Após explosão de casos de covid-19, governo suspende cruzeiros

Após a Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (CLIA Brasil) anunciar nesta segunda-feira (03/12) a interrupção voluntária das operações nos portos do Brasil devido a surtos de covid-19, o governo federal decidiu suspender a temporada de cruzeiros no país até 21 de janeiro.

A decisão veio depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendar ao Ministério da Saúde a suspensão provisória da temporada por causa do aumento “vertiginoso” de casos de covid-19 em embarcações que operam na costa brasileira. A agência também havia desaconselhado o embarque de passageiros, por riscos à saúde e de transtornos.

Em nota conjunta, os ministérios da Casa Civil, Saúde, Infraestrutura, Justiça e Turismo afirmaram nesta segunda que optaram pela suspensão temporária da temporada de cruzeiros após se reunirem com empresas do setor.

(Arquivo)

“Houve também, na parte da tarde, reunião com secretários da Saúde de estados e municípios para discutir o atual plano de operacionalização da atividade de cruzeiros diante do aumento de casos da variante ômicron do Sars-Cov-2 em embarcações na costa brasileira, mesmo que, em sua totalidade, leves ou assintomáticos”, diz a nota.

“O governo federal continuará, nos próximos dias, a promover reuniões com municípios, estados e empresas para, juntos, reavaliarem a possibilidade do retorno das atividades.”

Centenas de casos a bordo

Segundo a Anvisa, os cinco navios operando no Brasil registraram casos de covid-19. Os casos explodiram a partir de 26 de dezembro, com 798 registrados em apenas nove dias (até 03/01), ante 31 infecções contabilizadas nos primeiros 55 dias da temporada (de 1º de novembro a 25 de dezembro), apontou. Do total de casos, 60% foram em tripulantes.

A Anvisa afirmou que os números mostram uma “mudança repentina e brusca do contexto epidemiológico, provavelmente decorrente do surgimento da variante ômicron” do coronavírus, altamente contagiosa.

A chance de ser infectado pelo coronavírus a bordo de cruzeiros é alta, afirmou a Anvisa com base em investigações feitas nos últimos dias.

Inicialmente, a CLIA Brasil havia manifestado surpresa com a recomendação da Anvisa de suspender a temporada, argumentando que os casos de covid-19 representavam uma pequena minoria dos 130 mil passageiros e tripulantes embarcados desde novembro.

Por Deutsche Welle
lf/as(Agência Brasil, ots)

Ronaldo segura camisa do Cruzeiro ao lado de outros dirigentes

Ex-jogador Ronaldo compra o Cruzeiro

O ex-jogador e empresário Ronaldo anunciou neste sábado (18) que comprou o Cruzeiro, clube que o revelou para o futebol profissional e se contra na segunda divisão do Campeonato Brasileiro há duas temporadas. O “fenômeno” desembolsou R$ 400 milhões para adquirir 90% dos direitos.

“Feliz demais de ter concluído essa operação. Dizer que tenho muito a retribuir ao Cruzeiro, levar o Cruzeiro aonde ele merece estar.

Ronaldo segura camisa do Cruzeiro ao lado de outros dirigentes
(Rede Social/via Tv Cultura)

Temos muito trabalho pela frente. Peço ao torcedor que se conecte outra vez ao clube, ir ao estádio, porque vamos precisar de muita força e união”, lembrou o ex-atacante.

Por TV Cultura

Santos se prepara para a retomada dos cruzeiros

(Pref. de Santos)

Santos, no litoral de São Paulo, se prepara para a retomada dos cruzeiros marítimos. A prefeitura da cidade lançou um plano operacional para assegurar a infraestrutura necessária de saúde, segundo o que é exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Anvisa determina que cada cidade, segunda comunicado da prefeitura, necessita de uma estratégia para dar suporte às regras nacionais com relação aos eventuais casos de covid-19 que possam ser identificados entre os passageiros e tripulantes dos navios.

“A secretaria de saúde e a Anvisa sempre atuam em parceria em questões sanitárias que envolvem o Porto de Santos, que é uma área federal”, afirma em comunicado Adriano Catapreta, secretário municipal de saúde.

Em nota à imprensa, Santos afirma que “ao detectar caso de covid-19, de pessoa sintomática ou assintomática, caberá ao navio de cruzeiro ou agente marítimo informar município, Estado e Anvisa sobre essa situação e a necessidade de desembarque”. Um relatório médico, emitido pelo profissional a bordo, deve conter detalhes das condições do paciente.

“Assintomáticos ou com sintomas leves permanecerão em isolamento na embarcação até o desembarque no porto de origem para o retorno a sua residência”, afirma o comunidado.

Quem necessitar de internação será encaminhado para hospital privado, da rede conveniada da empresa marítima, diz a prefeitura. “O transporte será providenciado pela companhia de cruzeiros, em ambulância ou veículo com motorista fazendo uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e protocolos de higienização, além de previamente testado”.

Passageiros ou tripulantes que necessitarem de quarentena ou isolamento serão encaminhados ao hotel conveniado à empresa marítima ou companhia de seguros, onde permanecerão até o término do período. “Quem não cumprir o período de quarentena e desejar retornar para a sua residência, deve assinar um termo de responsabilidade”.

Passageiros e tripulantes hospitalizados serão acompanhados por equipe especializada e designada pela empresa marítima ou companhia de seguros, sob supervisão do Município e do Estado.

Quem estiver hospedado em hotel será acompanhado por equipe de saúde e representantes da empresa marítima e da companhia de seguros, que farão contato diário para atualização do quadro clínico. Todos assinarão termo de responsabilidade para o cumprimento das regras de isolamento. O hotel também ficará com a responsabilidade de cumprimento das regras sanitárias para o isolamento.

Em caso de óbito, a companhia marítima será responsável pela remoção e translado dos corpos.

Passageiros e tripulantes saudáveis, que desembarcam na cidade, serão supervisionados pelo município, seguindo os protocolos locais nos transportes, restaurantes, atrações, comércios, entre outros locais.

A prefeitura avalia o cenário epidemiológico e, em caso de impossibilidade das operações, informa ao Estado e este, à Anvisa, para a adoção das medidas pertinentes à situação epidemiológica. “Após os desembarques, o município deve monitorar casos de covid-19 possivelmente associados a cruzeiros que tenham pacientes e/ou tripulantes internados ou em isolamento”, complementa, destacando que os casos serão repassados imediatamente ao Estado.

“Desde que o governo federal autorizou a temporada de cruzeiros marítimos no Brasil, participamos de uma série de reuniões com o Ministério da Saúde, a Anvisa e outros municípios que recebem os navios para a construção dos protocolos de segurança necessários para a retomada dessa atividade”, destaca Ana Paula Valeiras, chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos.

Carro de jogador cai em penhasco após acidente

O volante Henrique, do Cruzeiro, passa bem após acidente automobilístico sofrido na noite de sexta-feira (26). Em tuíter publicado neste sábado (27), o clube mineiro publicou informa que o jogador passou por exames e não apresenta qualquer tipo de lesão ortopédica ou neurológica. Entretanto, por precaução, o atleta ficará internado por um ou dois dias no Hospital Mater Dei.

Henrique, jogador do Cruzeiro (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

O carro de Henrique caiu de um penhasco na noite de ontem, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. O local chamado de Mirante do Jatobá é de difícil acesso e tem altura aproximada de 200 metros.

O jogador, de 35 anos, estava sozinho no automóvel e foi atendido por bombeiros. Os primeiros atendimentos médicos foram realizados no hospital público João XXIII. Em seguida, ele foi removido o Mater Dei, um hospital particular.

Henrique estava emprestado ao Fluminense e foi anunciado, nesta última semana, como reforço da equipe celeste para a temporada.

Por Rodrigo Ricardo – Repórter da Rádio Nacional 

Passageiros de cruzeiro no Japão morrem de Covid-19

(NHK/Reprodução)

Autoridades do governo japonês informaram que dois passageiros do navio Diamond Princess morreram em decorrência do novo coronavírus. São as duas primeiras mortes entre os ocupantes da embarcação.

Os passageiros que morreram eram um homem e uma mulher, ambos na faixa de 80 anos de idade.

Com isso, o total de mortes no Japão chegou a três. A primeira vítima do vírus no país morreu na quinta-feira da semana passada (13).

O navio de cruzeiro Diamond Princess está ancorado no Porto de Yokohama, próximo a Tóquio. Os passageiros estão em quarentena desde o último dia 5, determinada pelo governo japonês por causa do surto do novo coronavírus.

Novos desembarques do navio

O segundo grupo de passageiros do navio Diamond Princess, afetado pelo novo coronavírus, deixará a embarcação nesta quinta-feira (20). A infecção foi confirmada em 621 passageiros e tripulantes.

Segundo o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão, pessoas que testaram negativo para o vírus e não apresentam sintomas estão recebendo permissão para desembarcar desde ontem, após um período de quarentena de 14 dias.

A pasta informou que 443 pessoas deixaram a embarcação, sendo que 90% delas são japonesas. Disse ainda que aproximadamente mais 50 pessoas devem desembarcar hoje e que metade delas não é japonesa. Espera-se que a maioria dos passageiros desembarque do Diamond Princess até esta sexta (21).

O Ministério da Saúde pede que qualquer um que tenha testado negativo, mas compartilhado uma cabine com algum passageiro infectado, permaneça a bordo do navio por mais 14 dias, a partir do momento da separação de um do outro.

Autoridades da pasta planejam telefonar por vários dias para aqueles que voltaram para casa, com o objetivo de checar o estado de saúde deles.

As autoridades discutirão a adoção de medidas para a tripulação com a empresa operadora do Diamond Princess. Elas disseram que os tripulantes que desejarem desembarcar poderão ter permissão para isso.

Por NHK – Emissora pública de televisão do Japão