Filhos de Flordelis são condenados pela morte do padrasto

Lucas Cézar dos Santos de Souza e Flávio dos Santos Rodrigues, filhos da ex-deputada Flordelis, sentados no banco dos réus, ambos usando máscara, de camisa branco e bermuda preta. Ao fundo, a advogada aparece sentada usando máscara

O Tribunal do Júri de Niterói (RJ) condenou dois filhos da ex-deputada federal Flordelis pelo assassinato do pastor Anderson do Carmo. Flávio dos Santos Rodrigues, acusado de ter efetuado os disparos contra a vítima, foi sentenciado a 33 anos, dois meses e 20 dias de prisão em regime inicialmente fechado.

Ele foi condenado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, porte ilegal de arma de fogo, uso de documento ideologicamente falso e associação criminosa armada.

Já Lucas Cezar dos Santos de Souza, acusado de ter sido o responsável por adquirir a arma do assassinato, foi condenado a sete anos e seis meses de prisão em regime inicialmente fechado, por homicídio triplamente qualificado.

Lucas Cézar dos Santos de Souza e Flávio dos Santos Rodrigues, filhos da ex-deputada Flordelis, sentados no banco dos réus, ambos usando máscara, de camisa branco e bermuda preta. Ao fundo, a advogada aparece sentada usando máscara
Lucas Cézar dos Santos de Souza e Flávio dos Santos Rodrigues, filhos da ex-deputada Flordelis
(Tomaz Silva/Agência Brasil)

Lucas, em seu depoimento, que durou 35 minutos, alegou que não sabia que a arma que ele ajudou a comprar seria para matar o pastor Anderson. E que, quando foi sondado por parentes para cometer o assassinato, se negou todas as vezes em executar o crime.

Silêncio

Flávio, quando foi interrogado, preferiu permanecer em silêncio, dispensando a chance de falar à juíza e aos jurados.

O julgamento, presidido pela juíza Nearis dos Santos de Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói, durou mais de 15 horas e só terminou às 5h30 da madrugada de hoje (24). Outros oito réus ainda serão julgados por envolvimento no crime, ocorrido em junho de 2019, entre eles Flordelis, que era esposa da vítima.

Flordelis, ex-deputada federal (Michel Jesus/Câmara dos Deputados)

Por Agência Brasil

Moradores retiram corpos do Complexo do Salgueiro após ação da PM

Moradores retiraram nesta segunda-feira (22/11) oito corpos de um manguezal no bairro das Palmeiras, no complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ). Pessoas no local levantaram suspeitas de que uma chacina tenha ocorrido durante uma ação da Polícia Militar no final de semana.

Testemunhas disseram ter visto sinais de tortura nos corpos encontrados, e que outros ainda estariam na região do manguezal.

A região foi alvo de uma ação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM do Rio de Janeiro no último sábado. Tiroteios resultaram a morte de um policial militar.

(Rede Social/Reprodução)

O sargento Leandro Rumbelsperger da Silva, de 38 anos, do 7º BPM teria sido atacado durante um patrulhamento em Itaúna, próximo às Palmeiras, e morreu após ser levado ao hospital.

O confronto se intensificou com a chegada do Bope. Moradores acusam os policiais de promoverem uma chacina no local. Alguns afirmam que os corpos estavam jogados uns por cima dos outros.

A PM afirmou que confrontos intensos ocorreram na área de mangue, de difícil acesso, e que, em um dado momento, os criminosos estavam no interior da mata fechada. Os policiais teriam sido atacados no manguezal, e houve uma troca de tiros. Munições de fuzil carregadores e uniformes camuflados foram apreendidos.

Nesta segunda-feira, os corpos foram enfileirados e cobertos por lençóis em uma rua do bairro. Um comboio da Polícia Civil, acompanhado de dois blindados da PM, foi até o local.

Ministério público investiga ação

A Defensoria Pública do RJ confirmou ter recebido relatos sobre a “violenta operação no Complexo do Salgueiro”. Representantes da Ouvidoria irão até a região para obter maiores informações, informou.

O Ministério Público do Rio de Janeiro foi comunicado, para a “adoção de medidas cabíveis a fim de interromper as violações”. O órgão disse que que o caso está sendo analisado pela 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada do Núcleo Niterói e São Gonçalo.

A PM disse que comunicou a operação ao MP-RJ. Em junho do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu operações das comunidades do estado durante a pandemia, que somente podem ser realizadas após o MP-RJ ser notificado com antecedência.

Nos últimos meses, diversas ações da polícia no estado resultaram em mortes de civis, como a operação realizada na favela de Jacarezinho em maio, que terminou com 28 mortos, sendo esta a mais letal da história do Rio de Janeiro.

A força-tarefa do MP-RJ que investiga o caso denunciou dois policiais civis por envolvimento em uma das mortes.

Por Deutsche Welle
rc (ots)

‘Tem mais de 40″ mortos no mangue, afirma morador do Complexo do Salgueiro

Moradores do Complexo do Salgueiro afirmaram nesta segunda-feira (22) terem reconhecido 40 corpos na região de um maguezal, no bairro das Palmeiras. O complexo foi alvo de uma operação da Polícia Militar neste final de semana.

A ação teve início na madrugada deste sábado (20), após o sargento Leandro Rumbelsperger da Silva, do 7º BPM (São Gonçalo), ser atingido por tiros durante um patrulhamento em Itaúna, bairro vizinho às Palmeiras. O policial morreu no hospital. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi chamado, e os conflitos se intensificaram.

(Rede social/Reprodução)

“Estes confrontos foram intensos, foram na área de mangue, é uma área de difícil trânsito. Logicamente estamos falando de um momento em que marginais estavam no interior da mata fechada”, afirmou o porta-voz da PM, tenente-coronel Ivan Blaz, em entrevista ao jornal Bom Dia Rio.

Na manhã de domingo (21), uma idosa foi atingida por uma bala perdida. Um áudio divulgado nas redes sociais pelo advogado Joel Luiz Costa, mostra um possível morador da região afirmando ter encontrado mais de 40 corpos no maguezal.

“Ora por nós pelo amor de Deus, tem mais de 40 amigo morto aqui no mangue, tem mais de 40 amigo morto aqui, tem corpo que a gente nem tá conseguindo nem tirar, tem um cara aqui que tá com uma faca cravada no rosto”, relata o morador.

O site da TV Cultura entrou em contato com a Polícia Militar do Rio de Janeiro, mas até a publicação desta nota não recebeu nenhum retorno.

Em nota, a Defensoria Pública afirmou que comunicou o Ministério Público sobre o ocorrido para que medidas fossem tomadas. Ainda de acordo com o órgão, equipes estão em contato com as lideranças locais e se dirigirão ao local nesta segunda-feira (22).

Veja a nota na íntegra: “A Defensoria Pública do Rio de Janeiro informa que recebeu, por meio de sua Ouvidoria Externa, ainda na noite de domingo (21), relatos sobre a violenta operação no Complexo do Salgueiro. A instituição informa que sua Ouvidoria comunicou o fato ao Ministério Publico, para a adoção de medidas cabíveis a fim de interromper as violações. E que o órgão também está em contato com as lideranças locais prestando orientações necessárias. Nesta segunda-feira (22), às 14h, representantes da Ouvidoria e defensores do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh) irão à comunidade, junto com outras instituições de direitos humanos, coletar informações sobre o ocorrido para as medidas, inclusive judiciais, que se fizerem necessárias em defesa dos moradores, vítimas e seus familiares”.

Por TV Cultura

Máscaras deixam de ser obrigatórias em academias do Rio

A cidade do Rio de Janeiro publicou hoje (17) um decreto que permite a permanência de pessoas, sem máscara, em academias de ginástica, piscinas e centros de treinamento. No entanto, a apresentação do comprovante de vacinação contra covid-19 para acessar esses locais continua sendo exigida.

O decreto prevê que pessoas de 15 a 59 anos devem apresentar comprovante de imunização com duas doses ou dose única.

Praia do Leme, na zona sul do Rio de Janeiro (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Aqueles com mais de 60 anos devem também comprovar vacinação com a dose de reforço para ingressar e permanecer nesses locais.

A prefeitura do Rio de Janeiro já havia desobrigado o uso de máscaras em locais abertos no fim de outubro.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, 75,7% da população carioca já foram imunizados com duas doses ou dose única de vacina contra covid-19. Considerando-se apenas a população com 12 anos ou mais, o percentual sobe para 88,3%.

Por Agência Brasil

Criança morre com tiro na cabeça enquanto cortava cabelo

Mário Neto Ferreira Lourenço tinha um ano (TV Cultura/Reprodução)

Um bebê de um ano de idade foi morto nesta segunda-feira (25), no bairro Jacutinga, na cidade de Mesquita, no Rio de Janeiro. Mário Neto Ferreira Lourenço foi atingido por um tiro enquanto acompanhava o pai em uma barbearia. O bebê chegou a ser encaminhado ao Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu aos ferimentos.

Outras duas pessoas também morreram. Ruan Batista de Souza, de 24 anos, morreu no local e Renan Felipe Batista Nunes, de 17 anos, foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Uma outra criança, de 3 anos, também foi atingida pelos disparos e foi encaminhada ao hospital.

De acordo com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) instaurou inquérito para apurar as mortes. Os agentes coletaram imagens de câmeras de segurança do local para análise.

Por TV Cultura

Caminhoneiros que transportam combustível protestam no Rio e em Minas

Protesto na porta de uma distribuidora em Betim, na Grande Belo Horizonte (Estado de Minas/Reprodução)

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e de Lojas de Conveniência do Município do Rio de Janeiro (Sindcomb) informou hoje (21) que acompanha o movimento de tanqueiros nas bases de abastecimento de Campos Elíseos, na Baixada Fluminense. Os tanqueiros fazem manifestação contra o preço dos combustíveis e do frete. Bases de Campos Elíseos foram fechadas para evitar tumultos.

O Sindcom informou que caminhões-tanque estão conseguindo entrar nas bases de distribuição, escoltados pela Polícia Militar, para fazer, exclusivamente, o carregamento das empresas de ônibus da cidade. A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou “que policiais militares do 15ºBPM (Duque de Caxias) acompanham uma manifestação em Campos Elíseos”.

De acordo com a secretaria, até o momento, “o ato ocorre de forma pacífica, não há registro de prisão ou apreensão”.

“Os postos revendedores do Rio seguem aguardando a normalização das entregas para poder atender a sua clientela até o fim de semana”, informou o Sindcomb, em nota.

Segundo o sindicato, no local operam as principais distribuidoras de combustíveis como a Vibra, a Raízen, uma joint venture criada a partir da união de parte dos negócios da Shell e da Cosan, e a Ipiranga, do Grupo Ultra.

Hoje à tarde, o sindicato vai fazer uma avaliação do movimento que começou nas primeiras horas desta quinta-feira. No final do dia, fará um balanço dos reflexos da suspensão das operações. Conforme o Sindcomb, os estoques nos postos já estão baixos, esperando as entregas previstas para hoje. Caso a entrada dos caminhões não seja liberada ainda hoje, é possível que tenham problemas de abastecimento de combustíveis para fazer os estoques de fim de semana.

Os postos costumam trabalhar com estoques ajustados à demanda, por isso, não têm reservas extras. Normalmente, os pedidos às distribuidoras são feitos nas quintas e sextas-feiras para o fim de semana. A expectativa do sindicado é que a abertura das bases de abastecimento seja feita nesta tarde.

Segundo o G1, o movimento também atinge caminhoneiros que transportam combustíveis em Minas Gerais.

A Petrobras informou “que não há impacto às operações da companhia, em suas unidades operacionais”. A Agência Brasil tentou contato com a direção do sindicato da categoria de tanqueiros no Rio, mas não obteve resposta até agora.

*Com Agência Brasil

Justiça ouve testemunhas sobre morte do menino Henry Borel

Garoto tinha 4 anos

A Justiça do Rio de Janeiro realiza, hoje (6), a primeira audiência do processo da morte do menino Henry Borel. Estão previstos depoimentos de 12 testemunhas de acusação. A juíza Elizabeth Machado Louro, do Tribunal de Júri, determinou que, por questões de segurança, as testemunhas da defesa sejam ouvidas em outra ocasião. 

O menino Henry Borel, de 4 anos, morreu no dia 8 de março deste ano. Segundo denúncia do Ministério Público (MPRJ), ele foi vítima de torturas feitas pelo padrasto, o ex-vereador Jairo dos Santos Souza, conhecido por doutor Jairinho, em seu apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Além do ex-vereador, a mãe do menino, Monique Medeiros, também é acusada do crime. 

Jairinho vai prestar depoimento por videoconferência a partir do presídio Wellington de Oliveira, em Gericinó. Monique, que também está presa, vai comparecer ao Tribunal de Justiça. Ambos estão presos desde abril.

A ex-mulher de Jairinho, Ana Carolina Ferreira Netto, teve negado pela Justiça o pedido de dispensa para testemunhar.

Por Agência Brasil

Rio de Janeiro pode desobrigar uso de máscaras

O uso de máscaras em ambientes ao ar livre, sem aglomeração, poderá ser desobrigado na cidade do Rio de Janeiro já no próximo dia 15. A previsão foi divulgada nesta segunda-feira (4) pelo prefeito Eduardo Paes. Ele se pronunciou pelo Twitter, citando ata do Comitê Científico da Prefeitura, do dia 9 de agosto, mas só divulgada hoje.

No documento, a segunda etapa de redução das medidas restritivas prevê que, com 65% da população com esquema vacinal completo, haverá desobrigação no uso de máscaras em locais abertos sem aglomeração, mantendo sua utilização obrigatória onde não se consiga manter o distanciamento.

Ainda na segunda etapa, está prevista a permissão para realização de eventos em locais abertos, com restrição até mil pessoas, com uso de máscara obrigatório. Também haverá abertura de boates, danceterias, casas de show e festas, em locais fechados, somente para pessoas com esquema vacinal completo, com 50% da capacidade do ambiente.

Na terceira etapa, prevista pelo prefeito para ocorrer em 15 de novembro, quando haveria 75% da população com esquema vacinal completo, haverá manutenção de máscaras somente em ambientes hospitalares e transporte público, com livre circulação, sem restrições de capacidade e distanciamento.

“Acreditamos que vamos atingir a segunda etapa em 15/10 e a terceira etapa em 15/11”, escreveu Paes, acrescentando que  “o Comitê Científico é composto por dois ex-ministros da Saúde, por um ex-secretário nacional de vigilância em saúde, além de representantes da UFRJ, UERJ, UNIRIO e Fiocruz! Eles é que dão o comando aqui, em conjunto com o secretário @danielsoranz”.

Por Agência Brasil

No meio da rua, homem senta em jacaré para imobilizar animal

Um jacaré foi visto e capturado em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, na manhã desta quarta-feira (29). Segundo vídeo nas redes sociais, o animal estava embaixo do carro do homem que o capturou.

O morador usou uma toalha para cobrir a cabeça do jacaré e sentou em cima do réptil enquanto aguardava a chegada do Corpo de Bombeiros. Ainda de acordo com vídeos viralizados nas redes, o animal tentou atacar o morador por duas vezes, sem sucesso.

Os bombeiros levaram o jacaré até a Área de Proteção Ambiental Guapimirim. Foram necessários quatro homens para colocar o animal dentro de uma espécie de caixa, própria para esse tipo de situação.

Por TV Cultura

Vento forte interrompe serviço de trens e fecha ponte Rio-Niterói

Devido à chegada de uma massa pré-frontal, massa de ar quente que antecede uma frente fria, a região metropolitana do Rio foi atingida por rajadas de vento superiores a 70 quilômetros por hora (km/h), provocando diversos transtornos à cidade e aos moradores. O município do Rio entrou em estado de mobilização às 15h20, devido aos registros de vento forte na Base Aérea de Santa Cruz (57,4 km/h),na zona oeste, no Aeroporto do Galeão (68,5 km/h), na Ilha do Governador,  e no Aeroporto Santos Dumont (64,8 km/h), na região central da cidade. 

Por medida de segurança, devido à ventania, no vão central da Ponte Rio-Niterói, houve interdição nos dois sentidos, às 14h40. O fechamento da ponte durou 41 minutos e foi liberada ao tráfego novamente às 15h21.

Os carros estão fazendo a travessia com a velocidade reduzida para evitar transtornos. Em função dos fortes ventos que atingem a região metropolitana do Rio, a circulação dos trens do ramal da SuperVia foi suspensa nos ramais Japeri, Santa Cruz, Belford Roxo e Saracuruna e nas extensões Paracambi, Vila Inhomirim e Guapimirim. 

A ventania provocou também queda de árvores em vários pontos da região metropolitana do Rio. A Rua Leopoldo Bulhões, na zona norte, está interditada no sentido Bonsucesso devido à queda de árvore na altura do nº 31.

A Companhia de Limpeza Urbana da prefeitura foi acionada para cortar os galhos da árvore e liberar o trânsito para os veículos. Na Rua Capitão Salomão, no bairro do Humaitá, uma árvore caiu sobre dois carros.

Os bombeiros do quartel central informaram que foram mobilizados para diversos pontos da cidade, devido a queda de árvores. A Marinha informou que o mar está de ressaca, e os banhistas e embarcações de pequeno porte devem evitar entrar na água. A concessionária de energia Light informou que vários bairros estão às escuras, devido à ventania.

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil