Sem vacina, Rio suspende réveillon em Copacabana

A prefeitura do Rio informou hoje (25) que o tradicional réveillon da cidade, assim como o carnaval, “não é viável neste cenário de pandemia, sem a existência de uma vacina”. A Empresa de Turismo do Rio (Riotur) informou que “o réveillon não é um evento rígido e pode acontecer de diversas formas, que não apenas reunindo 3 milhões de pessoas na Praia de Copacabana”.

Cristo do Redentor, no Rio de Janeiro (Fernando Maia/Riotur/Fotos Públicas)

Nos próximos dias, a Riotur apresentará ao prefeito Marcelo Crivella diferentes formatos possíveis para o evento da virada, sem presença direta de público, em um modelo virtual, onde será possível atingir o público pela TV e pelas plataformas digitais, preservando prioritariamente a segurança das pessoas e considerando também uma atmosfera de reflexão e esperança diante de tantas perdas sofridas.

“Ressaltamos que todos os conceitos desenvolvidos e analisados pela Riotur têm sua viabilidade financeira focada 100% na iniciativa privada, considerando o cenário atual onde os recursos da prefeitura do Rio estão destinados ao combate da pandemia”, disse a empresa.

“Esse modelo, com parceiros privados investindo nos grandes eventos, é adotado pela Riotur durante toda a gestão do prefeito Marcelo Crivella, priorizando que o dinheiro público seja investido nas questões básicas, como saúde e educação”, completou.

A Riotur informou ainda que, seguindo o cronograma dos anos anteriores, o réveillon começaria a ser desenvolvido em agosto. “Isto significa dizer que não há etapas a serem cumpridas pela prefeitura neste momento e estamos dentro do cronograma natural”.

Carnaval

O presidente em exercício da Riotur, Fabrício Villa Flor de Carvalho, tem participado de reuniões virtuais com o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, para tratar do desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí.

Atendendo pedido da Liesa, a Riotur não abriu a venda de ingressos para o setor turístico do Sambódromo. A empresa aguarda a próxima assembleia da Liga que definirá o rumo dos desfiles para anunciar novas medidas.

Já para o carnaval de rua, a Riotur tem mantido conversas com o Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública do Ministério Público (Gaesp), órgão atuante na construção do evento e que participou da criação do protocolo que garantiu melhorias à folia.

A Riotur afirma que o cenário se mantém inconclusivo e que ainda não há definição sobre o carnaval do próximo ano. “O carnaval é um feriado nacional e envolve outras esferas, e não apenas a municipal, sendo, portanto, uma discussão muito mais ampla, que inclui principalmente resultados de estudos científicos.”

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil 

Diogo Nogueira, Ferrugem: atrações do Réveillon no Rio

(Fernando Maia/Prefeitura do Rio)


A prefeitura do Rio de Janeiro divulgou nesta terça-feira (3) informações sobre a festa de réveillon na Praia de Copacabana. Serão quatro palcos este ano: o principal, em frente ao Hotel Belmond Copacabana Palace; e os demais, na altura da Rua Anchieta, no Leme, na altura da Rua Hilário de Gouveia, e entre as ruas Bolívar e Barão de Ipanema. A prefeitura espera superar o público de 2,8 milhões de pessoas na festa da virada.

Segundo a prefeitura, o tema da festa, Amor a Cada Vista, remete à beleza natural e arquitetônica do Rio de Janeiro, que, em 2020, será a primeira Capital Mundial da Arquitetura, título concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela União Internacional dos Arquitetos (UIA).

A tradicional queima de fogos terá 14 minutos de duração. O espetáculo pirotécnico contará com trilha sonora sincronizada e começará à meia-noite. Serão 10 balsas, com 16,9 toneladas de fogos com bombas de alto, médio e de baixo calibre e artefatos inéditos.

A estrutura da festa terá ainda sete telões para o público acompanhar os shows, 16 torres de comunicação com sonorização, 800 banheiros químicos, quatro postos médicos e 30 torres da Polícia Militar.

O palco principal terá apresentações de Anayle Sullivan, Allyrio Mello, Diogo Nogueira, Ferrugem, DJ Marlboro e Escola de Samba da Mangueira.

Haverá festa da virada em mais oito palcos distribuídos em diferentes bairros, localizados no Flamengo, com direito a queima de fogos disparados de três balsas, Ilha de Paquetá, Ilha do Governador, Parque de Madureira, Sepetiba, Guaratiba, Piscinão de Ramos e Penha. Já na Barra da Tijuca, serão 12 pontos de queima de fogos, com duração de 5 a 15 minutos.