Preso, Dr. Jairinho é desligado de comissão na Câmara do Rio

Dr. Jairinho, suspeito de matar o menino Henry Borel (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O vereador Jairo Souza Santos Jr., o Dr. Jairinho, suspeito da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, foi desligado da Comissão de Justiça e Redação da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. A decisão, do presidente da Casa, Carlo Caiado, foi publicada na edição de hoje (19) do Diário Oficial da Câmara.

A justificativa usada por Caiado para desligar o parlamentar foi a expulsão de Dr. Jairinho dos quadros do Partido Solidariedade (SD). Jairinho foi expulso do SD depois de ter sido preso pela Polícia Civil, há duas semanas, suspeito de matar seu enteado, o menino Henry, no início de março.

Outra suspeita da morte, a mãe da criança, Monique Medeiros, namorada do parlamentar, também foi presa.

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil 

Vereador e namorada são presos em inquérito sobre morte do menino Henry

Dr. Jairinho, vereador no Rio de Janeiro, menino Henry e Monique Medeiros, mãe do garoto (CNN/Reprodução)

O vereador Dr. Jairinho (SD) foi preso na manhã de hoje (8) pela Polícia Civil. Ele é investigado por envolvimento na morte de seu enteado, o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, no dia 8 de março. A Polícia Civil também prendeu a mãe do menino e namorada do parlamentar, Monique Medeiros.

A criança morreu no apartamento onde Jairinho e Monique moravam, na Barra da Tijuca, depois de passar um fim de semana com o pai. Inicialmente, o caso foi tratado como um acidente, como se o menino tivesse caído da cama, mas perícias médicas constataram que a vítima havia sido vítima de agressões.

Depois que a polícia começou a investigar se Henry foi vítima de violência doméstica, o casal criou um site, onde se diz inocente. Afirma, ainda, que “a Justiça prevalecerá”.

Por Vitor Abdala, da Agência Brasil

Agnaldo Timóteo morre de Covid-19 aos 84 anos

Agnaldo estava internado desde o dia 17 de março na UTI do Hospital Casa São Bernardo(Divulgação)

O cantor Agnaldo Timóteo não resistiu às complicações decorrentes da Covid-19 e morreu neste sábado (3) no Rio. Ele tinha 84 anos.

Agnaldo estava internado desde o dia 17 de março na UTI do Hospital Casa São Bernardo, na Zona Oeste do Rio.

No último dia 27, Agnaldo precisou ser intubado para “ser tratado de forma mais segura” contra a doença.

Veja abaixo a nota divulgada pela família à imprensa

“É com imenso pesar que comunicamos o FALECIMENTO do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu as complicações decorrentes do COVID-19 e faleceu hoje às 10:45 horas. Temos a convicção que Timóteo deu o seu Melhor para vencer essa batalha e a venceu! Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações! A família agradece todo o apoio e profissionalismo da Rede Hospital Casa São Bernardo nessa batalha”, disse a família, em nota.

Paulo Gustavo é internado com Covid-19

O ator Paulo Gustavo foi internado no último sábado (13) em um hospital do Rio de Janeiro com um quadro de Covid-19. A assessoria do artista confirmou a informação.

De acordo com a equipe, Paulo Gustavo foi internado por orientação médica para fazer um melhor acompanhamento. O ator agradeceu as mensagens de apoio por sua recuperação.

Detalhes sobre o estado de saúde e o local da internação não foram divulgados.

Desembargadores são alvos de operação no Rio

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) cumprem hoje (2) onze mandados de prisão preventiva e 26 de busca e apreensão contra suspeitos de participação em uma organização criminosa que atua junto ao governo do estado do Rio de Janeiro. Entre os alvos da operação Mais Valia estão desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT/1ª Região).

Também são investigados o governador afastado do Rio, Wilson Witzel, e advogados ligados a ele.

A operação Mais Valia investiga o pagamento de vantagens indevidas a desembargadores para que integrantes do esquema criminoso fossem beneficiados.

Denúncia

Witzel foi afastado do cargo de governador em agosto do ano passado, por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo o MPF, o governador afastado foi denunciado três vezes ao STJ por suspeita de envolvimento em esquemas de corrupção, entre eles, o desvio de recursos destinados ao enfrentamento da pandemia de covid-19.

Ainda de acordo com o MPF, a primeira denúncia já foi recebida por unanimidade pelos ministros da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça. Witzel nega as acusações e diz que é vítima de perseguição política.

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil 

Rio vacinará pessoas com 79 anos na próxima semana

O município do Rio de Janeiro vacinará pessoas com 79 anos ou mais na próxima semana contra a covid-19. O anúncio foi feito na manhã de hoje (27) pelo prefeito Eduardo Paes, em seu perfil no Twitter. Segundo o calendário anunciado pelo prefeito, os postos de saúde aplicarão a vacina entre a segunda (1º) e a quarta-feira (3).

Na segunda-feira, os postos de saúde e clínicas da família funcionarão de meio-dia às 17h. Na terça e quarta, o horário será das 8h às 17h. As vacinas também poderão ser aplicadas no Planetário da Gávea, no Museu da República (no Catete), no Tijuca Tênis Clube e na Igreja Nossa Senhora do Rosário, no Leme.

Também poderão se vacinar, na terça e quarta-feira, os profissionais de saúde com mais de 60 anos que ainda não tenham se vacinado.

Vacinação hoje
A prefeitura do Rio começou a vacinar a população em geral no início de fevereiro, de forma escalonada, de acordo com a idade. Hoje, por exemplo, estão sendo vacinados os idosos com 80 anos e aqueles com mais de 80 anos que ainda não haviam sido vacinados.

O prefeito participou hoje de um evento no Parque Madureira que contou com a vacinação de Tia Surica, um ícone da escola de samba Portela. “Que bom que chegou o dia dela [Tia Surica]. Tomara que chegue o dia de todos nós, mas principalmente das pessoas mais velhas”, disse Paes.

*Com informações da Agência Brasil

Cantor Belo é preso após show não autorizado em escola

(Reprodução)

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, foi preso na tarde de hoje (17) como parte de um inquérito que investiga um show não autorizado realizado dentro de uma escola pública do Rio de Janeiro, no último fim de semana. O artista foi abordado enquanto participava de um programa de rádio, em Angra dos Reis, litoral do Estado. A ação foi realizada pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil.

Além de Belo, agentes cumpriram mandados de prisão preventiva contra outros envolvidos, incluindo, segundo o G1, o chefe do tráfico na região em que a festa ocorreu.

O evento aconteceu no último dia 13, na Escola Municipal do Parque União. Na operação de hoje, policiais também apreenderam equipamentos na sede da produtora Série Gold, responsável pela organização do evento. No último sábado, a assessoria de Belo disse que não cabe ao artista a locação do espaço.

Procurados novamente, a assessoria e o empresário de Belo afirmaram ao portal da TV Cultura não ter informações sobre o assunto.

*Com TV Cultura

Atriz Fernanda Montenegro é vacinada contra covid-19

(Reprodução)

A atriz Fernanda Montenegro, 91, tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 neste sábado (6) no Rio de Janeiro. Ela publicou um vídeo em suas redes sociais no posto de vacinação e fez um agradecimento aos profissionais da área da saúde por essa conquista. 

Na publicação, Montenegro escreveu: “Meu agradecimento à Fiocruz e seus pesquisadores incansáveis, ao SUS e seus colaboradores, aos postos de saúde da prefeitura do Rio de Janeiro. Obrigada a todos os envolvidos”.

Quem também usou as redes sociais para mostrar a atriz sendo vacinada foi o prefeito Eduardo Paes (DEM). Além de republicar o vídeo dela recebendo o imunizante, ele escreveu: “Tem preço ver a super Fernanda Montenegro ser vacinada? Vida longa para ela”.

Durante o mês de fevereiro, o foco da vacinação no Rio de Janeiro será o público idoso. Na primeira semana, receberão as doses pessoas acima dos 95 anos. Na segunda semana, pessoas acima dos 90 anos. Na terceira, quem tiver mais de 85 anos. E na última, idosos com mais de 80 anos. Para cada dia da semana, haverá uma idade específica.

Caso a pessoa não consiga se vacinar no dia da idade dela, ela poderá ir a um dos postos receber o imunizante aos sábados. 

Os idosos poderão se vacinas em clínicas da família, centros municipais de saúde e pontos de vacinação drive-thru.

https://www.instagram.com/p/CK8sNsKB8RT/?utm_source=ig_web_copy_link

Por TV Cultura

Crivella vira réu por corrupção e lavagem de dinheiro

Marcelo Crivella, ex-prefeito do Rio de Janeiro (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A 1ª Vara Criminal Especializada do Rio de Janeiro aceitou ontem (3) denúncia contra o ex-prefeito carioca Marcelo Crivella e outros 25 acusados pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção. Crivella foi preso em dezembro de 2020 e afastado do cargo dias antes de encerrar seu mandato.

Ele é acusado de participar de um esquema de recebimento de propina para beneficiar empresários. A Justiça considerou o conteúdo de colaborações premiadas, trocas de mensagens entre os acusados, planilhas, cheques e fotografias.

De acordo com as investigações, o esquema contava com operadores que agilizavam pagamentos para empresas específicas e interferiam nos processos de licitação, de forma a beneficiar aqueles empresários que assentiam em pagar propina aos acusados.

O caso inicialmente foi analisado pelo Primeiro Grupo das Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio, mas com a perda do foro privilegiado de Crivella, devido ao fim de seu mandato, o processo foi remetido à 1ª Vara Criminal Especializada do Rio.

Agência Brasil entrou em contato com a defesa de Crivella e aguarda uma resposta. No dia em que foi preso, em 22 de dezembro, o ex-prefeito disse estar sendo vítima de perseguição política e afirmou que combateu a corrupção na prefeitura.

Sobe para dez número de mortos pela polícia em operação no Rio

Fuzil apreendido durante operação (Polícia Militar do RJ/via Agência Brasil)

Ação da Polícia Militar do Rio de Janeiro em oito comunidades da zona norte da capital resultou na morte de 10 pessoas nesta quarta-feira (3). Segundo a Polícia Militar (PM), os mortos eram suspeitos de entrar em confronto com os policiais.

Na operação também foram apreendidos cinco fuzis, quatro pistolas e uma submetralhadora, além de rádios de comunicação e material entorpecente. Os policiais do Comando de Operações Especiais, como o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e a tropa de Choque participaram diretamente da ação, cercando os principais pontos de acessos às comunidades, com apoio dos batalhões da PM, responsáveis pelo policiamento ostensivo e repressivo.

Cerco às comunidades

(Polícia Militar do RJ/via Agência Brasil)

A operação envolveu 300 militares numa ampla ação nas comunidades da Caixa D’Água e do Morro do Dezoito, em Quintino, no Morro do Urubu, em Pilares, e do Flechal, no Engenho da Rainha, e da Rua Barão, Bateau Mouche e Chacrinha, na Praça Seca. Segundo a polícia,  ação visa estabilizar toda a região, que vem sendo objeto de disputa entre grupos de criminosos rivais pelo domínio territorial, com a finalidade de ampliação do tráfico de entorpecentes e controle de serviços fornecidos à população local, como a venda de gás, botijões de água, cerveja e refrigerantes, fornecimento de internet e sinal de TV a cabo. Esses serviços só podem ser adquiridos nas comunidades. Os moradores não podem adquirir esses serviços no comércio e levar para as comunidades.

De acordo com a PM, a ação teve como finalidade interromper os confrontos armados entre quadrilhas criminosas rivais, que disputam o controle dessas comunidades, com o objetivo de explorar atividades ilegais. De acordo com o porta-voz da corporação, major Ivan Blaz, o número de mortos foi alto devido a “marginais que resistiram duramente à ação policial. Mas tivemos seis criminosos presos que se renderam por conta da operação policial”, afirmou.