Vila Olímpia é a primeira estação sustentável de São Paulo

Vila Olímpia é a primeira estação sustentável da Capital (Gov. do Estado de SP)

O Governador João Doria entregou nesta terça-feira (1) a primeira estação sustentável de passageiros de São Paulo. Em parceria com a iniciativa privada, a estação Vila Olímpia, na linha 9-Esmeralda da CPTM, passou por uma remodelagem estrutural para redução de impactos ambientais, com novos equipamentos e infraestrutura que beneficiam passageiros, priorizam energia limpa e preservam recursos naturais.

“Essa é a primeira estação de trem patrocinada, um fato inédito no Brasil. Isso é bom porque retira o dinheiro público e coloca o privado de forma inteligente, funcional, sustentável e equilibrada para o investidor. Isso traz uma diferença importante de modelo de gestão, além da sustentabilidade. O Governo de SP segue sendo um governo liberal, um governo desestatizante, fazendo concessões, privatizações em parcerias público-privado”, disse Doria.

A partir de agora, a estação conta com infraestrutura própria para gerar, captar ou reaproveitar a maior parte dos insumos necessários na operação do local. A modernização permite que a parada alcance até 100% de autossuficiência nos meses em que houver disponibilidade para geração de energia limpa ou reuso hídrico.

Inauguração da estação CPTM Vila Olímpia Sustentável
João Doria, governador de São Paulo, visitou local (Gov. do Estado de SP)

A parceria entre o Governo do Estado e as empresas Eletromidia e Santander permitiu a instalação de 234 placas solares sobre a cobertura da estação Vila Olímpia. Juntas, elas vão gerar cerca de 8.500 quilowatts-hora por mês e zerar a tarifa de energia elétrica do local, estimada em torno de R$ 300 mil anuais custeados pelo poder público.

Para o Secretário de Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy, a entrega da estação remodelada mostra o potencial de sucesso das parcerias. “Temos aqui mais um projeto importante para a linha 9-Esmeralda que, além de ter sido concedida para atrair investimentos privados aos trens metropolitanos, terá em breve três novas estações”, afirmou Baldy em referência às paradas Mendes-Vila Natal, Varginha e João Dias.

Sustentabilidade

A remodelagem sustentável também permite captação e armazenagem a partir de 46 mil litros por mês de água para reuso em irrigação de áreas verdes e limpeza dos banheiros reformados para não poluir o rio Pinheiros. A água de reuso passa pelas raízes de plantas e chega limpa no novo sistema de irrigação, com economia estimada em mais de 150 mil litros mensalmente.

A estação ainda conta com um novo bicicletário para 90 bicicletas. Se usado em sua capacidade máxima, o equipamento permite cortar a emissão de 360 quilos de dióxido de carbono diariamente. O cálculo considera que cada bicicleta representa um carro a menos em circulação na capital, com redução média de quatro quilos de poluentes por dia. A estação passa a contar com pontos de recarga para bicicletas elétricas e calhas nas laterais das escadas fixas para facilitar o transporte dos veículos.

A recriação do paisagismo também recebeu destaque e resultou em 1.454 metros quadrados de área verde, com plantio de árvores no jardim central e cobertura vegetal de paredões dentro e fora da estação. São nove espécies nativas com potencial para reduzir o impacto de ilhas de calor, melhorar a qualidade do ar e atenuar o odor de efluentes do rio Pinheiros.

A estação também recebeu soluções ambientais produzidas com material reciclável como novas plataformas de coleta seletiva de lixo, bebedouros, bancos com pontos de carregamento USB e uma marquise de proteção contra chuvas. Ao lado das catracas também está o LAB, espaço de convivência com assentos para descanso e pontos para recarga de celular.

Além das melhorias em sustentabilidade, a estação Vila Olímpia ganhou uma obra do artista plástico Kobra, em referência ao uso do rio Pinheiros na primeira metade do século 20. Com dimensões de 10,7 metros de comprimento por 2,6 m de largura, o painel usa cores vibrantes para retratar remadores cruzando as águas então limpas do Pinheiros.

Por Gov. do Estado de SP

É Primavera: veja como fica o tempo na nova estação

(Governo do Estado de São Paulo)

A primavera começou às 04h50 da madrugada de hoje. É uma estação de transição entre o inverno frio e seco e o verão quente e úmido. 

Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), órgão da Prefeitura de São Paulo, são esperados 357,5 mm de chuva durante a estação, que termina dia 22 de dezembro, quando começa o verão, às 01h19 da manhã, no horário de Brasília.

“Os modelos numéricos de previsão apontam que a primavera deve transcorrer com neutralidade climática, ou seja, sem a influência do fenômeno El Niño, que esquenta as águas do Pacífico Equatorial, e La Niña, que esfria as águas do Pacífico equatorial. Há previsão de um pequeno aquecimento nas águas do Pacífico entre o fim da primavera início do verão, entretanto a maioria das simulações ainda não indica o retorno do fenômeno El Niño”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

As últimas simulações mostram chuvas próximas a normalidade durante a maior parte da primavera, entretanto os modelos de previsão indicam que o final da estação pode ser mais chuvoso do que o normal. Dessa forma, a previsão é de que a próxima estação deve terminar com chuvas e temperaturas ligeiramente acima do esperado, principalmente para a faixa litorânea e sul do estado.

Durante a primavera, são esperadas grandes oscilações de temperaturas, além disso podem ocorrer ondas de frio tardias que se estendem por alguns dias com mínimas e máximas abaixo da média esperada, que seria entre 15°C e 19°C as mínimas e 26°C e 28°C as máximas.Com a aproximação do verão, a temperatura e a umidade aumentam, e as chuvas ficam mais frequentes e volumosas.

Conforme dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, para o verão são esperados 655,8mm de chuva. As mínimas oscilam entre 18°C e 20°C e as máximas entre 29°C e 30°C.

Obras: Metrô fecha estações neste domingo

Neste domingo (28), o Metrô dará sequência às obras de modernização que vem realizando na Linha 3-Vermelha, no trecho entre as estações Corinthians/Itaquera e Patriarca.

Em razão disso, as estações Artur Alvim e Corinthians/Itaquera (inclusive a área de transferência para a CPTM) ficarão fechadas durante todo o dia. A circulação dos trens nesse dia acontecerá entre as estações Palmeiras/Barra Funda e Patriarca.



O Metrô contará com ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) como apoio à operação entre as duas estações. Os coletivos circularão ininterruptamente, até o horário de encerramento da operação do Metrô, gratuitamente.

A recomendação do Metrô é que, no domingo, os passageiros utilizem a transferência gratuita para a Linha 11-Coral da CPTM na estação Tatuapé como alternativa em direção a Corinthians/Itaquera.

Para informar os usuários sobre as mudanças programadas, o Metrô emitirá mensagens sonoras pelo sistema de som das estações e dos trens, colocará cartazes nas estações e publicará informativos nas redes sociais.

Em caso de dúvidas, a Central de Informações do Metrô (0800 770 7722) atende diariamente, das 5h00 à meia-noite.

CPTM

Neste fim de semana, dias 27 e 28 de abril, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) realizará obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz- Francisco Morato)

Domingo: das 7h às 18h, haverá intervenções nos equipamentos de via permanente entre as estações Perus e Caieiras. O intervalo médio entre os trens será de 15 minutos entre Luz e Pirituba e de 30 minutos entre Pirituba e Francisco Morato.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Domingo: das 7h até meia-noite, os trabalhos estarão concentrados no sistema de rede aérea entre as estações Jandira e Itapevi. O intervalo médio entre os trens será de 20 minutos entre Barueri e Itapevi.

Linha 9-Esmeralda (Grajaú – Osasco)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, serão realizadas obras de modernização nos equipamentos de via permanente entre as estações Santo Amaro e Morumbi. O intervalo médio entre os trens será de 24 minutos em toda a linha.

Domingo: das 8h às 19h, a circulação entre Presidente Altino e Osasco ficará interrompida para a realização de obras de modernização nos equipamentos de via permanente e no sistema de rede aérea. Os passageiros que quiserem seguir viagem deverão utilizar a Linha 8-Diamante. Também serão realizadas obras entre as estações Socorro e Santo Amaro. Das 6h até meia-noite, os serviços de modernização se concentrarão entre as estações Grajaú e Jurubatuba. O intervalo médio dos trens será de:

Das 6h às 8h e das 19h à meia-noite: de 20 minutos entre Jurubatuba e Grajaú

Das 8h às 19h:  de 20 minutos de Grajaú a Presidente Altino

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 4h às 14h, os serviços serão executados nos equipamentos de via permanente entre as estações Juventus-Mooca e Ipiranga. O intervalo médio entre os trens será de 17 minutos em toda a linha.

Linha 11-Coral (Luz – Estudantes)

Domingo: das 4h à meia-noite, devido às obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Corinthians-Itaquera e Guaianases, o intervalo médio dos trens será de e 15 minutos entre Luz e Brás e de 30 minutos entre Brás e Estudantes.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Domingo: das 4h até a meia-noite, serão realizadas obras de modernização entre as estações Engenheiro Goulart e Comendador Ermelino e entre Engenheiro Manoel Feio e Aracaré. O intervalo médio entre os trens será de 35 minutos em toda a linha.