Jovem supera câncer, adia reforma da casa e vira empresária

Diãnafa Andrade Silva, franqueada da Mais Top Estética (Divulgação)

Em julho, a administradora Diãnafa Andrade Silva, 28 anos, decidiu que era hora de apostar em seu próprio negócio. Em pleno auge da pandemia de Covid-19 no Brasil, ela e o companheiro adiaram a ideia de reforma da casa, que custaria em torno de R$ 20 mil, venderam o carro e investiram R$ 58 mil em uma franquia Home Care da Mais Top Estética, em Fortaleza.

O modelo, segundo a rede, oferece aos franqueados equipamentos e suporte para a prestação de serviços de estética em domicílio. Mas Diãnafa e o namorado, Monolidis Efstratios, optaram pela abertura de uma clínica, tendo como base os equipamentos portáteis usados no Home Care. No primeiro mês de operação, mesmo com as portas fechadas devido à pandemia – o período foi dedicado a marketing digital, vendas e agendamentos de atendimentos futuros –, o casal faturou R$ 7 mil.

Em 21 de outubro, Diãnafa e Monolidis finalmente abriram a clínica e, mesmo com poucos dias em operação, encerraram o mês com faturamento de R$ 24 mil. Já em novembro, a receita mais do que dobrou, chegando a R$ 52 mil. “Já estamos com duas salas de procedimento”, celebra a administradora em nota da rede, que precisou contratar 2 funcionários para auxiliar nos atendimentos. “Nossa meta é abrir outra. Por isso, estamos aumentando nossa equipe”.

Vencendo um câncer

A abertura do negócio próprio e a realização do antigo sonho marcaram uma virada positiva na vida de Diãnafa. Em abril de 2018, a administradora trabalhava em uma empresa de consultoria e mentoria, quando descobriu um câncer na região posterior da coxa esquerda. “No banho, senti um nódulo na coxa, me desesperei e fui correndo para o médico”, conta. “Fiz os exames, e o diagnóstico indicou que eu estava com um lipoma (tumor benigno) de três centímetros de diâmetro”, contou em comunicado da franqueadora.

Diãnafa, no entanto, temia que o diagnóstico pudesse estar errado, uma vez que havia em sua família um histórico de casos de câncer – vários parentes morreram vítimas da doença.  “O médico dizia que não havia como o nódulo se tornar um câncer e me pediu para continuar fazendo os tratamentos propostos”, narra a jovem. “Mas o lipoma cresceu e, após uma cirurgia para retirá-lo, descobri que na verdade estava com um lipossarcoma, um tipo de tumor que afeta partes mais moles do corpo, como os músculos e a pele. Pensei que eu seria a próxima a morrer”.

Na cirurgia para retirada do câncer, os médicos iriam extirpar todos os tecidos que estivessem em contato com o tumor. “O problema era que, se o tumor estivesse na região da artéria, eles teriam que amputar a minha perna. Perguntei se, mesmo sem a perna, eu poderia ser mãe. O doutor disse que sim. Então, criei coragem para a cirurgia”, lembra Diãnafa. “Quando acordei, antes mesmo de abrir os olhos, coloquei a mão na perna, e ela ainda estava lá”.

Foco em objetivos pessoais

Enfrentar – e derrotar – um câncer fez com que Diãnafa repensasse o que vinha fazendo de sua vida. Casada desde 2014, ela estava infeliz com o relacionamento. Enquanto o marido desejava que ela seguisse como dona de casa e abandonasse seus objetivos profissionais, a administradora queria realizar seus sonhos, entre eles o de tornar-se empresária. Assim, o primeiro passo para conseguir avançar em direção aos seus planos foi pedir o divórcio, em meados de 2018.

A jovem, que na infância praticava vários esportes – vôlei, basquete, handebol e futsal – como forma de lutar contra o sobrepeso que tinha na época, havia abandonado tudo após o casamento. “Com a cirurgia, decidi me cuidar mais e prestar mais atenção em mim mesma, nos meus sonhos e objetivos”, diz Diãnafa. “E voltei a praticar esportes novamente”.

Nesta época, a administradora conheceu o atual namorado, de origem grega. E uma delicada coincidência contribuiu para reforçar a ligação do casal: assim como Diãnafa, a mãe de Monolidis também estava com câncer, e a jovem esteve ao lado do namorado e da sogra até que esta voltasse para casa após um período hospitalizada. Quando as coisas serenaram, o próprio Grego – apelido de Monolidis – acabaria sendo o maior incentivador de Diãnafa. “Ele pediu para que eu fosse atrás dos meus seus sonhos, ou seja, abrir meu próprio negócio”.

A partir de então, a jovem começou a pesquisar segmentos promissores para investir. “Vi um anúncio da Mais Top Estética, me interessei e me cadastrei”, conta a administradora. “Em seguida, conheci a história do Caio e da Natália (fundadores da Mais Top) e achei parecida com a nossa. E me encantei pelo propósito do negócio, que é ajudar pessoas e transformar vidas”, afirmou em nota.

Cabo submarino de fibra ótica ligará Brasil e Europa

(Ilustração/Reprodução)

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou hoje (10) o lançamento de um cabo submarino de fibra ótica que ligará Fortaleza (CE) a Sines, em Portugal, com previsão de expansão para pontos no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de conexões na África e em outros países europeus, ilhas do Atlântico e Guiana Francesa. A estimativa é de que o projeto esteja concluído até meados de 2021. 

“Na segunda-feira (14), faremos o lançamento de um cabo submarino de fibra ótica que vai sair de Fortaleza até Sines, em Portugal. Serão mais de 6 mil quilômetros. Estimamos que até o segundo trimestre do ano que vem estará pronto”, disse o ministro.

Hoje, toda a informação que o nosso país envia para o Velho Continente vai primeiro para os Estados Unidos, e de lá segue para data centers na Europa. Esse percurso leva o dobro de tempo do que é necessário para fazer a conexão direta entre as duas regiões.

A obra será feita pela empresa EllaLink, proprietária e operadora dos serviços que serão oferecidos pela fibra, tão logo esteja com a infraestrutura concluída. A estrutura proporciona o tráfego de dados a 72 Terabits por segundo (Tbps) e latência de 60 milissegundos. Ao todo, serão lançados e ancorados 6 mil quilômetros de cabos de alta capacidade que devem conectar a capital cearense a Portugal.

“O cabo, em alguns lugares, chega a 5 quilômetros de profundidade. É algo impensável, inimaginável, mas agora nós vamos ter uma conexão direta com a Europa. É uma grande entrega do Ministério das Comunicações que vai ajudar o nosso país no escoamento de dados”. afirmou Faria.

Por Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil 

Polícia afasta PMs que mataram garoto inocente

Família de vítima morta na região metropolitana de Fortaleza prestou depoimento da Controladoria Geral de Disciplina: “policiais estão soltos e isso da medo”, diz tia 

Mizael Fernandes da Silva, 13 anos, foi morto dentro de casa enquanto dormia | Foto: Arquivo pessoal

Camilo Santana (PT-CE), governador do Ceará, solicitou o afastamento dos policiais envolvidos na execução de Mizael Fernandes da Silva, 13 anos, morto pelo Cotar (Comando Tático Rural), da Polícia Militar, com um tiro a queima roupa enquanto dormia dentro de casa em Triângulo, no Chorozinho, região metropolitana de Fortaleza. Mesmo questionado, o governo não informou quantos e quem são os policiais afastados das ruas. 

Nesta segunda-feira (6/7), a família de Mizael foi ouvida pela CGD (Controladoria Geral de Disciplina) dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário. Lizangela Rodrigues Fernandes da Silva Nascimento, tia de Mizael, contou à Ponte que as forças policiais ofereceram proteção para a família, que teme que os PMs envolvidos na ação “apareçam em carros apaisana e matem o restante da família”. No entanto, Lizangela não pode aceitar.

“Eles ofereceram proteção, mas a gente deveria ficar sem se comunicar com o restante da família. Eu tenho um pai deficiente, tenho uma mãe com problemas cardíacos. Como eu resolvo as coisas da minha família, não aceitei”, lamentou a tia. 

Lizangela contou que, apesar do afastamento dos policiais, sente medo. “Eu tô sentindo que vai ter alguma justiça, mas o medo aumentou. A delegada disse que vai ter outra perícia lá em casa. Estamos com medo dos policiais, porque eles estão soltos, só não vão trabalhar”, explica. 

A Defensoria Pública, a Rede de Observatórios da Segurança do Ceará e a Comissão de Direitos Humanos, da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Ceará acompanham as investigações do caso. 

À Ponte, Leila Paiva, vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-CE, informou que “é fundamental exigir a apuração criteriosa e célere da responsabilidade”, mas é necessário lembrar que esse não é um caso isolado. “É preciso repensar o modelo de segurança”, argumenta.

“É preciso cobrar a apuração desse e de todos os casos de homicídio praticados pela polícia, que têm aumentado no Estado. Esse modelo não atende nem a polícia nem a sociedade. Estaremos solidários e solidárias a mais essa família que precisa de apoio e de atendimento agora, mas também estaremos atentos e atentas para a apuração da responsabilidade”, declarou Leila.

(Arquivo Pessoal/via Ponte)

Em nota enviada por e-mail, o MP-CE (Ministério Público do Estado do Ceará) informou que a Promotoria de Justiça de Chorozinho está acompanhando o caso. O MP também disse que o caso será investigado pelo Departamento de Assuntos Internos, em Fortaleza. 

“Como não há réu preso, a autoridade policial tem prazo de 30 dias para concluir o Inquérito Policial. Após a conclusão, o Inquérito será remetido à Promotoria para análise dos fatos”, aponta a promotoria.

Mizael foi executado na madrugada do dia 1º de julho enquanto dormia. A tia contou à Ponte que dois PMs entraram em sua casa: um mais alto e outro de estatura média. 

“Quando eu pisei na sala, eu só vi o clarão no quarto e ouvi tiro. Aí eu falei ‘moço, você matou a criança que tava dormindo aí no quarto?’. O policial maior, que atirou, não respondeu e veio correndo falando ‘fiz merda, fiz merda’. E me empurrou para fora. Mandaram a gente ficar mais afastado, mais ou menos 200 metros da minha casa”, descreveu.

O policial saiu da casa e chamou mais três viaturas. “Ouvimos ele falando para uma das viaturas, que parecia ser um chefe dele, que ele tinha feito merda e que queria que eles colocassem outra pessoa no local. Esse outro policial disse que era para ele limpar a merda dele. Três policiais ficaram apontando o fuzil para a gente na esquina da rua”, relatou.

Lizangela também destaca, em seu relato, que o policial que atirou e matou Mizael entrou na casa novamente, limpou rapidamente o quarto e tirou a colcha lilás que cobria a cama. “Ele também levou o travesseiro e o telefone do Mizael. Até então a gente não sabia que o Mizael estava morto. Eu pensei que alguém tinha entrado no quarto e tinha matado esse bandido. Eles entraram e ficaram mais de 1 hora lá”, continuou.

“Embolaram o corpo do Mizael, igual um porco, e colocaram dentro da viatura. Voltaram e pegaram um pano que tinha dentro do carro para limpar o sangue. Não ficou nem um tiro de sangue no chão. Levaram o edredom da cama”, detalhou. 

Repercussão

O crime causou comoção e revolta nos moradores e comerciantes de Chorozinho. Durante três dias, os comerciantes não abriram as portas em homenagem à Mizael. Diversas manifestações foram feitas no município, com cartazes e carreatas. Os protestos também tiveram queima de pneus e troncos de madeira no km 70 da BR-116, que ficou bloqueada por uma hora.

No último fim de semana, uma campanha intitulada #JustiçaPorMizael, puxada pela Rede de Observatórios da Segurança do Ceará, cobrou posicionamento do governo de Camilo Santana e das polícias cearenses sobre a execução de Mizael. O Instituto Marielle Franco, o comunicólogo Raull Santiago, a pedagoga Tati Nefertari, o professor Douglas Belchior e as torcidas antifascistas do Ceará fizeram parte dessa ação.

O que diz a polícia

O governador Camilo Santana se posicionou via nota enviada por sua assessoria de imprensa. “Logo após tomar conhecimento desse fato, determinei imediata, rigorosa e isenta investigação. A Controladoria Geral de Disciplina, órgão independente, abriu sindicância e o comando da Polícia Militar está instaurando um IPM, inclusive com os policiais sendo afastados das ruas durante o processo. Não tenha dúvida que a família e a sociedade terão uma resposta”.

Em nota, a SSPDS (Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social) do Estado do Ceará informou que “o inquérito policial que investiga as circunstâncias da morte de Mizael foi transferido para a DAI (Delegacia de Assuntos Internos) da CGD”. 

Em paralelo, continua a SSPDS, “a PMCE (Polícia Militar do Ceará) instaurou um IPM (Inquérito Policial Militar) com a finalidade de apurar a conduta dos militares envolvidos na ocorrência, que foram afastados do serviço operacional provisoriamente enquanto a investigação estiver em curso, estando assegurado os princípios constitucionais do contraditório e da ampla defesa”.

A reportagem acionou as assessorias da Polícia Militar e da Polícia Civil, mas, até o momento de publicação, não obteve retorno.

Por Caê Vasconcelos – Repórter da Ponte

Covid-19: Norte e Nordeste vão receber respiradores e outros insumos

Equipamentos são carregados na Base Aérea de São Paulo (FAB/Reprodução)

A Força Aérea Brasileira (FAB) transporta hoje (10) 30 respiradores para Fortaleza. Segundo a FAB, a aeronave C-105 leva 1,5 tonelada em equipamentos. A previsão é que a aeronave, que parte de Guarulhos (SP), chegue à capital do Ceará às 20h50. Mais 20 respiradores serão entregues em Manaus (AM) e dez em Macapá (AP).

Segundo o Ministério da Saúde, as três capitais têm necessidade de ampliar urgentemente o número de leitos de tratamento intensivo para atender os infectados pelo novo coronavírus. O respirador é um equipamento essencial para tratar pessoas infectadas com o vírus e que apresentam o sintoma mais grave da doença, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

De acordo com o ministério, o Ceará é um dos quatro estados que podem estar entrando numa fase de aceleração descontrolada da pandemia. O Amazonas também está nessa lista. Os outros estados são Rio de Janeiro e São Paulo, além do Distrito Federal.

No boletim divulgado ontem (9) pela pasta, o Ceará é o estado da Região Nordeste com mais casos registrados. São 1.291 contaminações confirmadas e 43 mortes. O segundo estado da região com mais contaminações é a Bahia, com 497 casos. Na Região Norte, o Amazonas também se destaca em número de infecções. São 899 casos confirmados e 40 óbitos.



Os respiradores que seguem para Manaus ficarão instalados em leitos do Hospital Delphina Abdel Aziz, na zona norte da cidade. Na capital do Amapá, os equipamentos irão para a Maternidade Dra. Euclélia Américo, também na zona norte.

O Brasil tem encontrado dificuldades para importar respiradores. Segundo informou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, nesta semana, uma empresa chinesa que estaria responsável pela entrega de 15 mil unidades de respiradores mecânicos não deu garantias de que fará a entrega. No início do mês, o governo da Bahia acusou os Estados Unidos de reter em Miami um carregamento de respiradores que haviam sido comprados pelo estado de uma empresa chinesa. A empresa cancelou a venda.

Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil 

Governo prorroga presença do Exército no Ceará

Juazeiro do Norte: Exército patrulha região do Cariri, no Ceará (Exército/Reprodução)


O governo federal decidiu prorrogar por mais setes dias a presença dos militares das Forças Armadas no Ceará para reforçar a segurança pública no estado. No último dia 20, o presidente Jair Bolsonaro decretou a operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) pelo período de 20 a 28 de fevereiro.

A extensão desse prazo foi definida hoje (28) em reunião no Palácio do Planalto entre o presidente e os ministros da Casa Civil, Walter Braga Netto; da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro; da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos; do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno; e da Advocacia-Geral da União, André Medonça.

Em nota, o presidente Jair Bolsonaro disse esperar que o impasse entre a Polícia Militar do Ceará e o governo do estado seja resolvido. Ele também voltou a defender a aprovação do projeto de lei que flexibiliza o conceito de excludente de ilicitude para agentes de segurança durante operações desse tipo. 

“O governo federal, por sua vez, autoriza a prorrogação e entende que, no prazo de até o dia 6 de março, a situação deva ser normalizada, prevalecendo o bom senso. O governo federal avalia que se trata de uma negociação do estado, entretanto, continua prestando seus esforços de ajuda à população. Ressalta-se a importância de que o Congresso Nacional reconheça que, o emprego da GLO, dada a necessidade de segurança aos integrantes das forças, muitos deles jovens soldados com cerca de 20 anos de idade, discuta e vote o excludente de ilicitude”, publicou.

Na segunda-feira (24), uma comitiva integrada pelos ministros Sergio Moro, Fernando Azevedo e André Mendonça visitou o estado e se reuniu com diversas autoridades locais . Além dos militares, policiais rodoviários federais e a Força Nacional também atuam na segurança ostensiva no estado, a pedido do governo cearense.

As medidas foram adotadas após a paralisação de policiais militares, que estão amotinados em quartéis e batalhões reivindicando melhores condições de trabalho e reajuste salarial. O motim começou no dia 18 e, desde então, ao menos 170 pessoas foram assassinadas no Ceará, entre homicídios dolosos (quando há intenção de matar), feminicídios e latrocínios (furto seguido de morte).

Legalmente, policiais militares são proibidos de fazer greve, motivo pelo qual os protestos da categoria são classificados como motim.

Ontem (27), durante sua live semanal no Facebook , Bolsonaro disse que cabe ao governador do Ceará resolver o impasse com a Polícia Militar do estado e ressaltou que o uso da GLO deve ser apenas emergencial.

Na quarta-feira (26), o Ministério Público do Ceará (MP-CE) sugeriu e foi criada uma comissãopara buscar uma solução que ponha fim à paralisação dos policiais. O grupo é formado por integrantes de cada um dos três poderes do estado, com a participação do MP-CE e acompanhamento do Exército Brasileiro.


*Colaborou Pedro Rafael Vilela

Bolsonaro pede serenidade e diz respeitar Poderes

Presidente da República, Jair Bolsonaro (Reprodução)


O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (27), durante sua live semanal no Facebook, que não está estimulando protestos contra o Congresso Nacional e o Judiciário, e pediu “serenidade” e “responsabilidade”. Ele refutou informações, veiculadas nos últimos dias, pela imprensa, de que estaria apoiando atos previstos para o próximo dia 15 de março, e que teriam, entre as pautas anunciadas, de acordo com as notícias, pedidos de fechamento do Legislativo e do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Eu não vi nenhum presidente de Poder falar sobre essa questão do dia 15, que eu estaria estimulando um movimento contra o Congresso e contra o Judiciário, não existe isso. Não falaram porque não existe isso. Agora, nós não podemos nos envenenar com essa mídia podre que nós temos aí, em grande parte, podre que nós temos ai. Eu apelo a todo mundo, serenidade, patriotismo, responsabilidade, verdade. Nós podemos mudar o destino do Brasil. Não vou falar bem do meu governo, você que julga na ponta da linha. Pode ter certeza que, cada vez mais, os chefes de Poderes vão se ajustando, porque a nossa união, são quatro homens, quanto mais ajustados nós tivermos, nós juntos podemos fazer um Brasil melhor para 210 milhões de pessoas”, afirmou.

Bolsonaro disse que respeita os Poderes e que quer ver os projetos enviados pelo governo sendo votados no Congresso Nacional. Segundo ele, como boa parte das suas iniciativas depende do Legislativo, ele acaba sendo cobrado pela população mais do que os parlamentares. “Não existe qualquer crítica a Poderes, agora eu tenho que dar uma satisfação porque na ponta da linha o povo cobra muito mais de mim do que do Legislativo ou do Judiciário”.

GLO no Ceará

Militares fazem patrulhamento em ruas da capital do Estado (Exército/Reprodução)

Sobre o decreto de Garantia da Lei e da Ordem no Ceará, que expira amanhã (28), Bolsonaro afirmou que cabe ao governador do estado resolver o impasse com a Polícia Militar cearense, e ressaltou que o uso da medida deve ser apenas emergencial. Ele aproveitou para pedir apoio de governadores e do Congresso na aprovação do projeto de lei que flexibiliza o conceito de excludente de ilicitude para agentes de segurança durante operações desse tipo. “O que eu pretendo do Parlamento brasileiro, para eu poder ter tranquilidade para assinar GLO, porque nesse momento eu não tenho tranquilidade, nós queremos atender os governadores, mas os governadores tem que ter ciência de que precisam nos apoiar para que o parlamento vote o excludente de ilicitude.”

Na segunda-feira (24), uma comitiva integrada pelos ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro,  da Defesa, Fernando Azevedo, e da Advocacia-Geral da União, André Mendonça, visitou o estado e se reuniu com diversas autoridades locais. Além dos militares, policiais rodoviários federais e a Força Nacional também atuam na segurança ostensiva no estado, a pedido do governo cearense.

As medidas foram adotadas após a paralisação de policiais militares, que estão amotinados em quartéis e batalhões reivindicando melhores condições de trabalho e reajuste salarial. O motim começou no dia 18 e, desde então, ao menos 170 pessoas foram assassinadas no Ceará, entre homicídios dolosos (quando há intenção de matar), feminicídios e latrocínios (furto seguido de morte).

Legalmente, policiais militares são proibidos de fazer greve, motivo pelo qual os protestos da categoria são classificados como motim. No dia 21, o governo cearense instaurou inquéritos e afastou por 120 dias 167 policiais militares que participam da paralisação. Os agentes devem entregar identificações funcionais, distintivos, armas, algemas, além de quaisquer outros itens que os caracterizem nas suas unidades e ficarão fora da folha de pagamento a partir deste mês de fevereiro.

Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil 

Dois apostadores vão dividir prêmio da Mega-sena

Mega-Sena: brasileiros contam com a sorte para ganhar R$ 170 milhões


Duas apostas acertaram as seis dezenas do Concurso 2.237 da Mega-Sena e vão dividir um prêmio de R$ 200 milhões. É a primeira vez que a Mega tem um vencedor em 2020. Um dos acertadores fez a aposta em Rio Branco (AC) e o outro em Fortaleza (CE).

Os números sorteados foram 11, 20, 27, 28, 53 e 60. A quina teve 263 apostas ganhadoras e cada uma vai receber R$ 44.509,85. A quadra 15.054 teve ganhadores, sendo que cada aposta receberá R$ 1.110,86.

O próximo concurso será sorteado no sábado (29), com um prêmio estimado de R$ 3 milhões.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa, em todo o país. A cartela, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

Comissão vai intermediar fim do motim de PMs no Ceará

Militares fazem patrulhamento em ruas da capital do Estado (Exército/Reprodução)


Uma comissão para buscar uma solução que ponha fim à paralisação de parte dos policiais militares do Ceará foi definida nesta quarta-feira (26). Os nomes foram definidos após uma reunião na sede do Ministério Público do Estado (MPCE), que sugeriu a criação do grupo. Além do procurador-geral do estado, Juvêncio Viana, farão parte da comissão, o deputado estadual Evandro Leitão (PDT), o corregedor-geral, desembargador Teodoro Silva Santos e o procurador-geral de Justiça, Manuel Pinheiro.

Conversa

Pelo twitter, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, deputado José Sarto (PDT-CE), afirmou que “a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) buscará interlocutores com o movimento”. A avaliação das autoridades é de que há necessidade de abrir canal de conversa com os policiais, mas sem recuar de punições já determinadas pelo comando da Polícia Militar. 

A comissão também não deverá negociar os termos da proposta de reajuste que já havia apresentada pelo governo do estado e, segundo o governador Camilo Santana, havia sido negociada e aceita por dirigentes de associações de militares e parlamentares ligados à categoria. O soldo de um soldado, hoje de R$3,2 mil, passaria a ser R$ 4,5 mil até o final de 2022.

Assassinatos

Até a meia-noite às 23h59 de segunda-feira (24), ao menos 170 pessoas foram assassinadas no Ceará desde o início do motim, no último dia 19. Os registros abrangem homicídios dolosos (quando o assassino age com a intenção de matar), feminicídios e latrocínios (furto seguido de morte).

Procurada pela Agência Brasil, a assessoria da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará disse que, por uma questão de “estratégia de segurança”, não divulgará mais balanços de mortes durante o motim que hoje completa nove dias.

Greve da PM: Forças Armadas patrulham capital do Ceará

Forças Armadas foram enviadas pelo Presidente Jair Bolsonaro para policiamento das ruas (Aline Freires/Governo do Ceará)

Os militares das Forças Armadas já atuam no policiamento nas ruas e avenidas de Fortaleza. A presença de tropas federais foi uma solicitação do governador Camilo Santana ao governo federal, que decretou a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Ceará.

“Acabo de receber telefonema do ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos, informando que o presidente acaba de atender a nossa solicitação autorizando o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Estado do Ceará”, publicou em suas redes sociais o governador.

Segundo Camilo Santana, a solicitação foi feita por meio do ofício nº 58/2020. “Já havia sido autorizada também a presença da Força Nacional, aqui no estado, para atuar em conjunto com nossas forças de segurança. Todo o esforço será feito para garantir a proteção dos nossos irmãos e irmãs cearenses. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pelo apoio do governo federal neste momento”.

A GLO foi estabelecida em cumprimento ao Decreto nº 10.251, de 20 de fevereiro de 2020, envolvendo o emprego de efetivos das Forças Armadas e dos órgãos de segurança pública federais, estaduais e municipais, segundo nota do Ministério da Defesa.

“A operação tem por finalidade a preservação da ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio, contribuindo para o restabelecimento das condições de normalidade no Estado do Ceará, com foco no município de Fortaleza. Por meio de atividades de patrulhamento ostensivo, com revista de veículos e pessoas, e utilização das medidas necessárias para o êxito da operação”, informou o ministério.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará disse, por meio de nota, que tem priorizado as ações na proteção da população cearense para “restabelecer a ordem pública evitando atos de vandalismo e outras condutas de insubordinação por parte de militares no Ceará”. Até o momento, quatro policiais militares estão presos e vão responder por atos criminosos.

Inquéritos

A Polícia Civil informou que até essa quinta-feira (20), pelo menos 300 Inquéritos Policial Militar (IPM) haviam sindo instaurados na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário para investigar atos de indisciplina e vandalismo. “Todos os investigados sofrerão as punições previstas em lei e serão excluídos da folha de pagamento deste mês pela Secretaria de Planejamento e Gestão. Os militares que abandonarem o serviço sofrerão as mesmas sanções”.

Carnaval

Algumas cidades do ceará, entre elas, Milagres, Forquilha, Canindé e Paracuru, as prefeituras anunciaram a suspensão dos eventos carnavalescos. Os prefeitos alegam a falta de segurança por causa da paralisação dos policiais militares.