30 (horário de Brasília) – Medalhas

Eric Takabatake (60kg/EC Pinheiros/FPJudo)
Daniel Cargnin (66kg/Sogipa/FGJ)
Eduardo Katsuhiro (73kg/Clube Paineiras do Morumby/FPJudo)
Larissa Pimenta (52kg/EC Pinheiros/FPJudo)
Eleudis Valentim (52kg/Instituto Reação/FJERJ)
Jéssica Pereira (57kg/Instituto Reação/FJERJ)
Ketleyn Quadros (63kg/Sogipa/FGJ)

Sábado, 21

13h (horário de Brasília) – Preliminares
18h30 (horário de Brasília) – Medalhas

Eduardo Yudy Santos (81kg/EC Pinheiros/FPJudo)
Rafael Macedo (90kg/Sogipa/FGJ)
Rafael Buzacarini (100kg/Clube Paineiras do Morumby/FPJudo)
Leonardo Gonçalves (100kg/Sogipa/FGJ)
Rafael Silva Baby (+100kg/EC Pinheiros/FPJudo)
David Moura (+100kg/Instituo Reação/FJERJ)
Maria Portela (70kg/Sogipa/FGJ)
Beatriz Souza (+78kg/EC Pinheiros/FPJudo)
Maria Suelen Altheman (+78kg/EC Pinheiros/FPJudo)

Domingo, 22

12h (horário de Brasília) – Preliminares
15h (horário de Brasília) – Medalhas

Competição por Equipes Mistas

Por Juliano Justo – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

Tênis: Melo encerra ATP Finals com vitória e anuncia fim da dupla com Kubot

(Clive Brunskill/Getty Images/ATP/via Agência Brasil)

A vitória desta quinta-feira (18) sobre o holandês Wesley Koolhof e o croata Nikola Mektic, por 2 sets a 1, marcou o fim da parceria de quatro temporadas entre Marcelo Melo e Lukazs Kubot. Apesar do resultado positivo, o brasileiro e o polonês não avançaram à semifinal do ATP Finals, torneio em Londres (Inglaterra) que reúne as oito melhores duplas de 2020. Com duas derrotas nos duelos anteriores pela fase de grupos, eles já entraram em quadra sem chances de classificação.

Melo e Kubot conseguiram uma quebra de saque no quinto game e confirmaram o serviço seguinte, abrindo 4 a 2 e administrando a vantagem para fechar em 6/4. Na segunda parcial, com uma quebra para cada lado, a decisão foi no tie-break. Koolhof e Mektic abriram 5 a 1 e controlaram o jogo fazendo 7/2. No terceiro set, disputado em melhor de 10 pontos, a dupla Brasil-Polônia se manteve dois a três pontos na frente, definindo o jogo em 10/8, após uma hora e 44 minutos.

“Realmente foi um final de parceria muito emocionante. A gente teve uma história muito legal. Por isso a emoção, de os dois chorarem [no fim da partida]. Isso representa o quão perto ficamos, em termos de amizade, de chegar a número um do mundo [nas duplas]. Não são todos os times que terminam, mas ficam tão próximos”, comentou o mineiro, após a partida.

Apesar da vitória desta quinta (19), Melo e Kubot não conseguem alcançar Koolhof e Mektic – que ganharam os dois jogos anteriores – na classificação do grupo Mike Bryan do ATP Finals. A parceria também fica atrás de quem ganhar no confronto dos alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies com o norte-americano Rajeev Ram e o britânico Joe Salisbury, que se enfrentam ainda nesta quinta. As duas duplas acumulam um triunfo cada.

Dupla vitoriosa

A parceria entre Melo e Kubot começou para valer em 2017, mas eles já haviam atuado juntos nos dois anos anteriores, com o bicampeonato do ATP 500 de Viena (Áustria). Ao todo, eles conquistaram 15 títulos, com destaque ao de Wimbledon (Inglaterra), um dos quatro principais torneios do circuito mundial (Grand Slam), logo no primeiro ano da dupla. O brasileiro encerrou aquela temporada como primeiro do ranking de duplas da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

Em 2020, foram duas conquistas: os ATP 500 de Acapulco (México) e novamente Viena. Eles encerram o ano – e a parceria – como a oitava melhor do mundo e empatados no sétimo lugar individual do ranking. O mineiro, de 37 anos, ainda não anunciou com quem atuará no circuito na próxima temporada.

Mais Brasil

Nesta sexta-feira (20), às 9h (horário de Brasília), o também mineiro Bruno Soares tem a chance de se garantir na semifinal do Finals. A parceria do brasileiro com o croata Mate Pavic encara os australianos John Peers e Michael Venus e precisa ganhar para seguir à próxima fase. A dupla tem uma vitória – na estreia, sobre o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin – e uma derrota, ontem (18), para o espanhol Marcel Granollers e o argentino Horacio Zeballos.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional