Arnaldo Jabor, homem de pele clara, cabelos médios, meio grisalhos, aparece sentado em uma cadeira, em um estúdio, com as duas mãos juntas perto do corpo na região do quadril.

Comentarista da Globo, Arnaldo Jabor morre aos 81 anos

Nesta terça-feira (15), morreu o jornalista, comentarista político e diretor de cinema Arnaldo Jabor. Com 81 anos de idade, ele estava internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, desde 17 de dezembro, devido a um acidente vascular cerebral. A morte foi causada por complicações do próprio AVC, informou a família.

Jabor era uma figura versátil. Trabalhou em diversos veículos de imprensa e também se dedicou ao cinema nacional. Nasceu em 1940 no Rio de Janeiro e teve como pais um oficial da Aeronáutica e uma dona de casa.

Arnaldo Jabor, homem de pele clara, cabelos médios, meio grisalhos, aparece sentado em uma cadeira, em um estúdio, com as duas mãos juntas perto do corpo na região do quadril.
(Reprodução)

Ao longo da vida, escreveu para jornais como O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Tempo e O Globo. Também marcou época por causa de suas colunas em programas jornalísticos da Rede Globo.

Como diretor de cinema, fez parte do movimento artístico conhecido como “Cinema Novo”, entre as décadas de 1960 e 1970, que buscava abandonar o estilo norte-americano de fazer cinema, abordando as temáticas e problemas do Brasil, mesmo sem tanto recurso como as grandes produtoras estrangeiras. Um dos lemas do movimento era “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”.

Como diretor, dirigiu filmes como ‘A opinião pública’ (1967), ‘Eu te amo’ (1981) e ‘Toda nudez será castigada’ (1973). Esta último, uma adaptação de uma peça de Nelson Rodrigues, rendeu a Jabor o prêmio ‘Urso de Prata’ no festival de Berlim, na Alemanha.

Humorista Batoré se apresenta sobre o palco com microfone na mão

Morre Batoré, sucesso em ‘A praça é nossa’

O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, mais conhecido como Batoré, morreu em São Paulo nesta segunda-feira (10) aos 61 anos. Ele estava na luta contra o câncer e não resistiu.

O artista estava internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital paulista. A UPA divulgou uma nota para informar o óbito e passou mais detalhes para a família do humorista.

Batoré fazia parte de uma grande geração de humoristas que tem origem nordestina.

Humorista Batoré se apresenta sobre o palco com microfone na mão
(Reprodução)

Ele nasceu em Serra Talhada, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo quando novo. Com seu personagem, fez muito sucesso no elenco de “A Praça é Nossa”, comandada por Carlos Alberto de Nóbrega no SBT. Além disso, teve destaque na novela “Velho Chico”, da TV Globo.

Ivanildo também teve uma breve passagem na vida política, quando foi vereador de Mauá, cidade da Grande São Paulo, em dois mandatos pelo PP.

Por TV Cultura

Morre Gilberto Braga, premiado autor de novelas da Globo

(João Miguel Jr/via TV Cultura)

O autor Gilberto Braga, conhecido por escrever grandes novelas da televisão brasileira, morreu nesta terça-feira (26), aos 75 anos. Ele não resistiu às complicações de uma perfuração no esôfago.

Gilberto sofria de Mal de Alzheimer e estava internado desde sexta-feira (22).

Entre os seus trabalhos de destaque estão as novelas “Escrava Isaura” (1976), “Dancing Days” (1978) e “Vale Tudo” (1988).

Em 2008, “Paraíso Tropical”, também escrita pelo carioca, foi indicada ao Emmy de melhor novela.

Gilberto deixa o marido Edgar Moura, com quem era casado há quase 50 anos.

Por TV Cultura

Intérprete de Louro José, Tom Veiga é encontrado morto

Tom Veiga e Louro José (GShow/Reprodução)

O intérprete do Louro José, Tom Veiga, 47 anos, foi encontrado morto na casa dele, neste domingo (1), no Rio de Janeiro. Segundo o Uol, uma investigação foi aberta para apurar as circunstâncias da morte, e antecipa que Tom sofria de problemas cardíacos.

O personagem Louro José nasceu em 6 de março de 1997, segundo o Gshow, quando Ana Maria Braga ainda era contratada da Record TV, onde apresentava o Note e Anote. A apresentadora nunca se cansou de elogiar essa parceria de mais de 23 anos.

“Meu papagaio mais amado, meu filho. Obrigada pela companhia, parceria, lealdade. A gente nunca discutiu, nunca brigou, a gente nunca ficou sem se falar por nenhuma razão. É uma das relações mais fantásticas da minha vida”, se declarou Ana Maria, no aniversário de 20 anos do papagaio.

Vídeo mostra Louro José e Ana Maria comemorando 2º aniversário do personagem, na Record TV

Rosto conhecido da Globo, Júlia Svacinna lança 2ª música

Júlia Svacinna (Divulgação)

Júlia Svacinna, de 16 anos, rosto conhecido de grandes produções globais, acaba de lançar em clipe a música “Mundo Paralelo”, uma composição autoral, que revela um pouco da personalidade questionadora da artista, que compõe desde os 12. Ela tomou contato com o universo da música aos 5 anos, durante aulas particulares. A letra de “Mundo Paralelo” fala de uma jovem que luta para se libertar dos padrões impostos por uma sociedade pautada pelo mundo digital e assume sua própria identidade. Esse Mundo Paralelo, na verdade, é seu mundo interior.

“Eu fecho os olhos no meu mundo paralelo. E imagino a vida como quero. Já não tenho limites para criar, aqui é o meu lugar”, canta Julia no refrão. Tocando sua guitarra em estilo irreverente, ela pergunta: “O que o posso fazer se não consigo me encaixar?” A composição acaba de chegar às plataformas streaming. 

Para a atriz, cantar é uma forma de contribuir com o mundo. “A música é uma forma de me expressar e também uma chance de ajudar as pessoas que se identificam com a letra da canção a entender o que estão sentido”, conclui Julia Svacinna, que estreou como cantora este ano ao lançar a música ”Minha Carta”.

“Mundo Paralelo” é a segunda composição de própria autoria lançada pela artista. Mesmo com apenas 16 anos, ela valoriza a oportunidade de se posicionar e de se expressar por meio das letras. 

A adolescente também é atriz experiente, com mais de 20 trabalhos em séries, novelas da TV Globo, na Globo Filmes e em streaming, como Netflix.

“Interpretar é uma forma mágica de experimentar novas realidades. Ser atriz nos permite conhecer realidades diferentes e isso nos traz uma bagagem incrível para ajudar na composição de músicas”, comenta.

Entre as produções em que Júlia atuou estão Guerra dos Sexos, Além do Tempo, Império, Cara do Pai, Se eu Fechar os Olhos Agora,  O Mecanismo, Questão de Família, Detetive do Prédio Azul, Um Tio Quase Perfeito, O Vendedor de Sonhos, O Menino Índigo e Kardec. 

“Amadureci muito desde que escrevi ‘Mundo Paralelo’, em março de 2019. Isso me permite perceber que não preciso fingir ser uma pessoa que não sou para me encaixar em padrões”, destaca a cantora.

Clipe

Além da música, a cantora se dedicou, em plena pandemia, para também oferecer aos fãs um clipe que encene a letra de “Mundo Paralelo”. Júlia revela que, por medida de segurança, a estrutura prevista para as gravações externas tiveram que ser revistas, mas isso, segundo a diretora responsável pelo projeto, Tessy Svacina não afetou a qualidade do trabalho.

“O clipe seria algo bem maior, com heliporto e escadarias de um ponto turístico do Rio de Janeiro, mas tivemos que nos adaptar aos espaços que estavam funcionando, abertos ao público, e seguir todas as normas de segurança, sem uma grande estrutura, para não ter aglomeração de pessoas”, destaca Tessy.

O clipe também já está disponível no Youtube da cantora.

Serviço

“Mundo Paralelo” – Júlia Svacinna

Links para a canção:

Link para o clipe

Ficha Técnica

Composição – Júlia Svacinna e Bárbara Dias

Produçäo Musical – UMMusic

Direção – Tessy Svacina

Fotografia – Yam Griffo

Assistente de câmera – Léo Scottskt

Cenário: Cidade das Artes – Rio de Janeiro

Fotográfo – Lari Marques

Montagem e finalização – Yam Griffo

Make/ Cabelo – Rebeca Ribeiro

Roteiro – Tessy Svacina

Stylist – Tessy Svacina

*AI

Rodrigo Bocardi terá programa na CBN

Rodrigo Bocardi, apresentador da Globo e da CBN (Redes Sociais/Reproducão)

O apresentador do Bom Dia São Paulo, Rodrigo Bocardi, anunciou hoje (29) que vai atuar também nas ondas do rádio. Ele acaba de fechar com a CBN e terá um programa, ao lado da jornalista Carolina Morand, nos finais de tarde.

Segundo anúncio feito pela CBN, Bocardi e Morand estarão no comando do Ponto Final CBN, ocupando o espaço do Jornal da CBN 2ª Edição. A emissora afirma que a proposta é trazer “uma abordagem totalmente nova para o horário, informativa, descomplicada e dinâmica, com a participação da audiência em uma conversa constante para analisar as principais notícias do dia, com Bocardi em São Paulo e Morand no Rio de Janeiro”.

Além de apresentar do Bom Dia São Paulo, Bocardi também participa do Bom Dia Brasil, além de substituir outros apresentadores da casa, como no Jornal Nacional.

“Depois de assimilar a maravilhosa surpresa do convite para ocupar um lugar tão importante, estou ansioso para estar junto das pessoas que acompanham a CBN em todo o país. Quero ser a voz delas em torno da boa informação, com muita descontração”, diz Bocardi, que continuará também à frente do Bom Dia São Paulo e no Bom Dia Brasil, na TV Globo. 

Para Morand, será um retorno a um meio que conhece muito bem, ela volta à casa onde trabalhou por quase 20 anos e foi repórter, âncora e Gerente de Jornalismo. “É uma alegria voltar à CBN. No Ponto Final, teremos a missão de aprofundar e analisar os assuntos do dia, com muito conteúdo, mas também uma dose de leveza e bom humor”.

Glória Vanique

Gloria Vanique passa a integrar equipe da CNN Brasil (CNN/Reprodução)

Gloria Vanique, que apresentava o Bom Dia São Paulo com Bocardi na Globo anunciou sua saída da emissora há uma semana. Ela pediu demissão para integrar a equipe da CNN Brasil, assim como Márcio Gomes e a ex-global Carla Vilhena.

Gloria Vanique deixa Globo e vai para CNN

Gloria Vanique passa a integrar equipe da CNN Brasil (CNN/Reprodução)

Gloria Vanique, ex-âncora da Rede Globo, acaba de assinar com a CNN Brasil. Segundo a emissora, ela apresentará um dos telejornais na TV e também estará presente no novo projeto de expansão do canal, ampliando a presença multiplataforma da empresa no Brasil.

Gloria Vanique atuava desde 2007 em telejornais da TV aberta. Como repórter, trabalhou nas coberturas mais importantes da cidade de São Paulo. Na apresentação, passou pelo ‘Bom Dia Brasil’, mas conquistou popularidade à frente do ‘Bom Dia São Paulo’, ambos da TV Globo.

Nascida no Rio de Janeiro, estudou Jornalismo na Unesp de Bauru. E foi no interior de São Paulo que iniciou a carreira, na Rádio Bandeirantes, em 1998.

Após a breve experiência em rádio, entrou para a televisão, de onde nunca mais saiu. Foi repórter e apresentadora de três afiliadas da Rede Globo no interior paulista.

Em 2005, recebeu o convite para trabalhar na capital paulista e voltar ao Grupo Bandeirantes. No Canal 21, foi apresentadora, editora-chefe e gerente de jornalismo. Em 2007, chegou à TV Globo de São Paulo, canal que se despede hoje para integrar o elenco da CNN.

“Gloria Vanique é um talento raro do telejornalismo. Com conteúdo e vasto repertório, transmite ao telespectador credibilidade, elegância e simpatia. Ela possui todas as qualidades que queremos para o projeto de crescimento da CNN”, afirma em comunicado Douglas Tavolaro, CEO e sócio-fundador da CNN Brasil.

“Fazer parte do time da CNN será um enorme aprendizado e eu estou sempre disposta a desafios. Estou muito feliz com o convite e com todos os projetos que poderemos desenvolver”, comemorou Gloria Vanique em nota divulgada pela empresa.

Globo deixará de transmitir Fórmula 1

A TV Globo não vai mais exibir a Fórmula 1 a partir de 2021. A emissora carioca desistiu da compra dos direitos de transmissão da maior categoria do esporte a motor. A informação é do site Meio & Mensagem e confirmada pelo GRANDE PRÊMIO. A negociação estava sendo feita junto ao Liberty Media, o grupo detentor dos direitos comerciais do Mundial, mas não houve acordo devido aos valores pedidos pelos americanos para a renovação do contrato. Dessa forma, o campeonato perde um dos únicos canais abertos a mostrar a F1 no mundo.

O GRANDE PRÊMIO soube também que a decisão de não renovar com o Mundial já havia sido tomada pela cúpula da emissora — a família Marinho — antes mesmo do atrasado início da temporada 2020, em julho, e que a situação só viria a mudar se o Liberty Media fizesse uma nova proposta financeira que satisfizesse as novas condições do grupo, que já cortou contratos com a Fifa e a Conmebol, no futebol, e está agindo da mesma forma com acordos altamente dispendiosos em todas as áreas, inclusive as artísticas.

Também de acordo com o Meio & Mensagem, a Globo já informou aos seus patrocinadores da atual temporada de que não vai seguir com a exibição do campeonato no ano que vem. Em 2020, a emissora do Rio de Janeiro vendeu apenas cinco de suas seis cotas de patrocínio. Ainda assim, segundo o preço de tabela, viu uma receita de R$ 494,75, o que seria suficiente para cobrir o preço do direito de transmissão da Fórmula 1 oferecido pelo Liberty Media.

Mas internamente, a Globo tem de dividir este bolo com as 118 afiliadas para transmitir a corrida em todo o território nacional. Segundo a direção, a conta acaba não fechando.

Temporada afetada pela pandemia

A temporada 2020 da Fórmula 1 foi sem precedentes. Por conta da pandemia de coronavírus, o calendário passou por diversas transformações até ser finalizado no início da semana com as adições de Turquia, Bahrein e Abu Dhabi. Originalmente previsto para começar em março, na Austrália, o campeonato só teve início em 5 de julho, com dois finais de semanas consecutivos no Red Bull Ring.

Assim, em maio a uma pandemia mundial, a F1 reduziu de para 17 as etapas em 2020, mas nada que impedisse a maior maratona que a categoria já teve em termos de corridas consecutivas: com o GP da Bélgica, o da Itália e o da Toscana, já terão sido três rodadas triplas em um espaço de apenas 11 semanas.

Com a programação apertada e a pandemia ainda longe de ter sido controlada especialmente no Brasil, nos EUA e no México, a F1 optou por uma temporada inteiramente europeia e asiática, abrindo mão das etapas americanas, inclusive do GP do Canadá e, claro, da etapa que seria disputada em Interlagos.

A história das transmissões

A história da Fórmula 1 na Globo se confunde com as transmissões da categoria para o Brasil. Apesar da TV Record transmitir a primeira corrida para o país, o GP da Inglaterra de 1970 que marcou a estreia de Emerson Fittipaldi na categoria, a Globo passaria a contar com os direitos em parceria com a Tupi a partir de 1972. Durante aquela década, a Globo televisionou corridas junto a outras emissoras e deixou de passar tantas outras provas em detrimento da programação habitual.

A grande virada viria com a entrada nos anos 1980. A Bandeirantes adquiriu os direitos em 1980 e transmitiu todas as corridas de forma exclusiva naquele ano. A Globo voltou a carga em 1981 e assumiu as rédeas de vez para se tornar a emissora responsável nos últimos 40 anos. Aliás, o retorno da F1 foi um dos fatores para a contratação de Galvão Bueno naquele começo de década.

Daí em diante, a Globo transmitiu a esmagadora maioria das corridas e acompanhou os três títulos mundiais de Nelson Piquet e Ayrton Senna, os sete de Michael Schumacher e os seis de Lewis Hamilton, além de vitórias de Rubens Barrichello e Felipe Massa.

Morre, aos 88 anos, a atriz Chica Xavier

Morreu, neste sábado (8), no Rio de Janeiro, a atriz Chica Xavier. Ela tinha 88 anos de idade e marcou presença no cinema, no teatro e na televisão brasileira como uma das primeiras atrizes negras a desempenhar papéis marcantes. Chica Xavier morreu em decorrência de um câncer de pulmão, descoberto já em estágio avançado. As informações foram divulgadas em nota, pela assessoria da Rede Globo.

Chica Xavier durante gravação (TV Globo/Reprodução)

“Uma precursora, símbolo de gerações de atrizes e atores negros, de representatividade, que trazia em cada cena ou fala traços latentes de baianidade. Nunca negou a origem. Um sorriso inconfundível, que bastava ser visto uma vez para não mais esquecer”, disse a emissora.

Baiana, Chica Xavier mudou-se para o Rio de Janeiro em 1953, aos 21 anos. Foi casada por 64 anos com o também ator Clementino Kelé. Em 1956 encenaram a primeira peça de suas carreiras, Orfeu da Conceição, de Vinícius de Moraes.

No cinema, estreou em 1962, no filme Assalto ao Trem Pagador, dirigido por Roberto Farias. 

Participou de inúmeras novelas na TV Globo. A primeira delas foi Os Ossos do Barão, quando interpretou a personagem Rosa, em 1973.

Desde então, foram mais de 50 personagens só na televisão, como a Bá, de Sinhá Moça;Inácia, de Renascer, e a mãe-de-santo Magé Bassã, da minissérie Tenda dos Milagres.

Esteve presente em outras novelas, como Pátria MinhaCara & CoroaRei do GadoForça de um Desejo. O trabalho mais recente na emissora foi na novela Cheias de Charme, em 2012.

Em 2010, recebeu o Troféu Palmares concedido pelo extinto Ministério da Cultura, pelo trabalho de preservação e incentivo à cultura afro-brasileira. 

Na quarta-feira (5), Chica Xavier deu entrada em um hospital na zona oeste do Rio, com um quadro de desconforto respiratório contínuo.

Por Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

Morre Rodrigo Rodrigues, jornalista do Grupo Globo

O jornalista e apresentador Rodrigo Rodrigues faleceu nesta terça-feira (28), aos 45 anos, no Rio de Janeiro. Ele estava internado desde o último sábado (25), com diagnóstico positivo para o novo coronavírus (covid-19), na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Unimed Rio. Após a internação, a equipe médica detectou que ele havia sofrido uma trombose venosa cerebral. A morte encefálica foi comunicada pelo hospital em nota oficial.

Rodrigo Rodrigues, jornalista e apresentador (Redes Sociais)

Rodrigues foi internado no último sábado (25), relatando dor de cabeça, vômitos e desorientação, além de sintomas relacionados à covid-19. Segundo o Grupo Globo, empresa na qual trabalhava, o jornalista informou, no último dia 9, que um amigo com quem tivera contato recente havia testado positivo para covid-19. Quatro dias depois, o exame feito pelo apresentador constatou que ele também havia contraído o vírus.  O jornalista, conforme declarou o Grupo Globo, cumpriu o isolamento em casa e, apesar de sintomas leves, sentia-se bem, até as complicações do último sábado (25).

No domingo (26),  dia seguinte à internação, Rodrigues teve que passar por uma cirurgia para diminuição da pressão intracraniana, consequência da trombose. Ele estava em estado grave, em coma induzido, e hoje (28) não resistiu às complicações.

“RR”, como era conhecido, apresentava o programa Troca de Passes, no SporTV – a última participação foi justamente no dia 9 de julho. Ele chegou à Globo no início de 2019, após passagens pelas emissoras Rede Vida, Cultura, ESPN, SBT, Bandeirantes, Gazeta e Esporte Interativo. Em 30 de setembro de 2018, o jornalista participou do programa No Mundo da Bola, da TV Brasil.

Além do segmento esportivo, no qual ingressou em 2011, na ESPN, Rodrigo Rodrigues também se notabilizou em programas culturais, como Vitrine, na Cultura, e 5 Discos, na Gazeta. Apaixonado por música, o jornalista era guitarrista da banda The Soundtrackers, especializada em trilhas sonoras do cinema.

Repercussão

Em nota, a Globo lamentou a morte do apresentador: “A morte de Rodrigo abre uma ferida que vai muito além do profissional insubstituível. Dentro e fora da Globo, dezenas de pessoas sentem a perda de um amigo. E a família chora a partida de um parente que conquistou uma legião de admiradores”.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, divulgou nota em que diz que recebeu com tristeza o comunicado da morte do apresentador.  “É com profunda tristeza que recebemos a notícia da morte do jornalista Rodrigo Rodrigues, um dos nomes que se destacavam no jornalismo esportivo atual. Rodrigues deixa inúmeros fãs, não só no esporte e no jornalismo, mas também na cena musical. Não há de se negar que era uma pessoa querida. Nosso jornalismo perde um pouco hoje. Meus sinceros sentimentos aos seus familiares, amigos e colegas de profissão”, completa a nota.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional