Lancha da Receita Federal estacionada no mar ao lado do cargeiro onde foram encontrados tijolos de cocaína

Agentes apreendem 300 quilos de cocaína no Porto de Santos

Agentes que atuam no Porto de Santos apreenderam, ontem (21), 300 quilos de cocaína escondidos em um navio. A ação foi realizada pela Receita Federal, Polícia Federal e Guarda Portuária.

A embarcação havia saído da Argentina com destino à Europa.

“O cargueiro fez escala no Porto de Santos para o embarque de novas cargas e tinha como destino a Bélgica”, informa a Receita Federal, em nota à imprensa.

Lancha da Receita Federal estacionada no mar ao lado do cargeiro onde foram encontrados tijolos de cocaína
Droga estava escondida dentro de caminhão transportado por navio cargueiro (Receita Federal)

Segundo os policiais, o entorpecente estava dentro da cabine de um caminhão, divido em tijolos.

“Nos navios Roll on Roll off (Ro-Ro), geralmente as cargas entram e saem da embarcação pelos próprios meios, como, por exemplo, carros, ônibus, tratores, caminhões, entre outros”, afirma a Receita Federal.

Só este ano, os fiscais apreenderam mais de mil quilos de cocaína no Porto de Santos. No ano passado, os agentes interceptaram 16,9 mil quilos da droga.

*Erramos: Ao contrário do que dizia o texto, a apreensão foi ontem (21) e não hoje (22) pela manhã. Texto corrigido

Mergulhadores, ao lado do navio, recolhem mala com cocaína de dentro d'água.

Operação apreende cocaína escondida em compartimento de navio

Uma operação de combate ao tráfico internacional de drogas apreendeu 130 quilos de cocaína escondidos no compartimento externo de um navio, no Porto de Santos, litoral paulista. A droga estava dentro de bolsas, escondidas em um espaço chamado de “sea chest”, que fica abaixo do nível d’água.

Para remover o entorpecente, a Receita Federal acionou equipes do Corpo de Bombeiros de Santos. Mergulhadores conseguiram abrir o compartimento e recolher a cocaína.

“Essa modalidade de tráfico vem se tornando recorrente no mundo e é caracterizada pela complexidade de realização”, comenta a Receita Federal, em nota. O destino do navio inspecionado era a Bélgica.

Lancha usada na operação se aproxima do navio. Ao fundo é possível ver o porto de santos.
Lancha usada na operação patrulha local enquanto bombeiros se preparam para mergulho (Receita Federal)
Mergulhadores, ao lado do navio, recolhem mala com cocaína de dentro d'água.
Mergulhadores recolhem o saco com a droga e entregam aos bombeiros (Receita Federal)
Foto vista de cima, mostra mergulhadores e agentes dentro de um barco enquanto outros mergulhadores que estão dentro  d'àgua.
Mergulhadores dentro do mar enquanto agentes acompanham trabalho (Receita Federal)
Sacos em cor escura retirados de dentro do compartimento do navio. Droga estava escondida dentro destas malas.
Bolsas apreendidas com a cocaína após serem retiradas do mar (Receita Federal)

No caso do porto de Santos, a verificação em compartimentos como este é ainda mais difícil. “No complexo portuário santista, a pouca visibilidade da água torna-se o maior desafio para as Instituições envolvidas na operação”, conclui.

Apesar da dificuldade, foi a sexta vez, em dois anos, que a “Receita Federal apreendeu cocaína escondida abaixo da linha d’água de um navio no porto de Santos, impedindo o envio de quase uma tonelada da droga para o exterior, somente nessa modalidade”.

A apreensão aconteceu ontem (27), mas só foi divulgada hoje (28).

Cocaína é encontrada em carga de açúcar, no Porto de Santos

Três sacos eram usados para transportar a droga (Receita Federal)

Agentes da Receita Federal encontraram um carregamento de cocaína escondido em uma carga de açúcar que embarcaria no Porto de Santos, litoral de São Paulo. Segundo nota divulgada pela Receita, 37 quilos da droga estavam escondidos em três sacos.

A carga inspecionada era formada por 2.080 sacas de açúcar, em dois contêineres. O destino era Freetown, capital de Serra Leoa, no continente africano.

O caso foi registrado pela Polícia Federal, a quem cabe a investigação a partir de agora. Um balanço divulgado pela receita mostra que 13,3 toneladas de cocaína foram apreendidas este ano no Porto de Santos.


Carregamento de munição é apreendido no Porto de Santos

(Receita Federal/Reprodução)

Um carregamento de munição foi apreendido, na tarde de hoje (23), no Porto de Santos, litoral de São Paulo. O flagrante aconteceu, segundo a Receita Federal, durante a conferência de uma carga importada declarada como bagagem desacompanhada. Também foram apreendidas ferramentas usadas para montar a munição.

“São projéteis e estojos de diversos calibres, sem anuência do Exército Brasileiro, sendo que boa parte é destinada ao emprego em armas longas como fuzis ou de calibres restritos para o uso das forças de segurança”, esclarece nota divulgada pela Receita. 

A Receita informou que a quantidade apreendida “surpreendeu a equipe”, apesar de não ser a primeira apreensão desse tipo no porto de Santos. A nota não informa de onde partiu a carga e qual seria o destino aqui no Brasil.

Polícia apreende 36,5 toneladas de maconha, a maior do país, diz Polícia

(Min. da Justiça/via Agência Brasil)

A maior apreensão de drogas da história do país ocorreu neste fim de semana em Deodápolis (MS), a 266 quilômetros da capital Campo Grande e a 80 quilômetros de Dourados. A Polícia Militar Rodoviária do estado interceptou um caminhão com carga de soja que escondia 36,5 toneladas de maconha.

O motorista foi preso e encaminhado à Polícia Civil no município. Segundo a investigação, a droga estava sendo transportada para o Porto de Santos (SP).

Coordenada pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a ação integra o Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia). Segundo a pasta, as apreensões relacionadas ao programa totalizaram 673 toneladas de drogas entre junho de 2020 e junho deste ano, aumento de 111% em relação aos 12 meses anteriores.

Ministério da Justiça e Segurança Pública registra a maior apreensão de drogas da história do país

Divulgação/Ministério da Justiça

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a principal droga apreendida é a maconha. Em dois anos de atuação, o Programa Vigia levou a perdas mais de R$ 3 bilhões aos criminosos e evitou prejuízo de mais de R$ 500 bilhões aos cofres públicos. Foram apreendidas mais de 870 toneladas de drogas, 113 milhões de maços de cigarros, além de embarcações, veículos e produtos contrabandeados.

O Programa Vigia atua em 15 estados: Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Acre, Rondônia, Tocantins, Goiás, Roraima, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Pará, Amapá, Rio Grande do Norte e Ceará. As ações seguem as diretrizes do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), com foco na atuação integrada, coordenada, conjunta e sistêmica entre as instituições. O programa tem três eixos: operações de segurança, capacitação de agentes e compra de equipamentos e sistemas.

Receita e Anatel apreendem 16 mil desbloqueadores de TV por assinatura

(Receita Federal/via Agência Brasil)

Equipes de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da Alfândega da Receita Federal em Santos apreenderam, esta semana, 16.620 aparelhos desbloqueadores de TV por assinatura, comumente conhecidos como receptores FTA, no valor de R$ 8,31 milhões. A atuação foi em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

De acordo com a Receita, os aparelhos foram adulterados de fábrica para realizar pirataria de canais pagos, filmes e outros conteúdos restritos.

“Ao longo da fiscalização, constatou-se que a totalidade da carga importada era composta por aparelhos que continham software instalado destinado a acesso ilegal e não autorizado a inúmeros canais de TV por assinatura (TV a cabo) e a outros aplicativos pagos”, informa a Receita.

A Receita Federal informa que já apreendeu 36.620 aparelhos desse tipo este ano no Porto de Santos. No ano passado, foram apreendidos 42 mil aparelhos.

“Os infratores cometem crime de violação aos direitos autorais e contra a propriedade imaterial e contrabando, além de concorrerem de forma desleal com empresas idôneas. Como estão conectados à internet, esses aparelhos possibilitam a invasão das redes domésticas e o roubo de dados pessoais”, explica o órgão.

Por Agência Brasil

Receita apreende 68 quilos de cocaína em carga de limão

(Receita Federal/Reprodução)

A Receita Federal no Porto de Santos, litoral de São Paulo, apreendeu 68 quilos de cocaína escondidos em um contêiner de limão destinado para exportação. Durante a fiscalização de rotina, na manhã de hoje (7), os agentes selecionaram a carga para inspeção.

Segundo a Receita, a carga, de 27 toneladas, precisou ser retirada para que as equipes atingissem o fundo do contêiner e acessassem a parede que separa os equipamentos de refrigeração. Os tabletes de cocaína foram colocados no local do isolamento térmico, em uma tentativa de dificultar o trabalho da fiscalização.

O destino do carregamento era o porto de Roterdã, na Holanda, Europa. A droga interceptada pela Receita foi entregue à Polícia Federal, que acompanhou a operação após a localização do entorpecente e prosseguirá com as investigações com base nas informações fornecidas pela Receita Federal. 

Porto de Santos: sete são presos tentando embarcar droga

Momento do flagrante, gravado por câmeras de vigilância (Receita Federal/Reprodução)

Uma operação prendeu, na madrugada de hoje (9), no Porto de Santos, sete pessoas suspeitas de tráfico internacional de drogas. A quadrilha foi flagrada, segundo a Receita Federal, no momento em que tentava embarcar mais de uma tonelada de cocaína para o exterior.

A estratégia do grupo era incluir a droga em um contêiner carregado com 26 toneladas de madeira, que partiria do Porto de Santos. O destino era o porto de Antuérpia, na Bélgica.

O flagrante foi realizado pela Receita e pela Polícia Federal, que investigava o bando. Ao todo, 1.111 quilos da droga foram apreendidos.


Segundo nota da Receita, os envolvidos no esquema estavam ainda com armas, incluindo um fuzil e duas pistolas, celulares, toucas ninja e alicate para cortar o lacre do contêiner. A Polícia Federal prosseguirá com as investigações.

(Receita Federal/Reprodução)

Receita apreende 853 kg de cocaína no porto

(Receita Federal/Reprodução))

Durante a execução de trabalhos de rotina de vigilância e repressão aduaneiras, equipes da Alfândega da Receita Federal em Santos, no litoral de São Paulo, apreenderam 853 kg de cocaína escondidos em uma carga de exportação. Realizada na tarde de hoje (18), a apreensão ocorreu em um carregamento de proteína concentrada de soja, destinado ao porto de Roterdã, na Holanda.

Para a seleção de cargas são utilizados critérios objetivos de gerenciamento e análise de risco, bem como a inspeção não intrusiva por imagens de escâner. Outra ferramenta importante é a participação de cães farejadores da Receita Federal. Durante a operação, o cão de faro da Alfândega de Santos sinalizou positivamente para a presença de drogas.

A importância desse trabalho sistemático de seleção é garantir o fluxo do comércio internacional, muito importante para a economia do país, sem perder de vista a segurança das operações.

A droga interceptada pela Alfândega da Receita Federal foi entregue à Polícia Federal, que acompanhou a operação a partir da localização da cocaína, e prosseguirá com as investigações a partir das informações fornecidas pela Receita Federal. O repasse de informações das operações à polícia judiciária tanto pode dar início a novas investigações, como complementar as que estão em curso. 

A Receita Federal apreendeu mais de 20,5 toneladas de cocaína no Porto de Santos em 2020. 

Em 2021, já foram duas apreensões totalizando 1.523 kg da droga.

Na maior parte das apreensões, a droga foi encontrada dentro de contêineres que seriam enviados para a Europa. As cargas em meio as quais o entorpecente é escondido são as mais variadas possíveis. Sucata, óleo, limão, farinha, papel, tripas de carne, açúcar, café, máquinas, goiabada e proteínas vegetais são alguns exemplos. 

*Com informações da Receita Federal

Uva passa contaminada é apreendida a caminho de SP

(Reprodução)

A Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro, órgão ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) interceptou e impediu a comercialização de mais de 140 toneladas de uvas passas contaminadas que tinham como destino a região metropolitana de São Paulo.

Segundo as autoridades, a interceptação do produto importado ocorreu entre junho e setembro em postos de fronteira do Porto de Santos (SP) e do Porte Seco de Foz do Iguaçu (PR), após constatação de que apresentava “quantidade de ocratoxina A acima do permitido” – substância produzida por alguns tipos de fungos.

Segundo o Ministério da Agricultura, em condições ambientais adequadas, a substância pode estar presente em produtos alimentares, como cereais, frutos secos, café, cacau, uvas, e processados, como vinho, cerveja ou sumos de fruta. “No entanto, excedendo o limite permitido de micotoxina torna-se tóxica, sendo prejudicial à saúde”, informou, por meio de nota, o ministério.

“Já foram bloqueadas cargas de uva passa com mais de nove vezes o limite máximo permitido de ocratoxina”, detalha o auditor fiscal da operação, Tiago de Dokonal Duarte, do Ministério da Agricultura, ao informar que lotes importados de amendoim, milho, amêndoas, pistache, frutas secas e milho de pipoca, incluindo os seus subprodutos, só podem ser liberados para a comercialização no Brasil após a análise de micotoxinas feita por laboratórios credenciados.

Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil