Após tapa, Will Smith é banido do Oscar por 10 anos

Will Smith, no entanto, continuará elegível a receber estatuetas

A academia de cinema de Hollywood decidiu nesta sexta-feira (08/04) banir o ator americano Will Smith de comparecer a cerimônias do Oscar ou qualquer evento da entidade por 10 anos, depois que o vencedor do prêmio de melhor ator deu um tapa no apresentador Chris Rock em meio à cerimônia de premiação, 12 dias atrás. 

A decisão ocorre uma semana depois de o ator ter apresentado sua demissão da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas devido ao incidente na 94ª cerimônia do Oscar.

Numa carta aberta divulgada após a reunião da Academia, o presidente da entidade, David Rubin, e a executiva-chefe, Dawn Hudson, consideraram “inaceitável” o comportamento de Will Smith.

“O 94º Oscar foi concebido para ser uma celebração dos muitos indivíduos em nossa comunidade que fizeram um trabalho incrível no ano passado”, afirmaram. “No entanto, esses momentos foram ofuscados pelo comportamento inaceitável e prejudicial que vimos o Sr. Smith exibir no palco”.

Eles também admitiram que não lidaram com a situação de forma adequada durante o evento que ocorreu em 27 de março.

“Lamentamos. Esta foi uma oportunidade para darmos um exemplo para os nossos convidados, espetadores e a nossa família da Academia em todo o mundo, e ficamos aquém, incapacitados para o inédito”, diz o texto.

Em um comunicado após a decisão desta sexta-feira, Smith disse que “aceita e respeita a decisão da Academia”. 

O que aconteceu na cerimônia

A polêmica começou quando Rock tomou como alvo verbal a esposa do ator, Jada Pinkett Smith. “Jada, eu te amo. G.I. Jane 2, mal posso esperar para ver, está certo?”, disse. A referência era ao filme intitulado no Brasil Até o limite da honra, em que Demi Moore raspou a cabeça para representar uma candidata a SEAL da Marinha americana.

Em resposta, Will Smith foi até o palco e golpeou no rosto o apresentador, que comentou, surpreso: “Oh… uau… uau… Will Smith acabou de me arrebentar”, enquanto o público ria, pensado tratar-se de algo encenado. O agressor retornou a seu assento e gritou que ele deixasse sua esposa em paz.

Rock replicou que fora só “uma piada de G.I. Jane”, ao que Smith rebateu: “Não põe o nome da minha mulher na tua p**** de boca”. Nesse ínterim, o clima era de constrangimento, pois os espectadores da premiação haviam compreendido que não era um número ensaiado. O agredido concluiu: “Ok. Esta foi a maior noite na história da televisão”.

Em 2018, Pinkett Smith revelou que sofre de alopecia, doença que causa perda dos pelos corporais. Desde então tem discutido com frequência, no Instagram e outras plataformas, os desafios que a condição lhe acarreta. Na cerimônia do Oscar, ela estava com a cabeça raspada. Não ficou claro se Rock sabia da condição de saúde da esposa de Will Smith.

Menos de uma hora depois, Smith fez um discurso emocioando no palco ao receber o prêmio de melhor ator por seu papel em Rei Ricardo, filme no qual interpreta o pai das estrelas do tênis Serena e Venus Williams. Após a cerimônia, ele foi visto dançando na festa anual pós-Oscar da Vanity Fair.

Desculpas de Will Smith

No dia seguinte ao evento, Will Smith pediu publicamente desculpas a Chris Rock, admitindo que passou dos limites e que o seu comportamento foi “inaceitável e indesculpável”.

“A violência em todas as suas formas é venenosa e destrutiva. Meu comportamento no Oscar na noite passada foi inaceitável e imperdoável”, escreveu Will Smith no Instagram no dia seguinte à premiação. “Piadas às minhas custas fazem parte do trabalho, mas uma piada sobre a condição médica de Jada foi demais para eu suportar e reagi emocionalmente.” “Eu gostaria de pedir desculpas publicamente a você, Chris. Eu passei dos limites e estava errado. Estou envergonhado, e minhas ações não foram indicativas do homem que eu quero ser”, prosseguiu.

Punição branda e tardia

Dana Harris-Bridson, editora-chefe da publicação de entretenimento online IndieWire, disse que a proibição imposta a Smith pela Academia foi “muito pouco” e veio “muito tarde”. Para ela, o grupo deveria ter removido o ator da cerimônia no Dolby Theatre.

Após o fato, a academia teve poucas opções, principalmente porque Smith renunciou antes que sua participação na Academia pudesse ser revogada, disse ela.

O próximo filme de Smith, o thriller de ação Emancipation, sobre um homem que escapa da escravidão, está programado para ser lançado ainda este ano. Nenhuma atualização sobre o filme da Apple TV+ foi dada desde o incidente na cerimônia do Oscar.

le (Lusa, Reuters)

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.