Bruno Soares estreia com vitória de virada nas duplas do ATP Finals

(Redes Sociais)

O tenista Bruno Soares largou com vitória na chave de duplas do ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias da temporada. Nesta segunda-feira (16), em Londres (Inglaterra), o brasileiro e o croata Mate Pavic derrotaram o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (6/8), 6/1 e 10/4.

A vitória põe Soares e Pavic na vice-liderança do grupo Bob Bryan (confira abaixo os integrantes), atrás da parceria do espanhol Marcel Granollers com o argentino Horacio Zeballos, que também estreou vencendo –  ganharam em sets diretos, o que lhes garante o topo da chave –  os australianos John Peers e Michael Venus, com parciais de 7/6 (7/2) e 7/5. O brasileiro e o croata aguardam a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) confirmar o próximo jogo deles na competição.

Após perderem o primeiro set em um apertado tie-break (8/6), Soares e Pavic venceram com facilidade a segunda parcial (6/1), chegando com moral para o terceiro set. O equilíbrio dos seis primeiros pontos disputados – três para cada dupla – logo se esvaiu, com a sequência de seis pontos seguidos anotados pela parceria Brasil-Croácia, que só administrou o jogo até fechá-lo em 10/4.

As duplas participantes estão reunidas em dois grupos. As duas melhores de cada chave avançam às semifinais. O também brasileiro Marcelo Melo – que joga com o polonês Lukazs Kubot – figura no grupo Mike Bryan. Nesta terça-feira (17), às 9h (horário de Brasília), eles enfrentam os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, pela segunda rodada.

Na estreia, a parceria Melo e Kubot  perderam para o norte-americano Rajeev Ram com o britânico Joe Salisbury por 2 sets a 1. A outra dupla da chave, formada pelo holandês Wesley Koolhof e pelo croata Nikola Mektic, superou Krawietz e Mies na primeira rodada, também por 2 a 1.

Confira abaixo os integrantes de cada chave:

Grupo Bob Bryan

Mate Pavic (Croácia) / Bruno Soares (Brasil)

Marcelo Granollers (Espanha) / Horacio Zeballos (Argentina)

John Peers (Austrália) / Michael Venus (Nova Zelândia)

Jurgen Melzer (Áustria)/ Edouard Roger-Vasselin (França)

Grupo Mike Bryan

Rajeev Ram (EUA) / Joe Salisbury (Grã-Bretanha)

Kevin Krawietz / Andreas Mies (Alemanha)

Wesley Koolhof (Holanda) / Nikola Mektic (Croácia)

Lukasz Kubot (Polônia) / Marcelo Melo (Brasil)

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional 

Nicholas Santos alcança melhor marca da carreira

(Satiro Sodré/CBDA)

Na quinta-feira (5), durante a sétima etapa da Liga Internacional de Natação (ISL, sigla em inglês), em Budapeste, na Hungria, o principal destaque brasileiro foi Nicholas Santos. Aos 40 anos, o nadador alcançou a melhor marca pessoal nos 100 metros borboleta cravando 50 segundos e 18 décimos, bem abaixo da antiga marca que era 50 segundos e 60 décimos do Troféu José Finkel de 2014. Nesta quinta, ele ficou atrás apenas de Chad Le Clos. O nadador sul-africano, de 28 anos, foi campeão olímpico na prova dos 200 metros em Londres. Na semana passada, Nicholas Santos já havia vencido a prova dos 50 metros borboleta, com o tempo de 22 segundos e 30 décimos.

Na prova dos 200m medley, Leonardo Santos também foi destaque ao vencer a prova em 1 minuto 53 segundos e 19 décimos. Foi o segundo título dele nesta temporada.

Dois brasileiros ficaram em terceiro lugar em provas individuais. Ambos nadam pela equipe London Roar. Guilherme Guido, nos 50 metros costas, fechou com 23 segundos e 31 décimos. Vinícius Lanza, nos 100 borboleta, quebrou a barreira dos 50 segundos pela primeira vez na carreira, cravando a marca de 49 segundos e 92 décimos.

A ISL, disputada em piscina curta (25 metros), é o maior evento da modalidade neste ano de 2020. São aproximadamente 400 atletas divididos em 10 times de vários países. Essas equipes se enfrentam em dez etapas classificatórias até o fim de novembro. As finais estão previstas para os dias 21 e 22.

Tenista Marcelo Melo é tricampeão no ATP de Viena

Marcelo Melo conquista tricampeonato de duplas no ATP de Viena Título foi o 16º da parceria entre brasileiro e polonês Lukasz Kubot (e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer)

O tenista brasileiro Marcelo Melo conquistou o 35º título da carreira neste domingo (1º). A parceria entre o mineiro e o polonês Lukasz Kubot se sagrou campeã de duplas masculinas do ATP 500 de Viena (Áustria) ao superar os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/5) e 7/5, em uma hora e 55 minutos de partida.

Foi a terceira vez que Melo e Kubot levantaram a taça na capital austríaca, sendo a primeira desde que oficializaram a dupla, em 2017 – nas conquistas de 2015 e 2016, o mineiro tinha o croata Ivan Dodig como parceiro oficial. Juntos, o brasileiro e o polonês contabilizam 26 decisões e 16 títulos, sendo dois em 2020. Antes de Viena, eles foram campeões no ATP 500 de Acapulco (México).

“Foi uma partida muito apertada. Sabíamos que seria assim. Eles são uma grande equipe. Acho que conseguimos jogar como vínhamos fazendo desde o início do campeonato e isso foi muito bom. A partida foi decidida ponto a ponto”, analisou Melo, em entrevista após à partida, ao site oficial da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

Melo e Kubot estão empatados na 12ª posição do ranking de duplas masculinas da ATP. Com os 500 pontos somados em Viena, eles devem entrar no top-10 na atualização da próxima semana. O brasileiro e o polonês buscam vaga no ATP Finals, torneio que reunirá as oito melhores parcerias do ano entre os dias 15 e 22 de novembro, em Londres (Inglaterra).

O próximo desafio da dupla é o Masters 1000 de Paris que começa nesta segunda-feira (2).

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil 

Na Hungria, Guilherme Guido leva ouro e prata

(Comitê Olímpico Brasileiro/via Agência Brasil)

O brasileiro Guilherme Guido foi o grande destaque nesta sexta-feira (30), em Budapeste (Hungria), na abertura da quinta etapa da Liga Internacional de Natação (ISL, sigla em inglês). O atleta, que faz parte da equipe London Roar, ganhou a prova dos 50 metros costas, com a marca de 22seg86. Ele foi o único hoje (30) a nadar abaixo dos 23 segundos e passou a ter a segunda melhor marca da temporada.

Na sequência, Guido disputou a prova dos 4×100 medley, abrindo o revezamento do quarteto que finalizou em segundo lugar, com a medalha de prata. Abrindo o revezamento, Guido cravou o melhor tempo da temporada nos 100 costas em piscina curta (25 metros), com 49seg50. Antes, a marca era do campeão olímpico Ryan Murphy (49seg62). Além do brasileiro, participaram da prova os britânicos Adam Peaty (peito) e Duncan Scott (livre), e também o alemão Marius Kusch (borboleta).

Guilherme Guido. Medalha de prata. Natação - 100m costas masculino. Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Local: Centro Aquático Videna, em Lima (Peru). Data: 08.08.2019. Crédito obrigatório: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
Guilherme Guido foi o único hoje (30) a nadar abaixo dos 23 segundos nos 50 m costas e passou a ter a segunda melhor marca da temporada
(Abelardo Mendes Jr/rededoesporte.gov.br)

Outros brasileiros se destacaram nesta sexta (30), na capital húngra. Um deles foi Vinicius Lanza. Também defendendo a equipe London Roar, a mesma de Guido, ele foi o terceiro colocado nos 100 m borboleta: cravou 50seg01 e chegou a sua melhor marca pessoal. O tempo anterior, de 50seg17, foi obtido no Troféu José Finkel de 2018. Outro bom resultado veio com Felipe França, do time LA Current. O nadador cravou o segundo tempo na prova dos 50 m peito com 26seg15. Ele ainda fez parte do revezamento campeão do 4×100 medley, marcando 56.59 na parcial de peito.

A competição prossegue neste fim de semana. As disputas são transmitidas ao vivo no site da ISL.

Por Juliano Justo – Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional 

Superliga de Vôlei começa com jogos em São Paulo

(Divulgação)

Foram mais de sete meses de espera. Mas, a partir deste sábado (31), a Superliga masculina de vôlei está de volta. As 12 principais equipes do Brasil começam a corrida para conquistar o troféu da temporada 2020/2021 da principal competição da modalidade no país. Os jogos terão transmissão ao vivo no Canal Vôlei Brasil. A bola já sobe neste sábado (31), a partir das 19h (horário de Brasília), com a partida inaugural entre Ribeirão Preto (SP) e Minas Tênis Clube (MG), no ginásio da Cava do Bosque, na cidade de Ribeirão Preto, no interior paulista. Em razão dos protocolos sanitários para conter a disseminação do novo coronavírus (covid-19), a Superliga não terá presença de público nos estádios, pelo menos até o fim do ano, segundo Renato D’Ávila, superintendente de competições de quadra da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Marcos Pacheco, técnico do Ribeirão Preto, falou sobre as mudanças de elenco nos últimos meses, durante live (transmissão ao vivo) de lançamento da Superliga no perfil da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), no Facebook, na última terça-feira (27).  “É um grande desafio. Nós tínhamos outras perspectivas para esse ano. Mas, em função dessa nova realidade da pandemia, as coisas não andaram da forma como a gente gostaria. E vamos enfrentar essa Superliga com uma equipe bastante jovem. Temos grandes talentos, sim. Só que a maioria dos atletas não tem experiência em jogos como esses”, disse o comandante do Cavalo, como é conhecida a equipe de Ribeirão Preto (SP).

E logo na primeira rodada, o Cavalo terá pela frente um dos times mais tradicionais do vôlei nacional, o Minas Tênis Clube. Maior vencedora de torneios nacionais, a equipe mineira tem como principal nome para esta  temporada o levantador William Arjona, campeão olímpico. “A gente começa o torneio pensando em ir o mais longe possível. É claro que o grande objetivo é o título. Se vamos chegar ou não, só saberemos lá no final. Mas o investimento e o trabalho estão sendo feitos para isso”, afirmou o técnico Nery Tambeiro, também durante a live.

O segundo jogo da noite deste sábado (31) terá início às 21hh30.  O Sesi-SP estreia contra o Caramuru Vôlei, do Paraná, no ginásio da Vila Leopoldina, na capital São Paulo (SP). Para esta temporada, o tradicional Sesi vem com uma equipe completamente reformulada. A média de idade do plantel é de apenas 20 anos e nove meses. Inclusive, o técnico. o campeão olímpico Marcelo Negrão, estará estreando à frente de uma equipe na Superliga. Antes de assumir o comando da time principal, Negrão teve uma longa passagem pelas equipes de base do Sesi-SP.

“Quebramos um pouco o gelo no Paulista. Fizemos alguns amistosos e disputamos o Super Oito. Isso foi uma grande bagagem para eles iniciarem bem o campeonato. A Superliga é uma competição longa e o importante é evoluir sempre”, disse o treinador, em depoimento ao site da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV). 

Já Fábio Sampaio, no comando do time paranaense, acredita que a nova temporada revelará jovens jogadores. “Deve ser uma competição mais nivelada. Muitos times com elenco jovem. Essa Superliga deve revelar muitos novos talentos. Temos a expectativa de fazer um bom papel e o objetivo de ficar entre os oito melhores”, disse o treinador ao site da CBV.

No domingo (01), a rodada segue com o estreante Guarulhos, líder da Superliga B na edição passada, encara o Cruzeiro, no ginásio da Ponte Grande, em Guarulhos (SP), às 21h30. A aposta do time da grande São Paulo está na mescla de veteranos e novos talentos. A manutenção do medalhista olímpico Thiago Alves e as chegadas dos experientes Tiago Barth e Sandro Barbalho são peças importantes na preparação técnica do time.

“Evoluímos bastante durante o Campeonato Paulista, mas nosso foco sempre foi a Superliga. Trabalhamos bastante para fazer uma grande disputa”, disse o capitão Sandro, ex-jogador do Cruzeiro, o primeiro adversário do Guarulhos nesta temporada. Os mineiros vão em busca da sétima conquista da Superliga e novamente com um plantel cheio de estrelas, entre eles destacam-se o retorno do oposto Alan, o ponteiro argentino Facundo Conte e o central Otávio.

A rodada inicial continua na próxima terça (3 de novembro) com mais dois jogos. Em Montes Claros, o América-MG pega o campeão paulista Vôlei Renata, às 19h. Mais tarde, às 21h30, o Uberlândia-MG, também estreante no torneio, joga em casa com o Taubaté- (SP), no estádio Sabiazinho. O último jogo da primeira rodada será em 18 de novembro,  entre o Itapetininga-SP e o Blumenau-SC, às 17h, no Ayrton Senna da Silva, no interior paulista.. Essa partida precisou ser adiada pela CBV devido a oito atletas do Itapetininga-SP terem diagnósticos positivos para covid-19. A equipe só pode retornar aos treinamentos nesta semana.

Quanto aos protocolos sanitários, para evitar a propagação da covid-19, serão realizados testes a cada 15 dias. Os atletas que apresentarem resultados positivos deverão ficar em quarentena por dez dias. O time que tiver quatro ou mais atletas, ou dois levantadores infectados, poderá pedir o adiamento da partida.

Programação – 1ª rodada

sábado (31) 

 19h – Ribeirão Preto (SP) x Minas Tênis Clube (MG), na Cava do Bosque, em Ribeirão Preto (SP)

 21h30 – Sesi (SP) x Caramuru Vôlei (PR), na Vila Leopoldina, em São Paulo (SP)

domingo (1º de novembro) 

 21h30 – Guarulhos (SP) x Cruzeiro (MG), na Ponte Grande, em Guarulhos (SP)

terça-feira (3 de novembro)

19h – América (MG) x Vôlei Renata (SP), no Tancredo Neves, em Montes Claros (MG)

21h30 – Uberlândia (MG) x Taubaté (SP), no Sabiazinho, em Uberlândia (MG)

quarta-feira (18 de novembro) 

17h – Itapetininga (SP) x Blumenau (SC), no Ayrton Senna da Silva, em Itapetininga (SP)

Por Juiano Justo – Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional 

Seleção é a terceira do mundo, atrás de Bélgica e França

(Lucas Figueiredo/CBF)

A Fifa divulgou nesta quinta-feira (22) mais uma edição de seu ranking de seleções. A classificação não sofreu grandes modificações, especialmente nas dez primeiras posições, onde a Bélgica permanece na liderança, a atual campeã mundial França continua em segundo, e a seleção brasileira em terceiro.

O ranking foi divulgado após a realização dos jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo e da Liga das Nações (competição entre seleções europeias).

Entre os 10 primeiros colocados da classificação, aconteceram poucas modificações, com a Espanha assumindo a sexta posição no lugar de Portugal (sétima), e a Argentina assumindo a oitava posição no lugar da vice-campeã mundial Croácia (nona).

A equipe que mais ganhou posições no ranking foi Malta, que ultrapassou seis seleções para alcançar a 180ª colocação. A próxima edição do ranking de seleções da Fifa será divulgado no dia 26 de novembro.

Por Agência Brasil

Com goleada, Palmeiras interrompe trajetória do Tigre na Libertadores

O jogador Raphael Veiga comemora gol (Cesar Greco/Palmeiras/via Fotos Públicas)

O Palmeiras encerrou a sequência de quatro derrotas consecutivas com uma goleada de 5 a 0 sobre o Tigre (Argentina). A vitória desta quarta-feira (21), no Allianz Parque, em São Paulo, garantiu ao Verdão a melhor campanha da primeira fase da Libertadores pela terceira edição seguida. O Alviverde finalizou o Grupo B na liderança, com 16 pontos. É a mesma pontuação do Santos, primeiro colocado do Grupo G, mas a campanha palmeirense supera a santista no saldo de gols (15 a 5)

O Tigre, com o tropeço, despede-se da Libertadores com um só ponto, em último no Grupo B e a pior campanha geral. O outro classificado da chave foi Guaraní (Paraguai), que ficou no 1 a 1 com o Bolívar (Bolívia) em casa também nesta quarta. Os paraguaios somaram 11 pontos, enquanto os bolivianos (que disputarão a sequência da Copa Sul-Americana) acumularam cinco pontos, em terceiro lugar.

Desfigurado por sete desfalques, sendo quatro pelo novo coronavírus (covid-19), o Tigre assustou no primeiro minuto, após uma sequência de erros do zagueiro Felipe Melo e do lateral Matías Viña, que o meia Diego Morales não aproveitou. Daí em diante, o Palmeiras controlou a partida com tranquilidade, apesar de ter balançado as redes apenas aos 33 minutos, com o meia Raphael Veiga, após cruzamento do atacante Wesley pela esquerda.

O Verdão construiu a goleada no segundo tempo. Aos oito minutos, na sequência de um pênalti desperdiçado pelo atacante Luiz Adriano, o zagueiro Gustavo Gómez marcou de cabeça. Aos 20, Wesley ganhou uma dividida na entrada da área e rolou para o meia Zé Rafael bater cruzado e fazer o terceiro gol. Nove minutos depois, o atacante Rony cruzou pela esquerda para o também atacante Gabriel Veron finalizar. Já aos 35, o próprio Rony fechou o placar.

O Palmeiras aguarda o sorteio dos confrontos da próxima fase da Libertadores, marcado para sexta-feira (23). Pela Série A do Campeonato Brasileiro, o Verdão retorna a campo neste domingo (25), às 16h (horário de Brasília), contra o Atlético-GO, em Goiânia, pela 18ª rodada da competição.

Confira a classificação da Libertadores.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Seleção feminina começa a treinar na Europa

(Laura Zago/CBF/via Agência Brasil)

A seleção feminina realizou nesta terça (20) seu primeiro treino em Portimão (Portugal). Nesta atividade, a equipe brasileira de futebol comandada pela técnica sueca Pia Sundhage estava praticamente completa, a única ausência era a atacante Marta, que se junta ao grupo na próxima sexta (23).

As atividades da seleção brasileira serão realizadas até a próxima terça (27) no Hotel Penina, e o objetivo é a preparação para os Jogos Olímpicos de 2021 (Tóquio). Este período de treinos também é importante porque é o primeiro com a presença das atletas que atuam na Europa, na China e nos Estados Unidos desde março deste ano, quando aconteceu o Torneio Internacional da França.

Atividade em campo

No primeiro dia em Portimão, a equipe brasileira já entrou em campo. O treino foi dividido em três partes. Na primeira, a treinadora sueca enfatizou o trabalho de quebra de linhas de defesa por meio de passes. Na segunda aconteceu um coletivo em campo reduzido. E na parte final a ênfase foi nas finalizações.

Novidades

Para este período de atividades Pia Sundhage convocou algumas novidades, como as meias Giovanna, Laís e Ana Vitória, e a atacante Mylena.

Por Agência Brasil

Fernando Prass reencontra Palmeiras no Ceará

Fernando Prass enquanto atuava pelo Palmeiras
(Arquivo/Cesar Greco/Palmeiras/via Agência Brasil)

No Palmeiras, foram sete temporadas, 274 jogos e quatro títulos: uma Série B (2013), duas Séries A (2016 e 2018) de Campeonato Brasileiro e, talvez, o mais emblemático, a Copa do Brasil de 2015. Na final contra o Santos, Fernando Prass se agigantou na disputa de pênaltis e ainda marcou o gol que sacramentou a primeira conquista do Verdão no Allianz Parque (e a última antes da fase abastada do clube, iniciada no ano seguinte).

Neste sábado (3), goleiro e Palmeiras estarão novamente no mesmo gramado, mas em lados opostos. Fernando Prass defenderá a meta do Ceará, time do qual é um dos protagonistas em 2020, no primeiro reencontro com o ex-clube, do qual se despediu em dezembro. No Vozão, o arqueiro é titular desde a estreia, em 26 de janeiro, contra o Frei Paulistano, na Copa do Nordeste, torneio do qual foi campeão. De lá para cá, esteve em 37 dos 39 jogos do Alvinegro.

Transmissão da Rádio Nacional

A bola começa a rolar no Allianz às 19h (horário de Brasília), com transmissão da Rádio Nacional a partir das 18h30. A partida é válida pela 13ª rodada da Série A e terá narração de Rodrigo Campos, com comentários de Mário Silva, reportagem de Rafael Monteiro e plantão esportivo de Bruno Mendes.

Como chegam as equipes

O Palmeiras tem desfalques para encarar o Ceará. O volante Gabriel Menino e os meias Zé Rafael e Lucas Lima estão suspensos. Na vitória por 5 a 0 sobre o Bolívar, na última quarta-feira (30), que assegurou a equipe nas oitavas de final da Libertadores, o técnico Vanderlei Luxemburgo escalou o volante Bruno Henrique, o meia Raphael Veiga e o atacante Rony, deixando o trio no banco, dando pistas de quem levará a campo.

No Ceará, o técnico Guto Ferreira tem ainda mais problemas. Os laterais Samuel Xavier (dores musculares) e Bruno Pacheco (levou quatro pontos na testa, após um choque de cabeça durante a final do Campeonato Cearense, contra o Fortaleza, na quarta), o zagueiro Luiz Otávio, o volante Fernando Sobral e o meia Vina (poupados) sequer viajaram. O zagueiro Klaus, o volante William Oliveira e o atacante Rodrigão estão contundidos.

Cinco pontos separam as equipes, que figuram em metades diferentes da tabela. O Palmeiras é o quarto colocado, com os mesmos 19 pontos do São Paulo, ficando atrás pelo número de vitórias (cinco a quatro para o Tricolor). O Ceará aparece em 12º, com 14 pontos, três a frente do Coritiba, primeira equipe na zona do rebaixamento.

Mais Brasileirão

Outras duas partidas movimentam o sábado pelo Brasileirão. Às 17h, o clássico Gre-Nal abre a rodada na Arena do Grêmio. O Tricolor chega embalado pela vitória por 2 a 0 sobre a Universidad Católica (Chile), que garantiu o time de Renato Portaluppi na próxima fase da Libertadores. O Colorado, que deixou escapar a chance de também se classificar por antecipação na competição sul-americana ao empatar por 0 a 0 com o América de Cali (Colômbia), tenta encerrar um incômodo jejum de 10 jogos sem vencer o maior rival.

Na competição nacional, porém, a situação do Inter é mais confortável. A equipe dirigida por Eduardo Coudet é a vice-líder, com 21 pontos, a três pontos do Atlético-MG. Apesar disso, o Colorado não vence há três jogos pelo Brasileiro e só obteve cinco dos últimos 15 pontos disputados. O Grêmio é apenas o 15º colocado, com 13 pontos e apenas duas vitórias em 11 partidas, com sete empates.

Já às 21h, o Red Bull Bragantino recebe o Corinthians no estádio Nabi Abi Chedid. Apenas dois pontos distanciam os times paulistas. O Massa Bruta é o 18º, com 11 pontos, mas não tropeça há duas partidas, com uma vitória (4 a 2 no Ceará, em casa) e um empate (1 a 1 com o Vasco, fora) no período. O Timão ocupa o 14º lugar, com 13 pontos, e perdeu em três das últimas cinco vezes que esteve em campo, com uma vitória (3 a 2 sobre o Bahia, na Neo Química Arena) e um empate sem gols com o Atlético-GO, na quarta passada, também em São Paulo.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Tite destaca boa fase de Neymar e versatilidade de convocados

Tite, técnico da Seleção Brasileira de Futebol Masculino (Lucas Figueiredo/CBF)

Apesar de o título da Liga dos Campeões  ter escapado do Paris Saint-Germain, da França, o futebol apresentado por Neymar na reta final da competição deixou Tite animado. O técnico da seleção brasileira comemorou a possibilidade de ter o atacante em grande fase técnica e física para o início das Eliminatórias da Copa do Mundo, em outubro, contra Bolívia e Peru.

“O Neymar, nesse grande grande momento, é extremamente importante e diferenciado, sem os problemas clínicos que o afetaram, e dando sequência à plenitude da condição. Estava tentando lembrar da última vez que a gente o teve nessa plenitude”, destacou Tite, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (18), transmitida pela CBFTV. “A seleção procura o atleta no melhor momento, para que ele nos transfira o conjunto da obra. Neymar é um líder técnico extraordinário”, completou.

Neymar (Arquivo/C.Gavelle/PSG/via Fotos Públicas)

Entre 2018 e 2019, Neymar raramente esteve 100% com a seleção. Uma fratura no quinto metatarso do pé direito, além de uma lesão no tornozelo da mesma perna, atrapalharam o atacante na Copa do Mundo da Rússia. As contusões voltaram a incomodar o camisa 10 no ano passado. Em junho, antes da Copa América, ele voltou a sentir o tornozelo logo no início de um amistoso contra o Catar, em Brasília, e foi cortado da competição.

A expectativa da comissão técnica é que Neymar seja um dos líderes em uma convocação que também reúne caras novas, como o meia Bruno Guimarães, do Lyon (França), o atacante Rodrygo, do Real Madrid (Espanha), e o volante Gabriel Menino, chamado como lateral, mas que também atua como meio-campo pelo Palmeiras.

“Ele [Neymar] terminou a Champions jogando com muita qualidade. A gente o espera como um esteio para essa meninada, com liderança técnica, e outros atletas também com liderança de comando, de postura forte, de combatividade”, disse Cleber Xavier, auxiliar de Tite, também na coletiva.

As presenças de Rodrygo e Gabriel Menino, aliás, foram temas recorrentes na entrevista. Sobre ambos, Tite e comissão técnica enalteceram a polivalência dos atletas. Especificamente a respeito do palmeirense ter sido chamado como lateral, e não como volante, o treinador revelou que as coleta de informações não se limitou aos jogos do Verdão na temporada.

“Ele teve formação como lateral, também. Falamos com Ângelo, do sub-15 do Guarani, com o Paulo [Vitor Gomes], da seleção sub-17 e que era da sub-15. Temos as informações das características pessoais e técnicas do atleta, além do acompanhamento in loco em quatro jogos e oito pela TV. É um novo talento surgindo em uma posição importante. Em termos táticos, o Daniel Alves, que joga no meio pelo São Paulo, faz uma função de armação que é a mesma que faz na seleção. O inverso serve para o Menino. Ele trabalha pelo centro, mas sua função ofensiva será de articulador, similar ao Palmeiras”, explicou o técnico.

Já sobre Rodrygo, Cléber Xavier destacou a capacidade do atacante cair pelos dois flancos.

“Ele é um jogador de lado esquerdo, mas também atuou no Santos pela direita. No Real, incorporou esse lado direito. É muito forte no um contra e um e nos traz essa opção para determinados momentos do jogo”, justificou o auxiliar. “Ele abre o campo, para dar espaço de infiltração, e tem naturalidade nos movimentos”, completou Tite.

A seleção brasileira estreia nas eliminatórias no próximo dia 9 de outubro, contra a Bolívia, na Neo Química Arena, em São Paulo (SP). Quatro dias depois, visita o Peru, em Lima. Devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19) e às medidas de segurança sanitária que têm sido adotadas para os jogos, não haverá presença de torcedores.

“Estar perto do torcedor é uma energia inconteste. Fui assistir a um jogo no Maracanã, da cabine. Você olha, não vê público, é estranho. Você quer voltar a trabalhar em um ritmo normal e pensa: ‘não é normal ainda, calma’. As coisas estão voltando aos poucos. Nada substitui o contato humano”, concluiu o técnico brasileiro.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional