Brasil

Esquema de segurança fecha vias de Brasília para o 7 de setembro

A Esplanada dos Ministérios, em Brasília, amanheceu hoje (6) bloqueada para veículos. O bloqueio, já previsto nos planos de segurança para o feriado de 7 de Setembro, foi antecipado em 24 horas, para a noite de ontem (5), depois que uma caravana de caminhoneiros tentou acessar a via sem autorização do governo do Distrito Federal (DF).  

Além de dar acesso aos ministérios, as avenidas bloqueadas levam também ao Congresso Nacional, ao Palácio do Planalto e à sede do Supremo Tribunal Federal (STF). A via foi bloqueada no trecho entre a Rodoviária de Brasília e a Praça dos Três Poderes.

Policial no meio da rua, vazia, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Ao fundo, outros policiais caminham pela calçada. Nos postes, tecidos verdes e amarelos.
Esplanada dos Ministérios, em Brasília (José Cruz/Agência Brasil)

Policiais Militares passaram a noite no local para evitar furo nos bloqueios, que foram feitos com blocos de concreto e também caminhões das forças de segurança.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF) disse que os caminhões que seguiam em direção à Esplanada dos Ministérios na noite de ontem (5) foram orientados a ir para uma área designada no Parque da Cidade, também no centro de Brasília, ao lado Sul do Eixo Monumental.

Siga nosso canal no Whatsapp

“O grupo seguiu, de forma pacífica, sentido Eixão Sul”, informou a SSP-DF, em nota. Também em nota, a Polícia Militar informou que a Esplanada somente será liberada “após a finalização dos atos previstos, de forma que seja garantida a segurança de todos”.

O bloqueio não deve prejudicar os servidores que trabalham na região, já que o governo federal declarou ponto facultativo nesta terça-feira (6). A medida foi tomada no fim do mês passado, para facilitar as ações de segurança para o 7 de Setembro.

A proibição de veículos na Esplanada ocorre depois de a via ter sido ocupada por caminhões sem autorização durante os festejos da Independência, no ano passado. Os veículos só saíram no 9 de setembro, após negociações com as forças de segurança.

Outro temor é de que neste ano o prédio do Supremo seja alvo de manifestantes mais radicais, que não aceitam, por exemplo, decisões recentes sobre as unas eletrônicas e inquéritos em curso contra o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus apoiadores.

Medidas

A equipe responsável pela segurança institucional do STF classificou o risco ao prédio durante o feriado como de alto a médio. O esquema de proteção à sede da Corte foi reforçado em comparação ao do ano passado, com a convocação, por exemplo, de 100% do efetivo de segurança terceirizada para trabalhar no 7 de Setembro.

Em planejamento há meses junto à Secretaria de Segurança Pública do DF, o esquema de segurança contará ainda com uma tropa de choque posicionada nas proximidades do Supremo.

Os policiais estarão de prontidão para debelar ameaças à sede da Corte. O esquema conta ainda com um bloqueio a drones, para evitar ataques aéreos. Funcionários de outros tribunais superiores também engrossam o contingente de segurança.

A Força Nacional também foi convocada, por meio de portaria assinada pelo ministro da Justiça, Anderson Torres, e publicada ontem (5) no Diário Oficial da União (DOU).

A portaria autoriza “o emprego da Força Nacional, em caráter episódico e planejado, nas ações de preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, na defesa dos bens e dos próprios da União, no interior do Palácio da Justiça”.

Mais artigos desta categoria

Botão Voltar ao topo
Fechar

Bloqueador de anúncios

Não bloqueie os anúncios