Cantareira reduz ritmo de queda, mas ainda opera em alerta

(Arquivo/Agência Brasil)

O volume de água do Sistema Cantareira baixou mais 0,8 pontos na última sexta-feira, atingindo 28,2% de sua capacidade. Foi a primeira vez nos últimos 40 dias que a queda foi inferior a um ponto (a última vez foi em 3 de setembro, quando o nível caiu 0,9). Os dados são da Sabesp.

Mesmo com uma queda menor em comparação às últimas semanas, a situação da Cantareira é de risco. O sistema já opera em estado de alerta desde de 6 de setembro, quando passou a operar abaixo dos 35%. Essa é a menor capacidade que o Sistema Cantareira opera nos últimos cinco anos.

A escala da Sabesp serve para medir e classificar o nível de água do reservatório. É considerado normal um nível de água igual ou maio a 60%. é considerado estado de atenção quando o nível fica entre 40% e 60%, de alerta quando está entre 30% e 40% e de restrição entre 20% e 30%.

Embora abaixo dos 30%, o manancial ainda está classificado como estado de alerta. O motivo disso é porque a represa atingiu a marca abaixo dos 30% no mês de outubro. Segundo as regras da Agência Nacional de Águas (ANA), só será considerada a fase de restrição se o mês acabar abaixo de 30%.

Por TV Cultura

Internações por covid-19 despencam e um quarto dos pacientes não se vacinou

A quantidade de internações por covid-19 na cidade de São Paulo despencou cerca de 90%, segundo levantamento divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde, que relaciona a queda ao avanço da vacinação. Enquanto no pico da pandemia, o município chegou a registrar mais de 500 internações por dia, entre 8 e 28 de setembro o número de pacientes que deram entrada em hospitais, por dia, caiu para 51.

Durante o período do levantamento, 1.082 pessoas com mais de 18 anos foram hospitalizadas, além de 105 menores de 18 anos, ainda sem o esquema vacinal completo, totalizando 1.187. Destes, 753 ocuparam um leito de enfermaria e 434 uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), informa nota da Prefeitura.

Entre os internados, 261 não estavam vacinados (excluindo os menores de 18 anos), o que representa um quarto do total dos pacientes. 

“A curva de internações começou a diminuir a partir de junho, período que coincide com o avanço da vacinação no município”, comenta Marilande Marcolin, secretária-executiva de Atenção Hospitalar.

Outro dado que chama a atenção no levantamento é que a maioria dos casos se concentra em pacientes com mais de 40 anos de idade, com maior incidência nos maiores de 60 anos. Nos casos em que os pacientes precisaram de uma UTI, também foi possível verificar a menor incidência de intubações.

“Isso reforça o planejamento da dose adicional para os maiores de 60 anos e a manutenção das medidas preventivas, com o uso de máscaras e a importância de uma boa higiene pessoal, com lavagem frequente das mãos e uso do álcool em gel”, disse Luiz Carlos Zamarco, secretário-adjunto da Secretaria Municipal da Saúde.

Com casos em estabilidade, barreiras sanitárias são encerradas

Barreira sanitária em São Paulo (Pref. de São Paulo/Reprodução)

A estabilidade de casos de covid-19 na cidade de São Paulo fez a Prefeitura encerrar, nesta sexta-feira (15), as barreiras sanitárias. Implantadas em 27 de maio no aeroporto de Congonhas e em três terminais rodoviários da cidade, a medida tinha o objetivo de “identificar os casos suspeitos e evitar a disseminação das variantes do Sars-CoV-2, que provoca a Covid-19”, informa a Prefeitura em nota. 

Durante este período, de quase cinco meses, equipes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) abordaram 801.106 pessoas, nos quatro pontos de monitoramento, e realizaram ações educativas em um terminal de cargas, em dois terminais de ônibus urbanos e três estações do Metrô. Casos sintomáticos identificados, diz a nota, “foram feitos os devidos encaminhamentos, de acordo com as diretrizes do Programa Municipal de Imunizações (PMI)”.

No aeroporto de Congonhas foram registrados, no período, 157 casos sintomáticos da doença em uma amostra de 555.700 passageiros abordados e 7.816 voos checados (cerca de 70 por dia). Nos terminais rodoviários Tietê, Barra Funda e Jabaquara foram inspecionados 18.020 ônibus e abordadas 213.096 pessoas, 53 delas sintomáticas.

No Terminal de Cargas Fernão Dias foram abordados 8.597 cidadãos e entregues 11.038 folhetos informativos. Nos terminais de ônibus urbanos Brás e Pari e nas estações do Metrô Vila Matilde, Penha e Artur Alvim foram feitas 646 ações educativas, durante as quais foram abordadas 23.713 pessoas e identificados dez casos sintomáticos.

Com mais 114 autorizações, Capital amplia projeto ‘Ruas SP’

(Pref. de São Paulo)

Mais 114 bares e restaurantes de São Paulo foram autorizados pela Prefeitura a usar parte da área de estacionamento das ruas para atender clientes. A iniciativa faz parte do projeto Ruas SP, que “contribui para a retomada econômica do setor prejudicado pela pandemia”, diz nota do município.

“O Projeto Ruas SP foi ampliado em abril deste ano para toda a capital, após ser considerado positivo o projeto-piloto implantado na região central em 2020”, informa o comunicado.

Atualmente, a cidade não impõe restrição ao horário de funcionamento dos estabelecimentos, como ocorria durante as fases mais críticas da pandemia. O projeto Ruas SP já chegou a dez subprefeituras da cidade: Freguesia/Brasilândia, Ipiranga, Lapa, Mooca, Pinheiros, Pirituba/Jaraguá, Santo Amaro, Sé, Vila Mariana e Vila Prudente.

Como funciona?

“Os bares e restaurantes receberam autorização (Termo de Permissão Eletrônica – TPE) da SMUL após apresentarem projetos de instalação do mobiliário para o atendimento ao ar livre”, diz o comunicado. Os estabelecimentos são identificados também por um selo afixado na parede.

“A Prefeitura não cobra taxa pela adesão ao Projeto Ruas SP, porém, o custo para implantação do mobiliário é dos estabelecimentos. Para ajudar a viabilizá-lo, o Município autorizou a inserção de marcas e logotipos de patrocinadores em mesas, cadeiras e guarda-sóis, respeitando as regras da Lei Cidade Limpa (Lei nº 14.223/2006)”.

A nota à imprensa informa que a fiscalização é feita pelas subprefeituras, mas “cabe a cada proprietário garantir o cumprimento das exigências de segurança sanitária e social”.

“O abandono, a desistência ou o descumprimento das obrigações estabelecidas em decreto farão com que o responsável tenha que restaurar o logradouro público ao seu estado original”, finaliza.

Participação

A Prefeitura elaborou um guia ilustrado que mostra, passo a passo, como solicitar autorização para instalar mesas e cadeiras para o atendimento ao público em vagas de estacionamento na rua. No material, o estabelecimento interessado encontrará o link de acesso para preencher sua manifestação de interesse e conferir a relação de documentos exigidos para pedir a licença de uso do espaço público. Caso a rua onde estiver situado o bar ou restaurante ainda não esteja contemplada pelo Ruas SP, o proprietário poderá indicá-la para análise da Prefeitura. A inscrição é totalmente online e gratuita.

Capital laça edital para mais quatro mil pontos de wi-fi gratuito

A Prefeitura de São Paulo publicou no Diário Oficial do último sábado (9) o edital de credenciamento para a instalação de 4 mil novos pontos de wi-fi gratuito em São Paulo.

O programa WiFi Livre SP, da Secretaria de Inovação e Tecnologia (SMIT), possui atualmente 1.088 pontos espalhados pela cidade e, nessa nova fase, todas as escolas do Ensino Fundamental (do 1º ao 10º ano) e todas as unidades de Saúde do município vão receber internet de graça para a população.

O secretário municipal de Inovação e Tecnologia Juan Quirós conta que o edital ficou aberto à consulta pública por 30 dias e que tanto as sugestões da população sobre instalação do WiFi Livre em localidades onde não há internet, assim como os pedidos de redução do tamanho das áreas dos lotes e alterações técnicas que foram solicitadas pelas empresas, foram atendidas.

“A pandemia mostrou que inclusão digital é a nova fronteira da inclusão social. Cidadãos conectados têm mais possibilidades de conseguir trabalho e gerar renda, e isso é fundamental neste momento de retomada das atividades”.

Quirós cita um estudo da PriceWhatherhouse Coopers realizado este ano que concluiu que o simples fato de uma região carente receber sinal de internet pode aumentar em até 15% a renda das pessoas. “A tecnologia que importa é a que transforma a vida das pessoas”, conclui.

O credenciamento das empresas ficará aberto, inicialmente, por 60 dias (prorrogáveis) e a previsão é que os novos pontos comecem a ser instalados ainda este ano.

O edital

O documento prevê parâmetros de velocidade de conexão, alcance do sinal e proteção de dados do usuário. O modelo de credenciamento do WiFi Livre SP estabelece que a empresa credenciada poderá utilizar publicidade digital, ou seja: o usuário assistirá a um anúncio para liberar o uso da internet. Todas as determinações e a lista completa de localidades estão disponíveis no Diário Oficial do Município (clique aqui).

Saiba mais sobre o programa WiFi Livre SP aqui.

Tempo fecha e Capital tem alerta para alagamentos

Chuva se aproxima da zona norte de São Paulo e atinge a Marginal Tietê (Redação/SP Agora)

O tempo voltou a fechar no meio da tarde de hoje (12), em São Paulo, e na região metropolitana, após o encontro de uma brisa marítima com o clima abafado. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP), por volta de 15h, colocou a cidade em estado de atenção para alagamentos.

“De acordo com os dados do radar meteorológico da Prefeitura de São Paulo, os pontos mais significativos se concentram nos municípios de Embú, Cotia e Itapecerica da Serra”, diz boletim do CGE-SP.

O alerta sobre risco de alagamento incluiu, inicialmente, as zonas sul, oeste e a Marginal Pinheiros. Por volta de 16h foi aplicado sobre toda cidade.

Rodovia

Rodovia Raposo Tavares, chegada a São Paulo (DER/Reprodução)

A chuva também atingiu rodovias que ligam São Paulo e a região Metropolitana ao litoral e interior, provocando lentidão nas rodovias. Na Régis Bittencourt, a concessionária informou que havia pontos de chuva e lentidão do km 281 ao km 280, em Embu das Artes, sentido São Paulo, no meio da tarde.

Na Rodovia dos Imigrantes também houve registro de chuva e o trânsito é intenso na chegada à interligação de planalto, do km 46 ao 56, por volta de 15h. Na Bandeirantes, do 13 ao 15, houve registro de congestionamento por causa do trânsito intenso nas marginais, na chegada a cidade de São Paulo. Também houve lentidão, por volta de 16h, em Jundiaí.

Na Ayrton Senna e na Anhanguera não havia informação de lentidão no trânsito no mesmo horário.

*atualizado às 16h08

São Paulo é a 3ª capital com maior aumento de preço da cesta básica

(Arquivo)

O custo da cesta básica registrou aumento em setembro na comparação com agosto em 11 das 17 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Segundo o levantamento divulgado hoje (6), as maiores altas foram em Brasília (3,88%) Campo Grande (3,53%), São Paulo (3,53%) e Belo Horizonte (3,49%).

Em relação a setembro de 2020, o preço do conjunto de alimentos básicos subiu em todas as cidades pesquisadas. A elevação dos valores chega a 38,56%, em Brasília, 28%, em Campo Grande, 21,62%, em Porto Alegre, e 19,54%, em São Paulo.

A capital paulista tem a cesta básica mais cara do país, custando R$ 673,45. Em Porto Alegre, o conjunto de alimentos ficou em R$ 672,39, e, em Florianópolis, R$ 662,85. As cestas mais baratas estão na Região Nordeste: Aracaju (R$ 454,03), João Pessoa (R$ 476,63) e Salvador (R$ 478,86).

Em João Pessoa, o custo do conjunto de alimentos teve queda de 2,91% e, em Natal, de 2,9%, ficando em R$ 493,29.

Entre os itens que puxaram as altas, está o açúcar, que teve aumento de preço, em setembro, em todas as capitais, sendo que as maiores altas foram em Belo Horizonte (11,96%), Vitória (11%), Brasília (9,58%) e Goiânia (9,15%). Segundo o Dieese, a falta de chuvas afetou a produção de cana-de-açúcar, reduzindo a oferta do produto.

O café subiu em 16 das 17 cidades pesquisadas, com as maiores elevações de preço em Goiânia (15,69%), Campo Grande (14,79%), Brasília (10,03%) e Natal (9%). O preço do produto tem aumentado devido a alta do dólar, favorecendo as exportações, e o clima desfavorável, com a geada ocorrida em julho.

O óleo de soja teve alta em 15 capitais em setembro na comparação com agosto. A maior elevação foi registrada em Campo Grande (3,4%). De acordo com o Dieese, o aumento está relacionado com crescimento das exportações, especialmente para a China, devido aos problemas de escoamento da produção dos Estados Unidos.

Por Agência Brasil

Capital planeja carnaval de rua sem restrições

(Leon Rodrigues/Prefeitura de SP/Fotos Públicas)

O prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) disse nesta segunda-feira (4) que o carnaval não deve ter restrições sanitárias devido a Covid-19. O planejamento para o evento já começou e a prefeitura estima a presença de 15 milhões de pessoas.

“Se continuar com os dados de hoje, com aumento de vacinação e queda no número de óbitos, vai ter o carnaval. Nós estamos muito próximos de ter o dia zero de óbitos”, afirmou o prefeito.

Com a vacinação no último final de semana, a cidade está com 82% da população imunizada com a segunda dose ou dose única. Na última semana, a capital registrou 43 mortes em média por dia. A taxa de ocupação de UTI para tratamento do coronavírus é de 49,6%. Atualmente, 940 pacientes estão internados em leitos públicos e privados da cidade.

O anúncio de Nunes vai na mesma direção de Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro. No último domingo (3), ele prometeu carnaval sem distanciamento social ou restrição na capital carioca.

“A única certeza que a gente tem é que estamos vacinando todo mundo, e com todo mundo vacinado, a vida volta ao normal. Quem vai ficar fazendo distanciamento no carnaval?”, anunciou Paes.

Fábrica do Samba

Nunes também anunciou a retomada das obras da Fábrica do Samba. O plano é fazer a entrega em fevereiro de 2022.

“Eu retomei as obras da Fábrica do Samba, que estavam paradas, então está caminhando pra ter [o carnaval]. Vai ser o maior carnaval de rua, nós estamos estimando em 15 milhões de pessoas. Está tudo preparado, nós vamos soltar os editais”, disse o prefeito.

Por TV Cultura

Mais de 559 mil pessoas não tomaram a 2ª dose da vacina

A prefeitura de São Paulo estima que 559.676 pessoas ainda não tomaram a segunda dose de vacina contra a covid-19 na cidade. O dado foi divulgado hoje (4) pela Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo o secretário da Saúde, Edson Aparecido, esse número inclui até mesmo as pessoas que atrasaram a dose em um dia.

A prefeitura alerta a população de que é necessário completar o esquema vacinal, ou seja, tomar as duas doses caso tenha tomado Pfizer/BioNTech, AstraZeneca/Oxford/Fiocruz ou CoronaVac/Sinovac/Butantan como primeira dose. Completar o esquema vacinal é essencial para garantir proteção completa contra as formas graves da covid-19 e, principalmente, garantir mais proteção contra a variante Delta, que foi identificada inicialmente na Índia.

“A tendência é ir diminuindo o processo de vacinação dos atrasados. O esforço é permanente. O processo de vacinação é de conscientização”, disse o secretário.

Para que as pessoas completem o seu esquema vacinal, a prefeitura vai promover um dia especial para vacinação de segunda dose no dia 16 de outubro.

A relação dos postos de vacinação na cidade de São Paulo pode ser consultada no site Vacina Sampa.

Por Agência Brasil

Ônibus distribui cookies de graça em ação para promover a gentileza

(Divulgação)

Um ônibus todo estilizado vai distribuir cookies de graça em São Paulo neste sábado (2) e domingo (3), em dois parques da cidade. A quantidade distribuída não foi informada. A ação faz parte de uma campanha realizada por uma empresa especializada em biscoitos artesanais.

“O Brasil está precisando de mais doçura”, defende a Cookielab, marca de cookies responsável pelo projeto.

O veículo vai desembarcar no Parque Ibirapuera no sábado, entre 11h30 e 15h30, e, em seguida, percorrerá as ruas da Vila Madalena. No domingo, a ação ocorre no Parque da Independência, na zona sul, no mesmo horário.

A empresa aposta na ação para levar uma comunicação afetiva e emocional em um “momento necessário em que o Brasil passa por situações de discórdia e tristezas”, diz comunicado, que destaca ainda as manifestações programadas para o fim de semana na Capital.

“Apesar de pequena e artesanal, estamos conseguindo crescer, apesar desse momento tão amargo do país”, afirma Patricia Soares dos Santos, dona da Cookielab. “Acreditamos que dá para abrir espaços para sorrir, para ter um carinho em forma de doce”.

Criada há quatro anos, a empresa de Patricia produz 100 mil cookies por ano.

Serviço:

Cookies e gestos de Gentileza de Graça

Dia 2, sábado
Parque Ibirapuera

Dia 3, domingo
Parque da Independência

Horário: entre 11h30 e 15h30