Cai número de acidentes de trânsito com morte no Estado

Em todo o Estado de São Paulo, foram registradas 406 mortes no trânsito em janeiro de 2020, índice 5,6% menor na comparação com o mesmo período de 2019, quando foram registrados 430 mortes. Houve queda nas ocorrências fatais tanto em vias municipais (-8,2%) quanto em rodovias (-2,9%), segundo estatísticas do programa Respeito à Vida, divulgadas nessa quarta-feira (19).

As principais reduções ocorreram entre ocupantes de automóvel (-21,4%) e motociclistas (-5%). Pedestres tiveram índice praticamente estável e houve aumento entre ciclistas, passando de 24 ocorrências para 36 em janeiro deste ano (+24,1%).

Em 6 das 16 regiões administrativas foram registradas reduções nos índices em São José dos Campos (-64,9%), Araçatuba (-40%), Bauru (-35,3%), Marília (-25%), Metropolitana de São Paulo (-19,6%) e São José do Rio Preto (-4,3%).

As fatalidades aumentaram nas regiões de Registro (225%), Ribeirão Preto (114,3%), Barretos (83,3%), Itapeva (66,7%), Franca (42,9%), Sorocaba (34,4%), Central (33,3%), Presidente Prudente (16,7%), Baixada Santista (4,8%) e Campinas (1,4%).

A colisão entre veículos foi o principal tipo de acidente (36,5% dos casos). Em 55,7% das ocorrências, a vítima foi o próprio condutor. Homens correspondem a 79,1% das vítimas fatais, e houve concentração de acidentes no período noturno (49,5%) e nos finais de semana (38,9%).

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Homens são atropelados e morrem na zona sul

(Ministério da Saúde/Reprodução)

Um atropelamento terminou em morte na manhã de hoje (17), por volta de 8h30, na zona sul de São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, dois homens foram atingidos perto do cruzamento da rua Áurea Lejeune com a Avenida Ricardo Jafet, na região do Jabaquara.

Não há informações sobre como o acidente aconteceu. Os Bombeiros enviaram ao local três equipes de resgate, mas quando os policiais chegaram os dois homens já estavam mortos.

A Polícia Civil vai investigar o caso.

Dados

Os acidentes no trânsito deixaram mais de 1,6 milhão de brasileiros feridos nos últimos dez anos, e representaram um custo de cerca de R$ 2,9 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS). As informações estão em levantamento divulgado em maio deste ano pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), com base em dados do Ministério da Saúde. 

O estudo revela também que entre 2009 e 2018 houve um aumento de 33% na quantidade de internações por desastres nas ruas e estradas.

Entre as vítimas graves do tráfego no período de 2009 a 2018, os dados apontam que 60% dos casos são de pessoas entre 15 e 39 anos. Os maiores de 60 anos representam 8,4% do total e a faixa etária até os 14 anos representa 8,2%. Os principais acidentados são os homens (80%).

Dono de Porshe que matou doméstica já havia matado motoqueiro

(Polícia Civil/Reprodução)

O dono da Porshe que atropelou e matou uma doméstica na manhã de hoje (26), nos Jardins, já havia atropelado e matado um motoqueiro em 2014. Fábio Alonso de Carvalho, que fugiu do local do acidente, foi identificado pela Polícia Civil. As informações são do G1.

Audenilce Bernardina dos Santos, de 65 anos, foi atingida ao caminho do trabalho na faixa de pedestre, no cruzamento da Rua Augusta com a Alameda Franca. Testemunhas disseram que Fábio chegou a descer do carro, mas teria ido embora em seguida.

O carro foi encontrado na casa do suspeito. Em 2014, Fábio atropelou e matou Aroldo Pereira de Oliveira e o motorista do carro, que na época tinha uma Mustang, respondeu por homicídio culposo – sem intenção de matar, com o agravante de não ter prestado socorro à vítima, como voltou a fazer neste caso.

Fábio está foragido.