Estado supera mil mortes por Coronavírus

O estado de São Paulo registra 1.015 mortes causadas por coronavírus, segundo balanço divulgado hoje (19) pela Secretaria Estadual de Saúde. Foram registradas mortes em 93 cidades do estado. Há 700 óbitos notificados na capital paulista, 28 em Guarulhos, 27 em Osasco e 20 em São Bernardo do Campo. Fora da Grande São Paulo, Santos, no litoral, é a cidade com mais óbitos, com 19 vítimas da doença.

A maior parte das mortes (78,7%) está concentrada na faixa etária de 60 anos ou mais. As comorbidades mais presentes são as doenças do coração (62,9%), diabetes mellitus (42,8%) e as doenças pulmonares (14,7%).

Internações

Atualmente, 5,6 mil pessoas estão internadas com confirmação ou suspeita de covid-19. Desses, 2,3 mil estão em unidades de tratamento intensivo.

Já foram confirmados 14,2 mil casos da doença em 228 municípios paulistas. A capital paulista responde por 9,6 mil infecções.

Entre os doentes, 3,8 mil têm entre 30 e 39 anos e 3,1 mil estão na faixa de 40 a 49 anos. Os pacientes com idades entre 50 e 59 anos somam 2,2 mil casos.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

Veja as cidades de SP com mortes por Coronavírus

(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

São Paulo registrou neste domingo (5) um total de 275 óbitos pelo novo coronavírus. Os números significam um aumento de 180% em comparação ao balanço do domingo passado (29), quando eram 98 vítimas fatais pela covid-19 Já o número de casos confirmados pela doença chegou a 4.620.

Os óbitos concentram-se em 33 cidades, com maior número na grande São Paulo, mas, crescem os números no interior do estado. Hoje,foi confirmada a primeira morte em Bauru. Também há pelo menos uma vítima em cada uma das regiões de Araçatuba, Ribeirão Preto, Campinas, Baixada Santista, Presidente Prudente e Sorocaba.



Os municípios e respectivos números de mortes são: São Paulo (220), Guarulhos (5), São Bernardo do Campo (5), Campinas (4), Santo André (3), Cotia (3), Osasco (3), Taboão das Serra (3).

Americana, Mairiporã, Santos e Sorocaba têm duas mortes cada cidade. Há ainda um óbito confirmado em cada uma das seguintes cidades: Arujá, Barueri, Bauru, Caieiras, Carapicuíba, Cravinhos, Diadema, Dracena, Embu das Artes, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapecerica da Serra, Itapevi, Jaboticabal, Mogi das Cruzes, Nova Odessa, Penápolis, Ribeirão Preto, São Caetano do Sul, São Sebastião e Vargem Grande Paulista.

Segundo o portal do governo do estado, as 275 vítimas somam 157 homens e 118 mulheres. Do total, 236 tinham idade igual ou superior 60 anos. As demais incluem pessoas com menos de 60 com comorbidades que, assim como os idosos, representam grupo mais vulnerável a complicações da covid-19.

Por Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil 

*Atualizado às 10h19

Cidades do ABC compram 1 milhão de testes de Covid-19

(Arquivo/Michael Schwenk/Fotos Públicas)

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que reúne prefeitos da região, anunciou a compra de 1 milhão de kits para testes de covid-19. A remessa será dividida proporcionalmente, conforme o total de habitantes, entre os municípios representados, que são: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Em nota, a entidade destaca que a aquisição permitirá aplicar os testes em 36% da população da região. A previsão é de que a compra seja feita até o fim da semana, de modo que o material esteja disponível até a segunda quinzena de abril. Com um custo de US$ 0,80 por kit, o valor estimado da compra é R$ 4,8 milhões e será coberto por recursos do Fundo Municipal de Saúde.

Outra decisão tomada é o lançamento de um programa emergencial de combate à fome nos sete municípios, que deverá ocorrer ainda esta semana. Ao todo, serão distribuídas 20 mil cestas básicas e kits de higiene. A medida foi sugerida após os prefeitos avaliarem que “a ajuda financeira do governo federal será insuficiente para atender a todas as pessoas”. Atualmente, cerca de 80 mil famílias da região estão cadastradas no Bolsa Família.

Diálogo com governo federal

O grupo de prefeitos também informou que irá remeter um documento ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em que pede orientações sobre quais procedimentos devem ser adotados frente à pandemia. O discurso do presidente Jair Bolsonaro, em defesa da suspensão das medidas de isolamento social, recomendadas por inúmeros especialistas, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), tem preocupado os membros do consórcio. Os prefeitos reconhecem que “questionam se o governo federal assumirá também as responsabilidades no caso dessa determinação provocar mais óbitos”.

O consórcio também adianta que solicitará ao governo federal um estudo que lhes dê subsídio necessário para mensurar a capacidade de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), a fim de evitar o colapso da rede. A possibilidade de sobrecarga do SUS foi alertada pelo próprio ministro, no início da pandemia.

De acordo com balanço apresentado pelo Ministério da Saúde, até a tarde desta segunda-feira (30), o Brasil contabilizava 4.579 casos confirmados de covid-19. O total de mortes chega a 159. O sudeste concentra mais da metade (55%) das infecções pelo coronavírus, sendo que o estado de São Paulo responde por 1.517 dos registros e 113 óbitos.

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil

Morte de 2 jovens por Coronavírus é investigada em SP

A morte de dois jovens, um de 26 e outro de 33 anos, pelo novo coronavírus (covid-19) está sendo investigada em São Paulo para saber se eles tinham alguma comorbidade. A informação é da Secretaria da Saúde de São Paulo. Os dois jovens morreram neste domingo (29), na capital, e estão entre as 14 pessoas que morreram vítimas do covid-19 que foram contabilizadas hoje. Todos os óbitos ocorreram na rede privada de saúde.

Segundo balanço da secretaria, São Paulo somou 98 mortes por coronavírus. Entre os 14 óbitos contabilizados, além dos dois jovens, há um homem de 89 anos, que morava em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Os demais são todos da capital e tinham mais de 60 anos de idade. São Paulo tem, até o balanço divulgado na tarde de hoje, 1.451 casos confirmados para coronavírus.

Os últimos balanços divulgados pela Secretaria da Saúde ainda não contabilizaram a morte de um rapaz de 56 anos, estudante da Faculdade de Química da Universidade de São Paulo (USP), ocorrida nesse sábado (28). A morte foi confirmada em comunicado da USP, que informou que ele morreu no Hospital Universitário.

Por meio de nota, a USP lamentou a morte: “A USP lamenta profundamente o ocorrido e informa que está tomando providências para identificar eventuais colegas, professores e funcionários que estiveram em contato com o aluno e orientá-los como proceder. As aulas de graduação e de pós-graduação da universidade estão suspensas desde o dia 17 de março e os estudantes estão em regime de aulas a distância”, diz o comunicado.

Prefeito de São Bernardo

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, que teve confirmado o diagnóstico para coronavírus na última quarta-feira (25), precisou ser internado hoje (29) em uma Unidade de Terapia Intensiva. Segundo comunicado, divulgado nas redes sociais do prefeito, ele não teve melhoras em seu quadro de saúde e hoje, após um médico passar em sua residência e ter constatada a oxigenação baixa no prefeito, decidiu encaminhá-lo ao Hospital São Luiz.

Pandemia faz 7 cidades do ABC paralisar ônibus

(Arquivo/Nivaldo Lima/SP Agora)

Após assembleia realizada na manhã de hoje (18), o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que reúne prefeitos da região, decidiu suspender a circulação de ônibus municipais a partir do dia 29 de março, por tempo indeterminado. As cidades que terão o serviço alterado serão Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, que têm representantes no consórcio. 

Somente os veículos do sistema de transporte público municipal irão parar, ou seja, a medida não abrange aqueles que são de responsabilidade do governo estadual de São Paulo. As frotas já serão reduzidas a partir desta quarta-feira. 

Em entrevista à Agência Brasil, o presidente do consórcio, Gabriel Maranhão, disse que a posição geográfica da região exige medidas como a que foi agora tomada, devido à proximidade com o Aeroporto de Guarulhos, o Porto de Santos e a capital paulista. Ele também afirmou que os prefeitos que integram o consórcio esperam do governo federal “uma atitude mais pró-ativa”. 



“A gente vê, realmente, uma situação muito preocupante e fica esperando uma atitude mais corajosa e responsável por parte do governo federal”, afirmou Maranhão, atual prefeito de Rio Grande da Serra, município localizado a 55 quilômetros da capital.

Segundo Maranhão, o perfil demográfico do ABC paulista é outro fator que justifica a medida. Ele informou que, ao todo, há 432 mil idosos vivendo na região e somente 1.300 leitos hospitalares, o que poderia causar uma sobrecarga do sistema de saúde. 

O presidente do consórcio acrescentou, ainda, que, além de fazer um comunicado oficial sobre a mudança no transporte público, cada prefeito também irá editar um decreto declarando situação de emergência, nos próximos dias. Também ficou decidido na reunião que os prefeitos vão garantir o transporte de funcionários que prestem serviços essenciais, por meio da contratação de linhas particulares.

“O mais importante agora é a população se precaver, ficar em casa e evitar que a pandemia se alastre da forma como se alastrou na Europa”, disse. A medida faz parte do esforço regional para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), que configura pandemia, diz nota do consórcio.

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil 

Incêndio destrói 80 carros e 15 caminhões

Fogo destruiu cegonheiras que estavam carregadas no local (Corpo de Bombeiros/Reprodução)

Um incêndio de grandes proporções destruiu 80 carros e 15 caminhões na noite de ontem (23), em São Bernardo do Campo, no Abc Paulista. Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo atingiu um estacionamento da empresa Roger, onde estavam estacionadas carretas cegonhas cheias de carros.

A corporação chegou a enviar para o local 13 equipes. Foram necessárias quase duas horas de trabalho para controlar o incêndio. Durante a madrugada, os bombeiros confirmaram que o fogo foi extinto e o local liberado para perícia. Não houve feridos.

A Polícia Civil vai investigar o que pode ter provocado o fogo.

 

Caoa desiste de comprar fábrica da Ford no ABC

O grupo Caoa desistiu de comprar a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, São Paulo. A informação foi dada nesta segunda-feira (13) pelo governador João Doria e, posteriormente, confirmada pela companhia.

Segundo Doria, a Caoa, apesar de não concretizar a compra da planta da montadora norte-americana, deverá anunciar importantes investimentos no setor automobilístico no estado em 2020. “Não foi possível viabilizar [a venda da fábrica da Ford para a Caoa] neste caso específico, mas a Caoa deve anunciar, agora em 2020, um novo e forte investimento com fabricante chinês na indústria automobilística aqui em São Paulo”, disse Doria em entrevista coletiva.

“Não é fácil você vender uma fábrica instalada, é difícil, sob certos os aspectos. É mais fácil você motivar a implantação de uma fábrica do que a venda de uma fábrica porque ela tem que ser muito ajustada. Uma coisa é você fazer um terno, e outra é você vender o terno pronto para um número muito pequeno de potenciais usuários”, acrescentou o governador.

Em nota, o grupo Caoa confirmou a informação do governador. “A Caoa confirma que as negociações devam seguir o encaminhamento informado pelo governador Doria.”

O governador disse que a compra da fábrica da Ford está sendo estudada por dois grupos de investidores chineses. Doria não identificou os dois grupos empresariais. “Há um entendimento novo com dois fabricantes chineses, entendimentos que estão em curso, mas não temos propagado, até para que eles possam seguir com tranquilidade, sem a pressão do tempo.”

A Ford anunciou em 20 de outubro do ano passado o encerramento da produção de caminhões na fábrica de São Bernardo, após de 52 anos de funcionamento. O anúncio havia sido previamente divulgado em fevereiro e, segundo nota da montadora, está “em linha com a decisão de sair do segmento de caminhões na América do Sul”.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informou, na época, que cerca de 650 funcionários da produção seriam desligados da fábrica. Aproximadamente mil trabalhadores, da parte administrativa, continuariam na fábrica de São Bernardo e seriam transferidos para uma nova sede, na capital paulista, a partir de abril deste ano.

Por  Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Fraudes no Fies são investigadas em operação da PF

(PF/Reprodução)

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (3), no interior paulista, uma operação para investigar esquema de fraude no Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) e venda de vagas em universidades. Também estão sob suspeita a concessão de bolsas do Prouni, a transferência de alunos do exterior para curso de medicina em Fernandópolis e fraudes relacionadas a cursos de complementação do exame Revalida.

Foram expedidos 77 mandados judiciais nas cidades paulistas de Jales, Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto, Santos, Presidente Prudente, São Bernardo do Campo, Porto Feliz, Meridiano, Murutinga do Sul, São João das Duas Pontes e Água Boa no Mato Grosso. Foram determinadas 11 prisões preventivas, 11 prisões temporárias, 45 ordens de busca e apreensão e 10 medidas cautelares, além do bloqueio de bens e valores dos investigados em até R$ 250 milhões.

A Operação Vagatomia teve início após informações de que havia irregularidades em um curso de medicina em Fernandópolis, com a negociação de até R$ 120 mil pagos por aluno para o ingresso, transferência e financiamento do Fies. Após oito meses, as investigações indicaram que o líder da organização é o dono da universidade. Seu filho, sócio na instituição, também tinha ligação com o esquema, segundo a PF.

De acordo com a polícia, muitos dos alunos que compraram vagas ou conseguiram financiamentos já foram identificados, e entre eles estão filhos de fazendeiros, servidores públicos, políticos, empresários e amigos dos donos da universidade, todos com alto poder aquisitivo, que mesmo sem perfil de beneficiários do FIES, mediante fraude, tiveram acesso aos recursos do governo federal.

“Com o incremento desordenado de alunos de medicina no campus em Fernandópolis, a qualidade dos estudos foi prejudicada e alunos que ingressaram de forma regular procuraram o Ministério Público Federal para denunciar as irregularidades. No decorrer das investigações, foram identificadas ameaças, proferidas pelo dono da universidade aos alunos que fizeram as denúncias, além de tentativas de influenciar e intimidar autoridades, com destruição e ocultação de provas, dentre outras ilegalidades”, informou a PF em nota .

Prisão

Os dono da universidade e seu sócio tiveram a prisão decretada, assim como diretores e funcionários das unidades onde as fraudes ocorriam. As investigações mostraram que eles estavam investindo o dinheiro, obtido por meio irregular, em imóveis urbanos e rurais, no Brasil e no exterior. Também compraram aeronaves – helicóptero, jatinho e avião – e dezenas de veículos de luxo, enquanto o campussofria com falta de recursos.

“Os alunos e pais, que aceitaram pagar pela vaga ou financiamentos públicos, também responderão pelos crimes, em investigação, na medida de suas culpabilidades. Nova investigação será iniciada imediatamente pela Polícia Federal, objetivando identificar todos os pais e alunos que concordaram em pagar pelas fraudes praticadas pela organização criminosa e, portanto, também praticaram crimes”, disse a PF..

Os presos foram indiciados por crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas de informações e estelionato majorado. As penas somadas podem chegar a 30 anos de reclusão.

Volkswagen vai investir R$ 2,4 bi em São Bernardo

João Doria e a comitiva do governo visitam unidade da Volkswagen na Alemanha
(Governo do Estado de SP/Reprodução)

A Volkswagen vai investir R$ 2,4 bilhões na planta da montadora, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. A informação é do Governo do Estado de São Paulo.

O Governador João Doria se encontrou, em Wolfsburg, na Alemanha, com o presidente da Volkswagen para a América Latina, Pablo Di Si, e com o chefe global de operações da empresa, Ralf Brandstätter. O anúncio foi feito na sede da empresa e o montante será usado na fabricação de um novo modelo da marca.

“A Alemanha tem uma altíssima tecnologia na fabricação de automóveis, especialmente a Volkswagen. Aqui se faz o que há de mais moderno. Esse é um anúncio muito importante para a economia paulista”, explicou Doria.

A expectativa é que cerca de 1,5 mil empregos, diretos e indiretos, sejam gerados na região em função do investimento. Do total, 100 vagas serão apenas para engenheiros. O novo modelo está sendo totalmente desenvolvido no Brasil e depois será fabricado na Europa. O primeiro protótipo já está em execução na planta Anchieta, em São Bernardo do Campo.

Durante a visita, Doria também vai conhecer o sistema dual de formação profissional, o mais praticado no país. O sistema, com tradição de mais de 100 anos, permite conciliar prática e teoria para aprender uma profissão. A formação profissional é financiada pelas empresas que pagam ao aprendiz um salário mensal e pelo Estado que assume os custos da escola profissionalizante. O modelo se tornou um produto de exportação alemão.

“Esse é um dos bons segredos da Volkswagen e o programa de treinamento feito aqui é o mesmo que estamos desenvolvendo no Centro Paula Souza, nas Etecs e Fatecs. Por isso, nosso governo criou os 12 pólos de desenvolvimento econômico. Eles vão permitir a qualificação de mão de obra vocacionada para a atividade da região, seja no setor automobilístico, de tecelagem, agronegócio, tecnologia. Mão de obra qualificada é mão de obra empregada. É o que a Alemanha já faz e o que estamos fazendo em São Paulo”, explicou Doria.

Missão Alemanha

Doria desembarcou na Alemanha na quarta-feira (28) e fica no país até sexta-feira (30). Durante a viagem participa também de encontros de trabalho para atração de mais recursos para o Estado. “São Paulo é um estado global e nossas viagens ao exterior têm rendido investimentos importantes, assegurando a geração de emprego e renda, meta principal do Governador”, afirmou Julio Serson, Secretário de Relações Internacionais do Governo de São Paulo, que também integra a comitiva.

Nesta sexta-feira (30), a delegação paulista se reúne com empresários do BDI (Federação das Indústrias Alemãs) em Berlim.

*Com informações do Governo do Estado de SP