Multas por excesso de velocidade quase dobram em 2021

Dados do Ministério da Infraestrutura mostram que o número de multas por excesso de velocidade dobrou no ano de 2021. Até setembro deste ano, houve 92,2% mais registros de carros que ultrapassaram o limite de velocidade nas vias em até 20% do que o mesmo período de 2020. Os registros foram feitos pela Polícia Rodoviária Federal.

Enquanto 6,1 milhões de veículos levaram multas por desobedecer a velocidade máxima permitida entre janeiro e setembro do ano passado, essa quantidade subiu para 11,8 milhões durante o mesmo intervalo de tempo em 2021. O excesso de velocidade continua sendo o maior motivo das infrações.

O excesso de velocidade em até 20% é considerado uma infração média, que custa R$ 130,16 e quatro pontos na carteira do motorista. A segunda infração mais cometida é dirigir em uma velocidade entre 20% e 50% maior do que a permitida. O aumento dessas multas em 2021 foi de 137,7%.

Por TV Cultura

Saída para fim de semana prolongado tem congestionamentos

Congestionamento durante a tarde na Rodovia dos Imigrantes, sentido litoral (Ecovias/Reprodução)

Na tarde de hoje (3), véspera do feriado prolongado do Dia da Independência, as estradas que ligam a capital paulista ao litoral e ao interior já apresentavam pontos com tráfego intenso. A estimativa da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) é que 5,1 milhões de veículos passem pelas principais rodovias que saem da cidade de São Paulo.

O Sistema Anchieta-Imigrantes, que vai da capital à Baixada Santista, às 15h45, tinha três pontos de congestionamento em direção ao litoral, totalizando 19 quilômetros de lentidão. A previsão da Ecovias, concessionária responsável pela administração do sistema, é que entre 265 mil e 410 mil veículos sigam para o litoral ao longo do feriado.

No Sistema Anhanguera-Bandeirantes, que liga a capital ao interior, por volta do mesmo horário, eram registrados alguns pontos de congestionamento na Rodovia Anhanguera em direção ao interior. A Rodovia dos Bandeirantes também tinha lentidão em ambos os sentidos na altura de Jundiaí. A Autoban, concessionária que administra as rodovias, espera que 870 mil veículos passem pelas rodovias durante o feriado.

A Companhia de Engenharia de Tráfego registrava às 16h, na cidade de São Paulo, 57 quilômetros de vias congestionadas.

Terminais de ônibus

Nos terminais de ônibus da capital paulista, a estimativa da Socicam, empresa concessionária dos terminais do Tietê, Jabaquara e Bara Funda, é que 330 mil pessoas embarquem e desembarquem durante o feriado.

Os destinos mais procurados são Santa Catarina, Rio de Janeiro, a região sul de Minas Gerais e o litoral sul e norte de São Paulo. Para atender a demanda, foram disponibilizados 438 ônibus extras para hoje (3) e amanhã (4).

Segundo a Socicam, os terminais operam atualmente com uma redução de 45% no fluxo de passageiros na comparação com o período anterior à pandemia de covid-19.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 

Com aumento nos congestionamentos, Capital reativa faixas reversíveis de ônibus

As faixas reversíveis de ônibus foram reativadas hoje (23), em São Paulo. A mudança foi anunciada na semana passada pela Prefeitura da Capital.

As faixas ajudam a dar maior fluidez ao transporte coletivo. Pelas análises da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), nos últimos dias foi registrado um aumento gradual dos índices de lentidão registrados na cidade.

“As faixas reversíveis operam por meio da inversão do sentido de circulação de faixa ou faixas de rolamento das vias para atender ao maior fluxo de veículos registrado em determinados horários”, explica a Prefeitura, em nota. “A implantação das faixas reversíveis é uma medida de engenharia de tráfego importante para a redução dos congestionamentos na cidade de São Paulo”, completa

Veja abaixo as vias e horários da implantação das faixas a partir desta segunda:

FAIXAS REVERSÍVEIS EXCLUSIVAS PARA ÔNIBUS

Sentido Centro

Ponte da Casa Verde (Manhã) – 6h às 10h
Entre a Av. Braz Leme e Rua Baronesa de Porto Carreiro

Av. Penha de França – 6h às 8h30
Entre Rua Caquito e Rua Henrique Souza Queiroz

Estrada do M’Boi Mirim (1) / Av. Guarapiranga (2) – 5h30 às 8h30
Entre a Rua Frias Vasconcelos e Av. Guarapiranga / Estrada do M’boi Mirim e Rua Frederico Grotte

Estrada de Itapecerica – 5h30 às 8h30
Entre a Rua Josefina Moretti e Terminal João Dias

Av. Carlos Caldeira Filho – 6h às 8h30
Entre a Av. das Belezas e a Av. Giovanni Gronchi

Ponte João Dias – 6h às 8h30
Entre o Term. João Dias e Rua Bento Branco de Andrade Filho

Ponte do Piqueri – Av. Gal. Edgar Facó – 6h às 9h
Entre a Av. Paula Ferreira – Av. Ermano Marchetti

Sentido bairro

Ponte da Casa Verde – 16h às 20h
Entre a Rua Baronesa de Porto Carreiro e Av. Braz Leme

Av. Guarapiranga – 16h às 20h
Entre a Av. Vitor Manzini x Rua Bruges até a Av. Guarapiranga x Estr. M’Boi Mirim

Ponte João Dias – 17h às 20h
Entre a Rua Bento Branco de Andrade Filho e Terminal João Dias

Ponte do Piqueri – 17 às 20h
Sobre toda a extensão da ponte

Capital muda horário de rodízio a partir de hoje

(Arquivo/Nivaldo Lima/SP Agora)

A partir de hoje (10) o rodízio municipal para veículos de passeio na capital paulista vale de segunda a sexta-feira, das 21h às 5h do dia seguinte, de acordo com o final da placa, inclusive nos feriados. Já o rodízio para carros no horário tradicional das 7h às 10h e das 17h às 20h continua suspenso.

A alteração foi feita por conta da mudança do período de vigência do toque de restrição determinada pelo governo do estado. A medida, adotada desde o dia 22 de março, tem o objetivo de diminuir a circulação no horário noturno, acompanhando a restrição decretada pelo governo.

Para os veículos de passeio vale o final de placas 1 e 2 – das 21h de segunda-feira às 5h de terça; 3 e 4 – das 21h de terça-feira às 5h de quarta; 5 e 6 – das 21h de quarta-feira às 5h de quinta; 7 e 8 – das 21h de quinta-feira às 5h de sexta; 9 e 0 – das 21h de sexta-feira às 5h de sábado.

Caminhões e demais veículos sujeitos a restrições continuam seguindo as regras do rodízio municipal tradicional, das 7h às 10h e das 17h às 20h, de acordo com o final da placa.

A Zona Azul e o horário das demais restrições existentes na cidade – Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição aos Fretados (ZMRF) – também continuam mantidos. O não cumprimento das restrições acarreta infração média, com multa de R$ 130,16 e acréscimo de quatro pontos no prontuário do motorista.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

Novas regras de trânsito começam a valer hoje

Entram em vigor hoje (12) as alterações promovidas no Código Brasileiro de Trânsito. A principal novidade é ampliação do prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos no caso de condutores de até 50 anos. As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção. 

Os exames de aptidão física e mental para renovação da CNH não serão mais realizados a cada cinco anos. A partir de agora, a validade será de dez anos para motoristas com idade inferior a 50 anos; cinco anos para motoristas com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 e três anos para motoristas com idade igual ou superior a 70 anos. 

Haverá mudanças também na quantidade de pontos que podem levar à suspensão da carteira. Atualmente, o motorista que atinge 20 pontos durante o período de 12 meses pode ter a carteira suspensa. Agora, a suspensão ocorrerá de forma escalonada. O condutor terá a habilitação suspensa com 20 pontos (se tiver duas ou mais infrações gravíssimas na carteira); 30 pontos (uma infração gravíssima na pontuação); 40 pontos (nenhuma infração gravíssima na pontuação). 

As novas regras proíbem que condutores condenados por  homicídio culposo ou lesão corporal sob efeito de álcool ou outro psicoativo tenham pena de prisão convertida em  alternativa. 

O uso de cadeirinhas no banco traseiro passa a ser obrigatório para crianças com idade inferior a 10 anos que não tenham atingido 1,45 metro de altura. Pela regra antiga, somente a idade da criança era levada em conta.

Nos casos de chamamentos pelas montadoras para correção de defeitos em veículos (recall), o automóvel somente será licenciado após a comprovação de que houve atendimento da campanhas de reparos. 

https://web.facebook.com/agenciabrasil.ebc/videos/117189217067488

Mudanças no Código de Trânsito começam a valer neste mês

Entram em vigor no dia 12 de abril as alterações promovidas no Código Brasileiro de Trânsito. As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção.

A partir de agora, os motoristas devem ficar atentos aos novos prazos de renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), ao número de pontos que podem gerar a suspensão de dirigir e à punição de quem causar uma morte ao conduzir o veículo após ter ingerido bebida alcoólica ou ter usado drogas.

Os exames de aptidão física e mental para renovação da CNH não serão mais realizados a cada cinco anos. A partir de agora, a validade será de dez anos para motoristas com idade inferior a 50 anos; cinco anos para motoristas com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 e três anos para motoristas com idade igual ou superior a 70 anos.

Haverá mudanças também na quantidade de pontos que podem levar à suspensão da carteira. Atualmente, o motorista que atinge 20 pontos durante o período de 12 meses pode ter a carteira suspensa. Agora, a suspensão ocorrerá de forma escalonada. O condutor terá a habilitação suspensa com 20 pontos (se tiver duas ou mais infrações gravíssimas na carteira); 30 pontos (uma infração gravíssima na pontuação); 40 pontos (nenhuma infração gravíssima na pontuação).

As novas regras proíbem que condutores condenados por homicídio culposo ou lesão corporal sob efeito de álcool ou outro psicoativo tenham pena de prisão convertida em alternativas.

Cadeirinhas

O uso de cadeirinhas no banco traseiro passa a ser obrigatório para crianças com idade inferior a dez anos que não tenham atingido 1,45 m de altura. Pela regra antiga, somente a idade da criança era levada em conta.

Recall

Nos casos de chamamentos pelas montadoras para correção de defeitos em veículos (recall), o automóvel somente será licenciado após a comprovação de que houve atendimento das campanhas de reparo.

*Com informações da Agência Brasil

Novo horário de rodízio de veículos já está em vigor

(Arquivo/Oswaldo Corneti/Fotos Públicas)

O rodízio municipal de veículos na cidade de São Paulo começou a funcionar na noite de hoje (22) em novos horários em razão da pandemia de covid-19. Durante a fase emergencial do Plano São Paulo Contra a Pandemia, o rodízio passou a ter início a partir das 20h às 5h  do dia seguinte. O funcionamento do rodízio em seu horário tradicional, das 7h às 10h e das 17h às 20h está suspenso.

“A medida visa reduzir a circulação de pessoas no período noturno, diante da necessidade de se conter a disseminação da Covid-19. Na prática, a medida complementa o toque de recolher decretado pelo governo do Estado”, destacou a prefeitura, em comunicado.

Durante o rodízio, os veículos automotores ficam impedidos de circular no Centro Expandido da capital paulista, delimitado pelo chamado Mini Anel Viário, formado pelas marginais Tietê e Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Afonso Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, avenidas Tancredo Neves e Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e avenidas Professor Luís Inácio de Anhaia Melo e Salim Farah Maluf.

De acordo com os novos horários do rodízio, os veículos com final de placa 1 e 2 são proibidos de circular das 20h de segunda-feira às 5h de terça-feira; 3 e 4 (das 20h de terça-feira às 5h de quarta-feira); 5 e 6 (das 20h de quarta-feira às 5h de quinta-feira); 7 e 8 (das 20h de quinta-feira às 5h de sexta-feira); 9 e 0 (das 20h de sexta-feira às 5h de sábado). 

O novo horário do rodízio vigorará inclusive aos feriados. O não cumprimento da norma implica em infração de trânsito de nível médio, multa no valor de R$ 130,16 e acréscimo de quatro pontos no prontuário do motorista.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Cresce morte de motoqueiros no trânsito do Estado

(Arquivo/Nivaldo Lima/SP AGORA

O número de motociclistas mortos no trânsito no Estado de São Paulo teve elevação de 17,9% em fevereiro, em comparação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com dados do Infosiga SP, os acidentes fatais com motociclistas, principal categoria responsável pelas entregas de produtos, subiram de 123, no segundo mês de 2020, para 145, em fevereiro de 2021.

Acidentes fatais com ocupantes de automóveis também tiveram forte alta, de 17,4%, na mesma comparação: foram 101 ocorrências em fevereiro de 2021 contra 86, no mesmo mês de 2020. Os dados, do governo paulista, foram divulgados hoje (19).

Já as fatalidades envolvendo pedestres e ciclistas em fevereiro de 2021 tiveram queda. A maior redução foi das mortes de ciclistas: 18 fatalidades, contra 37 em fevereiro do ano passado (-51,4%). A queda também foi significativa entre os pedestres, com 79 ocorrências fatais em fevereiro, contra 93 no mesmo período de 2020 (-15,1%).

Considerando o número total de mortes causadas pelo trânsito nos quatro meios de transporte, houve alta de 1,4% no mês: 369 óbitos em fevereiro deste ano contra 364 em 2020.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Cresce número de motoristas com problemas de saúde

(Reprodução)

Além dos efeitos da pandemia na saúde mental, que deixou condutores mais agressivos, desatentos e irritados, levantamento feito pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) aponta que o número de carteiras nacionais de habilitação (CNHs) de condutores com algum tipo de restrição visual aumentou 44% entre 2014 e 2020

“Hoje, 28% dos habilitados têm alguma restrição. O acompanhamento de saúde por especialistas com regularidade é fundamental para termos um trânsito mais seguro”, afirma o médico Alysson Coimbra.

A deterioração da saúde dos motoristas é um dos principais componentes que contribuem para o aumento no número de acidentes e das mortes no trânsito brasileiro.

“Durante as perícias de trânsito, podemos constatar o quanto nossos motoristas estão mais desatentos e com maior dificuldade na avaliação visual, o que está relacionado ao aumento do tempo de uso de telas de celulares e computadores devido às restrições impostas pela pandemia. Muitas vezes precisamos repetir a mesma solicitação devido à dificuldade de concentração do paciente, e é quando percebemos mudanças repentinas no olhar e tom de voz, o que demonstra a inabilidade desses condutores em conviver com tamanha carga emocional provocada pela pandemia”.

Alysson Coimbra, coordenador da Mobilização Nacional dos Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito e diretor da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (AMMETRA)

Pesquisa recente feita pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) com base em dados da Polícia Rodoviária Federal apontou que, nos últimos cinco anos, cerca de 250 mil acidentes registrados em rodovias brasileiras foram causados por questões relacionadas à condição de saúde dos motoristas. De acordo com o levantamento, estes acidentes provocaram 12.449 mortes e deixaram 208.716 feridos.

 “A ciência já mostrou a importância de avaliar adequadamente a saúde dos motoristas para evitar acidentes. O papel dos especialistas é fundamental para salvar vidas”, afirma.

Hoje, todos os candidatos à obtenção da CNH e os motoristas habilitados são avaliados por especialistas em Medicina do Tráfego. Essa determinação segue a resolução 425/2012 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e é apontada por entidades médicas e especialistas em segurança viária como uma importante ferramenta para a prevenção de mortes e acidentes no trânsito.

Nesta semana, o Congresso Nacional deve analisar o veto ao Caput do artigo 147 da nova Lei de Trânsito, que caso mantido tira das mãos dos especialistas a avaliação dos condutores brasileiros. 

“O exame realizado por peritos examinadores especialistas em Tráfego é fundamental para a detecção precoce de problemas de saúde que interferem diretamente na prevenção de acidentes. Esse exame é, muitas vezes, o único contato da maioria dos condutores com um profissional da saúde. Acreditamos que mais uma vez os parlamentares serão sensíveis a essa pauta da preservação de vidas no trânsito brasileiro”, finaliza Coimbra.

Rodízio de veículos será mantido nas férias de fim de ano

(Arquivo)

O Rodízio Municipal de Veículos em São Paulo continuará em vigor no período das festividades do Natal e do Ano-Novo e no mês de janeiro de 2021, ao contrário do que  ocorreu nos anos anteriores. Também continua valendo o rodízio de placas para veículos pesados (caminhões) e as demais restrições da Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e da Zona de Máxima Restrição ao Fretamento (ZMRF). A medida foi tomada com base nas recomendações das autoridades de saúde do município.

A restrição é válida de segunda-feira a sexta-feira, exceto feriados, e impede os veículos de circularem no chamado Centro Expandido e no Mini Anel Viário, formado pelas marginais Tietê e Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Afonso D´Esccragnole Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, avenidas Tancredo Neves e Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e avenidas Professor Luís Inácio de Anhaia Melo e Salim Farah Maluf.

Nas segundas-feiras estão proibidos de circular veículos com placas de final 1 e 2; nas terças às de final 3 e 4; nas quartas, 5 e 6; nas quintas não circulam veículos com final 7 e 8 e nas sextas, os de placa com final 9 e 0. 

O descumprimento dessa norma implica em infração de trânsito de nível médio, resultando em multa no valor de R$ 130,16 e acréscimo de quatro pontos no prontuário do motorista.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil