Após reforma, Santos Dumont volta a operar

Por  Douglas Corrêa 

Pista principal do aeroporto foi reformada durante um mês de obra
(Fernando Frazão/Agencia Brasil)

Depois de ficar fechada por quase um mês para reformas, a pista principal do Aeroporto Santos Dumont, que opera voos domésticos no Rio de Janeiro, reabriu às 6h, da manhã deste sábado (21). As obras de reforma da pista começaram no dia 24 de agosto e custaram R$ 9 milhões.

Durante os serviços na pista principal, as companhias aéreas mantiveram suas operações com aeronaves de menor porte na pista auxiliar do aeroporto. Os demais voos, com aeronaves maiores, foram deslocados para o Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, na Ilha do Governador, na zona norte.

Na manhã de hoje, o primeiro voo da Azul para Congonhas, em São Paulo, partiu às 6h31. Os voos da Latam também estão saindo normalmente, a partir de hoje, do Santos Dumont. Apenas a Gol manteve os voos deste sábado no Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão.

Concessões

Em julho, o brigadeiro Hélio Paes de Barros assumiu o comando da Infraero e anunciou que um dos pilares de sua gestão é cumprir o cronograma de concessõesestabelecido pelo governo federal. O atual governo pretende conceder ao setor privado toda a rede de aeroportos que ainda está sob a responsabilidade da Infraero, entre eles, o Aeroporto Santos Dumont.

A sexta rodada de concessões de aeroportos está em fase de estruturação. A previsão é que no segundo semestre de 2020 sejam leiloados mais 22 aeroportos, divididos em três blocos regionais.

Já a sétima rodada, prevista para o primeiro trimestre de 2022, deve incluir dois dos terminais mais importantes para a Infraero: os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont.

Aeroporto Santos Dumont volta a operar amanhã

Por Vitor Abdala

Avião se aproxima para pouso no Aeroporto Santos Dumont (Alexandre Macieira/Riotur)

Depois de ficar quase um mês fechada para reformas, a pista principal do aeroporto Santos Dumont, que opera voos domésticos no Rio de Janeiro, reabrirá às 6h deste sábado (21).

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), com isso o terminal poderá operar normalmente a partir desse horário.
 
As obras de reforma da pista começaram no dia 24 de agosto e custaram R$ 9 milhões. Durante os serviços na pista principal, as companhias aéreas mantiveram suas operações com aeronaves de menor porte na pista auxiliar do aeroporto.

Os demais voos, com aeronaves maiores, foram deslocados provisoriamente para o aeroporto internacional Tom Jobim/Galeão.
 
De acordo com a Infraero, “os trabalhos garantem a continuidade das operações nas mesmas condições de segurança, e de acordo com os requisitos regulatórios demandados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), oferecendo melhora no contato entre os pneus das aeronaves com a pista molhada ou seca”.

A última vez que a pista principal do aeroporto passou por manutenção foi em 2009. A expectativa é que a atual recuperação da pista dure em torno de 10 anos, até uma nova manutenção.

Companhias menores vão usar espaços da Avianca em Congonhas

Por Luciano Nascimento

Antes de iniciar operação em Congonhas, Passaredo operava 14 destinos, segundo site da companhia (Reprodução)

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação no aeroporto das empresas Passaredo e Map. As duas companhias receberam, ao lado da Azul, os slots, autorizações de pousos e decolagens no terminais, que pertenciam a Avianca, que suspendeu as operações em maio. Com a decisão efetuada ontem (14), dos 41 slots da Avianca, a MAP vai operar 12; a Azul 15, e a Passaredo ficou com 14. Todos eles, nos horários que eram operados pela Avianca Brasil na pista principal.

“A aprovação ocorreu após análise realizada em conjunto com o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) dos requisitos operacionais e de performance das aeronaves das empresas aéreas. Após a aprovação, as empresas poderão iniciar a oferta de voos de acordo com os horários alocados e as rotas registradas”, disse a Anac.

E-195, fabricado pela Embraer, será usado inicialmente pela Azul nos voos entre Congonhas e Santos Dumont (Azul/Reprodução)

Na terça-feira (13), a Azul anunciou o início da venda de passagens para a ponte aérea Rio-São Paulo. A empresa informou que fará 16 voos diários entre Congonhas e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com início das viagens previsto para 29 de agosto.

A Azul usará de cinco a seis aeronaves Embraer E-195, inicialmente na pista auxiliar do aeroporto. A empresa disse que vai operar com tarifas iniciais de R$ 99 por trecho.

A Anac também confirmou a alocação dos 14 slots da pista auxiliar para a empresa Two Flex dedicada à aviação regional com aviões de até nove lugares.

No final de julho, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) redistribuiu os 41 slots da Avianca em Congonhas para a  Azul, Map e Passaredo, três das quatro empresas que manifestaram interesse nas autorizações.

Assim como a Passaredo, Map opera 14 destinos (Reprodução)

A decisão de redistribuir os slots foi tomada pela Anac no dia 25 de julho, em reunião extraordinária e vale para a temporada de 27/10/2019 a 28/3/2020, mas, segundo a Anac, considerando o nível crítico de concentração e alta saturação da infraestrutura de Congonhas, as empresas estão autorizadas a iniciar imediatamente a oferta de voos.

Mesmo com a redistribuição dos slots, duas companhias concentram mais de 87% dos slot de Congonhas: A Gol e a Latam, com pouco mais de 43% dos slots da pista principal, cada. A Azul, Passaredo e MAP dividem o restante, pouco mais de 12%.

Azul inicia operação na ponte aérea Rio-SP a R$ 99

E-195, fabricado pela Embraer, será usado inicialmente pela Azul nos voos entre Congonhas e Santos Dumont (Azul/Reprodução)

A Azul Linhas Aéreas anunciou o início das operações na ponte aérea Rio-São Paulo no dia 29 de agosto, com preços que partem de R$ 99 por trecho, entre os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont. Ao todo, serão 17 voos em cada sentido por dia e as passagens já estão à venda. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

A companhia, que herdou slots da Avianca, vai operar com a aeronave brasileira, da Embraer, E-195, autorizado a atuar, inclusive, durante as obras de reparo da pista principal de Santos Dumont, ao contrário de Latam e Gol. Nesse período, o E-195 da Azul vai pousar e decolar pela pista auxiliar.

A rota entre os dois aeroportos é uma das mais movimentadas do mundo.