Proibição de corte de luz na pandemia é prorrogada

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu hoje (15) que vai prorrogar por mais três meses a proibição de corte de energia por inadimplência para os consumidores de baixa renda. A informação foi repassada pelo diretor-geral da Aneel, André Pepitone, durante audiência na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados para tratar da crise hídrica no país.

Em março, a Aneel havia decidido suspender o corte de energia por inadimplência para esta faixa de consumidores até 30 de junho. Com a prorrogação aprovada nesta terça-feira, a proibição vai valer até o fim de setembro.

A medida não isenta os consumidores do pagamento pelo serviço de energia elétrica, mas tem como objetivo garantir a continuidade do fornecimento para os que, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), não têm condições de pagar a sua conta.

Decisão beneficiará 12 milhões de famílias

A iniciativa, segundo a Aneel, deve beneficiar aproximadamente 12 milhões de famílias, que estão inscritas no Cadastro Único, com renda mensal menor ou igual a meio salário mínimo por pessoa. Também terão direito ao benefício famílias com portador de doença que precise de aparelho elétrico para o tratamento, com renda de até três salários mínimos, assim como famílias com integrante que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“Essas ações vêm permitindo resguardar o consumidor de energia elétrica mais carente, sem que haja o comprometimento econômico e financeiro das concessionárias dos serviços de distribuição”, disse Pepitone.

Por Luciano Nascimento, da Agência Brasil

Conta de luz fica mais cara este mês

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reativou o sistema de bandeira tarifárias e definiu a bandeira vermelha patamar 2 para o mês de dezembro, a mais alta, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts hora consumidos.

Em maio deste ano, em razão da pandemia de covid-19, a Aneel havia decidido manter a bandeira verde acionada até 31 de dezembro deste ano. Entretanto, em reunião extraordinária ontem (30), a diretoria do órgão avaliou que a queda no nível de armazenamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas e a retomada do consumo de energia justificavam o aumento.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.

Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. Segundo a Aneel, a bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz, mas uma forma diferente de apresentar um valor que já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido.

Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil 

Operação na Cracolândia tem policial baleado e prisões

São Paulo – Região entre a Estação da Luz e o Viaduto Santa Ifigênia, conhecida como Cracolândia (Rovena Rosa/Agência Brasil)


A Polícia Militar (PM) fez hoje (15) uma ação para prender pessoas acusadas de tráfico de drogas na Cracolândia, na região da Luz, no centro da capital paulista. Segundo a Secretaria estadual de Segurança Pública, seis pessoas foram presas e um policial baleado. Ele foi atingido na perna após participar das detenções, sendo socorrido e levado à Santa Casa de Misericórdia.

Em nota, a secretaria informou que a operação foi motivada por uma denúncia anônima. Os policiais militares usaram bombas de gás lacrimogêneo contra a aglomeração de usuários de drogas e população em situação de rua na região. A munição química se espalhou pelo bairro, chegando aos apartamentos próximos. O tráfego na Avenida Rio Branco foi interrompido.

Não há informações sobre outros feridos além do policial. A PM negou ter usado armas de fogo na ação.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil

Polícia prende 17 suspeitos de tráfico na Cracolândia

Por Ludmilla Souza 

Investigadores contam com o apoio da GCM (Nivaldo Lima/SP Agora)

O Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) deflagrou na manhã desta quinta-feira (22) a Operação de Campo de Polícia Judiciária Cracolândia 2019, com a intenção de combater o tráfico na região da Nova Luz,  no centro de São Paulo.

Dos 20 mandados de busca e apreensão e 21 de prisão na região, os policiais do Denarc prenderam 10 pessoas suspeitas em oito hotéis e pensões da região acusadas de tráfico. Ainda outros 7 indivíduos foram detidos em flagrante no tráfico de drogas, totalizando 17 presos. Os mandatos são resultados de seis meses de investigação realizado pela 6ª Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise).

Segundo o delegado-geral de Polícia, Rui Ferraz Pontes, o trabalho não se encerrou e vai continuar nos dias que se seguem. Foram apreendidas três armas de fogo, cinco celulares  e aproximadamente 21 quilos de drogas, além de R$ 800 encontrados no local.

Pontes informou que entre os 21 quilos de droga estão 1kg de cocaína, 10kg de maconha, 1,5kg de crack, 8kg de lança-perfume e 18 gramas de haxixe.

De acordo a polícia, a operação foi tranquila e não sem necessidade de uso da força. “Importante entender que a polícia agiu com maior critério possível, isso incluindo as Polícias civis e militares sem embate que pudesse causar prejuízo aos dependentes que ali se encontravam”.

A ação, que faz parte do Programa Redenção 2, foi planejada por representantes da Secretaria da Segurança Pública e da Prefeitura de São Paulo e ocorreu de maneira planejada e integrada para a proteção e acolhimento das pessoas que circulam pela região.

Ao todo, participaram 566 agentes de segurança, com apoio de cerca de 140 viaturas e uma aeronave da Polícia Civil. A ação na região da Nova Luz contou com o apoio de policiamento de trânsito e territorial da Polícia Militar, Baep do Centro e da GCM da Capital.

Ainda de acordo com o delegado, o crime organizado tem diminuído na região. “O crime organizado tem desistido de atuar naquela região, desde 2016 quando a operação foi dirigida para tirar muitas barracas de lá eles têm tido cuidado, porque a instabilidade ali dentro, ou seja, eles temem a presença da PM, da GCM, diuturnamente e do próprio Denarc”.

Operação teve início nas primeiras horas do dia (Nivaldo Lima/SP Agora)
Investigação do Denarc começou no início do ano (Nivaldo Lima/SP Agora)
Mandados de busca foram cumpridos na região (Nivaldo Lima/SP Agora)

Expresso turístico terá mais viagens para Paranapiacaba

(Reprodução)

A CPTM ampliará o número de viagens feitas pelo Expresso Turístico Paranapiacaba a partir de setembro. Além dos passeios feitos todos os domingos, o serviço também funcionará em alguns sábados. Serão 3 viagens a mais por mês. Os interessados podem consultar as datas disponíveis no site da CPTM.

Em junho e julho, a Companhia fez passeios extras aos sábados para atender os visitantes do Festival de Inverno de Paranapiacaba e também avaliar a demanda. O resultado foi um sucesso: todos os bilhetes foram vendidos com antecedência de dois meses. De janeiro a julho deste ano, 6.109 passageiros já embarcaram rumo à Vila de Paranapiacaba. Durante todo o ano de 2018, quando as partidas eram só aos domingos, foram 8.673 passageiros.

O passeio do Expresso Turístico é feito em uma locomotiva a diesel, modelo Alco RS-3 de 1952, que conduz dois carros de passageiros, de aço inoxidável, fabricados no Brasil pela Budd – Mafersa nos anos 60 e que foram cedidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária). O trajeto de cerca de 1h30 inicia a experiência histórica até Paranapiacaba, com ruas e construções inspiradas em vilas inglesas, contando um pouco da implantação da ferrovia no Estado de São Paulo no século XIX.

O preço unitário da passagem é R$ 50 (ida e volta), exceto para o embarque na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André, que sai por R$ 44. No entanto, os descontos podem chegar até 25% na compra de quatro passagens.

O bilhete é vendido das 9h às 18h, todos os dias, nas bilheterias das estações da Luz e Prefeito Celso Daniel-Santo André. Devido à procura, é preciso de programar para comprar o bilhete com dois meses de antecedência. Cabe ressaltar que o bilhete da CPTM contempla somente a viagem de trem até um dos destinos escolhidos. Roteiros complementares, podem ser consultados nos sites dos municípios visitados.

(Governo do Estado de SP/Reprodução)

O embarque é realizado às 8h30 da plataforma 4 da Estação da Luz e o retorno das cidades visitadas, às 16h30. São 174 poltronas para acomodar confortavelmente os turistas, além de espaço reservado para cadeira de rodas (com cinto de segurança e ancoragem da cadeira).

As viagens do Expresso Turístico também são realizadas para Jundiaí (um sábado por mês) e para Mogi das Cruzes (um sábado a cada três meses).

Na Luz tem o sertanejo de Thiago Brava, Marcos e Belutti e Naiara Azevedo

A cantora Naiara Azevedo vai fechar a programação no palco da Luz. (Divulgação)

Para quem gosta de sertanejo, o melhor palco durante a Virada Cultural de São Paulo fica na Estação Luz. Entre as estrelas, Marcos e Belutti, Thiago Brava e Naiara Azevedo fechando a programação. Confira abaixo a lista de apresentações nesse palco.



SÁB    19h – 20h30  Henrique & Diego

SÁB    22h – 23h30  Thiago Brava

DOM 01h – 02h30  Roberta Miranda

DOM 04h – 06h       Victor & Diogo

DOM 09h -10h30   Paula Mattos

DOM 12h – 13h       Marcos & Belutti [com tradução em Libras]

DOM 14h30 – 15h30         Mano Walter [com tradução em Libras]

DOM 17h – 18h      Naiara Azevedo [com tradução em Libras]

Exposição reúne fotografias de cenas da região da Luz

Daniel Mello/Agência Brasil

Exposição  Labirinto em Mim reúne fotografias de cenas da região da Luz, no centro de São Paulo.
Exposição Labirinto reúne fotografias de cenas da região da Luz, no centro de São Paulo (Marcello Vitorino Luz/Divulgação)

As derivas (intervenções artísticas) do fotógrafo Marcello Vitorino Luz, na parte central da capital paulista, resultaram na exposição Labirinto em Mim, aberta no Museu da Energia, nos Campos Elíseos, um dos bairros da região. A mostra busca justamente estabelecer um diálogo com esse território onde a instituição está inserida.

Os caminhos percorridos pelo fotógrafo durante a produção das imagens foram marcados em um desenho feito a partir do mapa da área. “As fotos estão saindo dessa área demarcada”, afirmou Vitorino sobre a organização do espaço expositivo, que ocupa três salas do museu.



O trabalho foi desenvolvido durante os seis anos em que vive na região. Entre a grande produção do artista, foram selecionadas 21 fotos para compor a exposição. “É pouco para o que eu produzi, mas acho que ocupou bem o espaço e deu essa sensação meio labiríntica”, disse.


Vida pulsante

Com uma câmera de celular, ele vai registrando cenas marcantes das ruas do bairro. “É um caminhar solto. Eu simplesmente estou aberto para esses encontros. As fotografias são encontros que acontecem”, acrescentou sobre o processo de produção.

“Meu estúdio é perto da Rua São Caetano. Estava descendo uma vez e vi uma limousine rosa, que eles alugam para festas de debutantes, saindo e atravancando toda a rua. Uma cena inusitada. Jamais perderia isso”, esclareceu a respeito dos momentos que atraem a sua atenção.

Essas cenas são, na visão de Vitorino, formas da cidade mostrar sua energia e vitalidade. “São instantes que a cidade está sempre nos dando, nos lembrando que a vida está pulsando sempre, por mais que queiram nos convencer do contrário.”

Discrição como método

A escolha do celular como instrumento permitiu o fotógrafo trabalhar mais livremente em uma linha inspirada no célebre francês Cartier Bresson, famoso por captar instantes do cotidiano. “É uma ferramenta que tenho curtido. Resgata um pouco daquela invisibilidade bressoniana. Gosto dessa ideia de passar despercebido, sem ter alguém perguntando ‘para onde é [a foto]?’, sempre se intimidando com a sua presença” justificou a escolha.

Também integra a exposição a videoinstalação Fio de Ariadne, da artista Renata Roman. O nome faz referência a personagem mitológica que deu um novelo ao herói Teseu para que ele pudesse se orientar no labirinto da ilha de Creta e derrotar o Minotauro. Metade homem e metade touro, o monstro devorava jovens como tributo. A obra é composta por sons e imagens do chão da região.

O conjunto pode ser visto até o dia 2 de março na Alameda Nothmann, 184. De terça a sábado, das 10h as 17h.

Trem para aeroporto de Guarulhos fará cinco viagens por dia

(Alexandre Carvalho/ Portal do Governo de SP/ Reprodução)

O Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP), ganhou, nesta terça-feira (16), uma linha expressa com viagens diretas e sem paradas, partindo da Estação da Luz, no centro de São Paulo.

O serviço Airport Express oferece cinco viagens diárias de ida e volta em horários determinados.

O primeiro trem parte às 10h da Estação da Luz; o segundo, ao meio-dia; o terceiro, às 14h; o quarto, às 16h; e o último, às 22h. No sentido Aeroporto-Luz, o primeiro trem sai às 9h, depois às 11h, 13h, 15h e, por último, às 21h.

O bilhete custa R$ 8 e pode ser adquirido nas duas estações. O serviço de embarque e desembarque será realizado em plataformas exclusivas.

O passageiro também conta com o serviço Connect desde 3 de outubro, mas com paradas entre cinco estações e saída da Estação Brás (Linha 13 da CPTM) até o Aeroporto de Guarulhos. A tarifa é o mesmo do sistema, R$ 4.