Parques já receberam mais de 7,7 milhões visitantes desde a reabertura

Parque do Ibirapuera (Arquivo)

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), contabilizou 7.769.696 de visitas nos 108 parques municipais nas últimas 25 semanas.

Os cinco parques mais visitados na 25ª semana, de 28/12 a 03/01, foram: Ibirapuera (85.618), Independência (14.770), Aclimação (13.987), Carmo (9.657) e Luz (8.182).

Cinco parques mais visitados nas 25 semanas:

1ª semana (13/7 a 17/7): Ibirapuera (42.452), Carmo (9.197), Luz (8.848) Aclimação (8.562) e Independência (6.857).

2ª semana (20/7 a 24/7): Ibirapuera (73.805), Carmo (22.220), Aclimação (13.752), Independência (11.775) e Luz (8.474).

3ª semana (27/7 a 31/7): Ibirapuera (53.357), Carmo (16.342), Aclimação (11.539), Independência (8.497) e Luz (7.345).

4ª semana (3/8 a 7/8): Ibirapuera (68.358), Carmo (27.293), Aclimação (15.160), Independência (14.582) e Luz (8.674).

5ª semana (10/8 a 14/8): Ibirapuera (79.566), Carmo (26.457), Aclimação (16.365), Independência (16.044) e Luz (10.209).

6ª semana (17/8 a 21/8): Ibirapuera (31.156), Luz (6.534), Aclimação (6.128), Independência (4.881) e Carmo (4.415).

7ª semana 24/8 a 28/8: Ibirapuera (93.561), Aclimação (22.663), Independência (21.052) e Carmo (17.845) e Luz (13.155).

8ª semana 31/8 a 4 /9: Ibirapuera (88.193), Aclimação (21.493), Carmo (21.391), Independência (20.844) e Luz (11.728).

9ª semana (8/9 a 11/9): Ibirapuera (84.012), Aclimação (19.590), Carmo (17.188), Independência (17.612) e Luz (11.990).

10ª semana (14/9 a 18/9): Ibirapuera (95.135), Aclimação (22.961), Independência (19.967), Carmo (17.698), e Luz (13.834).

11ª semana (21/9 a 25/9): Ibirapuera (74.828), Carmo (15.080), Aclimação (14.576), Independência (12.126) e Luz (11.298).

12ª semana (28/9 a 2/10): Ibirapuera (101.731), Carmo (22.911), Aclimação (21.118), Independência (18.340) e Luz (13.688).

13ª semana (5/10 a 9/10): Ibirapuera (90.859), Aclimação (17.843), Carmo (14.483), Independência (13.816) e Luz (13.093).

14ª semana (12/10 a 16/10): Ibirapuera (58.261), Aclimação (14.999), Luz (10.876), Independência (10.685) e Carmo (10.031).

15ª semana (19/10 a 23/10): Ibirapuera (70.903), Aclimação (18.061), Carmo (17.711), Independência (16.256) e Luz (14.435).

16ª semana (26/10 a 1/11): Ibirapuera (110.826), Independência (25.624), Aclimação (25.319), Luz (18.587) e Carmo (17.887).

17ª semana (2/11 a 8/11): Ibirapuera (232.402), Independência (54.404), Aclimação (33.548), Carmo (32.319) e Luz (25.988).

18ª semana (9/11 a 15/11): Ibirapuera (155.331), Independência (38.002), Aclimação (31.038), Carmo (24.189), e Luz (21.114).

19ª semana (16/11 a 22/11): Ibirapuera (166.400), Independência (39.591), Aclimação (25.499), Carmo (22.754), e Luz (17.923).

20ª semana (23/11 a 29/11): Ibirapuera (181.068), Aclimação (41.551), Independência (36.957), Carmo (26.529), e Luz (19.484).

21ª semana (30/11 a 6/12): Ibirapuera (139.036), Aclimação (30.953), Independência (27.253), Carmo (20.150), e Luz (16.495).

22ª semana (7/12 a 13/12): Ibirapuera (155.137), Independência (31.205), Aclimação (29.165), Luz (16.373) e Carmo (15.340).

23ª semana (14/12 a 20/12): Ibirapuera (175.797), Independência (31.746), Aclimação (28.511), Luz (20.131) e Carmo (19.836).

24ª semana (21/12 a 27/12): Ibirapuera (59.477), Aclimação (12.285), Independência (10.681), Luz (7.531) e Carmo (6.811).

25ª semana de 28/12 a 3/1: Ibirapuera (85.618), Independência (14.770), Aclimação (13.987), Carmo (9.657) e Luz (8.182).

Os cinco parques mais visitados desde a reabertura no dia 13 de julho foram: Ibirapuera (2.456.518), Independência (523.567), Aclimação (516.666), Carmo (455.734) e Luz (335.989).

Números totais de frequentadores dos 108 parques por dia na semana de 28/12 a 3/1

28/12 – 60.515

29/12 – 59.041

30/12 – 73.737

31/12 – 41.991

Os Parques Municipais permaneceram fechados ao público nos dias 1/1, 2/1, 3/1 com base nas medidas adotadas pelo Governo para conter, durante o final de ano, o avanço do Covid 19 em São Paulo.

Números de visitantes nos 108 parques por semana:

Total semana 1 – 13/7 a 17/7: 130.602

Total semana 2 – 20/7 a 24/7: 210.203

Total semana 3 – 27/7 a 31/7: 155.816

Total semana 4 – 3/8 a 7/8: 208.608

Total semana 5 – 10/8 a 14/8: 223.149

Total semana 6 – 17/8 a 21/8: 84.720

Total semana 7 – 24/8 a 28/8: 279.562

Total semana 8 – 31/8 a 04/9: 271.667

Total semana 9 – 8/9 a 11/9: 247.604

Total semana 10 – 14/9 a 18/9: 281.087

Total semana 11 – 21/9 a 25/9: 212.617

Total semana 12 – 28/9 a 2/10: 289.953

Total semana 13 – 5/10 a 9/10: 243.066

Total semana 14 – 12/10 a 16/10: 178.362

Total semana 15 – 19/10 a 23/10: 234.382

Total semana 16 – 26/10 a 1/11: 330.900

Total semana 17 – 2/11 a 8/11: 676.828

Total semana 18 – 9/11 a 15/11: 529.615

Total semana 19 – 16/11 a 22/11: 507.735

Total semana 20 – 23/11 a 29/11: 587.921

Total semana 21 – 30/11 a 6/12: 461.597

Total semana 22 – 7/12 a 13/12: 489.513

Total semana 23 -14/12 a 20/12: 517.488

Total semana 24 – 21/12 a 27/12: 183.727

Total semana 25 – 28/12 a 3/1: 232.974

Totais mensais

Total do mês de julho: 496.621

Total do mês de agosto: 843.169

Total do mês de setembro: 1.180.498

Total do mês de outubro: 1.106.243

Total do mês de novembro: 2.402.349

Total do mês de dezembro: 1.836.328

Total geral: 7.769.696

Com base no Decreto n° 59.870 publicado no Diário Oficial da Cidade de São Paul, os 108 parques municipais, a partir de 31 de outubro, voltaram a funcionar diariamente inclusive aos finais de semana e feriados.

Com a publicação da Portaria 1195 na sexta-feira (13 de novembro) no Diário Oficial, foi autorizada a retomada de prática de esportes coletivos amadores e liberado também o uso das quadras de centros esportivos e de parques municipais.

A SVMA orientou os funcionários das unidades para reforçar a recomendação de que sejam evitadas aglomerações com a retomada das atividades coletivas. O uso de máscaras é obrigatório e é recomendada a higienização das mãos com sabão ou álcool em gel.

Por Prefeitura de SP

Parques urbanos reabrem aos fins de semana

Parque Villa Lobos (Arquivo/Governo do Estado de SP)

No próximo sábado (31), a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado (SIMA), por meio da Coordenadoria de Parques e Parcerias (CPP), retoma a visitação pública também aos feriados e fins de semana nos 15 parques urbanos estaduais localizados na Grande São Paulo.

O avanço da Região Metropolitana da fase amarela (3) para a fase verde (4) no Plano São Paulo desde o dia 10 de outubro permite a liberação de atividades com menos restrições, em alinhamento com a Prefeitura de São Paulo. As medidas de segurança contra a COVID-19 continuam válidas e os protocolos, como uso de máscaras e distanciamento social, devem ser respeitados.

Permanece o incentivo às práticas esportivas individuais – entre elas, corrida, caminhada e uso de bicicleta. Desde 3 de agosto também estão disponíveis o uso das quadras de tênis, esporte que permite distanciamento entre os jogadores. Salas de atividades, orquidários, quadras de esportes coletivos, playgrounds e equipamentos de ginástica seguirão com restrição.

Segurança

Em todos os locais, a limpeza e desinfecção dos banheiros foram intensificadas. Há totens com álcool em gel 70% nas portarias, assim como avisos impressos com os cuidados para evitar a disseminação da pandemia.

A SIMA está monitorando as atividades e comportamento da população nos espaços para a permanência da abertura integral aos fins de semana e feriados.

O protocolo de reabertura dos parques urbanos estaduais nos fins de semana e feriados pode ser conferido pela internet.

Reaberturas – 31 de outubro

Villa-Lobos/Cândido: 5h30 às 19h
Água Branca: 6h às 20h
Horto Florestal: 5h30 às 18h
PET – Núcleo Engenheiro Goulart: 8h às 17h
PET – Núcleos Jacuí, Biacica e Jardim Helena: 8h às 17h
Juventude: 6h às 19h
Guarapiranga: 8h às 17h
Belém: 6h às 18h
Jequitibá: 8h às 17h
Chácara da Baronesa: 8h às 17h
Embu Guaçu: 8h às 17h
Gabriel Chucre: 6h às 18h

Parques da Capital voltam a abrir em horário normal

Os 70 parques municipais que já estão abertos na capital paulista voltam ao horário normal. A ampliação do tempo de funcionamento vale, no entanto, só para os dias de semana. Aos sábados e domingos, os espaços permanecem fechados.

Parque da Aclimação, em São Paulo (Paulo Pinto/Fotos Públicas)

Seguindo o plano de flexibilização da quarentena contra o coronavírus do governo estadual, a prefeitura de São Paulo tinha reaberto 70 dos mais de 100 parques municipais no dia 13 de julho. Até então, os espaços só tinham autorização para funcionar por horários limitados: das 6h as 16h para o Parque Ibirapuera (zona sul) e do Carmo (zona leste), entre 10h e 16h para os demais.

Agora, cada parque vai voltar ao horário de funcionamento habitual durante a semana. O Ibirapuera, por exemplo, vai poder começar receber visitantes às 5h, com os últimos portões fechando só à meia-noite. O Parque do Carmo funciona das 5h30 as 20h.

O decreto publicado do Diário Oficial do município mantém outras restrições aos parques. O público é limitado a critério de cada local e o uso de máscaras será obrigatório. Parques infantis, quadras de esporte e bebedouros continuam sem funcionar.

Quarentena

A capital paulista está na Fase 3 – Amarela, do Plano São Paulo, desde o dia 26 de junho. Nesta fase, bares, restaurantes, shoppings centers, comércio de rua, salões de beleza e barbearias podem reabrir, mas com limitação de 40% do público.

O Plano São Paulo, elaborado pelo governo paulista em virtude da pandemia do novo coronavírus, é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O Plano São Paulo também é regionalizado, ou seja, o estado foi dividido em 17 regiões e cada uma delas é classificada em uma fase.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

Mais seis parques são reabertos em São Paulo

Mais seis parques estaduais estão reabertos a partir de hoje (20) para a visitação da população em São Paulo. Na semana passada o governo estadual abriu nove parques. Os parques funcionarão das 10h às 16h, de segunda a sexta-feira, com restrição de portões de acesso e com regras específicas de acordo com cada espaço.

A limpeza e desinfecção dos banheiros serão intensificadas em todos os parques e em todos haverá pontos com totens de álcool gel. O uso de máscara e o distanciamento social continuam obrigatórios. Não é recomendado o uso de quadras, campos e parquinhos.

Segundo o governo estadual, os permissionários de alimentação deverão seguir as regras específicas do setor, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) vai monitorar as atividades e comportamento da população nos espaços durante as primeiras semanas para deliberar sobre a abertura integral. A visita aos parques está recomendada apenas para atividades físicas individuais como corridas, caminhadas e ciclismo. Os espaços fechados como bibliotecas, salas de atividades, museus e orquidários continuam restritos.

Abrem hoje os parques: Juventude, Horto Florestal, Jequitibá, Jacuí, Biacica, Jardim Helena. Já estão em funcionamento desde o último dia 13 o Villa-Lobos, Candido Portinari, Água Branca.

Ecológico do Tietê, além dos parques naturais Jaraguá e Cantareira (Núcleo Pedra Grande), as visitas devem ser agendadas com antecedência mínima de 24 horas por meio do site da Fundação Florestal, órgão responsável pelas duas Unidades de Conservação, e obedecer ao limite de 30% da capacidade.

O Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico, podem ser visitados durante a semana das 10h às 16h; sábados, domingos e feriados das 9h às 16h, com restrição de 50% dos ingressos. O Jardim Botânico estará fechado às segundas-feiras para manutenção. Para visitação ao Zoo Safári, é permitido uso apenas de veículos particulares, porque o serviço de vans está suspenso.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

Parques serão reabertos durante a semana na Capital

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse hoje (6) que os parques municipais da capital paulista serão reabertos em breve, mas não irão funcionar nos finais de semana. Segundo ele, o anúncio sobre a reabertura de parques deve ocorrer ainda esta semana.

(Gildson di Souza/Prefeitura de SP/via Fotos Públicas)

Os parques estão fechados na cidade de São Paulo desde o dia 21 de março, por causa da pandemia do novo coronavírus.

O objetivo, segundo ele, é evitar aglomerações. “Essa semana a prefeitura deve anunciar quando serão reabertos os parques municipais. Estamos terminando de discutir com a Vigilância Sanitária as regras de reabertura. Mas já posso adiantar que vamos anunciar a retomada dos parques durante a semana. Não vamos retomar os parques, ainda, aos finais de semana para evitar aglomeração”, disse Covas.

A capital paulista já está na fase 3-Amarela do Plano São Paulo e pode reabrir, a partir de hoje (6), bares, restaurantes e salões de beleza. No entanto, esses estabelecimentos só poderão funcionar até as 17h. com exceção dos restaurantes localizados em praças de alimentação ou dentro de shoppings, que tem permissão para funcionar das 16h às 22h.

Além dessa determinação, os bares, restaurantes e salões de beleza precisam limitar a capacidade para 40% do público e também tem horário reduzido de funcionamento, por apenas seis horas diárias. Já os shoppings centers e comércio de rua, que já estavam abertos na capital desde a fase Laranja, poderão agora ampliar o horário de funcionamento de quatro para seis horas por dia, além de poder ampliar também sua capacidade, de 20% para 40%.

“Entramos para a segunda semana na fase 3. Mas a pandemia continua na cidade de São Paulo, como continua no estado e no Brasil. Quero pedir cautela à população e pedir para que ela entenda que ainda não é o momento de comemorarmos o fim da pandemia. E que possamos evitar cenas em São Paulo como tivemos no Rio de Janeiro e em Londres [de bares lotados e com pessoas sem máscara]”, disse o prefeito.

O Plano São Paulo é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (Vermelho) a etapas identificadas como controle (Laranja), flexibilização (Amarelo), abertura parcial (Verde) e normal controlado (Azul). O Plano São Paulo também é regionalizado, ou seja, o estado foi dividido em 17 regiões e cada uma delas é classificada em uma fase.

Virada Cultural

O prefeito disse hoje (6) que a Virada Cultural, evento que costuma ocorrer no mês de maio na capital, promovendo 24 horas de programação cultural ininterruptas, foi transferida para o mês de setembro e pode ocorrer este ano de forma virtual. “A gente discute já a transformação da Virada Cultural em apenas uma virada online. Esse já é o horizonte em que a prefeitura trabalha”, disse Covas.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Parques serão fechados a partir deste sábado

Parque do Ibirapuera (Arquivo)

Parques municipais e estaduais serão fechados a partir de amanhã (21), sábado, por determinação da Prefeitura de São Paulo e do Governo do Estado de São Paulo. A medida foi publicada no Diário Oficial do Município nesta sexta-feira e reforçada pelo governador João Doria durante entrevista coletiva no começo da tarde.

A recomendação é para que paulistanos fiquem em casa.

*Atualizado às 13h25

Lei em São Paulo proíbe fumar em parques públicos

Por Flávia Albuquerque

(Gildson di Souza/Prefeitura de SP/via Fotos Públicas)

O prefeito Bruno Covas sancionou hoje (30) lei – aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo – que proíbe fumar nos parques públicos municipais da cidade. A lei passa a valer em 60 dias e não será permitido o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés, vape ou qualquer produto fumígeno, derivado ou não do tabaco.

Quem for pego em flagrante fumando nos parques estará sujeito a uma multa de R$ 500, aplicada em dobro na reincidência.

“Não combina o uso do cigarro com um espaço em que se quer preservar a natureza, conviver com a família, praticar esportes. Enfim, não tem nenhuma relação o uso do fumo em espaços como esse. Portanto, sancionei a lei, fico muito feliz de poder ter sancionado essa iniciativa e vamos agora conscientizar a população da importância desta lei”, disse o prefeito Bruno Covas.

Os parques receberão placas com o aviso da proibição e valor da multa. A expectativa do prefeito é que, em 60 dias, as placas já estejam colocadas e esteja finalizada a discussão com os conselhos gestores dos parques, formado por integrantes da população, que serão os responsáveis pela definição das áreas destinadas aos fumantes.

Segundo Covas, a fiscalização será feita pelos agentes da Secretaria do Verde e Meio Ambiente, com o apoio da Guarda Civil Municipal – GCM.

Como será

A multa será aplicada por meio da identificação com documento de identidade, CPF (Cadastro de Pessoa Física) e endereço para onde será enviado um boleto. Haverá ainda um canal para os frequentadores denunciarem os infratores.

“A GCM vai ajudar os fiscais da Secretaria do Verde e Meio Ambiente. Quem aplicará a multa será o fiscal, o GCM ajuda a dar segurança, porque muitas vezes os fiscais ficam inibidos porque sofrem ameaças”, explicou o prefeito.

Para ele, não haverá problemas na aceitação da lei, porque a questão é cultural, e deve ser incorporada pela população assim como ocorreu com a lei que proíbe o fumo em restaurantes e bares.

“Quando foi aprovada a lei que proíbe fumar em restaurantes em São Paulo a preocupação era com a fiscalização. Hoje, nós não temos nenhuma multa aplicada em bares e restaurantes e ninguém fuma nesses locais. Já virou uma questão cultural. Muito mais do que punir as pessoas, é uma questão de conscientização”, finalizou o prefeito.

5 passeios para o fim de semana na capital

Quem quer se divertir, sem gastar muito e também sem ir muito longe, pode escolher uma das diversas opções da imensa lista que São Paulo oferece. Para ajudar, confira abaixo cinco dicas de passeios.

Jardim Botânico de São Paulo

(Arquivo/Governo do Estado de SP)

Quem gosta de natureza e curte fazer um piquenique, o Jardim Botânico é uma opção perfeita. Graças ao cenário convidativo com muito verde e belezas naturais, o local encanta todo mundo. Quem quiser garantir uma mesa, no entanto, é bom chegar cedo.

Parque da Água Branca

(Arquivo/Murillo Costantino/Governo do Estado de SP)

Ideal para toda a família, o Parque da Água Branca também tem diferentes opções de lazer com playgrounds e ambientes para piqueniques. Quem for lá às terças, sábados e domingos ainda pode saborear um café da manhã orgânico, servido no quiosque perto da Feira do Produtor.

Zoo de São Paulo

O Zoológico de São Paulo se tornou um dos passeios mais procurados da cidade. O destino reúne mais de 3 mil animais de diferentes espécies nativas e de outras partes do mundo.

Dessa vez, o Zoo tem um novo atrativo: uma girafinha recém-nascida. Filha do casal Mel e Palito, a filhote, geralmente, aparece aos visitantes pela manhã. Hora que mãe e filha saem do recinto para tomar sol.

Pedra Grande

(Governo do Estado de SP/Reprodução)

Localizada no Parque Estadual da Cantareira, do alto da Pedra Grande os visitantes podem apreciar a vista para a cidade. Para isso, é preciso um pouco de fôlego para subir uma trilha de uma hora e meia. Mas, sem dúvida, o esforço vale a pena.

Ciclovia entre os parques Cândido Portinari e Villa-Lobos

(Arquivo/Cris Castello Branco/Governo do Estado de SP)

São 11 km de pura diversão. A ciclovia liga os parques Cândido Portinari e o Villa-Lobos. Além do trajeto ideal para curtir o visual, os parques contam com playgrounds, espaço para piquenique, quadras, campos de futebol e aparelhos de ginástica. Lembrando que o visitante pode levar sua própria bike ou alugar uma no local.

8 parques para levar seu pet para passear na capital

Parque Villa-Lobos (Arquivo/Governo do Estado de SP)

Quem quer fazer um programa diferente no final de semana pode levar seu pet para para passear no parque. A Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente conta com diversos parques urbanos no município de São Paulo que aceita cachorros.

Os que permitem a entrada do seu animal de estimação são: Villa-Lobos, Jequitibá, Juventude, Belém, Pomar Urbano, Alberto Löfgren, Cândido Portinari e Guarapiranga.

De qualquer forma é importante ter atenção. É permitida a entrada de cães, desde que estejam com guia e coleira. No caso das raças mastim napolitano, pit bull, rotweiller e american staffordshire terrier precisa atender também à legislação municipal. É necessário também, além da guia e coleira, o uso de focinheira e enforcador.

Vale lembrar que as regras devem ser seguidas para evitar brigas entre os próprios animais e trazer mais segurança para os demais usuários.

A aposentada Denise Romualdo afirma que adora levar seu cachorro no parque todo domingo. “Eu sempre venho caminhar. Então no fim de semana eu aproveito e levo meu cachorro. Assim ele tem um passeio diferenciado também”, conta.

Para deixar o ambiente limpo para os próximos usuários, as instituições solicitam que as fezes do animal sejam coletadas. Após a coleta, também solicita aos visitantes o descarte adequado.

O professor Diego Soares diz que nunca esquece seus saquinhos de coleta. “É importante trazer com a gente os sacos coletores. Assim, respeitamos todos que estão no parque e não sujamos o lugar. Todos devem trazer e fazer sua parte”, afirma.

Nos Parques Villa-Lobos, Cândido Portinari e Juventude, há o Espaço Canino. Nestes locais os animais podem ficar soltos e brincar com equipamentos disponíveis.

As orientações para os proprietários de cães encontram-se em placas distribuídos na área dos parques e na entrada dos Espaços Caninos. Saiba mais sobre os parques estaduais e reservas aqui.

Sem veículos no Minhocão, poluição sonora pode ser reduzida

Por Camila Maciel

(Rovena Rosa/Agência Brasil)

A ausência de veículos no Elevado Presidente João Goulart, conhecido como Minhocão, na região central de São Paulo, poderia reduzir pela metade a percepção de ruído para moradores locais, de acordo com levantamento da Associação Brasileira Para a Qualidade Acústica (ProAcústica), em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU).

O estudo, que abrange o trecho do Minhocão entre a Praça Roosevelt e o Largo do Arouche, estimou uma redução de até 10 dB (decibéis) em alguns imóveis que têm a fachada para o elevado.



Segundo a ProAcústica, em termos de sensação para o ser humano, 10 dB a menos equivalem a reduzir pela metade a percepção do volume sonoro.

Com o viaduto em operação, os níveis sonoros nos edifícios ficaram entre 69 e 76 dB, enquanto que interditado para tráfego de veículos, apenas com o fluxo existente na rua Amaral Gurgel – que fica embaixo do Minhocão –, o nível sonoro caiu valores entre 59 e 70 dB.

A associação ressalta que os resultados finais em relação à redução dos níveis sonoros dependerão das estratégias de redução do ruído adotadas.

“A OMS [Organização Mundial da Saúde] tem um nível recomendável. O ruído de trânsito global pode chegar até 55 dB. Para a saúde, o que mais conta é a constância, é o incômodo permanente que vai dia a dia prejudicando e você só percebe ao longo do tempo o quanto isso pode te prejudicar, causando insônia, stress, incômodo. Pode até causa doenças, como potencializar infartos, e isso já é comprovado pela OMS, há vários estudos internacionais que comprovam isso”, disse Priscila Wunderlich, gerente técnica da ProAcústica.

Existem técnicas que podem ajudar a reduzir os ruídos nas residências. Algumas possibilidades seriam a inserção de materiais fonoabsorventes sob o Minhocão, a inserção de túneis acústicos, mudança do asfalto da via e proibição de buzinas no local.

Janela acústica pode ser uma boa solução

“Nas residências, a janela acústica pode ser uma boa solução. As cidades devem partir para políticas públicas. O primeiro passo é identificar as avenidas e locais da cidade mais ruidosos e, a partir daí, fazer planos de ação”, disse Priscila.

“Por exemplo, asfalto é um determinante, dependendo da qualidade do asfalto pode influenciar bastante no ruído; diminuir a velocidade das ruas é um possível mitigador; outro fator é partir para frota de veículos elétricos, os ônibus elétricos reduziriam bastante [o barulho]”, acrescentou.

A estimativa de ruídos no Minhocão faz parte do Mapa de Ruído Urbano da Operação Urbana Centro, lançado no dia 24 de abril deste ano, no Dia Internacional de Conscientização sobre o Ruído (INAD 2019).

O mapa abrange, no geral, uma área de 6,6 quilômetros quadrados (km2), incluindo o centro velho, o novo e regiões históricas da região central da cidade de São Paulo.

Com esse mapa, foi possível constatar os pontos mais ruidosos. A partir do diagnóstico, a prefeitura paulistana pode elaborar políticas de redução de ruídos. O Minhocão, a avenida 23 de Maio e a avenida 9 de Julho foram alguns dos pontos mais ruidosos identificados no mapa.