Imagem panorâmica mostra trecho da marginal tiete, em São Paulo, com ceu encoberto por nuvens. É possível ver arcos do sambodromo do anhembi e trânsito congestionado.

Frio aumenta e litoral pode ter vento forte esta semana

A temperatura vai cair bastante nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste nos próximos dias. Em algumas áreas do Sul, a instabilidade pode provocar chuva forte, trovoadas, rajadas de vento e queda de granizo. O volume de chuva pode ultrapassar 100 milímetros em Santa Catarina, no norte do Rio Grande do Sul e, no sul do Paraná.

A geada que começou no último sábado (13), em áreas do Rio Grande do Sul e da Serra Catarinense, deve continuar nos próximos dias, com mínimas previstas entre 1º e 4º graus Celsus (C).

Nesta segunda (8), a previsão é de temporais na Região Sul e no Mato Grosso do Sul, com chuvas e ventos fortes. Vai fazer frio também em Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Na terça-feira (9), a formação de uma frente fria vai manter o tempo muito instável, com previsão de temporais em áreas do centro-sul do Brasil.

Já na quarta-feira (10), deve chover em áreas onde a seca já supera os 80 dias, como no centro e sul de Goiás e no Distrito Federal, e também em pontos do Sudeste, como informa a meteorologista Naiane Araújo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

“O sul de Goiás vai ter uma virada do tempo em meados da semana que vem. São Paulo e Rio de Janeiro tem chances de chuva muito fraca e isolada”, diz Naiane Araújo.

Deve nevar na serra catarinense também na quarta-feira (10). E no litoral da Região Sul e de São Paulo, são esperados ventos fortes acima dos 80 quilômetros por hora. 

Capital inicia ‘estado de alerta’ por causa do frio

A Capital Paulista iniciou às 16h de hoje (29) o ‘estado de alerta’ por causa do frio. Após a passagem de uma frente fria pelo litoral de São Paulo, uma massa de ar polar deve derrubar as temperaturas no fim de semana.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP), os termômetros podem chegar a 10ºC. no sábado (30) e 9ºC no domingo (31).

Com o estado de alerta, a Prefeitura implementa medidas para proteger do frio pessoas em situação de rua. Equipes percorrem as ruas e oferecem abrigos temporários.

A população pode solicitar apoio, caso veja pessoas nas ruas precisando de abrigo, por meio do telefone 156.

Pessoa usa guarda-chuvaao se aproximar de um barco, onde outra pessoa está dentro e também usando proteção para a chuva. Ao fundo, parte do mar sem ondas.

Frente fria deixa mar agitado e traz frio para o fim de semana

A passagem de uma frente fria pelo litoral de São Paulo, nesta sexta-feira (29), trará ventos fortes, mar agitado, maré elevada e queda nas temperaturas, que devem chegar a 13°C. As previsões para o fim de semana são da Defesa Civil de Santos e do Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas da Universidade Santa Cecília (NPH-Unisanta). O estado é de atenção, segundo o município.

O sistema deve causar, já a partir da madrugada desta sexta (noite de quinta-feira), elevação da nebulosidade e, principalmente, intensificação dos ventos. Há 80% de chances de pancadas de chuva em alguns períodos de sexta, com fortes rajadas de vento.

Pessoa usa guarda-chuvaao se aproximar de um barco, onde outra pessoa está dentro e também usando proteção para a chuva. Ao fundo, parte do mar sem ondas.
Frente fria no litoral: Previsão de frio em Santos (Pref. de Santos)

Para o fim de semana, não há previsão de chuvas e ventos intensos, com probabilidade de 40% e 30% para sábado (30) e domingo (31), respectivamente. As temperaturas também devem cair neste período, principalmente à noite. As máximas devem chegar a 21°C e as mínimas a 13°C. As temperaturas devem subir gradualmente ao longo da próxima semana.

Em relação às condições marítimas, a altura das ondas deve variar entre 1,5m e 2,6m na baía de Santos até domingo. O pico da maré deve acontecer às 16h de sábado, quando a altura poderá ultrapassar 1,9m no interior do estuário e 2,1m na baía da Cidade. Já o pico das ondas deve ocorrer por volta das 3h de domingo, quando podem ultrapassar os 2,5m na baía do Município.

De acordo com o Plano Municipal de Contingência para Ressacas e Inundações, o estado é de atenção. Se a previsão se mantiver, haverá possibilidade de alagamentos pontuais e danos nas estruturas urbanas costeiras. 

Região Metropolitana

Na região metropolitana de São Paulo, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP), também há previsão de chuva e queda na temperatura, “principalmente neste final de semana”. A frente fria vem “com rápido deslocamento e acompanhada de uma massa de ar polar vai provocar chuva de baixo volume, porém com declínio acentuado das temperaturas”, informa o CGE-SP.

Na Capital Paulista, a mínima pode chegar a 10ºC. Há previsão de chuva fraca, o que melhora as condições do ar.

*Com Prefeitura de Santos

Céu coberto por nuvens. Nevoeiro sobre os prédios da zona norte de São Paulo. Na parte de baixo da foto, a Marginal TietÊ com vários carros passando.

Terça-feira começa com 11ºC e tempo fechado

A manhã de terça-feira (28) começou com céu nublado e sensação de frio. Os termômetros localizados nas estações meteorológicas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP) registraram média de 11ºC.

Ao longo do dia, a temperatura avança, mas não deve passar de 24ºC. Segundo os meteorologistas, não há previsão de chuva.

Céu coberto por nuvens. Nevoeiro sobre os prédios da zona norte de São Paulo. Na parte de baixo da foto, a Marginal TietÊ com vários carros passando.
(Redação/SP Agora)

Na cidade de São Paulo, a Defesa Civil mantém estado de atenção para baixas temperaturas. Desde sábado (25), equipes realizam abordagens às pessoas que vivem na rua por causa do frio.

“A semana ainda será marcada por madrugadas frias, porém com temperaturas em gradativa elevação durante as tardes”, informa o CGE-SP.

Ciclista pedala com céu encoberto por nuvens

Semana terá madrugadas frias; veja a previsão

A manhã de hoje (27), na capital paulista, terminou com céu encoberto, sem chuvas e com temperaturas em lenta elevação, de acordo com os registros do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da prefeitura de São Paulo. Os termômetros registraram temperatura média de 15,7°C e a máxima pode alcançar aos 20°C. A umidade relativa do ar oscila em torno de 75% e dia segue sem previsão de chuva.

Segundo as informações, o banco de dados do CGE registrou 28,5mm de chuva até às 7h desta segunda-feira (27) no mês de junho, onde são esperados 51,2mm. Ou seja, este valor equivale à 55,7% da média para o mês.

De acordo com os meteorologistas, a semana ainda será marcada por madrugadas frias, porém com temperaturas em gradativa elevação durante as tardes. Amanhã (28), o dia começa com uma madrugada de céu nublado e sensação de frio. Os termômetros devem registrar em média 11°C. Ao longo do dia a nebulosidade diminui e favorece a elevação das temperaturas, que devem atingir 24°C nas horas de maior aquecimento durante a tarde. A umidade do ar entra em declínio, com valores mínimos em torno dos 33% e também não há previsão de chuva.

Na quarta-feira (29), haverá predomínio de sol entre poucas nuvens desde o amanhecer e temperaturas entre mínima de 12°C e máxima que 24°C no período da tarde. Os percentuais de umidade do ar se mantêm baixos nas horas mais quentes do dia, com valores próximos aos 31%. O dia deve terminar com aumento da nebulosidade, mas sem previsão de chuva.

Nova onda de frio derruba temperaturas

Após a intensa onda de frio em maio, as temperaturas devem cair na Região Sul do país neste fim de semana, em razão de uma frente fria. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a nova onda de frio nos próximos dias deve durar até segunda-feira (13). O motivo é uma massa de ar de origem polar, com previsão de geada.

De acordo com o Inmet, este sábado (11) será gelado em toda a Região Sul. As temperaturas mínimas ficarão em torno de menos 5 graus Celsius (°C), nas serras gaúcha e catarinense.

Além do Sul, o frio deve atingir também Mato Grosso do Sul, áreas de Mato Grosso, São Paulo e no extremo sul de Goiás, favorecendo a diminuição das temperaturas máximas.

Termômetro marca dez graus enquanto homem aparece com blusa e capuz encobrindo a cabeça
Capital Paulista terá mínima de 10ºC (Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil)

De acordo com o Inmet, o ar frio também pode causar um novo episódio de friagem em áreas das regiões Centro-Oeste e Norte.

No domingo, o ar frio avança para o Mato Grosso do Sul, São Paulo e Mato Grosso. Nesse dia, as temperaturas deverão variar entre 4°C e 20°C em Ponta Porã (MS), entre 5°C e 15°C em Campos do Jordão (SP) e entre 10°C e 20°C na capital paulista.

Ainda há previsão de geada ampla e de intensidade moderada a forte em áreas do oeste, norte e Serras do Rio Grande do Sul, sul do Paraná e em praticamente todo o estado de Santa Catarina, com exceção apenas do litoral. Também há previsão de geada, de menor intensidade, no centro e norte do Paraná e no sul de São Paulo e do Mato Grosso do Sul.

O instituto emitiu ainda um aviso de perigo potencial de ventos costeiros que podem atingir a Grande Florianópolis, o Sul Catarinense, o Sudeste do Rio Grande do Sul e a região metropolitana de Porto Alegre.

Para a segunda-feira (13), a previsão do Inmet é de temperaturas ainda abaixo de zero nas serras gaúcha e catarinense, com possibilidade de geadas para a Região Sul, além de áreas do sul do Mato Grosso do Sul e de São Paulo e da Serra da Mantiqueira.

Frente fria deve derrubar temperaturas no fim de semana

Uma nova massa de ar frio se aproxima da cidade de São Paulo nesta quarta-feira (8), segundo o Climatempo. A previsão aponta uma queda de 10ºC na temperatura máxima da capital até o fim de semana.

No próximo sábado (11), a previsão aponta para mínimas de 11ºC e máximas de 16ºC. Já no domingo (12), no Dia Dos Namorados, a temperatura deve chegar a casa de 10ºC e máximas de 16ºC.

De acordo com os meteorologistas, a entrada de ar frio que vem da região Sul do país avança em direção ao Sudeste, no entanto, será menos intensa na capital paulista.

As baixas temperaturas devem permanecer durante todo o domingo, não somente na capital, mas também por todo o estado. Apesar da avaliação de nebulosidade ao amanhecer, os meteorologistas afirmam que não há previsão para chuva no Dia dos Namorados.

A situação deve permanecer no início da próxima semana, na segunda-feira (13), a cidade de São Paulo pode registrar mínima de 7ºC, segundo cálculo da estação meteorológica do Mirante de Santana, divulgada pelo MetSul Meteorologia.

Homem de blusa e capuz, usando máscara, parado ao sol. Ao fundo é possível ver desfocadas outras pessoas com blusa e máscara.

Após semana gelada, frio perde força e Capital chega a 24ºC

Depois da última semana em que uma massa de ar polar derrubou as temperaturas em todo o país, a partir de domingo (22), o frio perde força sobre as regiões e as tardes ainda serão amenas, mas as manhãs terão aumento na temperatura.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), algumas capitais amanheceram neste domingo (22) com temperaturas próximas a 10 gruas Celsius (°C) ou menos e possibilidade de geada em áreas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Serra da Mantiqueira (SP e MG).

A partir de amanhã (23), todo o Centro-sul do país deixa de sentir a sensação de frio. O Rio de Janeiro volta a registrar 27°C, São Paulo alcança os 24°C e a previsão é de temperaturas agradáveis na Região Sul, considerando a época do ano, que não registra calorão nestas regiões.

Homem de blusa e capuz, usando máscara, parado ao sol. Ao fundo é possível ver desfocadas outras pessoas com blusa e máscara.
(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Durante a próxima semana e até o fim do mês de maio, os dias seguem o padrão normal dentro da Climatologia. A massa de ar seco segue atuando no Centro-sul do Brasil, e os índices de umidade do ar tendem a cair.

Volta a chover sobre o Rio Grande do Sul ao longo da semana e os dias terão grande amplitude térmica, ou seja, manhãs e noites frias, mas com tardes quentes.

Segundo os meteorologistas, os modelos meteorológicos indicam que, em meados de junho, há previsão para a chegada de uma nova massa de ar polar, que resulta em uma onda de frio tão intensa quanto a observada nos últimos dias.

Campo

As temperaturas baixas da última semana e ocorrência de geadas no Centro-sul do país poderão impactar os cultivos de milho e feijão de segunda safra, que se encontram em fases fenológicas sensíveis, além das hortaliças e das culturas perenes como o café, cana-de-açúcar e frutas.

Segundo o Inmet, outro fator importante é que a queda de temperatura e a maior intensidade de geada podem ocasionar a ocorrência da temperatura letal, ou seja, uma temperatura que promove danos mais graves e irreversíveis às culturas.

Os registros de temperaturas nas estações meteorológicas menores que 2°C na fase de florescimento, por exemplo, podem comprometer a cultura do milho, enquanto 1°C, nesta mesma fase, impacta severamente a cultura do feijão (o feijão é afetado por temperaturas mais altas que essa).

Café e banana

Por ser uma cultura pouco tolerante ao frio, no caso do café, a ocorrência de temperaturas abaixo de 0°C no abrigo podem provocar danos parciais ou totais à planta. Já para a cultura da banana, temperaturas inferiores a 4°C podem ocasionar danos nas folhas e prejudicar os frutos em formação. A ocorrência e intensidade de geadas podem ser amenizadas a depender do relevo e velocidade dos ventos.

Geada

A geada é um fenômeno causado pela ocorrência de baixas temperaturas e seu efeito nas plantas varia de acordo com a espécie, a sua tolerância ao frio e a fase fenológica em que ela se encontra e sua ocorrência resulta, muitas vezes, em severos prejuízos econômicos principalmente se ocorrem precoce ou tardiamente.

Duas mulheres meteorologistas observam tela de computador com radar meteorológicos.

Defesa Civil descarta furacão, mas reforça alerta para o frio

O ciclone subtropical Yakecan começou a se afastar do litoral brasileiro e foi descartada a possibilidade de um furacão atingir o país.

No entanto, está mantido o alerta para rajadas de vento nas regiões Sul e Sudeste e para o frio intenso e geadas em grande parte do Brasil nos próximos dias. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (18) pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o ciclone já passou pelo litoral do Rio Grande do Sul, provocando ventos de 96 quilômetros por hora (km/h) no município de São José dos Ausentes, e, neste momento, segue em direção aos estados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo, com menos intensidade do que o previsto e se afastando da costa.

Duas mulheres meteorologistas observam tela de computador com radar meteorológicos.
(Fabricio Escandiuzzi/Defesa Civil SC/via Agência Brasil)

Ainda assim, a recomendação para que a população adote medidas de autoproteção se mantém. Os ventos fortes podem atingir até o município de Cabo Frio, no Rio de Janeiro.

Queda de energia

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) do MDR informou que não houve registro de danos humanos durante a passagem do ciclone pelo Rio Grande do Sul.

Foram registradas ocorrências de quedas de árvores e estruturas que foram atingidas, como postes de iluminação, deixando mais de 200 mil residências sem energia no litoral e na Serra Gaúcha.

Em Santa Catarina, o ciclone provocou rajadas de vento intensas e segue com força nesta quarta-feira.

Situação atípica

Em paralelo ao ciclone, uma massa de ar frio segue provocando baixas temperaturas e sensações térmicas críticas nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte. O alerta também inclui a possibilidade de geadas nos próximos dias.

Segundo o Cenad, “situação é atípica para esta época do ano”, com expectativa de avanço da intensa massa de ar polar inclusive para os estados do Acre e de Rondônia. Há previsão de queda das temperaturas mínimas pela manhã e durante a madrugada, em especial, nos próximos dois dias.

Nesta quinta-feira (19), a previsão é de geada moderada na Serra da Mantiqueira (SP e MG) e fraca no sul de Goiás, de São Paulo e do Mato Grosso, assim como no centro-sul de Minas Gerais, no Triângulo Mineiro e em diversas áreas do Mato Grosso do Sul.

Na sexta-feira (20), o sul do Paraná deve registrar geada moderada. Já para o planalto norte de Santa Catarina e do Paraná, sul e leste do Mato Grosso do Sul, centro-oeste de São Paulo e sul do Mato Grosso, de Goiás e de Minas Gerais, a previsão é de geada fraca.

Sol de pondo após a tarde mais fria de maio em 18 anos

Paulistanos enfrentam tarde mais fria de maio em 18 anos

Os paulistanos viveram hoje (18) a tarde mais fria do mês de maio em 18 anos, com média de temperatura máxima de apenas 12,6°C. Até então, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP), a menor máxima era 13,0°C, registrada em 30 de maio de 2007. A menor temperatura máxima absoluta de hoje, 11,5°C, foi detectada na subprefeitura de Perus, na zona norte.

O registro histórico ocorreu horas após a cidade de São Paulo registrar a menor temperatura para o mês de maio de 2004, quando as medições do CGE-SP começaram a ser feitas. Apesar do sol, o vento com intensidade moderada, segundo os meteorologistas, fez a sensação térmica se manter perto de zero.

Sol de pondo após a tarde mais fria de maio em 18 anos
Sol de pondo após a tarde mais fria de maio em 18 anos (Redação/SP Agora)

O CGE-SP informa que as rajadas de vento chegaram a 70,4 Km/h na região do aeroporto de Congonhas, na zona sul. Os termômetros, no começo da tarde, marcavam 11°C em Pinheiros, na zona oeste, e 14°C em Itaquera, na zona leste.