Polícia

GCM atira em colegas dentro de base em Cotia, na Grande São Paulo

O motivo da discurssão teria sido a não renovação do porte de arma, documento exigido pela Polícia Federal.

O motivo da discussão teria sido a não renovação do porte de arma, documento exigido pela Polícia Federal(Aderbal Vespa – SP Agora)

Uma discussão por causa de um documento necessário para a manutenção do porte de arma terminou em tragédia na base da Guarda Civil Municipal (GCM) de Cotia, na Grande São Paulo, nesta quarta-feira (7). Um guarda municipal atirou contra dois colegas, matando um e ferindo outro, e depois se suicidou com um tiro na cabeça.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o autor dos disparos foi o guarda municipal Nelson Fam dos Santos, 46 anos. Ele teria se desentendido com o subcomandante da GCM, Luciano Stephano de Oliveira Leite, 52 anos, que cobrou dele a apresentação de um certificado exigido pela Polícia Federal para a renovação do porte de arma. O GCM teve a arma da corporação apreendida pelo subcomandante.

O terceiro guarda envolvido na ocorrência foi Carlos Roberto Pires Haddad, de 56 anos, que era o subinspetor da GCM. Ele teria tentado intervir na discussão e acalmar os ânimos, mas acabou sendo baleado também.

De acordo com a SSP, os três guardas estavam na sala do subcomandante, quando Santos sacou uma arma pessoal, que estava guardada em seu carro particular, e atirou contra Haddad e Leite. Em seguida, ele atirou contra a própria cabeça. Os tiros foram ouvidos por outros guardas, que acionaram o socorro.

Siga nosso canal no Whatsapp

Santos morreu no local, enquanto Leite e Haddad foram levados para hospitais da região. Carlos Roberto Pires Haddad não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Luciano Stephano de Oliveira Leite, foi submetido a uma cirurgia e permanece internado. O estado de saúde dele não foi informado.

A Polícia Civil foi acionada e isolou o local para a realização da perícia. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Cotia, que instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias e as motivações do crime. A arma usada por Santos foi apreendida e será periciada.

A Prefeitura de Cotia lamentou o ocorrido e manifestou solidariedade aos familiares e amigos dos guardas. Em nota, a administração municipal informou que está prestando todo o apoio necessário e que está colaborando com as investigações.

O prefeito de Cotia, Rogério Franco (PSD), usou suas redes sociais para se pronunciar sobre o caso. Ele disse que foi surpreendido com a “triste notícia” e que espera que a Justiça seja feita. Ele também gravou um vídeo, no qual disse que se trata de uma “grande tragédia” e que está à disposição dos familiares dos guardas.

A GCM de Cotia conta com cerca de 300 agentes, que atuam na segurança pública e na fiscalização do município. A corporação é subordinada à Secretaria Municipal de Segurança Pública e possui uma base central e duas regionais. A base onde ocorreu o crime fica na Avenida Dr. Odair Pacheco Pedroso, no bairro Quinta dos Angicos.

Mais artigos desta categoria

Botão Voltar ao topo
Fechar

Bloqueador de anúncios

Não bloqueie os anúncios