Ginástica artística: sem Arthur Zanetti, Brasil estreia no Pan

Ricardo Bufolin/CBG / Via Twitter Oficial Time Brasil

Na tarde desta sexta-feira (4), começa o Pan-Americano de ginástica artística, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro. Caio Souza, principal nome do país no individual geral, vai disputar a prova em que os atletas competem nos seis aparelhos (solo, cavalo com alças, argolas, salto sobre  a mesa, paralelas e barra fixa). Além dele, Diogo Soares e Tomás Florêncio, que tentam nesse evento a classificação olímpica, também disputarão o individual geral.

Arthur Nory, atual campeão mundial na barra fixa e medalha de bronze no solo nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, fará esses dois aparelhos (barra fixa e o solo) e também o salto. Francisco Barreto Júnior, ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima no cavalo com alças, fará esse aparelho, e também as paralelas e argolas.

“Montamos uma equipe competitiva e que está buscando mais uma vaga para os Jogos Olímpicos. Na composição priorizamos os atletas que são elegíveis a vaga. O Caio, que continua se preparando para o individual geral, completa a equipe. Nory e Francisco se complementam, fechando a quarta nota para a equipe”, explicou Marcos Goto, Coordenador da Seleção de Ginástica Artística Masculina, à assessoria da CBG.

Arthur Zanetti, campeão olímpico em Londres e prata no Rio de Janeiro nas argolas, apresentou dor no ombro direito há três dias e, depois de uma exame, teve constatada uma bursite subacromial. Dessa forma, o ginasta iniciou tratamento imediato com fisioterapia e a carga de treinos foi reduzida. Assim, optou-se por poupá-lo do Pan-Americano. O Brasil, na subdivisão 2, ao lado de Argentina e Estados Unidos, dá início às suas apresentações às 16h17. O Canal Olímpico transmite ao vivo o evento.

A competição será a última oportunidade para o Brasil assegurar mais vagas para a Olimpíada de Tóquio. Até o momento, da equipe feminina, apenas Flávia Saraiva já garantiu vaga individual. O time masculino confirmou quatros vagas. No Pan do Rio mais dois atletas (um por gênero) poderão se classificar para os Jogos.

O Campeonato Pan-Americano de ginástica artística será disputado até o domingo (6).

Por Juliano Justo, repórter da Agência Brasil

Brasil em contagem regressiva para Pan de Ginástica Artística no RJ

Reprodução / Facebook Oficial Arthur Zanetti

A dois dias da abertura do Pan-Americano de Ginástica Artística no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, a seleção brasileira participa nesta quarta-feira (2) de um treino de pódio na Arena Carioca 1, onde ocorrerão as disputas. A competição será a última oportunidade para o Brasil assegurar mais vagas para a Olimpíada de Tóquio (Japão). Entre os participantes, estarão atletas de destaque na modalidade Arthur Nory, Arthur Zanetti, Jade Barbosa e Rebeca Andrade. O evento começa na sexta (4) e prossegue até sábado (6), com transmissão ao vivo no Canal Olímpico.

“Vamos avaliar quais ginastas vão competir. Temos várias estratégias envolvidas nessa competição. Uma delas é utilizá-la como preparação de atletas que possivelmente estarão nos Jogos Olímpicos de Tóquio, além de ser importante para nós termos um bom resultado pelo fato de o Brasil ser sede, e por querermos manter nossa imagem de potência mundial na ginástica. E ainda temos dois atletas que estarão disputando uma vaga olímpica”, disse Marcos Goto, coordenador da seleção, referindo-se a Tomás Florêncio e a Diogo Soares, em depoimento ao site da Confederação Brasileira da Ginástica (CBG).

Até o momento, da equipe feminina, apenas Flávia Saraiva já garantiu vaga individual em Tóquio. O time masculino confirmou quatros vagas. No Pan do Rio mais dois atletas (um por gênero) poderão se classificar para os Jogos.

“Essa competição marca o retorno dos brasileiros depois de mais de um ano sem competições. O Pan será muito importante para a preparação dos atletas que poderão compor a equipe nos Jogos Olímpicos. Temos também a busca para mais uma vaga olímpica. Continuamos com o foco do trabalho na equipe e com o objetivo principal de quebrar o gelo após longo período fora do cenário competitivo. Queremos que nossos atletas se sintam seguros e confiantes para essa retomada”, comentou Juliana Fajardo, chefe da delegação do Brasil. O treino de pódio da subdivisão 2, da qual faz parte a equipe brasileira, ocorrerá das 16h30 às 18h30 e contará também com a presença dos atletas das seleções argentina e norte-americana.

Confira abaixo quem está na disputa:

FemininaMasculina
Christal BezerraArthur Nory
Jade BarbosaArthur Zanetti
Júlia SoaresCaio Souza
Lorrane OliveiraDiogo Soares
Rebeca AndradeFrancisco Barretto Júnior
 Tomás Rodrigues

Por Juliano Justo, repórter da Agência Brasil

Ex-treinador da seleção brasileira de ginástica é banido do esporte

Por Pedro Peduzzi 


Fernando de Carvalho Lopes, ex-técnico da seleção Brasileira de Ginástica (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ex-treinador da seleção brasileira masculina de ginástica artística Fernando de Carvalho Lopes foi banido definitivamente do esporte, acusado de abuso sexual e assédio moral a atletas, quando era técnico do Mesc, em São Bernardo do Campo.

A decisão foi tomada pelo Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), em julgamento ocorrido no domingo (31) na sede da Ordem dos Advogados do Brasil, em Aracaju (SE).

O STJD é a segunda instância desportiva da ginástica. O tribunal informou que a pena de banimento foi decidida por unanimidade, tendo por base o Código de Conduta e Estatutos da Federação Internacional de Ginástica.

De acordo com o presidente do STJD, Fernando Silva Júnior, o Código Brasileiro de Justiça Desportiva estabelece que “decisões de pleno como esta são irrecorríveis”. No entanto, acrescenta ele, “a nível de jurisdição nacional cabe embargos de declaração ou mesmo cortes internacionais”, disse à Agência Brasil.

“O embargo de declaração tem aspecto limitado, para investigar contradição ou omissão da decisão do pleno”, acrescentou o presidente do STJD. Por meio de nota, a CBG informou que o tribunal a ela vinculado foi o primeiro a tomar uma decisão deste nível – envolvendo assédios e abusos sexuais – na esfera esportiva do Brasil.

Além de ser punido com banimento do esporte, o ex-treinador da seleção brasileira masculina de ginástica artística poderá responder por crimes tanto na vara cível como criminal. “Cada espectro de atuação tem um objeto a ser tratado”, disse o presidente do tribunal ao explicar que o referido julgamento está limitado às questões desportiva e disciplinar.

“Os atos praticados refletem também na vida civil do cidadão e dos atletas vítimas. Então ele vai responder do ponto de vista cível, caso os atletas acionem a Justiça. Do ponto de vista criminal, depende de denúncia do Ministério Público”.