BRT ABC ligará três cidades ao Metrô e à CPTM

BRT ABC será conectado ao Metrô e a CPTM (Divulgação)

O Governo do Estado de São Paulo apresentou, ontem (7), o projeto do BRT ABC, um sistema de transporte rápido que conectará com ônibus, via corredor exclusivo, os municípios de São Paulo, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Serão investidos, exclusivamente pela iniciativa privada, um total de R$ 859 milhões no novo modal de transporte metropolitano que terá capacidade para transportar 115 mil pessoas por dia e permitirá avanços importantes em mobilidade urbana na região, segundo o Estado.

“Uma iniciativa que exigiu estudos, planejamento, análises, para permitir que com essa alternativa, com esse modal, oferecêssemos o menor tempo possível ao menor investimento viável e, principalmente, em um tempo reduzido de implantação”, destacou João Doria, governador do Estado.

O projeto do BRT ABC prevê 18 quilômetros de via expressa, com 20 paradas, três terminais e uma frota de 82 ônibus elétricos, com ar-condicionado, silenciosos e não poluentes, articulado, com 23 metros. O sistema de integração dos municípios da região do ABC com a capital fará o trajeto de ponta a ponta, do terminal São Bernardo ao Terminal Sacomã, na capital, em 40 minutos na modalidade expressa. Além do bilhete expresso que dará a opção do passageiro fazer menos paradas, haverá duas outras opções, tradicional e semiexpressa.

Lançamento BRT ABC
João Doria, governador de São Paulo, durante anúncio do BRT ABC (Divulgação)

A obra será iniciada após a conclusão do projeto executivo em andamento, com previsão de entrega e operação total em 2023. A empresa Metra será a responsável pela implantação e gerenciamento e terá direito a 25 anos de exploração da concessão. O sistema se conectará a CPTM, Metrô, Expresso Tiradentes, linhas da SPtrans e ao Corredor ABD. Na Estação Tamanduateí o passageiro terá a opção de acessar a Linha 2-Verde do Metro ou a Linha 10-Turquesa da CPTM, de lá o passageiro tem a opção de seguir até a estação Sacomã, integrando também ao Expresso Tiradentes.

Além de ser uma nova opção aos trabalhadores do ABC que se deslocam até a capital, o novo modal de transporte atenderá especialmente aos estudantes do Grande ABC. O BRT ABC passará pelo Instituto Mauá, Fundação Santo André, Fundação ABC entre outras universidades.

“O BRT ABC vai levar os passageiros de modo eficiente e absolutamente coerente com a demanda da região, de acordo com os estudos de origem-destino realizados. Todos o investimentos da implementação serão feitos pela iniciativa privado, fiscalizados pelo estado”, comentou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy. “Esperamos que em 2022 tenhamos o BRT ABC operacional para a população”, pontuou Baldy.

Deslocamento rápido e seguro

O BRT ABC vai oferecer aos passageiros deslocamento rápido e seguro. Os ônibus irão se deslocar em faixas exclusivas, sem qualquer interferência de outros veículos ou do trânsito nas vias. Semáforos inteligentes serão capazes de identificar os ônibus do BRT ABC, priorizarão a abertura, fazendo com que não fiquem esperando parado no farol.

O conforto e a acessibilidade estão presentes em todo projeto. O piso será em nível da plataforma, facilitando o embarque e desembarque de passageiros; especialmente crianças, idosos e pessoas com deficiência. O pagamento da passagem será nas estações para evitar filas e diminuir o tempo de paradas.

*Com Gov. do Estado de SP

Novo terminal metropolitano de Osasco começa a operar

O Terminal Amador Aguiar – Vila Yara começou a operar esta semana, após obras de ampliação e de ter sido totalmente reformado pela EMTU, empresa vinculada à Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos. O prédio, de propriedade do município de Osasco, recebeu investimento de R$ 31,5 milhões do Governo do Estado, que possibilitou a expansão da área construída de 9 mil m² para 17 mil m².

A localização do Terminal é estratégica para a mobilidade da região oeste da Grande São Paulo na ligação com a capital. Está situado numa das extremidades do Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo, empreendimento que, quando finalizado, terá 23,6 km de extensão, sendo 5 km no trecho já construído entre Itapevi e Jandira, 11 km no trecho Jandira até o Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 (terminal Carapicuíba incluído), e 7,6 km do Terminal Luiz Bortolosso – Km 21 até o Terminal Vila Yara.

O vice-governador destacou o ganho de conforto para as pessoas que utilizam o transporte da região. “O Terminal da Vila Yara é uma importante obra de mobilidade urbana, que a exemplo de outras que estamos realizando na região metropolitana, proporciona qualidade de vida às pessoas com mais conforto, segurança e tempo para ficar com suas famílias”, afirmou o Vice -governador Rodrigo Garcia.

Nova configuração

Com a ampliação, o Terminal Vila Yara passa a contar com cinco plataformas cobertas para atender a 53 linhas de ônibus em operação. Desses, 27 serviços metropolitanos são gerenciados pela EMTU/SP, atendendo aos municípios de São Paulo, Osasco, Carapicuíba, Barueri, Jandira, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba. Também passarão pelas plataformas 21 linhas municipais de Osasco e cinco municipais de São Paulo. No total, 388 ônibus devem utilizar diariamente as plataformas. Cerca de 411 mil pessoas deverão circular todos os meses pelo local.

Após a reforma, local ganhou nova configuração, além de dois banheiros totalmente acessíveis e um bicicletário com capacidade para 32 bikes. No pavimento térreo estão localizadas as plataformas de embarque para passageiros, bilheterias, sanitários e edificações anexas ao conjunto: guaritas de controle de acesso de veículos, gerador de energia e local fechado para armazenamento de lixo.

O pavimento superior possui um centro comercial todo reformado, com lanchonetes, lojas, quiosques, sanitários públicos e espaços reservados à alimentação. Foram construídas salas de apoio para administração, para as empresas operadoras, sala de reuniões, refeitório, vestiários e sanitários para funcionários. A área externa ganhou uma nova área de convivência com espaços ajardinados, bicicletário, playground e equipamentos de ginástica ao ar livre.

Linhas intermunicipais que operam no terminal Vila Yara

20 – CARAPICUIBA (VILA DIRCE)/OSASCO (VILA YARA)

22 – CARAPICUIBA (VILA DIRCE)/OSASCO (VILA YARA)

23 – CARAPICUIBA (COHAB V)/OSASCO (VILA YARA)

82 – PIRAPORA DO BOM JESUS (JARDIM BOM JESUS)/OSASCO (VILA YARA)

082DV1 – PIRAPORA DO BOM JESUS (JARDIM BOM JESUS)/OSASCO (VILA YARA)

082BI1 – PIRAPORA DO BOM JESUS (IGAVETA)/OSASCO (VILA YARA)

122 – BARUERI (PETROBRÁS)/OSASCO (VILA YARA)

130 – JANDIRA (JARDIM NOSSA SENHORA DE FÁTIMA)/OSASCO (VILA YARA)

133 – ITAPEVI (COHAB)/OSASCO (VILA YARA)

133BI1 – ITAPEVI (VILA JOIA)/OSASCO (VILA YARA)

223 – CARAPICUIBA (COHAB V)/OSASCO (VILA YARA)

230 – BARUERI /(ALPHAVILLE)/OSASCO (VILA YARA)

246 – SANTANA DE PARNAIBA (JARDIM SÃO LUIS)/OSASCO (VILA YARA)

246BI1 – SANTANA DE PARNAIBA (RUFÚGIO DOS BANDEIRANTES)/OSASCO (VILA YARA)

263 – CARAPICUIBA (JARDIM NOVO HORIZONTE)/OSASCO (VILA YARA)

283 – CARAPICUIBA (CIDADE ARISTON)/OSASCO (VILA YARA)

303 – BARUERI (PARQUE IMPERIAL)/OSASCO (VILA YARA)

345 – BARUERI (VALE DO SOL)/OSASCO (VILA YARA)

350 – ITAPEVI (COHAB)/OSASCO (VILA YARA)

350BI1 – ITAPEVI (VILA JOIA)/OSASCO (VILA YARA)

420 – OSASCO (VILA YARA)/COTIA (TERMINAL METROPOLITANO)

420VP1 – OSASCO (VILA YARA)/COTIA (TERMINAL METROPOLITANO)

428 – BARUERI (JARDIM DO LIBANO)/OSASCO (VILA YARA)

517 – ITAPEVI (COHAB)/OSASCO (VILA YARA)

557 – JANDIRA (JARDIM NOSSA SENHORA DE FÁTIMA)/OSASCO (VILA YARA)

840 – OSASCO (TERMINAL Km 21- Luiz Bortolosso)/SÃO PAULO (METRÔ BUTANTÃ)

850 – OSASCO (TERMINAL Km 21- Luiz Bortolosso)/SÃO PAULO (LAPA)

*com Gov. do Estado de SP

Estado anuncia bolsa auxílio para 100 mil paulistas

João Doria, governador de São Paulo (Gov. do Estado de SP/Reprodução)

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (22) duas iniciativas que irão beneficiar 100 mil cidadãos paulistas até o final do ano. O programa Bolsa-Trabalho, que tem o objetivo de oferecer bolsa-auxílio e qualificação profissional online para a população desempregada, principalmente durante a pandemia, e o Via Rápida, que a partir do mês de março contará com bolsa para os estudantes matriculados nos cursos. As iniciativas são realizadas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

“São 100 mil vagas de emprego e de oportunidade de trabalho. Trinta mil vagas serão abertas já a partir da próxima semana, a partir de 1º de março, e outras 70 mil a partir de 1º de maio”, afirmou Doria.

Bolsa-Trabalho

O Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego (PEAD), também conhecido como Frente de Trabalho, passou por uma nova reformulação cuja proposta de lei será enviada à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

O projeto deverá beneficiar 70 mil bolsistas até o final do ano, em parceria com as prefeituras. As principais mudanças na proposta são: o aumento do auxílio, a possibilidade de órgãos públicos (como prefeituras) ampliarem as bolsas, qualificação profissional online e inclusão de novos serviços de trabalho.

Com o novo programa, a expectativa é que os beneficiários recebam bolsa-auxílio de R$ 450 por até cinco meses. Dentre as atividades laborais da iniciativa, novos serviços poderão ser incluídos, como a contratação de mães e pais para atuar nas escolas, apoiando na retomada das aulas.

Os bolsistas também irão realizar curso de qualificação profissional online do Via Rápida Virtual. As aulas serão ministradas pelo Centro Paula Souza e Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). Os cursos serão autoinstrucionais nas áreas de atendimento, vendas e gestão e terão duração de pelo menos 60 horas. As prefeituras poderão oferecer laboratório de computador e tutor para apoiar os beneficiários.

Via Rápida – Bolsa-Auxílio

A partir da primeira semana de março, os estudantes que se inscreverem nos cursos de qualificação do programa Via Rápida receberão uma bolsa única de R$ 210 como ajuda de custo no transporte e alimentação, que será disponibilizada após 10 dias de aula. O pagamento será feito por meio de código bancário, que o aluno usará para sacar em caixa eletrônico. O recurso valerá também para os cursos de 60 a 160 horas do SP Tech e SP Criativo. Até o final de 2021, serão ofertadas 30 mil vagas de qualificação profissional com bolsa-auxílio.

Os cursos ocorrerão tanto de maneira presencial quanto remota, com 10 opções de áreas profissionais de escolha dos alunos. As aulas presenciais deverão ocorrer em 29 unidades móveis ou espaços oferecidos pelo Centro Paula Souza, Senac e municípios. Já as remotas serão com aulas ao vivo pela plataforma Microsoft Teams ou Google Meet.

Para receber a bolsa-auxílio, o estudante deverá ser maior de 16 anos, estar desempregado e domiciliar no Estado de São Paulo. Além disso, é necessário estar frequente no curso e não pode ser beneficiário de seguro-desemprego.

As informações sobre o auxílio do programa Via Rápida poderão ser consultadas no site www.cursosviarapida.sp.gov.br. Inscrições começam nesse mesmo site na primeira semana de março.

Por Gov. do Estado de SP

Butantan entrega mais 1,1 milhão de vacinas

Novo desenho do Plano São Paulo atualizado em 05/02/2021 (Reprodução)

O Instituto Butantan entrega hoje (5) mais 1,1 milhão de doses da Coronavac para o Ministério da Saúde. Desse lote disponível a partir de hoje, 248 mil ficarão no Estado de São Paulo.

“Aumentamos ainda mais a participação da vacina do Butantan no Programa Nacional de Imunizações. Ainda sem este lote, nove a cada dez vacinas contra a COVID-19 que são aplicadas no Brasil são vacinas de São Paulo, do Instituto Butantan, para ajudar a salvar milhões de brasileiros”, disse João Doria, governador de São Paulo.

Até 31 de janeiro, conforme cronograma estabelecido com o contrato com o Ministério da Saúde, foram entregues 8,7 milhões de vacinas do Butantan para imunização dos brasileiros, das quais 6 milhões foram enviadas em 17 de janeiro, 900 mil no dia 22 e 1,8 milhão em 29 do mesmo mês. Com a nova remessa desta sexta-feira, o total de doses liberadas soma 9,8 milhões.

O lote entregue hoje contempla doses que foram processadas no Instituto Butatan a partir de matéria-prima encaminhada em dezembro pela Sinovac, na China. Este IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) foi envasado, rotulado, embalado e passou por criteriosas inspeções de qualidade antes de ser disponibilizado para a população.

Na quarta-feira (3) chegaram ao país mais 5,4 mil litros de insumos para envase no Butantan, correspondentes a 8,6 milhões de novas doses a serem produzidas.

Na próxima semana o Instituto receberá mais 5,6 mil litros de IFA que corresponderão à produção de mais 8,7 milhões de doses. Essas novas remessas que serão envasadas passam a ser entregues ao Ministério da Saúde a partir do dia 23 de fevereiro.

Plano São Paulo

O governador anunciou também que nove regiões do Estado melhoraram de fase no Plano São Paulo, incluindo a Capital Paulista, que passa a integrar a fase amarela. Nas últimas três semanas, segundo Doria, houve redução no número de internações.

Estado vai contratar 10 mil professores para volta às aulas

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) vai contratar até 10 mil professores temporários para o retorno das aulas presencias no dia 1º de fevereiro. O objetivo é que os profissionais ministrem aulas presencialmente durante todo o ano letivo.

“Em uma rede tão grande quanto a nossa, contratar professores é essencial para garantir que tenhamos condições adequadas para o retorno seguro das aulas em todo estado”, afirmou o secretário de educação Rossieli Soares. 

 O edital foi publicado na edição da última terça-feira (5) do Diário Oficial. As inscrições devem ser feitas no Banco de Talentos, uma plataforma criada pela Seduc para gerenciar os processos seletivos, a partir das 17h desta quarta-feira (6) até as 23h59 do dia 20 de janeiro. 

Durante a inscrição, os candidatos devem indicar as disciplinas que pretendem ministrar e a Diretoria de Ensino que deseja fazer parte. O processo seletivo é classificatório, por pontuação obtida conforme títulos e experiência e os selecionados serão divulgados pelo Banco de Talentos e na SED. 

Ciclo contínuo até 2021 

Os anos letivos de 2020 e 2021 serão considerados como um único ciclo contínuo. Por isso, a avaliação da aprendizagem será feita ao longo de oito bimestres (quatro de 2020 e quatro de 2021).

Os alunos que entregaram as atividades propostas podem ter sido aprovados, mas terão o aprendizado avaliado ao final de 2021.

Por Gov. do Estado de SP

Para conter pandemia, Estado fecha serviços não essenciais

O Governo de São Paulo confirmou novas restrições à atividade econômica não essencial para frear o avanço da pandemia nas próximas semanas. Todas as regiões do estado estão em alerta devido à evolução de casos, internações e mortes em decorrência da COVID-19.

Com caráter imediato e temporário, haverá retorno à fase vermelha do Plano São Paulo entre os dias 25 e 27 de dezembro e 1 e 3 de janeiro em todo o estado.

As normas mais rígidas foram confirmadas nesta terça (22), após reuniões entre autoridades do Governo do Estado e médicos do Centro de Contingência do coronavírus. Além do regresso momentâneo à etapa mais restritiva de controle da pandemia, nenhuma região deverá retornar à fase verde – a penúltima na escala de abrandamento – durante o mês de janeiro.

“Precisamos do apoio dos municípios. Apoio dos Prefeitos, Secretários de Saúde, assim como da própria população, até as vacinas chegarem. Está bem perto. Vamos imunizar e proteger os brasileiros”, declarou o Secretário de Estado de Saúde, Jean Gorinchteyn. “O uso de máscaras, além do distanciamento entre as pessoas e evitar aglomerações é imperioso”, acrescentou.

Entre 25 e 27 de dezembro e 1 e 3 de janeiro, somente atividades essenciais poderão funcionar. Nestes seis dias específicos, o atendimento presencial está proibido em shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares, restaurantes, academias, salões de beleza e estabelecimentos de eventos culturais. Farmácias, mercados, padarias, postos de combustíveis, lavanderias e serviços de hotelaria estão liberados.

Nos demais dias, todo o estado continua na fase amarela, a terceira das cinco estipuladas pelo Plano SP. A exceção é a região de Presidente Prudente, com 45 municípios que retornam de forma extraordinária para a fase vermelha a partir do dia 25 e permanecem até a próxima reclassificação em janeiro. A taxa de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para COVID-19 na região de Prudente está em 83,1%.

Já a reclassificação do faseamento foi remarcada do dia 4 para 7 de janeiro. Como novos Prefeitos assumem os cargos no primeiro dia de 2021, o Governo do Estado fará reuniões a partir do dia 4 para apresentação do Plano SP. A iniciativa visa garantir que as medidas restritivas sejam cumpridas em parceria com os municípios. As autoridades estaduais lembram que todas as prefeituras têm autonomia para ampliar o rol de restrições previstas no Plano SP.

Casos, mortes e internações

De acordo com dados da Secretaria da Saúde, a taxa estadual de ocupação de UTIs atualmente é de 61,9%, com aumento para 67% na Grande São Paulo. São 4.775 internados na rede estadual em leitos de UTI e outros 6.215 em enfermarias – os dados se referem tanto a casos suspeitos como pacientes confirmados com coronavírus.

São Paulo já registrou 1,39 milhão de contaminados desde o início da pandemia, com 45.395 mortes até agora. No Brasil, os casos confirmados ultrapassam 7,26 milhões, com pouco mais de 187 mil mortes em decorrência da COVID-19.

A apresentação detalhada sobre as medidas anunciadas nesta terça pelo Governo de São Paulo para o enfrentamento à pandemia está disponível na página https://issuu.com/governosp/docs/20201222_coletiva_v3.

*Com informações do Gov. do Estado de São Paulo

Estado vai permitir aulas presenciais no ano que vem

(André Bueno/Câmara Municipal de SP)

O Governo de São Paulo mudou as regras de retorno às aulas presenciais da rede básica de ensino para o ano de 2021, o que compreende alunos da educação infantil até o ensino médio. A mudança foi divulgada hoje (17), em coletiva à imprensa, e será publicada amanhã (18) em Diário Oficial. A mudança irá valer para escolas públicas (estaduais e municipais) e privadas. No ano que vem, as aulas nas escolas estaduais terão início no dia 1º de fevereiro.

Com isso, as aulas presenciais poderão ser retomadas em todo o estado mesmo que a região esteja na Fase 1 – Vermelha do Plano São Paulo, plano do governo paulista de retomada gradual da economia durante a pandemia do novo coronavírus. A mudança, no entanto, não vale para o Ensino Superior. Neste caso, as aulas só voltarão quando a região estiver na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo.

Antes, o retorno presencial das aulas só ocorreria quando as regiões do estado estivessem a partir da Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo. Mesmo assim, essa volta teria que ser feita de forma gradual. Os protocolos previam, por exemplo, que as escolas poderiam receber apenas 35% dos alunos em atividades presenciais, e mantendo distanciamento mínimo de 1,5 m.

Coletiva de Imprensa com Área do Governo e Área da Saúde
Coletiva de imprensa sobre Covid-19 no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo
(Gov. do Estado de SP)

Com a mudança que será publicada em Diário Oficial, as escolas de Educação Básica poderão retomar atividades presenciais no ano que vem a partir da Fase Vermelha, mas somente podendo atender até 35% de sua capacidade. Quando a região entrar na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo, a Educação Básica poderá atender até 70% da capacidade e o Ensino Superior poderá ser retomado com até 35% dos alunos em aula presencial. Quando chegar à Fase 4 – Verde, a Educação Básica poderá receber a totalidade dos alunos e as universidades e faculdades poderão receber até 70% dos alunos.

O retorno às aulas foi planejado com base no Plano São Paulo, que é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). Atualmente, todas as regiões de São Paulo se encontram na Fase Amarela.

Segundo o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, das 2,8 mil escolas estaduais que estão abertas desde setembro em São Paulo, não foram registrados casos de transmissão de covid-19 [a doença provocada pelo novo coronavírus] em ambiente escolar.

Histórico

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as aulas presenciais estavam suspensas em todo o estado paulista desde março. Desde então, as aulas das escolas estaduais aconteciam de forma remota e online, transmitidas por meio do aplicativo Centro de Mídias SP (CMSP), plataforma criada pela secretaria de Educação durante a pandemia do novo coronavírus. Ela também é veiculada por meio dos canais digitais na TV 2.2 – TV Univesp e 2.3 – TV Educação.

Desde o dia 8 de setembro, algumas escolas do estado já deram início a aulas de reforço ou acolhimento, depois de autorização dos prefeitos. Essas aulas só puderam ser retomadas com atividades de reforço e de recuperação. E em outubro foi autorizada a volta das aulas presenciais para estudantes do Ensino Médio, dos Centros de Educação de Jovens e Adultos e da Educação de Jovens e Adultos. Para o ensino fundamental, a volta as aulas gradual foi autorizada a partir do início de novembro.

Governo de SP muda regra e vai manter volta a aula presencial em 2021 mesmo se houver piora da pandemia
Governo de SP muda regra e vai manter volta às aulas presenciais em 2021
(Governo do Estado de São Paulo)

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Estado lança programa para aumentar cobertura vegetal nativa

Área devastada pelo fogo em São José do Rio Preto (SBT Interior/Reprodução)

Para aumentar a cobertura vegetal nativa do estado de São Paulo, o governo paulista lançou nesta quarta-feira (16) o programa Agro Legal. O programa pretende, no prazo de 20 anos, dobrar a meta de vegetação nativa recuperada no estado, que antes estabelecia a recuperação de 200 mil hectares de mata nativa por década.

Com o programa, a meta atual do governo de São Paulo é restaurar, em 20 anos, cerca de 800 mil hectares entre áreas de preservação permanente (APPs) e de reserva legal, o equivalente à área do Distrito Federal. Segundo o governo, o objetivo é acrescentar 3% na área de cobertura vegetal nativa no estado, que atualmente está em 23%.  

O decreto que institui o programa Agro Legal será publicado no Diário Oficial de amanhã (17). O texto, segundo o governo paulista, complementa a legislação estadual que regula a adequação das propriedades rurais ao Código Florestal e a recomposição de áreas degradadas em São Paulo.

O programa Agro Legal é voluntário. Ficam isentos da regularização os pequenos produtores.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

São Paulo superou pior momento da pandemia, diz Doria

O governador de São Paulo, João Doria, disse hoje (28) que o estado já superou o pior momento da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Desde o primeiro caso confirmado no país, registrado no dia 26 de fevereiro, a pandemia já completou seis meses e o estado se confirmava como o epicentro do número de casos e de óbitos do país.

Segundo Doria, nas últimas duas semanas, São Paulo apresentou queda de 20% no registro de óbitos. “Os números desta semana indicam uma nova redução na média de casos e óbitos. Na média móvel de 14 dias, temos uma redução de mais de 20% no registro de óbitos. E a perspectiva, no atual cenário epidemiológico, é de que estamos, de fato, iniciando a descida do platô [pico alto contínuo]. É bem provável que o quadro mais crítico dessa pandemia nós tenhamos superado com convicção”, disse.

O estado vem apresentando queda no número de óbitos nas últimas três semanas. Os números desta semana, que corresponde à 35ª Semana Epidemiológica, ainda não estão finalizados (a semana se encerra no sábado), mas já apontam uma redução de 4% nos óbitos. 

Na 34ª Semana Epidemiológica foram computadas 1.612 novas mortes, uma média de 230 óbitos a cada dia, queda de 9% em relação à semana anterior, com 152 mortes a menos.

Apesar da queda de óbitos no estado, a média móvel se mantém acima de 200 mortes por dia desde a 22ª Semana Epidemiológica (entre os dias 24 e 30 de maio). Apesar do melhor cenário da pandemia no estado, ainda é importante manter as medidas de distanciamento social e de higiene, ficando em casa sempre que possível.  

Queda de casos e de internações

Além da queda no número de óbitos, o estado vem apresentando também queda no número de novas internações e de novos casos. Na 35ª Semana Epidemiológica o estado vem apresentando queda de 10% nas internações e de 5% nos casos.

Na semana passada (34ª Semana Epidemiológica), a média móvel de novas internações foi de 1.550 por dia, semelhante a números obtidos em maio, na 21ª Semana Epidemiológica (entre os dias 17 e 23 de maio). Na semana anterior, na 33ª Semana, a média por dia era de 1.658 novas internações.

Quanto aos casos, foram computados 51.714 casos na 34ª Semana Epidemiológica, o que dá uma média móvel de 7.387 casos por dia, redução de 31% em relação à semana anterior.

Plano São Paulo

O governo paulista não fez modificações nas regiões do Plano São Paulo esta semana, mantendo as mudanças feitas na sexta-feira (21). Com isso, nenhuma região do estado está na fase 1 – vermelha, de manutenção da quarentena.

A capital paulista, que está na fase amarela desde o dia 26 de junho, deve entrar na fase 4 – verde, somente a partir do final do mês de setembro, disse hoje (28) o prefeito Bruno Covas. Segundo ele, a mudança de fase deve ocorrer, pelas expectativas, entre os dias 20 de setembro e 10 de outubro.

O governo anunciou apenas uma mudança em relação ao Plano São Paulo, a liberação de uso dos vestiários por academias de ginástica. No entanto, as academias continuam só podendo reabrir suas atividades se estiverem localizadas em regiões que estejam na fase 3- amarela do Plano São Paulo. Mas podem funcionar apenas parcialmente, com ocupação máxima de 30% de sua capacidade. O uso da máscara é obrigatório e a entrada de clientes só pode acontecer com agendamento prévio.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Estado vai publicar cronograma de volta às aulas

O governo de São Paulo vai publicar ainda nesta semana, em Diário Oficial, o decreto com o cronograma de volta às aulas presenciais em todo o estado. Segundo o governo, o decreto não trará mudanças ao que já foi anunciado anteriormente, ou seja, as aulas presenciais poderão ser retomadas a partir do dia 7 de outubro.

(André Bueno/Câmara Municipal de SP)

No entanto, essa data só será mantida se todo o estado paulista estiver na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo: 80% das regiões precisarão estar há 28 dias nessa fase e, o restante, há pelo menos 14 semanas nessa etapa.

Com a publicação do decreto, cada um dos 645 municípios do estado terá autonomia para decidir se vai ou não acompanhar o cronograma previsto pelo governo estadual. Se um prefeito, por exemplo, decidir não adotar o cronograma estadual, a medida poderá valer para todas as escolas daquela cidade, sejam elas municipais, estaduais ou privadas. No entanto, nenhum município do estado poderá reabrir escolas antes do prazo previsto pelo governo paulista.

O decreto também trará a previsão de que as unidades escolares reabram, de forma opcional, para atividades de reforço ou de acolhimento de alunos, a partir do dia 8 de setembro. No entanto, para que isso ocorra, essas escolas deverão estar localizadas em regiões que estiverem na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo há 28 dias.

Na capital paulista, que está há mais de 28 dias na Fase Amarela, já cumprindo os requisitos para a volta às aulas de reforço a partir do dia 8 de setembro, o prefeito Bruno Covas informou ontem (18) que não vai adotar o calendário do governo estadual e que ainda vai avaliar se será possível o retorno às aulas presenciais em outubro. 

Protocolos

Os protocolos para retomada preveem que as escolas recebam, no início do retorno às aulas, apenas 35% dos alunos em atividades presenciais, e mantendo distanciamento mínimo de 1,5 m.

O retorno às aulas foi planejado com base no Plano São Paulo de retomada econômica do estado. O Plano São Paulo é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul).

As aulas presenciais na rede estadual de São Paulo estão suspensas desde o dia 23 de março como medida de controle à propagação do novo coronavírus.

Atualmente, as aulas das escolas estaduais acontecem de forma remota e online, sendo transmitidas por meio do aplicativo Centro de Mídias SP (CMSP), plataforma criada pela secretaria de Educação durante a pandemia do novo coronavírus. Ela também é transmitida por meio dos canais digitais na TV 2.2 – TV Univesp e 2.3 – TV Educação.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil