Papa Francisco segurando o microfone. Enquanto fala, é observado por dois assessores que usam máscara e terno e gravata.

Jovens estão nas redes sociais, mas são pouco sociáveis, diz Papa Francisco

O papa Francisco alertou hoje (6) que muitos jovens “estão nas redes sociais, mas não são muito sociáveis”, vivendo “prisioneiros dos seus telemóveis”. Durante encontro em Atenas, na Grécia, Francisco pediu que eles se encontrem e  não se fechem. Ele encerrou visita ao país, onde chegou no sábado passado procedente do Chipre, em sua 35ª viagem.

“Corremos o risco de esquecer quem somos, obcecados por milhares de aparências, por mensagens esmagadoras que fazem a vida depender das roupas que vestimos, do carro que conduzimos, da maneira como os outros nos olham”, alertou o papa, no pavilhão desportivo da escola internacional de São Dionísio das monjas ursulinas de Atenas, diante de jovens, professores e religiosos, sentados a distância devido às medidas de combate ao novo coronavírus.

Papa Francisco segurando o microfone. Enquanto fala, é observado por dois assessores que usam máscara e terno e gravata.
Papa Francisco durante voo (Vatican News/Reprodução)

Francisco aconselhou os jovens a reconhecerem o seu próprio valor, por aquilo que são e não por aquilo que possuem. “Não tens valor pela marca de roupa ou calçado que usas, mas porque és único, és único”, disse.

Ele citou como exemplo uma passagem da Odisseia de Homero, especialmente quando o personagem Ulisses encontra as sereias durante a sua jornada, e elas atraem os marinheiros com os seus cantos para os fazerem chocar contra os recifes.

As sereias de hoje “querem hipnotizá-los com mensagens sedutoras e insistentes” e “visam o lucro fácil, as falsas necessidades do consumismo, o culto ao bem-estar físico, a diversão a todo o custo”, disse.

“Queres fazer algo novo na vida? Queres rejuvenescer?” perguntou Francisco. “Não te contentes em publicar um post ou um tuíte. Não te contentes com encontros virtuais, procura os reais, principalmente com aqueles que precisam de ti; não procures visibilidade, mas sim os invisíveis. Isso é original, isso é revolucionário”, afirmou.

Para o papa, atualmente muitos jovens “estão nas redes sociais, mas não são muito sociáveis, encerrados em si mesmos, prisioneiros do telemóvel que têm nas mãos”. “No ecrã [tela] falta o outro, os seus olhos, a sua respiração, as suas mãos”, insistiu.

“O ecrã facilmente se torna um espelho, onde tu pensas que estás diante do mundo, mas na realidade estás sozinho num mundo virtual cheio de aparências, de fotos alteradas para ficarem sempre lindos e em forma”, disse.

O papa pediu aos jovens que saiam “das suas zonas de conforto” porque, embora “seja mais fácil sentar-se no sofá em frente à televisão”, isso é “algo de velhos”.

“Ser jovem é reagir, abrir-se quando se sente só, procurar os demais quando vier a tentação de se fechar”, acrescentou.

Ele deu um último conselho: “Sonhem grande! E sonhem juntos! Mesmo que haja sempre alguém que vos diga: `Deixem estar, não arrisquem, é inútil`”. O papa considerou esses últimos “como anuladores de sonhos, assassinos da esperança, nostálgicos incuráveis do passado”.

A viagem ao Chipre e à Grécia foi marcada principalmente pela denúncia da indiferença dos países europeus perante o problema das migrações.

Por RTPPapa diz que jovens estão nas redes sociais, mas são pouco sociáveis

Jovem é morto por atiradores na Zona Leste de São Paulo

O crime ocorreu no final da noite deste domingo, em frente a uma choperia, na Rua Dona Cecilia Santana, esquina com a Avenida Dom Helder Câmara, na Vila Vera, e deixou mais um ferido.

Segundo a PM, o crime foi praticado por três suspeitos, encapuzados, que chegaram ao local a pé e passaram a atirar. Um dos rapazes foi atingido por quatro disparos no abdômen. O outro foi ferido em uma das pernas por uma bala perdida.

As vítimas foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e encaminhadas ao Hospital Municipal de Ermelino Matarazzo. O jovem baleado no abdômen não resistiu e acabou morrendo.

Ele tinha passagens na Polícia e, de acordo com as primeiras informações, seria o alvo dos criminosos em um possível acerto de contas.

O caso foi registrado no Distrito Policial da Ponte Rasa e vai ser investigado pelo DHPP.

*Com informações do repórter Paulo Édson Fiore, da rádio Jovem Pan.

Cresce quantidade de jovens sem estudo e sem trabalho

Por Akemi Nitahara

(Leon Rodrigues/Prefeitura de SP/Reprodução)


Em 2018, 23% dos jovens de 15 a 29 anos – 10,9 milhões – não estudavam, nem trabalhavam, os chamados nem-nem. Foi o maior índice da série histórica. Os dados foram divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na pesquisa Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2019, que analisa as condições de vida da população brasileira.

Entre os jovens de 18 e 24 anos, a incidência chega a 27,9% e nos jovens adultos, de 25 a 29 anos, a taxa de nem-nem é de 25,9%. Segundo o IBGE, o fenômeno é fortemente influenciado pela interrupção dos estudos. Os dados mostram que dos jovens de18 a 24 anos nessa condição, 46,6% não tinham concluído o ensino fundamental e 27,7% terminaram apenas essa etapa. Na faixa entre 25 e 29 anos, a proporção é de 44,1% e 31,2%, respectivamente. Dos jovens que concluíram o ensino médio, há mais nem-nem entre quem fez ensino regular do que entre os que concluíram o ensino técnico.

O gerente da pesquisa, André Simões, explica que o fenômeno dos jovens que não estudam e não estão ocupados é estrutural. “É um segmento estrutural, porque tem fatores que dependem de políticas específicas para que haja redução. Por exemplo, há um percentual elevado de mulheres, mulheres com filhos e também mulheres que realizam afazeres e cuidados domésticos que impedem que elas possam ir para o mercado de trabalho”.

Se entre os homens de 25 a 29 anos nessa condição 51,5% estavam desocupados, ou seja, buscavam trabalho, entre as mulheres na mesma idade a maior proporção está fora da força de trabalho, com 67,7% delas sem procurar trabalho. Segundo o IBGE, entre as justificativas apresentadas para não procurar ocupação remunerada estão os afazeres domésticos e o cuidado de filhos ou parentes.

Os dados do IBGE revelam que 2,4 milhões de jovens estão na situação de não estudar, não estar ocupado e não procurar trabalho. Entre esses, 57,4% estavam em desalento, provocado principalmente por falta de trabalho na localidade (39,6%), não conseguir emprego considerado adequado (10,7%) ou não ter experiência ou qualificação profissional (6,1%).

O recorte por rendimento demonstra a desigualdade social também nesse quesito. Entre os jovens que integram os 20% da população com menores rendimentos domiciliares per capita, 42,3% estavam na situação nem-nem em 2018; de 20% a 40% eram 29,2%; entre 40% e 60% somavam 18,3%; com rendimento de 60% a 80%, 10,1% dos jovens estavam nessa situação; e entre os 20% com os maiores rendimento a proporção é de 7%.

A taxa de desocupação geral no país em 2018 estava em 12%, mas no grupo de 14 a 29 anos chegou a 22,6% em 2017 e fechou 2018 em 22,3%.

Litoral: Encontrado corpo de jovem de 23 anos que morreu afogado

Corpo foi encontrado por banhistas, que avisaram a polícia (Praia Grande Mil Grau/Reprodução)

Foi encontrado na manhã deste sábado (20) o corpo de um jovem de 23 anos que se afogou enquanto nadava no mar de Praia Grande, no litoral sul de São Paulo. As informações são do portal G1.

O Corpo de Bombeiros informou que a vítima desapareceu no fim da manhã de sexta-feira (19), na região de Cidade Ocian, e que buscas haviam sido feitas, inclusive com o helicóptero Águia. O corpo só foi localizado no começo da manhã por banhistas, que avisaram a polícia.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).

Feriadão

O tempo firme fez com que muitos turistas escolhessem o litoral de São Paulo neste fim de semana prolongado. Segundo o boletim da concessionária Ecovias, divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (19), “desde as 0h de quinta-feira (18), quando se iniciou a contagem, mais de 173 mil veículos desceram a Serra em direção à Baixada Santista”.